História Wine, blues and sex - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Aurieta, Gabicelo, Gabrieladuarte, Marcelofaria, Novela
Visualizações 286
Palavras 3.525
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais um cap pra vocês, esperamos que gostem!

Capítulo 2 - Parties, pool and sex.


Quinta-Feira 02/08/2018
Tinham se passado cinco dias desde a noite quente que Marcelo e Gabriela tiveram na casa de Regina, e depois daquele dia eles não se viram mais fora das gravações porque ambos tiveram que ficar com os filhos.
Era aproximadamente umas 18:30 da noite quando Marcelo bateu na porta do Camarim feminino encontrando Gabriela totalmente largada no sofá.
M: E aí Gabi, cê não vai pra inauguração da loja do Malvino? Disse Marcelo chegando na total liberdade depositando um beijo na bochecha da "amiga".
G: Ai, eu tô tão cansada, uma dor de cabeça forte me pegou agora depois do fim das gravações, mas eu vou sim, não posso fazer essa desfeita.
M: Hm, dor de cabeça? Eu cuido de você, vem cá!
Marcelo puxou Gabriela que caiu demasiadamente no ombro do mesmo que não perdeu a oportunidade de fazer um carinho em seu cabelo.
M: Ta bom? Disse ele.
G: Aiiii, ta ótimo! Mas já pode ir parando que se alguém entrar aqui estamos ferrados. Disse Gabriela num pulo, se levantando para longe de Marcelo.
M: Ferrados por que? Somos amigos e eu estou cuidando da sua dor de cabeça! Volta aqui, poxa!
G: Com você pedindo assim eu até voltaria, mas tenho que me arrumar para a inauguração, você devia ir fazer o mesmo!
M: Opa! Você vai direto daqui? Achei que ia se arrumar em casa.
G: Não vou perder esse tempo, to atrasada.
M: Cê ta de carro?
G: Graças a Deus, sim!
M: Bom saber disso, porque eu estou sem. A senhorita pode me dar uma carona?
G: Deixa eu pensar... Claro, né? Mas com uma condição. Você dirige, porque com essa minha dor de cabeça eu não estou nenhum pouco afim de enfrentar trânsito como motorista.
M: Combinado! Você já tomou remédio? Perguntou Marcelo chegando perto de Gabi e afastando uma mecha do cabelo dela para trás da orelha a encarando. Gabriela com sua mania de sempre, não conseguiu não olhar fixamente para a boca de Marcelo se perdendo nos pensamentos por alguns instantes.
M: Gabi? To falando com você!
G: Oi, desculpa.
M: Cê tava olhando pra minha boca ou foi impressão minha?
G: Impressão sua meu querido!
M: Sei...
G: Vou me arrumar, cê vai ficar aí?
M: não, to indo pro outro camarim me arrumar também. Tenta não demorar muito tá, dondoca? Estamos atrasados!
G: Dondoca, eu? Eu aposto que me arrumo primeiro que você, meu filho!
M: Duvido! Vamos apostar? Passo aqui em 30 minutos, se você não estiver pronta, me deve uma noite de amor que nem aquela na casa da sua mãe!
Gabriela olhou boquiaberta para Marcelo e logo em seguida deu uma risada incontrolável!
G: Isso é um pretexto pra passar a noite comigo?!
M: Entenda como quiser. To indooo! Disse Marcelo batendo a porta deixando Gabi rindo sozinha.

Eis que os 30 minutos se passaram e Marcelo bate novamente na porta do camarim onde estava Gabriela. Ele a encontra sentada no mesmo sofá que a deixou a alguns minutos atrás vestindo uma calça flare jeans azul, camiseta, jaqueta preta e por fim uma bota e cabelo solto. Um estilo nada Julieta de ser!
G: O senhor está atrasado, Marcelo Faria! Disse Gabriela sorrindo com os braços cruzados.
M: Você se arrumou em menos de 30 minutos, isso mesmo?
G: Eu te disse que não era dondoca!
M: Cê ta linda!
G: Obrigada. Marcelo, Marcelo, Marcelo... Vamos, estamos atrasados meu filho, anda.
Disse Gabriela tentando por um fim naquele clima que se instalava naquele camarim desde a outra vez que Marcelo entrou ali. Ela saiu andando na frente e Marcelo atrás rindo do jeitinho Gabriela de ser.
M: Gabi, Gabi. Olha como a lua está linda! Falou ele parando e olhando pro céu.
G: Nem vem com essa história de lua porque foi com esse papo que fomos parar na mesa da minha mãe semana passada!
Marcelo não segurou o riso e gargalhou alto rindo do jeito que Gabi soltou aquelas palavras em pleno estacionamento do Projac.
Gabriela jogou a chave do carro para Marcelo que pegou ela ainda no ar. Abriu a porta do carro para Gabi entrar e a fechou em seguida, entrando pela porta do motorista, fechando a mesma.
M: Eu sei ser cavalheiro, viu?! Falou sorrindo para Gabriela e colocando o cinto.
G: Nunca falei que não era... Falou ela também colocando o cinto.
Saíram do Projac com o trânsito lento, aquele horário era um dos piores para circular pelo RJ.
Estavam parados há alguns minutos já quando Gabriela colocou uma música para quebrar aquele silêncio entre eles e para evitar o estresse. Estava tocando U2.
M: Gabi!! Eu amo essa música, U2 é uma das minhas bandas preferidas, os caras são foda!! Falou ele nostálgico.
G: São mesmo Celo! Eu amo também, a minha preferida deles é essa que tá tocando. Disse ela cantando o refrão de With Or Without You.
Marcelo começou a cantar junto e os dois caíram na gargalhada, erraram a letra na melhor parte da música, o inglês de Marcelo nem se comparava com o de Gabriela, pois como morou em NY é mais fluente no idioma que ele.
M: Porra Gabriela, me fez errar na melhor parte! Olhou pra ela com cara de irônico.
G: Aaah para Marcelo, cê nem sabia essa parte! Falou rindo da cara que Marcelo fez.
Marcelo se aproximou dela, passou a mão pela boca de Gabriela e depositou um beijo se afastando em seguida. Gabriela ficou olhando para ele e o puxou devolvendo o beijo roubado, passando a mão pelo rosto dele, puxando-o pelo queixo.

*O transito já não estava mais congestionado, quando o pessoal que estava atrás deles começou a buzinar*

M: Queria ficar aqui te beijando por horas dona Gabriela, mas olha as pessoas buzinando ali atrás, acho que liberou a pista um pouco! Falou se afastando dela e depositando sua mão sobre a coxa de Gabriela.
G: Queria a mesma coisa Marcelo! Vamos fazer alguma coisa depois do evento? Meus filhos estão em SP, A Pipa está com a Camila?
M: Ótima ideia hein!! Sim, Pipa está com ela. Me diga que você não esqueceu do aniver da Carol... Falou ele confuso.
G: Porra Marcelo, tinha esquecido literalmente!! Essa minha dor de cabeça me deixou um pouco atordoada hoje! Falou encostando a cabeça no banco do carro.
M: Então vamos fazer assim: Vamos no evento do Malvino, que por sinal estamos chegando, depois no aniver da Carol e em seguida lá pra casa, o que tu acha?? Falou olhando para frente vendo que o trânsito já estava liberado e precisou acelerar.
G: Beleza, pode ser sim! Fez positivo com o dedo e fechou os olhos, pois a dor de cabeça não havia passado ainda, pegando no sono em segundos.
Marcelo como estava olhando para frente nem se deu conta de que ela havia adormecido.

*Sinal fechou*

Quando virou para o lado viu ela dormindo com a cabeça virada para o lado da porta. Marcelo então passou a mão no cabelo de Gabriela e a beijou na testa. Ela então acordou assustada e Marcelo riu.
G: Bobo!! Tu me assustou! Acho que minha dor de cabeça não vai passar nunca.
M: Desculpa, não queria te acordar, estava tão linda dormindo, mas já estamos chegando! Se eu te dar mais um beijo será que não passa a dor? Falou ele entrando com o carro no estacionamento do Shopping para o evento.
G: Foi bom ter me acordado, acho que se for um beijão daqueles que só você sabe dar, passa sim... Falou passando a mão no peitoral dele, subindo para o pescoço e depositando um beijo ali mesmo.
Marcelo estacionou o carro e puxou Gabriela para um beijo de tirar o fôlego, fazendo-a tirar o cinto e sentar no colo dele, com as pernas abertas, o beijo ficava cada vez mais intenso. Marcelo passava a mão pelo corpo de Gabriela querendo tê-la ali mesmo, no carro, no estacionamento.
M: Gabriela acho melhor entrarmos, vamos deixar isso pra depois, eu já estou ficando excitado, ou você quer chegar toda descabelada e marcada pela minha boca? Falou em seu ouvido.
G: Na melhor parte Celo, aaah, mas melhor mesmo, vamos, já estamos atrasados, e não, não quero chegar com o cabelo bagunçado!! Falou ela saindo de cima dele, abrindo a porta para sair do carro e arrumando o cabelo.
Marcelo tirou o cinto e saiu do carro também.
M: Eu já devo ter te falado em algum momento nosso que você é muito cheirosa, e que eu piro com o seu cheiro, mas não me canso de falar! Disse Marcelo colocando o braço por cima do ombro de Gabriela.
G: Cê ta louco, tira esse braço daqui, se alguém nos ver?
Gabriela nervosa se afastou de Marcelo aproveitando para olhar ao redor do estacionamento se não tinha ninguém olhando.
M: Que isso, hein? Aquela Gabi fogosa de dentro do carro, cadê?
G: Já entrou no evento, meu querido. Comporte-se. O fato de chegarmos juntos já é estranho.
M: Aaaah, Gabriela. Você fica linda nervosa, sabia? Marcelo falou aproveitando para apertar a bochecha de Gabriela.
G: Não debocha, seu idiota!
Assim que chegaram no evento, Malvino logo avistou os amigos e foi cumprimentá-los.
Malvino: Ahh, que bom que vocês vieram. Falou Malvino depositando um beijo no rosto de Gabi e dando um abraço rápido em Marcelo.
M: Até parece que íamos perder, né?
Malvino: Vocês vieram juntos? Malvino perguntou por desencargo de consciência pois já sabia o que andava rolando entre os dois.
G: Que? Juntos? Nãaao, magina! Encontrei o Marcelo no estacionamento. Disse Gabriela descompensada pegando uma taça de champanhe que ia passando na bandeja. Marcelo, por sua vez segurou o riso e prontamente respondeu.
M: Foi isso mesmo! Falou ele pegando um whisky na mesa ao lado.
Malvino: Entendi, fiquem a vontade, vou falar com a Agatha!
M: Você é uma atriz de primeira mesmo, pensa que ele engoliu essa, Gabi?
G: Cala boca! Falou revirando os olhos.
Gabriela saiu de perto do Marcelo o deixando rindo sozinho e foi falar com Agatha que também tinha acabado de chegar, enquanto isso Marcelo foi atrás do Malvino.
Agatha: Minha madrastra linda! Chegou agora, Gabi? Disse Agatha toda risonha abraçando Gabriela.
G: Minha enteada maravilhosaaa! Sim, cheguei agora com o Marcelo! Quer dizer, encontrei ele no estacionamento!
A: Seeei! Veio com o papai, né? Pode falar, eu guardo segredo!
G: Agatha, não faz isso. Tá me deixando com vergonha!
As duas riram e foram se juntar aos outros do elenco que foram prestigiar Malvino e sua mulher naquela noite.
Malvino: Galera, galera, junta aqui todo mundo por favor, vamos tirar uma foto!

*Passaram-se umas 2hrs de evento*

Gabriela chamou o Marcelo para ir embora por conta que ainda iam passar no aniversário da Carol.
M: Malvino, parabéns pelo evento cara, tá foda. Infelizmente estamos indo já por conta que temos que passar no aniver da Carol ainda.
G: Parabéns Malvino, desconsidere esse "foda" que o Celo soltou sobre o seu evento, tá tudo muito lindo!
Malvino: Que isso! Obrigado vocês pela presença! Vão pela sombra!
Os três encerraram o assunto rindo.
Quando eles iam finalmente saindo do evento ouviram um grito de longe os chamando. Era Agatha querendo uma carona.
A: Nossa, calma que tô sem fôlego! Vocês estão indo para o aniversário da Carol, meus papitos lindos?
M: Sim, minha filhota linda. Quer carona?
A: Ai, eu quero sim. Atrapalho?
G: Lógico que não minha querida.
A: Nossa, você falou agora como a verdadeira Julieta Bittencourt. E olha que lindo, estamos saindo do evento em família
M: Agatha, Agatha, se você por acaso fosse minha filha na vida real, não ia ter quem falasse que não fossemos pai e filha, nosso humor parece muito!
G: Eu que o diga! Seus palhaços. Vamos embora logo!
A: Af papai, a mamãe tá nervosa!
Agatha e Marcelo caíram na risada enquanto Gabi entrava no carro.
A: Ué, esse não é o carro da Gabi? Porque você vai dirigir? Gente, não precisam mentir, eu sei que vocês vieram juntos! Agatha falou num tom de esperteza entrando no banco de traz.
G: Eu pedi pro Marcelo Dirigir porque eu estava... Na verdade ainda estou com muita dor de cabeça.
A: Entendi... Toca pra festa então papai!
M: Vou sentir saudade dessa menina quando a novela acabar. Me chama de papai em todo lugar. Falou ele saindo do estacionamento.
A: Claro, somos uma família.
Os três gargalharam e o Marcelo seguiu para o aniversário da Carol. Chegando lá Agatha se misturou com o resto do pessoal e Gabi aproveitou para se jogar na bebida.
M: É assim que você cura dor de cabeça, meu anjo?
G: Já tô boaça, meu querido! Disse Gabriela já meio alterada.
M: Isso, bebe muito que mais tarde nós vamos incendiar meu apartamento. Marcelo passou levemente a mão na bunda de Gabriela a fazendo dar um gritinho.
Já tinha se passado um pouco mais de uma hora que estavam na festa quando Gabriela se aproximou de Marcelo e disse:
G: Vamos embora logo, chega de festa por hoje. Eu quero mais festa, só que na cama se é que você me entende.
M: Não precisa pedir duas vezes. Será que a senhorita consegue usar sua dor de cabeça como desculpa para irmos embora?
Gabriela nem respondeu para Marcelo e já foi em direção a Carol que estava com o resto do pessoal.
G: Carol, Carol minha linda, parabéns, muitas felicidades, tudo de bom na sua vida. Tô vindo aqui falar que vou ter que ir embora, porque estou com muita dor de cabeça.
Gabriela soltou ligeiramente sua despedida fazendo todo mundo rir percebendo que ela estava "um pouquinho alterada".
C: Ai, Gabi, obrigada sua linda. Mas cê já vai embora. Cê não vai dirigir né? Preguntou preocupada.
G: Nããão! Eu estou com aquele cavalheiro ali, ó. Ele vai me levar em casa. Disse Gabriela apontando para Marcelo que de longe deu um tchauzinho morrendo de rir do jeito de Gabriela. Os dois entraram no carro e Marcelo não aguentou.
G: Do que q cê tá rindo? Eu tô descabelada?
M: Não. Você tá bêbada. E linda...
G: Bêbada? Meu querido, eu não estou bêbada.
M: Ah, não? O que é isso então?
G: Marcelo para de fazer pergunta e vamos logo pra casa.
M: Vamos sim, mas deixa só eu colocar seu sinto, sua maluca! Só pra te alertar, sua dor de cabeça só vai piorar amanhã, ok?
G: Ok. Eu tomo remédio. Hmmm, você é o meu remédio! Disse Gabriela encostando e subindo o dedo indicador no peitoral de Marcelo.
Os dois riram e seguiram para a casa de Marcelo que ficava há uns 20 minutos dali.
Gabriela havia dormido o caminho todo, enquanto Marcelo estava atento no trânsito caótico daquela cidade, apreciando a beleza da mulher ao seu lado, que a teria mais uma vez em seus braços.

*Chegando na cobertura de Marcelo*

Chegaram na garagem do prédio quando Gabriela acordou com Marcelo estacionando o carro.
G: Chegamos já? Eu dormi a estrada toda... Falou sonolenta.
M: Chegamos sim baby!! E sim, você dormiu a estrada toda! Falou ele sorrindo.
Os dois entraram no elevador, Gabriela se agarrou por trás no pescoço de Marcelo e subiu em suas costas. Ele então a levou nas costas e subiram para o apartamento. Marcelo abriu a porta e foi direto para a sala, colocando Gabriela sobre o sofá.
G: Obrigado por ser esse homão! Sou sortuda em te ter. Falou jogando um beijo pra ele no ar.
M: Somos então, você é tão especial pra mim, sempre foi! Obrigado por ser essa mulher extraordinária em todos os sentidos. Falou ele se aproximando dela e dando um beijo demorado em sua boca. Gabriela o agarrou com força e o puxou pra cima dela, os dois deitaram sobre o sofá. O clima estava esquentando, o beijo ficava cada vez mais intenso, Marcelo então tirou a jaqueta dela e em seguida a camiseta, deixando-a só de sutiã, desfrutando daquela visão. Gabriela tirou a jaqueta dele e em seguida fez o mesmo com a camisa, os dois estavam sedentos um pelo outro. Marcelo se afastou um pouco e tirou o calçado ela então fez o mesmo com a bota que usava.
G: Nem estou acreditando que estamos mais uma vez juntos... Você me deixa louca!!
M: Eu sei que te deixo assim, você também me deixa. Disse ele pegando a mão dela e colocando sobre seu membro que naquele momento já estava ereto e pronto pra ela.
G: Eu amo te ver assim, excitado, me querendo, me faça ser tua!
M: É pra já!! Falou ele abrindo o botão da calça de Gabriela e tirando a mesma, jogando-a longe, deixando Gabriela só de calcinha.
G: Agora é minha vez querido! Vem cá! Falou desabotoando a calça de Marcelo e a tirando junto com a cueca de Marcelo.
Colocou todo o membro de Marcelo na boca o fazendo ir ao céu de tanto desejo.
M: Gabriela, o que você tem de pequena, você tem de safada.
De repente Marcelo sentiu que Gabriela tinha parado de fazer e quando a encarou ela estava rindo do que ele acabara de falar.
G: Você acabou com meu tesão com essa piada!
M: Ah não, volta. Eu prometo ficar calado!
Gabriela decidiu então não voltar ao boquete, ela sentou no membro dele e se curvou chegando com a boca no pescoço de Marcelo o beijando sem parar.
G: Estamos tão fofos hoje. Falou dando um leve gemido.
Marcelo pegou Gabriela e a virou, fazendo-a ficar novamente por baixo dele, pegando seus dois braços e prendendo no sofá.
M: Eu acabo já com essa fofura toda, vem cá.
Marcelo pegou Gabriela no colo e ela o encarou.
G: Pra onde você vai me levar, seu maluco?
M: Piscina!!
G: O que?? Eu tô com frio!
M: Relaxa que eu vou fazer você ficar com calor.
G: Eita. Mas peraí, nós vamos assim mesmo? Eu não vou sair lá fora sem roupa, não totalmente sem roupa. Se alguém nos ver?
M: Você quer se vestir? Vai perder seu tempo, porque eu vou te deixar sem roupa de novo. E além do mais, meus vizinhos estão todos dormindo, relaxa.
Marcelo falou com toda segurança que os seus vizinhos estavam dormindo porque já passava um pouco mais das 2hrs da manhã, mas na verdade ele nem sabia se não iriam os ver mesmo.
G: Você quer fazer na água? Não bastou o chuveiro semana passada?
M: Eu gosto de água. Marcelo falou dando uma piscadinha para Gabi carregando ela até a piscina.
G: Aaai! Essa água tá muito fria, Marcelo. Quero voltar pra dentro!
M: Agora já era meu bem.
Os dois ficaram abraçados na piscina e Marcelo aproveitou para beija-la. Um beijo ardente, lento e cheio de desejo. Ele a encostou no azulejo da piscina e enfiou seu membro nela ali mesmo a fazendo arranhar as costas dele com as unhas. O local estava um pouco escuro, apenas com a iluminação da sacada do apartamento.
Ficaram ali por alguns minutos se amando.
G: Eu não acredito que eu estou transando na piscina, só você mesmo pra me fazer topar essas coisas, Celo.
M: Acostume-se. Me fala, cê ainda tá com frio?
G: Nenhum pouco.
M: Sabia. Cê quer voltar para dentro?
G: Sim. Quero fazer uma coisa que não fiz ainda.
M: Que coisa seria essa?
G: Surpresa!
Os dois voltaram para dentro, ambos tomaram um banho, Marcelo colocou um calção e uma camiseta, sentou no sofá e voltou a perguntar o que tanto Gabriela ainda queria fazer.
M: Anda, Gabi. Sai logo desse banheiro e vem me falar o que você tem em mente...
Marcelo mal terminou a frase e Gabriela saiu do banheiro vestindo uma camiseta dele e os cabelos ainda molhados.
G: Peguei uma camiseta sua para dormir, espero que você não se importe.
M: Gab.. Meu Deus, e eu achando que você não poderia ficar mais sexy.
G: Shiu! Curte o nosso momento de namoradinhos adolescentes. Depois da transa louca, vem a parte fofa.
Gabriela falou abaixando-se para beijar Marcelo já que ele estava sentado.
Ela foi em direção ao quarto de Marcelo e deitou na cama, o chamando também.
G: Cê quer dormir agarradinho comigo? Essa é a vez!
M: Essa é a coisa que você queria fazer? Dormir agarradinha comigo?
G: Hunrum. Disse Gabriela passando uma mão na cama e chamando Marcelo com o dedo.
Marcelo não acreditava que iria dormir com aquela mulher em sua cama. Ficou um momento paralisado observando ela se acomodar em sua cama e logo em seguida deitou também, ficando de conchinha com Gabriela.
M: Eu não acredito que eu vou dormir agarradinho com você sentindo seu cheiro. Falou passando seu nariz sobre o pescoço de Gabriela.
G: Acredite! Aproveite também. Tão bom estar aqui quentinha nos seus braços depois daquela geleira que você me fez passar lá em baixo.
M: Mas foi gostoso, não?
G: Todo momento que eu passo com você é gostoso, meu querido.
Os dois se abraçaram e dormiram depois daquela intensa noite de amor.


Notas Finais


E aí, gostaram?
Até o próximo cap.
Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...