1. Spirit Fanfics >
  2. Wild Heart (Leona Kingscholar - Imagine) >
  3. Capítulo Único;meu território

História Wild Heart (Leona Kingscholar - Imagine) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


AVISO: CONTÉM SPOILERS PARA QUEM AINDA NÃO CHEGOU NO CAPÍTULO DO LEONA, NÃO RECOMENDAVEL PARA QUEM GOSTA DE DESCOBRIR AS COISAS SOZINHO.

Eu amo um homem é ele é extremamente atraente. Além do Riddle, Leona é outro crush que eu criei nesse jogo, tem outros personagens que eu gosto, mas esses dois são meus crushs supremos, Riddle e Leona, meus amores <333
Leona é muito maravilhoso, além de ser extremamente atraente é um fofo, nossa, vontade de morder a bochecha dele :3
Fazia um bom tempo que queria escrever para ele, então como escrevi pro Riddle, aproveitei o embalo :3

Antes de lerem, gostaria de dizer que deixei um resumo no inicio do imagine explicando os acontecimentos iniciais do jogo para quem tem interesse, porém não joga ou entende japonês para se familiarizar com a história, espero que gostem :3

Boa Leitura!

P.S: Imagens da capa originais do jogo

Capítulo 1 - Capítulo Único;meu território


Adentrou a grande estufa com um brilho cintilantes nos olhos e a boca levemente aberta, fascinada pela incomum beleza que aquele lugar continha. A estufa era imensa tanto em largura quanto em altura, suas paredes eram vidro para entrada de sol, sendo um dos lugares mais bem iluminados que havia encontrado nesta terra sombria, tendo sua pele banhada pelo sutil calor que vinha do sol. 

 

O chão de ladrilhos era uma mistura de pedras claras e escuras, o que harmonizava perfeitamente com o lugar, assim como as pequenas pontes que formavam caminhos por cima dos pequenos riachos que atravessavam a estufa, embelezando o lugar e se tornando uma fonte de natural para as plantas que ali vivem. Inúmeras plantas cresciam no lugar, tantas que nem mesmo conseguia contar ou catalogar, haviam árvores que nunca havia visto antes de espécie que provavelmente não existiam em seu mundo, assim como belos arbustos e flores em potes e vasos suspenso, dando ainda mais beleza e delicadeza ao lugar. 

 

Cada passo que dava mais encantada ficava, a estufa era tão clara e colorida, além de ter um delicioso aroma vindo das flores. O lugar onde estava tinha sempre um aspecto sombrio, mesmo que fosse dia era como se sempre estivesse nublado e escuro, porém por algum motivo, a estufa era extremamente clara e tinha quase certeza que era por conta de alguma magia, algo que perguntaria a Deuce quando o visse novamente. Além da luz que era algo raro neste lugar, a estufa tinha várias espécies de flores coloridas e cheirosas, o que proporcionava um doce aroma ao ar e beleza a paisagem, já que todos os prédios e construções tinham um aspecto gótico e antigo. 

 

Fazia alguns dias desde que você surgido na Academia* Corvo da Noite, uma escola especializada em magia e considera uma das melhores deste mundo, onde apenas os melhores e mais habilidosos são aceitos. Porém de alguma forma você foi parar neste mundo, uma simples e mera humana sem magia ou poder algum, o que deixou o diretor da academia, Dire Crowley, assustado e curioso, pois segundo ele, a carruagem que busca os alunos e o espelho que os seleciona nunca erram, e se você havia sido trazida e escolhida por eles era porque havia alguma coisa de especial em você. 

 

Dire Crowley, um homem alto de curtos cabelos negros e bizarros olhos dourados, utilizando uma estranha máscara de corvo e uma elegante cartola, trajando uma roupa tão elegante quanto, sendo uma camisa social branca por baixo de um colete negro junto de calças de mesma cor e uma longa capa semelhante as asas de pássaro. Um homem estranho que utilizava uma bengala no formato de uma chave e afiadas unhas de ouro, sempre utilizando diversos tipos de tons ao falar, desde de a se referir a si mesmo como piedoso até mesmo se referir a você de forma mórbida, além de seus profundos olhos assustadores não ajudarem muito na aproximação.  

 

O diretor não era apenas estranho em sua aparência, mas também em sua personalidade, pois no momento em que descobriu que você não havia magia, imediatamente tendo lhe mandar para casa antes que as coisas ficassem complicadas para o diretor da prestigiosa academia de magia, porém um obstáculo o impediu. O espelho responsável pela seleção dos dormitórios afirmou que não sabia de onde você era e por conta disso, não podia devolver você até seu mundo, deixando-a presa naquele mundo macabro, desconhecido e mágico. 

 

Como não podia ser enviada para seu mundo, viu-se obrigada a permanecer naquele mundo e sem muitas opções e sem saber o que fazer com você, Crowley a deixou em uma casa abandonada que ficava nos terrenos da academia junto de Grim, um ser estranho para você, porém comum naquele mundo que podia usar magia e sempre sonhou em estudar na academia, mas por não ser humano sua inscrição nunca sequer foi cogitada.  

 

Grim havia criado uma grande bagunça na iniciação dos calouros, sendo jogado naquela casa abandonada junto com você e recebendo o mesmo tratamento. Como viveriam nos terrenos e na segurança da academia sem serem estudantes, precisavam compensar isso, trabalhando em troca do teto em que estavam e se metendo em muitas confusões graças a Grim, seu novo parceiro e primeiro amigo. Foram graças as essas confusões que conheceu os demais alunos e fez novas amizades, além de ter conseguido despertar alguma coisa no diretor Crowley que viu alguma coisa você, algo que merecia atenção e respeito, aceitando você e Grim como alunos oficiais da academia. 

 

Como não tinha magia, havia ficado de frequentar as aulas teóricas e Grim as aulas mágicas, assim vocês atuavam como uma única pessoa na academia, algo nunca visto antes e que nem mesmo sabiam se podiam, mas se o diretor ordenou, ninguém iria contra. Desde então, passou a estudar na academia como uma aluna comum, sofria um pouco de preconceito por conta dos demais alunos por não ter magia, mas não era como se tivesse muitas opções, já que não podia voltar para casa e precisava estudar para se manter onde estava e ao menos ter um teto e comida, sendo melhor que limpar os inúmeros corredores da academia. 

 

Por conta disso se encontrava onde estava, não havia vindo até a estufa para passeio infelizmente, mas sim em busca de uma flor especifica para a aula de alquimia que Grim teria daqui algumas horas, a criatura havia esquecido que o professor Divus Crewel, outro homem estranho de vestes sociais em preto e branco, havia pedido para trazerem e como os dois precisavam manter as boas notas, ficou de ir atrás da planta enquanto Grim estava na aula de voo com o professor Ashton Vargas, um homem de grande porte sempre de roupas vermelhas. 

 

Sabia que precisava achar a planta descrita no papel que estava em suas mãos o quanto antes, pelo menos antes da aula de voo acabar, mas a estufa era um lugar tão lindo que estava tendo dificuldades em manter o foco. Não era apenas a boa iluminação do lugar que chamavam sua atenção, mas também as belas espécies de flores que ali cresciam, plantas que nunca tinha visto antes e de beleza extremamente raro, algo que a ciência nunca poderia reproduzir e podia ser feito apenas com mágica e nada mais, sendo algo próprio daquele mundo e que provavelmente nunca mais veria quando voltasse para sua casa. 

 

— Ah! — Ouviu alguém gritar de repente após pisar em algo estranho no chão, estava tão distraída com as flores que nem mesmo estava olhando para onde estava caminhando e no momento em que virou o rosto para baixo e ergueu o pé, encontrou algo que despertou sua curiosidade. 

 

Jogado no chão da estufa estava uma calda de algum animal que rapidamente, foi puxada para dentro dos arbustos que estavam logo ao seu lado, virando o rosto em direção ao denso arbusto que agora se mexia, quando de repente, alguém saiu de trás deles. Em meio as pequenas e delicadas folhas da planta, saiu um homem extremamente alto de pele morena com longos e selvagens cabelos castanhos, olhando diretamente para você com seus profundos olhos tão verdes quanto a natureza que os cercava, vestindo uma camisa social branca por baixo de um colete amarelo, calças negras e luvas de couro de mesma cor, além de curtas orelhas de felino na cabeça e uma longa calda. 

 

No momento em que a enorme figura se ergueu em meio as plantas, você deu alguns passos para trás por reflexo, erguendo a cabeça para olhar diretamente nos olhos do felino. Sabia quem era pois não haviam dúvidas, essas características de felino junto ao uniforme amarelo, era Leona Kingscholar, líder do dormitório Savanaclaw, um homem muito respeitado em seu dormitório e temido pelos demais por conta de seu temperamento e personalidade. 

 

— Ei! Nunca disseram para você que não se pisa na calda dos outros? — A voz grossa e rouca de Leona ecoou pela silenciosa estufa em um tom irritado e preguiçoso, enquanto os olhos selvagens do leão olhavam diretamente nos seus, cerrando os dentes e deixando suas presas a mostra — Quem pensa que é para invadir o território dos outros e pisar na calda do rei? 

 

— De-desculpa... — Respondeu em um tom de voz vacilante, dando mais alguns passos para trás e erguendo as mãos em frente ao corpo, como se estivesse erguendo uma parede invisível entre você, engolindo em seco e sentindo suas pernas ficarem trêmulas de medo — Eu não sabia que era seu território e muito menos vi sua calda, sinto muito. 

 

— Você... — O leão pronunciou em seu típico tom, olhando você de cima a baixo com um olhar intenso, o mesmo olhar que um caçador utiliza ao avaliar se a presa vale a pena ou não, fazendo você engolir em seco e tremer dos pés à cabeça. 

 

De repente, Leona saiu de trás dos arbustos e revelando estar usando um par de sandálias que não combinavam nem um pouco com seu traje escolar, aproximando-se lentamente de você com um olhar afiado, mantendo o contato visual sem piscar uma única vez. Cada passo dado por ele até você era recuado com dois seus por reflexo e medo, mas assim que o felino notou, esticou o longo braço e segurou seu pulso com força, puxando-a de forma brusca para perto dele e envolvendo sua cintura com firmeza com a outra mão, fazendo seu coração bater mais rápido pelo rápido ato e o susto do momento. 

 

— Você... — Kingscholar repetiu com a grossa voz de forma arrastada, segurando sua cintura e pulso com força enquanto olhava diretamente nos seus olhos, aproximando o rosto gradativamente do seu e desviando em direção ao seu pescoço, cheirando com vontade sua pele e a fazendo arrepiar — Então é você a aluna sem magia que todos andam comentando. 

 

— Hã? — Deixou escapar de forma confusa ao ouvir essas palavras em extremo bom som, já que a boca de Leona estava tão próxima de seu ouvido que conseguia ouvir com perfeição, arrepiando sua pele pelo contato quente do hálito do felino e da voz grave próxima ao seu ouvido, sentindo-se perdida ao ouvir as palavras do rapaz — Sim, sou eu. 

 

— Não sinto cheiro de magia em você. — O homem disse em seu típico tom neutro, afastando o rosto lentamente de seu pescoço até ficar a uma distância considerável, sempre mantendo contato visual com você enquanto mantinha seu corpo firmemente preso, impedindo que sua presa fugisse — Como veio parar aqui? 

 

— Eu também queria saber... — Respondeu por hábito ao ouvir as palavras do rapaz, soltando um pesado suspiro logo em seguida para então, voltar a notar a situação que se encontrava, presa nos braços do felino mais perigoso de Savanaclaw com ele lhe observando diretamente, mantendo os afiados olhos sem nunca piscar em você — De-desculpa... 

 

— Para uma presa que não sabe seu lugar você está bem relaxada. — Leona rosnou com sua voz rouca em um tom ameaçador, esboçando um sorriso diabólico enquanto mantinha o contato visual de forma feroz, apertando seu pulso e cintura com ainda mais força, tendo certeza que ficaria vermelho mais tarde — Acho que devo mostrar a você que ninguém mexe com o rei em seu território. 

 

Após Leona dizer isso, o felino continuou com os olhos fixos nos seus, olhando para você de forma perigosa e feroz enquanto seu sorriso se alargava gradativamente de forma assustadora, enquanto a única coisa que você conseguia fazer era engolir em seco e soar frio, sentindo um mal pressentimento percorrer seu corpo e arrepiar sua espinha. De repente, Kingsholar soltou sua cintura, porém manteve a mão firme em seu pulso, começando a caminhar em direção ao arbusto onde estava até você surgir e pisar em sua calda, arrastando-a junto com ele e fazendo uso de sua extrema força de leão. 

 

Assim que Leona começou a lhe puxar para dentro da mata que continha na estufa, tentou lutar contra a força do leão, mas logo notou que não importava o quanto puxasse seu pulso ou tentasse o parar com seus pés, o rapaz não sentia absolutamente nada graças a sua tremenda força, desistindo do ato assim que seus pés tocaram a macia grama da estufa e apenas seguindo o felino para seja onde ele estivesse a levando.  

 

O rapaz não a levou para muito longe, apenas alguns passos de distância do arbusto onde estava descansando até você surgir, jogando você de forma brusca e um tanto violenta contra um tronco de árvore que estava por perto, sentindo suas costas baterem com certa força no objeto duro e sentindo uma pontada de dor que provavelmente, ficaria vermelho ou roxo mais tarde. Porém não teve tempo de descansar, reclamar da dor ou ter qualquer outra reação, pois Leona rapidamente a prensou contra o tronco de árvore, apoiando uma mão de cada lado seu e se mantendo a poucos centímetros de distância de você. 

 

— Como você é nova não deve saber como as coisas funcionam aqui, principalmente no meu território, então pegarei leve com você. — Kingscholar com sua voz profunda em um tom sério e neutro, olhando diretamente nos seus olhos de forma feroz, sentindo como se os olhos do felino pudessem brilhar de forma autoritária enquanto o mesmo se mantinha fixo em você — Sinta-se sortuda por ter me pegado de bom humor, geralmente não sou muito piedoso. 

 

— Eu não sabia que a estufa era seu território, pensei que fosse livre para todos os estudantes. — Respondeu de forma nervosa, soando de maneira repreensiva quando na verdade estava apenas assustada e com medo, engolindo suas palavras logo em seguida e tentando dar um jeito no que estava falando, não querendo complicar ainda mais para seu lado — Digo, a estufa pertence a academia, deveria ser livre para todos. 

 

— Você é bem corajosa para uma pessoa que não pode usar, deveria rever essa língua quando está em território inimigo. — Leona disse com um leve tom de malícia, baixando o tom de voz e lhe dando a impressão de estar mais rouco do que sua voz já era, aproximando-se um pouco mais de você e sem nunca quebrar o contato visual, assim como um leão ao caçar sua presa — Você não ter dormitório se não me engano, talvez faça de você meu mascote como punição. 

 

— Ma-mascote?! — Repetiu por impulso por conta da surpresa, arregalando os olhos e mantendo o contato visual, sentindo suas bochechas corarem um pouco tanto pela proximidade quanto pelo que tinha acabado de ouvir, como se Leona a visse como um gatinho de estimação e não como um semelhante, sentindo o sangue ferver em suas veias e até mesmo se esquecer do fato de que estava em perigo e sendo ameaçada — Eu não sou mascote nenhum! 

 

— Você realmente tem uma língua afiada, isso pode colocar você em problemas aqui, sendo uma sem magia. — O felino disse em um tom mais grosso e rouco que o normal, lançando um rápido olhar malicioso para você antes de aproximar o rosto ainda mais, desviando de sua face e indo em direção a sua orelha, sentindo sua pele arrepiar ao sentir a respiração quente do rapaz em sua pele — Se ficar aos meus cuidados, irei cuidar de você e a transformarei em minha propriedade, ninguém vai encostar um dedo em você se souberem disso ou terão que enfrentar o rei. 

 

— Eu não sou propriedade de ninguém. — Retrucou assim que ele terminou de falar, sentindo-se ofendida ao ouvir essa palavra, mesmo que isso fosse comum para animais não se aplicava a você, lutando para falar decentemente já que Leona sussurrava em seu ouvido, causando arrepios em sua pele que a obrigaram a se conter para não soltar nenhum som vergonhoso ao falar — Isso pode ser comum entre vocês, mas não para mim. 

 

— Um felino gostar de manter as coisas para si, assim como esse território é meu e você o invadiu e ainda pisou na calda do rei, sabe qual seria sua punição? — O leão disse em um tom ameaçador, sentindo o olhar feroz que ele lançava mesmo que ele ainda permanecesse próximo ao seu ouvido, sentindo a respiração pesado do rapaz em sua pele e lutando contra todas as sensações que estava sentindo, focando apenas no medo de estar diante de uma fera — Estou sendo piedoso em transformar você em minha propriedade, irei lhe dar toda proteção para alguém frágil como você, já que ninguém teria coragem de me enfrentar. 

 

Após dizer isso, Leona esboçou um sorriso largo e malicioso ao notar que dessa vez você não irei o responder, não disse nada e nem mesmo lutou contra ele, fazendo o felino se sentir satisfeito ao ter você de forma tão comportada. O fato era que você estava assustada demais para tomar qualquer decisão, não sabendo como sair daquela situação como se nada tivesse acontecido e amaldiçoava Grim por ter esquecido a flor, se não fosse por isso, nunca estaria ali e naquela situação. 

 

Assim que Kingscholar notou sua desistência perante ele, afastou o rosto de sua orelha lentamente, aproximando o rosto com ainda mais lentidão até seus lábios, mantendo sempre o contato visual fixo no seu, olhando diretamente em seus olhos de forma feroz e selvagem como o leão que era, enquanto você engolia em seco, mesmo que não lhe agradasse tal situação, não conseguia negar que Leona era extremamente atraente. 

 

— Ei! — De repente, uma voz extremamente familiar ecoou pela silenciosa estufa de maneira alta e escandalosa antes que Leona pudesse selar seus lábios, chamando sua atenção e a do felino que virou o rosto de maneira brava — Conseguiu a flor? 

 

Tudo que aconteceu em seguida foi tão rápido que mal percebeu o que aconteceu, quando menos notou estava sentada no chão ao lado de Leona com a boca tampada pela grande mão do felino, enquanto o outro braço dele a segurava pela cintura com força. Kingscholar havia pegado você e se escondido junto atrás do arbusto em que dormia, escondendo-se de quem havia acabado de chegar, algo incomum para leões que não eram animais de se esconder, porém pelo que aparentava, não queria ser pego. 

 

Virou o rosto para o lado e por um buraco no arbusto encontrou quem havia acabado de entrar, já havia o reconhecido pela voz, mas assim que o viu teve certeza, era Ace Trappola do dormitório Heartslabyul e seu grande amigo, um rapaz alto com curtos cabelos ruivos e brilhantes olhos vermelhos, trajando o típico uniforme da academia, um blazer escuro com calças de mesma cor, um colete vermelho por cima de uma camiseta social branca, além de um belo coração desenhado em seu olho esquerdo, representado o naipe de cartas qual pertencia no dormitório da Rainha de Copas. 

 

— Seu amigo veio atrás de você. — Leona sussurrou próximo ao seu ouvido em um tom mais baixo do que antes, fazendo uma careta nada amigável em sua face e olhando para você logo em seguida, e como se tivesse lido sua mente, esboçou um sorriso amargo utilizando o típico tom — Não pense que sou o típico de felino que se esconde do perigo, apenas não quero que me atrapalhem, isso seria muita dor de cabeça. 

 

Após dizer isso, o felino olhou pelo arbusto novamente, notando que Ace não demonstrava a intenção de partir recentemente, caminhando por cada canto da estufa em sua procura, provavelmente a aula de voo já havia terminado e Grim estava desesperado pela flor que você ficou de trazer e logo ele junto a Deuce estariam aqui em sua procura. Ao ter esse pensamento passado por sua cabeça, ergueu os olhos em direção a Leona que já estava olhando para você, e como se lesse novamente sua mente, esboçou um travesso sorriso ao falar. 

 

— Acho que não teremos paz aqui, mesmo sendo meu território. — O felino disse em um tom amargo, não gostando da ideia de abandonar seu território sem luta, mas querendo evitar problemas desnecessários e ter tudo estragado por conta disso, sussurrando próximo ao seu ouvido de forma rouca junto de um sorriso diabólico — Acho que terei de levar você para Savanaclaw. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado do resumo, sei que ficou meio longo, mas expliquei direitinho o que rolou no inicio. A parte de pisar na calda do Leona realmente rola no jogo kkk só que os acontecimentos seguintes são diferentes, só dei uma incrementada :3
Leona é tão..., nossa, não tenho nem palavras para descrever como mexe comigo, nossa, que homem minhas amigas.
Para quem tem interesse no jogo, recomendo <3 E fico feliz em encontrar pessoas que tenham interesse/jogam o jogo ^^

Obrigada a quem leu e quem sabe eu não trago mais imagines desse jogo, se quiser, aceito pedidos :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...