História Wildlife: vivendo fora da lei - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Christopher Uckermann, Dulce María, Rebelde (RBD)
Personagens Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chavez, Christopher Uckermann, Dulce Maria, Maite Perroni, Personagens Originais
Tags Christopher Uckermann, Dulce Maria, Ponny, Rbd, Vondy
Visualizações 45
Palavras 1.445
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii pessoal mais um cap pra vocês ❤

Capítulo 26 - Cap:. 26


Fanfic / Fanfiction Wildlife: vivendo fora da lei - Capítulo 26 - Cap:. 26

POV Dulce

Fui pega de surpresa quanto a campinha tocou, e mais surpresa ainda quando vi Uckermann parado a porta, ele entrou falando que precisávamos conversar.

Dulce: Eu achei que estivesse com Belinda. 

Ucker: Ela preferiu ficar sozinha e eu respeitei esse momento dela né.  

Eu fechei a porta e então fomos até o sofá. 

Ucker: E nina? 

Dulce: Já esta dormindo ela estava bem cansadinha do enterro e tudo mais.

Ucker: É ela se esforçou bastante mesmo . 

Dulce: Foi bom você vir temos que falar sobre o que faremos a respeito da escola de Nina. 

Ucker: Escola? O que tem? 

Dulce: Temos que colocar ela na escola né ucker.

Ucker: Ah ta, sim, mas , eu não entendo nada disso, você conhece alguma boa? 

Dulce: Tenho 2 em vista. 

Ucker: Quais?

Dulce: A primeira é a que minha sobrinha Clara estuda, chama colégio peregrino Gastão é muito boa e a segunda foi uma recomendação da Anahí a sobrinha dela estuda lá o Miraflores. 

Ucker: Já ouvi falar sobre o Miraflores eles tem bastante programas voltados para arte e esporte né? 

Dulce: Tem sim, isso também me chamou a atenção, gosto da ideia dela se envolver com arte e esportes. 

Ucker: Podemos visitar as 2 escolas antes de decidir? 

Dulce: Claro, amanhã ligo para os diretores e marco uma visita em cada escola.

Ucker: Ótimo.  

O encarei e sorri abaixando o rosto. 

POV Uckermann 

Dulce estava linda sem maquiagem, com uma roupa leve de moletom, estamos falando sobre o colégio de Nina, eu queria coloca-la na melhor escola da cidade, as duas que Dulce tinha em vista pareciam ótimas estou ansioso para conhece-las, logo ficamos em silêncio e então me aproximei dela no sofá, segurei em seu rosto com carinho a fazendo olhar para mim.

Ucker: Você é uma excelente mãe. 

No mesmo instante que disse isso o olhar dela se apagou, ela ficou visivelmente desconcertada com o que eu disse, rapidamente se levantou do sofá. 

Dulce: Já está tarde Ucker melhor você ir embora. 

Levantei em seguida a puxando pelo braço ela se virou para mim. 

Ucker: Dulce você não pode mais fugir de mim, precisamos nos entender e resolver nossa situação por nós e por Nina. 

Dulce: Não temos situação nenhuma.  

Ucker: Como não ? Você vive me rejeitando e fugindo de mim enquanto nós dois sabemos que você me ama tanto quanto eu te amo, aliás o mundo inteiro sabe disso.  

Dulce: Ucker vá embora por favor. 

Ela disse se virando de costas, me aproximei dela, beijei sua cabeça sentindo seu perfume, segurei em sua cintura e a virei para mim novamente, ela tinha os braços cruzados então a segurei pelos cotovelos.

Ucker: Não Dulce, você não irá mais fugir de mim, vamos conversar e é agora, o que aconteceu? Do que você tem tanto medo. 

Dulce: Não é medo.

Ela abaixou a cabeça. 

Ucker: Então é o que? 

Ela levantou o olhar novamente para mim, e seus olhos estavam cheios de água e algumas lágrimas já começavam a cair de seu rosto, eu não entendia nada então apenas a abracei. 

Ucker: O que foi meu amor? 

Dulce: Me perdoa.  

A afastei de mim olhando em seus olhos.

Ucker: te perdoar pelo o que? 

Dulce chorava desesperadamente.  

POV Dulce 

Eu não aguentava mais eu precisava por para fora, eu precisava lhe contar o que eu havia feito, por mais que ele fosse me odiar por aquilo mas eu não aguentava mais olhar em seus olhos escondendo aquilo. Então quase que em um grito eu disse. 

Dulce: Por ter matado nosso bebê.  

Ao ouvir o que eu disse ele arregalou os olhos e me soltou no mesmo instante dando 3 passos para trás.  

POV Uckermann 

Ouvir aquilo foi como um choque, porque ela dizia aquilo? Não foi culpa dela se ela havia perdido nosso bebê, fiquei desconcertado com aquilo não sabia como agir, então respirei fundo e tentei tomar as redias da situação. 

Ucker: Ok, Dulce, escuta aqui, meu amor, você não teve culpa ok? Isso acontece você perdeu nosso bebê.  

POV Dulce 

Ouvir Ucker tentar me consolar, me doía ainda mais a alma. 

Dulce: Não, não, não, não 

Eu dizia me desvencilhando de suas mãos.  

Dulce: Você não entendeu, eu não perdi nosso bebê, eu tirei o nosso bebê.  

Quando eu disse aquilo ucker ficou completamente estático.  

POV Uckermann 

O que? Como? Não era possível, ela não estava falando aquilo, não era verdade, ela não tinha feito isso. 

Ucker: Co-co-como? 

Dulce respirou fundo e me encarou.

Dulce: Exatamente o que você ouviu, eu tirei o bebê que eu estava esperando, eu fiz um aborto. 

Ouvir aquelas palavras me fez subir uma raiva enorme, como ela tinha feito aquilo? Nós estavamos felizes, fazíamos planos, porque ela havia matado nosso bebê? Então num momento de raiva a peguei forte pelos braços a sacudindo. 

Ucker: Porque? Porque Dulce Maria? Porque você fez isso com ele? Porque fez isso comigo? 

Ela chorava desesperadamente, ela tentava pegar em meu rosto mas eu me desvencilhava, então a empurrei  e ela caiu sentada no sofá.  

Dulce: Ucker, por favor me escuta, me perdoa.

Ucker: Você quer falar? Pois bem, fale, estou ouvindo, e eu quero uma explicação muito boa para você ter feito isso. 

Ela estava sentada no sofá com o rosto entre as mãos e chorava muito.

Dulce: Quando eu descobri que estava grávida, eu te contei, nós ficamos felizes, fizemos planos e tudo mais, mas em nenhum momento assumimos uma relação, você nunca nem deu a entender que queria namorar comigo, mas até ai tudo bem, mas na nossa última viagem com o rbd quando eu estava de 10 semanas, eu acordei após o nosso último show e fui até seu quarto no hotel, ia te acordar pois estava com vontade de comer panquecas e queria que você fosse comigo, mas ao entrar no seu quarto eu vi você nu dormindo com a Suelen.  

Ucker: Que? Suelen? Mas que Suelen? Da onde você tirou isso, eu acordei só de cueca após nosso último show pois eu sempre dormir só de cueca você sabe disso e eu estava sozinho. 

Dulce: Eu sei, foi uma armação, uma armação para nos separar, Suelen é a filha daquele empresário que fez nossa turnê na Espanha.  

Ela abaixou a cabeça. 

Ucker: E daí? Ainda to esperando a explicação por ter matado nosso filho. 

Dulce: Depois que vi você na cama com ela, eu fiquei com tanto ódio que a primeira coisa que fiz foi ir atrás de uma clínica de aborto, eu acreditei que você havia passado a noite com aquela mulher, e eu não consegui aguentar aquilo, achei que você nunca iria mudar seu jeito galinha, e eu queria apenas te esquecer mas isso seria impossível tendo um filho com você, aquele bebê nos deixaria ligados para o resto da vida. 

A essa altura eu andava de um lado para outro na sala, passava a mão por meus cabelos, nervoso. 

Ucker: Não é possível Dulce Maria, não consigo acreditar que você fez isso, porque não me chamou? Teríamos conversado, mas não ir lá matar meu filho e depois fugir de mim por anos foi mais fácil né.  

POV Dulce 

Ucker cuspia as palavras em cima de mim, ele tinha razão, nada justificava meu ato, e hoje eu tenho consciência disso.

Dulce: Ucker por favor me perdoa.

Ucker: Perdoar? Como consegue me pedir isso? Você matou meu filho Dulce Maria, MEU FILHO.  

Dulce: Meu amor porf..

Ucker ( interrompe dulce): Não me chame de meu amor, não depois do que você fez, você mentiu pra mim, sabe o quanto eu sofri achando que vc havia só perdido nosso bebê, até hoje eu me imaginava como seria nossa vida se você não tivesse "perdido" nosso filho.

Ele fez aspas no perdido.

Dulce: ucker por favor. 

Ucker: Já chega Dulce Maria. 

Ele disse pegando sua jaqueta e indo em direção a porta, eu corri atrás dele e o peguei pelo braço. 

Dulce: ucker por favor eu te amo.

Ele parou no momento em que segurei em seu braço e disse que o amava, ficou alguns minutos olhando para o teto, até que se virou para mim. 

Ucker: Amanhã eu virei buscar minha filha arrume as coisas dela por favor.  

Dulce: O-o-o que? Ucker, não, por favor, não tire Nina de mim eu imploro. 

Me ajoelhei abraçando suas pernas, ele me pegou pelos braços me fazendo ficar em pé.  

Ucker: Pra que você quer ficar com ela? Para mata-la também quando tiver raiva? 

Ele disse aquilo me encarando, seus olhos continham ódio, após falar isso, ele saiu pela porta a batendo forte, e eu desmoronei bem ali no chão, abraçava minhas próprias pernas, eu havia estragado tudo, e agora perderia tudo, perderia ucker de vez, e ele levaria Nina para longe de mim.



Notas Finais


Ai pessoal que dozinha da Dulce espero que eles se resolvam logo né..
Até amanhã 🖐❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...