História Wild Heart - Em busca do meu lugar - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Is It Love?
Personagens Cassidy, Colin, Personagens Originais
Tags Banda, Colin, It Is Love, Rock
Visualizações 14
Palavras 612
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 7 - Começando a esquentar


Fanfic / Fanfiction Wild Heart - Em busca do meu lugar - Capítulo 7 - Começando a esquentar

O resto dos dias foram se seguindo normalmente, e eu continuava sem notícias do mundo exterior. Porém eu não me preocupava com isso. Nunca pensei que eu, Bennedict Summers, iria trabalhar numa fazenda! Se alguém me dissesse isso antes, eu achar uma piada.

Mas por mais incrível que pareça eu estava me divertindo. Eu aprendi a plantar, a dirigir um pequeno trator e muitas outras coisas, e principalmente (e pra mim o mais importante) percebi que Natasha estava me tratando melhor. Me senti satisfeito, pois eu já estava ficando agoniado e frustrado com a hostilidade com a qual ela sempre me tratava nos primeiros dias em que eu estava hospedado em sua casa.

Cinco dias se passaram. Estávamos em uma quinta feira chuvosa. Eu tinha acabado de tomar um banho e ia me dirigir ao meu quarto quando ouvi baixinho, um som de música que parecia vir da sala. Quando cheguei até lá, vi Natasha sentada no sofá com uma bela guitarra no colo. Ela estava sentada, dedilhando e cantando baixinho alguma canção em russo, mas rapidamente parou assim que me viu, assustada.

- Ei, não precisa parar, continua! Você estava indo muito bem, eu gostei de ouvir.

- Er... É que eu nunca mostrei essa música pra ninguém. Ainda não está pronta.

- Ah, fala sério! Quer dizer que agora você também compõe? - Sorri, colocando as duas mãos na cintura. Ela colocou uma mexa de cabelo atrás da orelha e sorriu, olhando para o chão. Confesso que esse momento de timidez dela a deixou ainda mais sexy.

Pensando rápido, eu me sentei ao lado de lada, recostado minhas costas no braço do sofá e a coloquei sentada entre minhas pernas, de costas para mim. Ela ficou ainda mais corada e sem reação.

- Toque pra mim, por favor. - Sussurrei em seu ouvido, e sastifeito ao ver que a pele da sua nuca se arrepiou.

Sem dizer nada e dando um suspiro (que pra mim foi um suspiro de prazer, por mais que ela nunca fosse admitir), ela continuou tocando e cantando baixo, e eu fechei os olhos, apreciando a música. Quando ela acabou eu a parabenizei, dizendo que tocava muito melhor do que eu, e a envolvi em um abraço. O cheiro do seu pescoço era delicioso, seu perfume tinha um cheiro de baunilha e eu já estava ficando louco. Eu me sentia como um vampiro, doido para colocar meus lábios em sua pele. Sem conseguir mais me conter, eu comecei a beijar o seu pescoço como se beijasse sua boca. E pra minha surpresa e satisfação, ela não se afastou. Ela foi lentamente colocando sua cabeça para trás e ficou com a boca semi-aberta, suspirando baixo. 

Satisfeito por estar tendo o resultado que eu queria, continuei beijando seu pescoço, alternando as lambidas em pequenas mordidas, as mordiscando levemente o lóbulo da sua orelha, outras apenas deslizando meus dentes pelo seu pescoço. Minhas mãos foram descendo pela sua cintura, acariciando-a.

- A quanto tempo você não sente um homem te tocar assim? Você passou cinco anos cuidando muito bem da nossa filha, mas eu as vezes me pergunto se você não sentia falta do calor do meu corpo no seu.... Te beijando...te tocando.... - Sussurrei no seu ouvido.

Porém minha alegria durou pouco. Ela se levantou de repente, como se despertasse de um transe, e percebi que ela estava começando a ficar nervosa.

- Escute aqui... Não pense que....

Mas a sua fala foi interrompida. Ouvimos um forte barulho vindo da porta dos fundos, que ficava na cozinha, seguida de uma forte pancada. Uma nuvem de poeira chegou até a sala e Natasha colocou as mais na boca, em sinal de pavor.

- Um ladrão... Acho que a casa está sendo invadida!




Notas Finais


E agora?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...