1. Spirit Fanfics >
  2. Window View >
  3. BÔNUS 1! - L'amour sur la Seine

História Window View - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


E VOCÊS ACHANDO QUE EU NÃO IA TRAZER O BÔNUS MUAHUAHUAHUA

Eu to escrevendo esse bônus desde que a fanfic terminou kkk mas hoje, em especial, eu tive muitas emoções. Vou contar um pouco pra vocês (eu sempre falo mt, novidade pra ninguém). Eu posto essa fic no wattpad também, e todas minhas outras. Hoje descobri que minhas fics foram clonadas pra um site vietnamita ??? kkkk eu fiquei PUTASSA, chorei pra caralho. Dai, algumas horas dps, eu fui abrir o wattpad e vi que Window View tava em #1 na tag #taejin E QUASE MORRI DO CORAÇÃO. Precisava trazer esse bônus como comemoração. Como aqui no Spirit ela também alcançou mts resultados bons, ESSE MIMO TB É PRA VOCÊS!

Lembrando que os bônus não seguem ordem cronológica da história. Esse se passa na lua de mel do nosso casal de boiolas nhonhonho, o próximo bônus, que vai ser focado em Yoonkook, vai se passar poucos dias depois do Jin voltar pra Daegu. É bom eu deixar isso avisado rs. Ah, e tb não teremos hot explícito aqui, porque bem... Os outros extras envolvem justamente isso e eu só queria mostrar a boiolagem dos taejin mesmo kkkk

ENFIM, É MT BOM VIR ATT, MESMO QUE SEJA UM BÔNUS, EU TAVA MORRENDO DE SAUDADES DE WINDOW VIEW CARALHO, BOA LEITURA!

Capítulo 38 - BÔNUS 1! - L'amour sur la Seine


Fanfic / Fanfiction Window View - Capítulo 38 - BÔNUS 1! - L'amour sur la Seine

- ‘Tá, mas me responde uma pergunta muito importante agora, com sinceridade. Por que calça a gente bota e bota a gente calça?

Meu deus, por que diabos eu fui inventar de te ligar? Puta que pariu…

Taehyung caminhava calmamente pelas ruas de Paris, com seu celular no ouvido enquanto tentava ter uma conversa no mínimo decente com Yoongi, mas tudo o que conseguia ouvir do outro lado da linha era asneiras. Tudo bem que o Min nunca foi uma pessoa lá muito séria e não deveria ser esperado do Kim que as coisas fossem “normais”.-

- Olha, você sabe que a diferença de horário entre França e Coreia é de sete horas né? - Yoongi disse rindo - São 2h da manhã aqui, você me ligou de madrugada, o mínimo que merece ouvir são besteiras.

Ah é, então me diz por que você ‘tá acordado?

Yoongi deu uma risadinha do outro lado da linha.

- Você tem sorte que o Jungkook capota depois de transar.

Nossa, hyung, pelo amor de deus! - Taehyung bradou fazendo cara de nojo - Eu por acaso te contei os detalhes da minha lua de mel? Não! Então não quero saber nada sobre suas noites maléficas com meu cunhado. Poupe meus ouvidos!

Kim Taehyung e Kim Seokjin estavam em lua de mel havia duas semanas. Com muito esforço ambos juntaram uma boa quantia em dinheiro para poder viajar para um país que permitisse a união homoafetiva e agora apenas desfrutavam de todo o trabalho conjunto que tiveram. Naquele momento Taehyung havia saído do hotel em que estavam hospedados, e conhecendo bem a avenida do local, andou até achar a farmácia mais próxima, pois sabia que o marido iria acordar com dor de cabeça a qualquer momento.

Não precisava nem mencionar que haviam bebido todas na noite anterior e feito tudo o que queriam fazer.

- Você me ligou ‘pra que então, boiola? - Yoongi resmungou.

- Eu quero saber se você tem notícias do meu filho? Como está tudo por aí? Porque eu estou com saudades? Nossa, hyung, eu estou há dias em outro país e isso nunca passou por sua cabeça? Você é incrível, Min Yoongi.

Ai, ok! Tudo bem, não precisa começar a chorar no telefone! - resmungou outra vez - O Daehee está bem, tem passado muito tempo com a Iris. Por aqui só felicidade, estamos todos bem e esperando que vocês dois estejam transando muito. ‘Tá feliz?

Taehyung revirou os olhos e entrou na farmácia. Por um lado era muito bom poder ouvir a voz do seu hyung e saber que tudo estava bem, o Kim sentia saudades. Era um pai preocupado, acima de tudo, sempre tentava falar com Daehee e saber como o pequeno estava, se estava se alimentando e dormindo direito e como era conviver com sua mãe. No mais, estava tudo nos eixos e ele podia aproveitar bem sua lua de mel.

- Olha, hyung, eu vou desligar agora. Depois nos falamos. E vê se deixa o Jungkook dormir, por favor. Ele merece descanso.

Se ele acordar todo manhoso eu não prometo nada. - riu do outro lado da linha - Até mais, Taehyung, espero que sua bunda não esteja dolorida.

Céus… - Revirou os olhos outra vez e encerrou a chamada.

O Kim adentrou a farmácia e sentiu logo o gelo que estava ali dentro por conta do ar-condicionado exagerado. Era uma quinta-feira de manhã e as pessoas ainda estavam começando a se movimentar pela rua, o que significava que a loja estava vazia. Taehyung precisava procurar aspirinas e algo para fazer azia passar, não tinha sido brincadeira o tanto que Seokjin e ele haviam bebido na noite anterior - e a consequência disso foi uma bela transa na sacada do quarto de hotel -.

O francês do Kim estava longe de ser bom, ele havia tentado ao máximo estudar algumas expressões antes de viajarem, porém precisou apelar para o google tradutor naquela hora, transcrevendo a frase no celular e colocando os fones de ouvido para poder tentar escutar e reproduzir depois.

“Olá. Quero duas caixas de aspirina e um remédio para azia, por favor.” foi o que escreveu e quando ouviu a tradução quase entrou em colapso. Céus, o francês de Seokjin era mil vezes melhor que o seu, mas o bonito ainda dormia igual a um anjo no hotel.

Taehyung limpou a garganta e foi até o balcão, temendo falar alguma besteira ao invés de pedir seus remédios e acabar sendo escorraçado da farmácia.

Bonjour, je veux deux boîtes d’aspirine et un médicament contre les brûlures d’estomac, s’il vous plaît. - Disse pausadamente, assegurando que não errou nem uma sílaba sequer.

O atendente, que antes estava de costas, virou-se assim que ouviu a voz de Taehyung e levantou as sobrancelhas. Ele não tinha feições europeias, na verdade era bastante asiático, assim por dizer. Os olhos menores e mais rasgados, a pele amarela e o cabelo preto confirmavam ao Kim que aquele homem com certeza era um estrangeiro ou descendente - isso para sua sorte -, mas só ficou mais claro quando ele viu o crachá no canto esquerdo do uniforme do homem. “Julien Kang”.

Une minute, monsieur. Je les obtiendrai pour toi. - Respondeu com um risinho no canto dos lábios e Taehyung não entendeu nem o que ele disse e nem porque estava achando graça.

Sim, era um inferno estar em um país do qual você não sabia nem se comunicar direito e em que as pessoas não eram muito receptivas ao inglês, mas foi escolha do próprio Taehyung passar a lua de mel na França, porque ele era um romântico bobo que ficava encantado com toda a mágica da cidade. Mas agora ele fazia um biquinho enquanto o tal Julien Kang buscava os remédios.

O rapaz voltou rapidamente e colocou as caixas no balcão e lançou mais um riso para Taehyung, que franziu o cenho sem entender nada.

- Deixa eu adivinhar… Coreano? - Surpreendendo o Kim com a pronúncia perfeita, Julien falou apoiando os cotovelos no balcão de vidro e rindo.

- Sim! Como soube?

Ele apontou para Taehyung que logo olhou para a própria roupa.

- Você está usando uma roupa da coleção de primavera da MeJiwoo¹. Dificilmente você vai achar isso aqui em Paris, então… - Deu de ombros.

A boca de Taehyung se abriu em um perfeito “o” quando ele se deu conta, depois acabou se deixando rir pela desatenção.

- Eu fiquei nervoso para pedir os remédios, poxa. Eu estou aqui há duas semanas e só tenho deixando que meu marido fale por mim, já que ele é quase fluente em francês.

Julien riu e começou a registrar os remédios no sistema.

- Imagino o trabalho que tem passado. - Balançou a cabeça - Quando meus pais vieram para cá foi a mesma coisa. Mas eu penso que falar francês não é tão difícil… Quer dizer, eu nasci falando as duas línguas, coreano e francês, então ‘pra mim é fácil. - Deu de ombros - Deu 20 euros.

Taehyung começou a tatear os bolsos até achar a carteira, abrindo-a e retirando uma nota francesa de lá.

- Bom, meu filho é metade coreano e metade americano, mas eu não ensinei ele a falar inglês. Péssimo da minha parte. - riu de nervoso - Aqui está. Ah, e a propósito, meu nome é Taehyung, muito prazer. - Sorriu gentil.

Julien assentiu.

- Sou Julien, mas você já sabe por causa do crachá. - sorriu - Muito prazer, Taehyung. O que tem feito tão longe de casa? - puxou assunto tentando ser simpático.

- Estou em lua de mel. - Coçou a parte de trás da cabeça - Você sabe, lá na Coreia dois homens não podem se casar, então… - Suspirou - Tem sido bom, fora a parte de não falar bem a língua local.

Julien sorriu para Taehyung e assentiu compreendendo bem.

- Sem querer ser intrometido, mas posso perguntar o que vocês já fizeram pela cidade? Quer dizer, Paris é a cidade do amor, há tantas opções!

Para ser sincero, Taehyung não havia feito nada muito fora da curva quando se tratava de conhecer Paris. Eles visitaram restaurantes, museus e suas noites mais íntimas haviam todas sido dentro do quarto do hotel.

- Bem… - Ele mordeu o lábio inferior - O básico. Acho que o que todos fazem quando vem a Paris. - Deu de ombros.

Julien ficou pensando por um tempo. Geralmente era o que a maioria dos turistas faziam mesmo, sem saber dos segredos da cidade. Havia uma porção de outras coisas que casais poderiam aproveitar em suas luas de mel, mas não conheciam. Taehyung lhe pareceu simpático e o Kang achava que valeria a pena lhe ajudar nisso.

- Olha, eu tenho uma dica de ouro. Se quiser fazer algo especial para seu marido nesses seus dias aqui em Paris, recomendo que me ouça.

[...]

Taehyung voltou para o quarto do hotel após quase uma hora inteira conversando com Julien. Pode-se dizer que ele estava completamente eufórico, animado e com uma sacola cheia de aspirinas e remédio para azia.

Era fato que as coisas comuns que eles haviam feito na cidade ainda sim eram especiais, no entanto, ao conversar com o atendente da farmácia, o Kim percebeu que precisava deixar uma marca a mais naquela lua de mel. Seokjin sempre o surpreendia, desde os primeiros dias de namoro, mas Taehyung não era uma pessoa muito ligada nesse tipo de coisa. Claro que o mais velho não lhe cobrava essas coisas e nem nada do tipo, mas o mais novo sabia que às vezes podia ficar em falta, mesmo com tantos anos de relação.

Assim que entrou outra vez no hotel, passou pela recepção cumprimento os funcionários de forma educada e então tomou o elevador, indo em direção ao último andar do edifício, onde estavam hospedados. Atravessou todo o corredor arrastando os sapatos naquele carpete caro até alcançar a porta de seu quarto e abri-la. A suíte em que estavam fora um presente de casamento de Jimin e Namjoon. Ela era gigantesca e muito cara, diga-se de passagem. Havia uma enorme cama queen size no canto, mais carpetes que custavam a vida do Kim, móveis feitos de mogno e pau-brasil, cortinas tão sedosas que Taehyung tinha medo até de tocar e rasgar e, claro, um enorme banheiro com a mais moderna jacuzzi. Sem contar todos os quadros e objetos decorativos que lembrava muito a Era Vitoriana. Taehyung se lembrou depois de devolver algo à altura para o casal.

Quando adentrou, logo viu que Seokjin estava no banheiro. A cama arrumada e o quarto todo organizado era a marca de que o marido não gostava de bagunça, e aquilo fez o mais novo sorrir. Deixou os remédios em uma mesinha de centro e foi andando levemente até o banheiro. A porta estava aberta e assim que recostou-se no batente, viu Seokjin de costas para si, deleitando-se da água gostosa da jacuzzi. Ele parecia tão relaxado que até dava a impressão de estar dormindo, mas o Kim sabia que não.

Silenciosamente ele foi se livrando das suas peças de roupa até ficar igualmente nu, então vagarosamente foi se aproximando da jacuzzi e soltou um risinho.

- Bom dia, amor. - Sussurrou atraindo a atenção do mais velho, que aos poucos se virou para ele e arregalou os olhos de maneira boa vendo Taehyung daquele jeito.

Muito bom dia. - Ele riu fitando o marido dos pés a cabeça.

Taehyung ainda era a visão mais perfeita para ele, o homem mais apaixonante do mundo. Sempre perdia o fôlego ao constatar que o amava mais do que tudo, que eles estavam juntos… Casados.

- Fui à farmácia comprar remédios, mas pelo que eu ‘tô vendo você ‘tá muito bem. - Disse enquanto andava até a banheira e ia entrando aos poucos.

O mais novo se colocou no colo do marido assim que seu corpo já estava completamente imerso na água quente e borbulhante da jacuzzi. Ele passou seus braços em volta do pescoço do mais velho e as pernas em volta de sua cintura, provocando exatamente como sempre gostou. Jin sequer piscou e logo envolvia seu marido pela cintura, tocando a pele molhada e quentinha, trazendo-o mais para perto e beijando sua clavícula com carinho.

- Bem que eu fiquei tristinho quando acordei e você não ‘tava do meu lado. - Fez um biquinho com seus lábios fartos e Taehyung riu - Mas olha onde você ‘tá agora, gatinho.

- Tantos anos e você ainda me chama de gatinho. - Deu uma risada boba - Pois é, eu estou no meu lugar preferido. - Disse deixando beijinhos quentes no pescoço desnudo de Seokjin - Mas… Por mais que eu esteja sentindo algo me cutucando aqui embaixo, eu vou te falar que vamos deixar para mais tarde.

Não era difícil saber o que era esse “algo”, principalmente quando Taehyung estava completamente provocativo no colo de seu marido.

- E você sempre tentando me matar… Incrível. - Deu uma mordiscada no ombro do mais novo - O que tem mais tarde?

Taehyung pendeu a cabeça para o lado e começou a acariciar os fios molhados do mais velho, olhando-o profundamente o rosto e admirando a beleza inegável de Seokjin. Ele nunca se cansava, podia ficar 24 horas por dia, por todos os anos que já estavam juntos, contemplando aquele rosto que ele tanto amava.

- Quero fazer uma coisa especial nessa lua de mel, hyung. Eu sei que tudo em si já é especial, o fato de nós dois estarmos casados, essa cidade linda e tudo, mas… Quero que você nunca esqueça de que eu te amo muito. Daqui uns anos, quando estivermos com a casa cheia, juntinhos e mais velhos, vamos lembrar dessa travessura que Kim Taehyung aprontou em Paris para o amado marido dele. - Deu uma piscadela.

As mãos de Seokjin subiram para as costas do marido e o trouxeram para mais perto ainda. Ele beijou os lábios de Taehyung com doçura, mas com urgência também. Eles sempre foram um misto de dualidade incrível, uma bagunça de coisas que completava aquele casal. Os dedos do mais novo se enterraram ainda mais nos fios escuros de Jin enquanto ele movimentava seu corpo e sua boca no mesmo ritmo.

- E ainda quer deixar ‘pra transar mais tarde. Você não tem piedade de mim. - Seokjin resmungou descendo os lábios para o pescoço de Taehyung que não sabia se gemia pelo prazer ou ria por sua travessura.

- Você está quase me convencendo… - Sussurrou jogando a cabeça para o lado - Mas… Se… Aah… Controle. - Nem ele mesmo conseguia se controlar.

As mãos do mais velho desceram até estarem espalmadas nas nádegas de Taehyung, apertando a carne durinha dali. Taehyung não conteve o gemido baixinho. Droga, Seokjin estava estragando seus planos, mas ele nem podia reclamar, ele mesmo já dava sinais do que queria também.

Ninguém mandou invadir o banho do mais velho, oras.

Por mais que o mais novo quisesse deixar para depois, não se conteve em acabar por fazer amor com seu marido bem ali mesmo na jacuzzi. Bem, não tinha mal algum em fazer de novo mais tarde, não é mesmo?

[...]

Quase três horas naquela banheira foi o bastante para eles perceberem que já era hora de parar de transar e irem pelo menos comer alguma coisa. Sexo dá fome e Taehyung não podia sequer discordar desse fato.

Depois de muitos momentos de amor, eles saíram e pediram o almoço para o serviço de quarto, comendo da deliciosa culinária francesa em uma mesa que havia na suíte. Jin perguntava a todo momento sobre o que aconteceria mais tarde, mas Taehyung sabia bem guardar segredo e se manteve firme em sua surpresa.

O dia passou bem rápido e quando o mais novo viu a luz do sol desaparecendo pelo horizonte parisiense, pediu que Jin colocasse sua melhor roupa. Claro que o mais velho sequer sabia para onde ia, mas não questionou em vestir-se com uma calça jeans justa preta, camiseta de longas mangas branca de seda, um blazer azul marinho e sapatos sociais. O perfume de morango também não poderia estar faltando em seu repertório, nem os cabelos - que haviam crescido bastante - arrumados milimetricamente. Ele conseguia ficar lindo com qualquer roupa, mas naquela estava deslumbrante, acabando com todo o juízo de Taehyung.

Quando estava quase à noite o mais novo também se arrumou, vestindo calças cáqui, uma camiseta de mangas longas pretas e sapatos sociais, o cabelo bagunçadinho com os cachos bem evidentes e o seu perfume de baunilha exalando por todo o canto. Depois de estarem prontos, finalmente saíram do quarto do hotel de mãos dadas e seguiram para a rua, onde a travessura de Taehyung começou.

Nem pense que eles sairiam dali de táxi ou uber. Julien foi bem perspicaz ao dar dicas para Taehyung, mesmo que isso custasse muito de seu dinheiro…

Havia uma limusine os esperando.

Taehyung? - Exclamou Seokjin com os olhos arregalados - É sério isso? Limusine?

O mais novo sorriu com seu lindo sorriso retangular e apertou a mão do marido.

- Eu te falei que era uma surpresa boa, então calado e apenas entre no carro. - Largou um beijinho na ponta do nariz do mais velho e o puxou para o grande veículo que já tinha a porta aberta, apenas esperando por eles.

Seokjin nunca havia entrado em uma limusine antes, muito menos Taehyung. Arrepiaram-se com o tamanho daquele veículo e como era luxuoso, mas também riram sentindo-se melhor do que imaginavam.

O motorista lhes desejou boa noite em francês e Seokjin respondeu perfeitamente, exalando a educação que tinha e Taehyung repetiu as palavras com mais dificuldade. Ele já sabia para onde levá-los… A conversa com o atendente da farmácia foi muito produtiva nos quesitos de arrumar toda aquela surpresa.

Quando deu a partida no carro a cidade começou a se movimentar do lado de fora. Paris era extremamente linda aos olhos de ambos, romântica, de tirar o fôlego. Cada luz, cada bairro, ponto, restaurante, praça… Tudo dava um ar de amor inexplicável e ambos conseguiam sentir-se ainda mais apaixonados um pelo outro. Passaram por tantas dificuldades ao longo dos anos, mas aquilo tudo valia à pena quando eles percebiam que os sentimentos recíprocos durariam por toda a vida e se eternizariam naquela cidade no meio da Europa.

O carro ia seguindo por cada rua até a visão de Seokjin ser contemplada por algo lindo: O Rio Sena. Dali podia-se ver a Torre Eiffel iluminada e as pontes que cortavam as águas belas do rio. Havia uma série de embarcações de pequeno porte navegando por lá e era exatamente esse o objetivo de Taehyung.

“ - Os passeios no Rio Sena podem parecer clichê, mas são uma das melhores coisas para casais, acredite. Quando você vê toda a imagem da cidade iluminada e está abraçado a quem ama… É realmente de outro mundo. Não é caro, eu te garanto, e vai ficar marcado para sempre, pois vocês dois irão sentir de fato o que é o amor de Paris.” foram as palavras de Julien quanto sugeriu o passeio a Taehyung.

Eles sequer haviam saído do carro que já podiam sentir algo diferente em si. Era como se as ondulações da água batessem no mesmo ritmo que seus corações apaixonados, ligando-os à cidade de uma forma que não dava para explicar.

- Amor, o que…

- Nós vamos passar a noite em um barco no Rio Sena, Jin hyung. - Taehyung disse com um sorriso sapeca nos lábios - Eu quero que nossa lua de mel seja inesquecível e que esse seja o marco dela… Quero jurar todo o meu amor por você aqui. - Tomou a mão do marido com ternura - Vem comigo.

Seokjin estava uma mistura de felicidade e ansiedade dentro de si, tanto que não conseguia simplesmente parar de sorrir nem por um milésimo. Agradecendo ao motorista, saíram da limusine e se depararam com um pequeno cais, onde uma embarcação de médio porte os esperava já pronta. Era um Iate branco e luxuoso que se chamava “Princesse de la Seine”, as letras gravadas no branco do veículo marítimo em um dourado reluzente. O coração de Seokjin mal cabia dentro de seu peito e ele não conseguia expressar em palavras como estava feliz por Taehyung lhe proporcionar aquilo que sequer havia começado ainda.

Eles caminharam pelo cais até chegarem à entrada do barco, onde um homem de meia idade - que parecia ser o condutor do iate - os esperava. Ele falou com ambos em um francês simples e claro, dando-lhes boas vindas e os convidando para embarcar.

- Nós podemos jantar aqui na parte de fora e aproveitar a brisa. - Taehyung comentou apertando os nós dos dedos de seu marido - Mas lá dentro há um quarto onde vamos passar a noite… O capitão não vai ouvir nada.

O sorriso sugestivo do mais novo contagiou Jin e seus olhos brilharam, querendo marejar aos poucos. Nunca se apegou muito a esperar que Taehyung lhe surpreendesse, estarem juntos já era a maior surpresa de toda a sua vida. Desde que o viu chegando naquela vizinhança com Daehee, não podia imaginar que os caminhos da vida os levariam até ali, naquela lua de mel, casamento, amor para toda a vida…

Na parte externa do barco já havia uma mesa de jantar preparada para eles. O capitão, muito educado, lhes indicou os assentos e recitou o menu. Seokjin agradeceu contente e se maravilhou ao ver todo aquele jantar luxuoso e preparado para os dois. O senhor de meia idade se dirigiu para a cabine e logo o barco entrou em movimento, trazendo uma brisa completamente satisfatória enquanto o casal se sentava à mesa para poder desfrutar juntos daquele banquete.

- Taehyung, é sério… Você se superou com isso. Olha essa paisagem! Esse rio, as luzes… Você aqui comigo. Céus, eu não podia ter coisa melhor!

O mais novo apoiou a cabeça na mão e fitou Seokjin, fotografando com os olhos cada pedacinho de seu ser feliz, de sua genuína satisfação e maravilha. Ele era o homem mais lindo do mundo, o melhor marido.

- Hoje de manhã quando eu fui à farmácia eu conheci o atendente, que por acaso era franco-coreano. - Sorriu - Ele me disse que se eu te trouxesse para esse passeio você teria exatamente essa reação e agora eu entendo o motivo. - Sua mão se arrastou com cuidado pela mesa até alcançar a de Jin - Nós estamos juntos há alguns anos, casamos, temos sonhos, metas… Passamos por inúmeras dificuldades e chegamos até aqui. Eu te amo tanto, Kim Seokjin, você não tem ideia de como meu coração palpita forte por causa de você. É como um sonho que finalmente tenhamos nos casado, depois de tentarem nos separar, depois de eu pensar erroneamente que você não me amava, depois de você voltar pra mim e me fazer ver que o que temos é inquebrável… Eu quero que você se lembre ‘pra sempre, meu amor. Quero que jamais se esqueça de que definitivamente é você.

Definitivamente é você. - Ele respondeu com os olhos já marejados.

Seokjin não chorava facilmente, isso era fato, contudo a junção de todos aqueles fatores, clima, cidade, ocasião e as palavras lindas de Taehyung, o deixaram imensamente sensível. Seu amor mal cabia dentro de seu ser e ver seu marido preparando algo tão lindo assim para si o fazia explodir em sentimentos.

- Taehyung… Por onde eu começo dizendo que você é simplesmente o amor da minha vida? - Ele sorriu arrancando uma reação igual do marido - Sei que nós não somos perfeitos, longe disso, mas nós nos encaixamos. Sem você minha vida teria sido, talvez, a mais solitária e vazia. Eu continuaria insistindo em coisas vazias que não me faziam bem… Mas, céus, eu até hoje sonho com a primeira vez que eu te vi e agradeço à todas as entidades possíveis por seu destino fazer parte do meu. Eu te amo muito! Obrigado por essa surpresa, por essa vista, por tudo. - Uma lágrima vacilante caiu por seu rosto, mas ele rapidamente a limpou com a mão livre - Você é o melhor marido do mundo inteiro!

Eles sorriram genuinamente apaixonados um para o outro, as juras de amor sendo absorvidas pouco a pouco, aquecendo os corações apaixonados.

Cada casal era uma galáxia, tinha suas constelações, caminhos e seu infinito e singular tamanho. Na galáxia de Seokjin e Taehyung havia asteroides que os causavam problemas, mas também haviam lindas estrelas brilhantes de um futuro que eles construíram juntos. Era tão único o relacionamento, o amor quase palpável.

E compartilhando daquele presente que parecia ser infinito, eles começaram a aproveitar o passeio. Juntos deliciaram-se do banquete e logo que estavam satisfeitos, foram até a ponta do barco em movimento. O vento estava delicioso e balançava seus cabelos enquanto Seokjin tinha seus braços em volta do corpo do marido, o queixo apoiado em seus ombros e os olhos fixos nas ondulações belas da água, onde as luzes de Paris refletiam.

Uma música lenta tocava e logo seus corpos balançavam em sintonia, uma dança que eles mal viram que começara e os envolvia com todo o clima de Paris. As mãos de Seokjin seguraram bem a cintura de seu marido e as testas se colaram enquanto os pés se moviam. O som do trompete era contagiante, juntando-se com os olhares intensos que eles lançavam um para o outro, fazia daquele momento repleto de mágica.

- Você se lembra da primeira vez que nós dois dançamos assim, coladinhos? - Seokjin indagou em um sussurro.

- Foi naquele dia na sua casa que todos ficamos bêbados. - Respondeu sorrindo - Que o Jungkook surtou e subiu em cima do Yoongi.

- Esqueça esse detalhe. - Fez um biquinho - Foque apenas na lembrança de nós dois. Eu senti seu corpo nas minhas mãos e foi a melhor sensação… Era como se eu tivesse meu mundo todinho em meus braços.

- Jin… - Taehyung suspirou - Você sempre consegue me deixar todo mole assim. Pare. - Pediu manhoso e ganhou um sorriso.

- Se eu te deixo apaixonado então estou fazendo certo. - Respondeu e logo em seguida deixou um selar nos lábios do mais novo - Nunca vou parar de te conquistar, meu objetivo de vida sempre será fazer com que você se apaixone mais por mim a cada dia que passa.

Taehyung repousou seu rosto na curva do ombro de seu marido e pode sentir as batidas fortes de seu coração. Era aconchegante, quentinho… Aroma e sensação de lar.

- Não precisa se esforçar para isso, meu amor. - Sussurrou - Só de você existir, eu já me rendo completamente… Eu sou louco por você, Kim Seokjin.

O coração palpitante bateu ainda mais rápido. Era incrível como eles conseguiam se surpreender depois de tantos anos juntos.

Diante daquele cenário apaixonante, das águas correntes do Rio Sena, da cidade de Paris e de todo o amor que compartilhavam, Seokjin e Taehyung aproveitaram um dos dias mais marcantes de toda a sua vida. Ele seria lembrado pelo resto dos dias, sorrisos surgiriam quando fosse mencionado, estaria em seus sonhos mais profundos.

Quando sentiram que seus corpos necessitavam um do outro, a cabine, que era o quarto do casal, os esperava para mais uma noite onde compartilhariam de todos seu sentimentos e luxúria juntos. Mais uma vez.

O amor no Rio Sena ficou perpetuado para sempre em suas memórias. Era mais uma coisa da qual eles iriam compartilhar juntos e poder contar, para quem sabe, os netos em um futuro longínquo.

O importante era que Seokjin e Taehyung estavam juntos depois de tantas coisas que os puxaram para longe um do outro.

Paris conheceu, naquela noite, mais um casal de amantes que estaria eternizado na história da cidade do amor.


Notas Finais


¹ - Mejiwoo é a marca de moda da Jung Dawon, irmã do Hoseok (na vida real)

Esse foi nosso primeiro bônus, boiolinha e fofinho. Não sei quando vou trazer o outro, mas spoiler: YOONKOOK, COMÉDIA, DEDO NO CU E GRITARIA. Pronto, falei demais kkkk

QUE BOM MATAR AS SAUDADES AQUI!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...