História Wild - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Boyxboy, Gay, Historia Original, leão, Lemon, Leões, Lobisomem, Lobo, Lobos, Transformaçao, Yaoi
Visualizações 12
Palavras 1.614
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 16 - Capítulo 16


Território Felino

Os Nikolaevich estavam sentados na sala enquanto os adultos batiam papo, apenas Caleb estava entretido no meio. Zachary mexia no celular trocando mensagens com Isaac enquanto Apollo lia um livro.

Karl Nikolaevich e sua esposa Ekaterina não tinham filhos, pois a mulher era estéril. Com a aposentadoria de Karl do exército, eles resolveram, finalmente, entrar com um pedido de adoção. O pedido estava em andamento e eles já tinham até visitado algumas crianças.

Conversa vai, conversa vem até que finalmente Caleb pergunta o que mais queria saber.

Tio, o senhor não vai contar algumas histórias sobre canídeos? — disse o menino mais novo.

Todos ficaram em silêncio, Zachary levantou seus olhos do celular e Apollo dos livros, todos encararam Caleb que olhava radiante para Karl esperando uma resposta.

É... sim, vou, mas antes vamos jantar? - Karl fala enquanto se levanta indo em direção à cozinha.

Cherish ajuda Ekaterina a servir a mesa, tinha vários tipos diferentes de carne, legumes e sucos. Aparentemente ambos viviam bem naquele sítio.

Zachary comeu apenas um pouco, depois disso ficou brincando com a comida dentro do prato enquanto ouvia de longe a conversa de seus familiares. O menino estava curioso em saber as coisas sobre a raça de Hendrik.

Zach estava avoado olhando para comida e Apollo o observava tentando ler as expressões do menino, porém não havia nada demais.

Quando terminaram o jantar todos voltaram novamente para a sala. Karl, Ekaterina, Cherish e Bali sentaram no sofá de três lugares, um pouco espremidos, mas coube. Apollo sentou no sofá de dois lugares e chamou Zach para sentar ao seu lado, o garoto pensou em recusar, mas resolveu sentar para não causar suspeitas no irmão mais velho. Caleb tinha se sentado na poltrona, imperativo para que seu tio começasse logo a história.

Você tem certeza que é bom contar isso a eles? - pergunta Cherish ao marido.

Está na hora de eles saberem, você não acha? - Bali responde, mas não ouve nada vindo da esposa porque Karl começa.

— Bom, irei contar o que Caleb me pediu.

Apollo observou Zachary mexendo no celular e viu uma mensagem de Isaac que dizia: Avisei para ele. Não ligou muito para a mensagem e voltou à atenção em seu tio que falava.

— Os canídeos - Zachary encara seu tio também - e os felinos viviam juntos.

— Todos juntos? - interrompeu Caleb eufórico.

— Pare de interromper - falou Apollo irritado e Caleb se encolher na poltrona.

— Está tudo bem - Karl sorriu para Caleb que deu um sorriso tímido de volta - continuando. Muitos anos atrás, no começo de tudo, nós felinos vivíamos juntos dos canídeos. Vivíamos no mesmo território, comíamos as mesmas comidas, vestíamos as mesmas marcas de roupas, trabalhávamos sob o mesmo teto.

Caraca - Caleb soltou sem querer depois colocou uma mão sobre a boca e olhou para Apollo com um olhar de desculpa.

Pois é, é difícil de acreditar, mas é a verdade. Porém não era um mar de rosas onde todos se amavam e essas coisas, muito pelo contrário, existia muito preconceito. Nós felinos, desde o começo sempre tivemos essa crença de acreditar que só podemos nos relacionar com pessoas da mesma espécie, e os canídeos nunca aceitaram esse fato. Então mesmo morando todos juntos existia muita divisão. Mas existiam sim aqueles felinos que se relacionavam com canídeos, porém não procriavam. Já os canídeos sempre foram como acredito ser hoje em dia... - Zachary engole a seco. — ... se relacionando com espécies diferentes gerando crianças. Os felinos não gostavam, mas aceitavam, sempre foi assim, antes da época dessa história que estou contando a vocês ninguém nunca soube como foi, a única coisa que sabemos é como ambas as raças se dividiram. Caleb pegue um copo de suco para mim, por favor?

Caleb assentiu e correu para cozinha, segundos depois voltou com um copo de suco de maracujá e entregou para o tio.

Zachary deu uma checada no celular para ver se havia mensagem de Isaac, mas o celular estava sem área, Apollo observava tudo disfarçadamente.

Continuando - disse Karl após tomar dois goles do suco — em um descuido de um envolvimento entre um felino e um canídeo - Zach engoliu a seco novamente — a canídeo ficou grávida, e isso nunca tinha acontecido antes - o garoto relaxou, pois não havia o que temer porque ele e Hendrik eram homens.

De que espécie os dois eram? - Zachary finalmente abre a boca para uma pergunta.

Se não me engano, o felino era um jaguar e a canídeo um coiote.

Ah. Prossiga por favor.

A coiote ficou grávida do jaguar, e como disse nunca havia acontecido antes. Os felinos queriam que ela abortasse a criança já os canídeos iriam apoiá-la para que ela continuasse com a gravidez, pois para eles era algo normal. Como os felinos não podiam fazer nada para forçar a garota ao aborto, resolveram deixar passar aquilo e condenaram o jaguar a morte, ele nunca chegou a ver o filho.

Isso é tenso demais, não acha melhor pararmos? - Cherish pergunta preocupada olhando Caleb que encarava fixamente seu tio.

Querida, uma hora eles vão ter que saber - disse Bali.

Mas essa hora não precisa ser agora.

Mãe, eu tenho vinte e dois anos e até agora não sei da história, por favor, o deixe continuar? - disse Apollo.

Cherish apenas assentiu e Zachary estranhou o fato da mãe não ter começado uma discussão ali mesmo.

Posso continuar? - pergunta Karl e Cherish assente — ótimo. Após nove meses a criança nasceu, e como todos sabem, quando nascemos possuímos cauda, pois não sabemos controlá-la, já as garras adquirimos apenas quando concluímos oito anos, creio que os canídeos são assim.

Os canídeos são as presas, não as garras - Zach fala sem perceber o que estava soltando — é... eu... eu ouvi na escola, não sei se é verdade.

Bom, eles são diferentes de nós, creio que deve ser isso para eles - Karl olha para o sobrinho e sorri confortavelmente.

Não muito diferente - Zach sussurra e ninguém ouve, nem mesmo Apollo que estava ao seu lado.

Quando o menino nasceu perceberam que ele não possuía cauda, então não dava para identificar a espécie que ele era. Com o passar do tempo o garoto completou oito e não cresceu garras, e agora que me lembrei, Zachary, nem presas. O garoto era, aparentemente, apenas humano.

Só humano? - pergunta Caleb.

Só humano - responde Bali.

Não se transformava em nada?

Não se transformava em nada.

Que maneiro! - exclamou Caleb.

É aí que começa a desgraça. O garoto cresceu se envolveu com uma canídea e tiveram um filho, e adivinhem? A criança nasceu apenas humana também!

Caralho! - soltou Apollo — me... desculpe.

Nesse meio tempo mais um felino se envolveu com um canídeo, a mulher da vez era uma felina, ela engravidou e os felinos queriam que ela abortasse, mas como ela não queria fazer isso pediu ajuda aos canídeos e eles a ajudaram. Quando a criança nasceu percebeu-se que era apenas humana também.

Mas por quê? - pergunta Apollo.

Calma que chegarei lá - Karl da mais um gole no suco — os felinos ficaram com medo de isso continuar acontecendo e continuar nascendo mais humanos e eles se procriarem mais e mais, então resolveram se separar de vez. Não pensem que foi uma separação rápida, demorou anos. Depois de conseguirem o que queriam, os canídeos ficaram de um lado e os felinos de outro, os apenas humanos ficaram junto dos canídeos.

Os canídeos os apoiavam? - pergunta Caleb.

Sim, apoiavam.

E o que vem a seguir?

Os humanos estavam se procriando com uma rapidez enorme que assustou os canídeos, pois se continuasse assim os canídeos iam ser extintos. Em uma noite todos os humanos que existiam foram mortos.

Por quem? - pergunta Apollo.

Não se sabe por qual raça foi, pois ambas estavam com medo do que aqueles apenas humanos estavam fazendo. Ambos estavam com medo de serem extintas, então extinguiram os apenas humanos.

Meu Deus - disse Apollo.

— Eu creio que foram os canídeos, pois os apenas humanos estavam no território deles, mas já vi documentos muito antigos onde parecia que os felinos estavam organizando um ataque contra o território da raça rival, mas não tinha o motivo do ataque.

Mas por que nasciam apenas humanos? - Zachary perguntou.

Vou explicar isso agora. Na época eles não sabiam o porquê dos humanos só gerarem humanos. O exército teve acesso ao sangue canídeo e a análise saiu apenas há dois anos. Fizeram uma pesquisa e concluíram que o gene canídeo e o felino não eram compatíveis. Por não ser compatível o gene que se sobressaiu foi o humano, pois ambos temos os genes humanos, assim a criança nascia apenas humana.

E por que quando um humano se envolvia com um felino ou um canídeo nascia apenas humano também? - pergunta Caleb.

Pelo mesmo motivo. Os humanos tinham genes apenas humanos, já os canídeos e felinos tem metade dos seus genes humano. Quando um humano se envolvia com uma das raças, o gene da tal raça não era forte a ponto de vencer o gene humano, então a criança nascia apenas humana também.

O silêncio pairou na sala, ouve-se apenas o celular de Zachary vibrar anunciando que havia mensagens. O menino responde Isaac e depois fala:

Foi isso?

É o que conta a história - Karl responde.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...