História Wildlife: vivendo fora da lei - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Christopher Uckermann, Dulce María, Rebelde (RBD)
Personagens Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chavez, Christopher Uckermann, Dulce Maria, Maite Perroni, Personagens Originais
Tags Christopher Uckermann, Dulce Maria, Ponny, Rbd, Vondy
Visualizações 12
Palavras 1.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii pessoal como estão?
Vamos pra mais um cap de hoje..

Boa leitura meus amores ❤

Capítulo 25 - Cap:. 25


Fanfic / Fanfiction Wildlife: vivendo fora da lei - Capítulo 25 - Cap:. 25

 Hospital Central Roberto Bolaños 

2 dias depois

POV Dulce

Já havia passado 2 dias desde tudo aquilo, Anahí já havia tido alta, eu estava no quarto com Nina, ela tinha acabado de receber alta também e eu lhe fazia uma trança para irmos pra casa, Ucker tinha ido avisar belinda que íamos levar Nina pra casa, alguns minutos depois ele voltou cabisbaixo e triste. 

Dulce: Ucker? O que houve? 

Ucker me olhou e enchou seus olhos de água.  

Ucker: Belinda

Dulce: O que há com ela? 

Eu já estava assustada a essa altura.

Ucker: O pai dela acabou de falecer. 

Quando ele disse aquilo, eu senti uma tristeza muito grande, então apenas abracei Nina bem forte, eu tinha medo, tinha muito medo de perde-la para o câncer, apesar do caso dela ser bem diferente do senhor peregrin mas mesmo assim eu tinha medo.

Ucker: Belinda irá conosco pra casa enquanto o hospital arruma as coisas pra liberar o pai dela para o enterro tudo bem? 

Eu encarei ucker, Belinda era quase sua irmã se conheciam desde muito pequenos é obvio que ficaríamos ao lado dela nesse momento. 

Dulce: Mas é claro. 

Eu e ucker estávamos muito próximos nesses últimos dias com tudo o que havia acontecido e principalmente com Nina, os exames haviam mostrado uma melhora no caso de Nina com os coquetéis de medicamento, se seu corpo continuasse a reagir assim provavelmente ela não precisaria de quimioterapia e isso nos deixou muito felizes, eu e ucker havíamos entrado num acordo, Nina ia morar comigo, mas Ucker poderia ver ela quando quisesse e os finais de semana ela passaria com ele, Ucker  realmente queria compensar todo tempo perdido com sua filha. 

POV Uckermann 

Eu ainda não acreditava naquilo, o pai de Belinda havia falecido, em apenas 2 dias, eu fiquei muito triste com isso e com muito medo também apesar do caso de Nina estar indo bem eu ainda tinha medo de perde-la, fui ao quarto e avisei Dulce da morte dele e também que Belinda ficaria conosco, logo me aproximei delas e peguei Nina no colo. 

Ucker: Vem cá com o papai filha. 

Nina ainda não sabe que eu sou seu pai biológico eu e Dulce concordamos que quando chegasse a hora iríamos contar os dois juntos. 

Nina: Papai, esse senhor morreu da mesma doença que eu tenho? 

Nina me perguntou encarando meus olhos, eu acariciei seu rosto e sorri. 

Ucker: Filha o pai da tia bel tinha câncer também, mas é um outro tipo de câncer muito mais grave que o seu, não se preocupe ok? 

Falei lhe dando um beijo na testa em seguida, logo a porta do quarto se abriu e vi belinda passar por ela, estava visivelmente acabada.  

Bel: Oi pessoal já estou pronta para irmos. 

Nina desceu de meu colo e abraçou belinda. 

Nina: Eu sinto muito titia. 

Belinda(pegando Nina no colo) : Oi princesa, obrigada viu? 

Belinda lhe deu um beijo na bochecha, Nina logo repousou a cabeça em seu ombro e belinda parecia estar reconfortada com aquele abraço de Nina, fui pegando as malas de Nina, Dulce pegou os brinquedos que estavam na cama e saímos fomos para o carro, belinda foi no banco de trás com Nina ela parecia querer se distrair, eu e Dulce fomos na frente, logo deixei elas na casa de Dulce e segui com belinda para minha casa.

POV Dulce 

Chegamos em casa, almoçamos e passei a tarde brincando com Nina, logo já estava na hora de irmos ao enterro do pai de Belinda, arrumei nina com um vestido preto de manga longa liso e simples, eu vesti uma calça jeans preta e uma blusa preta também, coloquei nina no carro e fomos para o cemitério, como previ lá estava cheio de paparazzis afinal belinda era uma atriz e cantora muito querida no México, saí do carro, logo que desci ucker me avistou e veio ao meu encontro, me deu um beijo na bochecha e abriu a porta de trás para pegar nina enquanto eu pegava minha bolsa, todos os paparazzis vieram em cima de mim já que era a primeira vez que levávamos Nina a um lugar tão público assim e cheio de paparazis e jornalistas, ucker tirou ela do colo que olhava as pessoas tirando foto e achava graça deu até tchauzinho para eles, ucker passou um braço em volta da minha cintura, eu tentei sair mais ele me segurava com força então para não criar mais caso entramos assim no cemitério.  

O restante do enterro seguiu normal, belinda sentava na primeira cadeira da primeira fileira, ucker ao seu lado com Nina no colo, eu ao lado de ucker, Anahí ao meu lado, poncho ao lado de Anahí e pollito ao lado de poncho, haviam muitos famosos e alguns familiares distantes de belinda na cerimônia que foi muito bonita o padre confortou belinda com belas palavras e logo o caixão desceu a sepultura, muitos choravam, Belinda se mantinha firme, séria, fizemos 1 minuto de silêncio e então começaram a jogar a terra por cima.

Ao acabar o enterro falei pra ucker que precisávamos ir embora porque Nina já havia ficado muito tempo fora de casa, ele concordou então nos despedimos de Belinda e ele nos levou até o carro, cerca de 20 minutos depois já estavamos em casa, dei janta para Nina, dei seus remédios, e então logo chegou a hora de dormir, lhe contei uma historia e pouco tempo depois ela dormiu, eu desci para sala e então peguei um livro para ler, me aconchegando no sofá. 

POV Uckermann 

Após o enterro eu insisti para ficar com Belinda mas ela disse que precisava ficar só, que precisava digerir tudo aquilo e eu respeitei seu momento, então após deixar ela em casa, fui para meu apartamento, tomei um banho e jantei, mas algo não saia de minha mente: Dulce.

Eu e ela tínhamos uma conversa pendente há dias e eu precisava terminar aquilo, precisávamos nos entender afinal agora tínhamos uma filha no meio, sim uma filha porque mesmo nina sendo apenas minha filha biológica eu considerava Dulce sua mãe e isso jamais iria mudar, então sai de casa e peguei meu carro, indo até lá, alguns minutos depois cheguei em sua casa e toquei a campainha, logo a porta se abriu. 

Dulce: Ucker? 

Ucker: Precisamos conversar.

Disse já entrando em sua casa. 


Notas Finais


Bom pessoal é isso kk o cap de hoje foi mais um tributo para o enterro do pai de belinda para poder dar logo um final a esse ep do pai dela ne ele não era um personagem da fic mas a bel é e eu queria deixar ela livre dessa parte para poder avançarmos..
Até o proximo❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...