História Rafiel - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Original, Uriel Le Ai Namoral, Yaoi
Visualizações 11
Palavras 995
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Inu:essa é a primeira fanfic sem nenhuma parcipação de Yonaka nem de Neko
*sons de alguem tentando escapar do porão*
Juan:precisamos de mais fita adesiva
Moge-ko:se não obedecer fazemos o mesmo com vc Yonaka-tan
*yonaka amordaçada deixa cair uma gota de suor*

Capítulo 1 - Como o conheci


Fanfic / Fanfiction Rafiel - Capítulo 1 - Como o conheci

Eu nunca fiz questão de estar aqui, muito menos participar, as vezes acho que meu cotidiano vai me deixar, não vejo a hora de morrer, um dia eu chego la, as vezes penso se deveria sorrir mais, ou abraçar meus pais, SÓ QUE DAI EU LEMBRO QUE NÃO TENHO PAI!

Eu sou Rafael, apenas mais um adolescente comun igual a todos os outros, tenho mãe, uma webnamorada que não me trai(eu acho), nada muito que reclamar, ninguem precisa saber que sou bissexual, isso nunca foi relevante, assim como tudo nesse mundo

Mais um dia estudando no meu colégio no centro, é uma escola de bolsista fruto da parceria do sesc com o colégio são josé e o bom jesus, tenho que pegar dois onibus pra chegar no colégio, é meio chato mas podia ser bem pior então não acho que tenho motivos pra reclamar

Eu peguei o meu primeiro onibus, depois o pinheirinho como um dia normal, eu deixei meu celular em casa carregando em casa, então na ausencia de um episodio da serie classica do batman ou um bom meme eu passei o caminho apenas olhando pessoas aleatorias no onibus

Vi algumas pessoas interessantes como uma idosa transexual, e uma kpoper de 49 anos, porem apesar de eu não conseguir explicar o motivo quem mais prendeu minha atenção foi um garoto de cabelo enrolado usando um fone de ouvido daqueles parecidos com um headset, eu percebi que ele usava o mesmo uniforme que eu, ou ele é um estudante do sesi que resolveu usar uniforme do sesc, ou ele é um cara que estuda no mesmo colegio que eu, eu reconheci que ele é um dos estudantes da minha sala então conclui que a segunda é a mais provavel, quando o onibus chegou no ponto ele desceu e se dirigiu ao mesmo edificio que eu, no caso o colégio, na hora pensei "pelo menos quando morrer vou saber que eu estive certo uma vez na vida"

Eu não sei dar um motivo pra isso, mas eu observei ele um pouco mais durante o dia, vi que ele andava com um grupo com pessoas de classes e niveis diferentes(gente do primeiro ano e do segundo de salas diferentes), eu não interagi com eles mas passei por eles enquanto ia pra sala e ouvi um trecho da conversa deles, pelo que entendi eles são basicamente um grupo se normies, otakus e coisas do genero

Apesar do meu interesse repentino em observar um pouco da vida dele não tinha motivos para falar com ele durante a classe então apenas segui minha vida como qualquer dia normal, alias esse era "qualquer dia normal" alem do meu interesse aleatorio nesse colega não aconteceu nada fora do padrão

Eu tambem prestei um pouco de atenção na chamada e vi que ele é um dos alunos que vieram por segunda chamada e que se chama uriel, é um belo nome

Durante a aula eu não pensei nele, muito menos no recreio, passei esse tempo mais dedicado a materia de fato, ou trocando ideia com meu amigo, Gabriel, é um cara engraçado e meio sem noção as vezes, mas eu gosto dele

Eu apenas voltei a pensar nesse colega depois da aula, mais especificamente na fila do onibus, isso talvez se deva ao fato de ele estar na minha frente, mas não a como ter certeza nessa vida

Ele estava de fones novamente, em um momento que ele pegou o celular vi que ele usava o whatzap, não sei dizer o porquê disso, mas tive de me conter pra não pedir o numero dele

Quando vi ele olhar suas conversar no celular lembrei de uma das coisas que deveriam afastar meus pensamentos de coisas como cianoreto e laminas de barbear, minha webnamorada, porem apesar disso ultimamente a atitude de yandere dela tem sido uma das coisas que mais me fazem encarar minha gilete

Não falei dela, porem ela é alguem muito presente na minha vida, até por que ela me mata por mensagem caso eu demore pra responder, esqueci de avisar a ela que ia estar sem celular durantole a tarde, ja que só percebi que tinha me descuidado e deixado em casa quando ja era tarde demais

Não pensei mais no Uriel pelo resto do dia, já que fiquei ensaiando mentalmente minha explicação pra ela, ela fala que não gosto dela, não consigo entender, eu realmente gosto dela, não sei mais o que faço pra mostrar isso pra ela, complicado.

No dia seguinte eu não cometi o mesmo erro, e levei o meu celular pra escola, minha querida garota psicopata chegou perto do feito historico de me matar a uma cidade de distancia atraves do whatzapp, até hoje não sei como consegui acalmala

Eu segui o meu caminho de costume e não vi uriel no caminho de ida, porem o vi na sala, ele deve ter ido antes simplesmente, eu não me lembro os detalhes mas o professor de matematica deu um trabalho em grupo em que não tivemos o poder de selecionar os menbros das equipes, por coincidencia do destino acabei no mesmo grupo dele, nossas interações foram todas relacionadas ao trabalho, ja que fizemos tudo sosinhos

Eu não sei dizer por que prestei atenção nele tão de repente, por que do nada passei a me lembrar dos momentos em que o vejo, ele não tem nada especial, eu sou bi como ja disse no segundo paragrafo, então considerei um tipo de interese que eu pude-se ter, porem ele não parecia ter nada especial, ele tem gluteos interessantes mas no geral não esta no meu top 10 de beleza masculina da escola, mas fiquei feliz em falar com ele

Eu encontrei ele denovo no onibus pra casa, eu pensei em usar o trabalho pra me aproximar dele, eu chamei a atenção dele, ele guardou os fones, não lembro nada do trabalho ou do que falamos, mas lembro de ter salvado o numero dele, e de a conversa ter mudado de centro tornando-se um debate a respeito de uma HQ do batman antes de chegarmos no portão.


Notas Finais


Juan:não sei se foi mesmo assim
Moge-ko:não questione
Inu:senpais vão amar
Juan:eles estão no mesmo ano que a gente
Inu:a


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...