História Wings of death - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, Monsta X
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Ki Hyun, Kim Seokjin (Jin), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Ação, Mistério, Yoonkook, Yoonkookmin, Yoonmin
Visualizações 39
Palavras 9.199
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Lemon, Mistério, Policial, Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem chegou.
Como hoje é meu aniversário resolvi trazer algo.
A dias estava fazendo ela para postar hoje.
Não liguem para os erros que sou péssima para isso, e não liguem se estiver ruim é só para entreter.
Dito isso boa leitura!!!

Capítulo 1 - Único


Fanfic / Fanfiction Wings of death - Capítulo 1 - Único

    A cidade de Seul não é mais a mesma. Os cidadãos têm medo de colocarem seus pés para fora de casa, temem pela sua vida e de seus familiares ou conhecidos. A polícia os aconselha a evitar sair de sua residência pois a mesma não dá conta das ocorrências. 


A mais ou menos dois meses um assassino em série mata os moradores, de uma forma completamente desumana tortura suas vítimas e dá o fim com uma bala no meio do peito. Ainda não foram encontradas pistas que os levem a esse monstro. Foi se dado o nome de wings of death  tanto por não saberem sua real identidade e também por desenhar um par de asas na testa da vítima poucos instantes antes de a matar. Além dessa atrocidade faz questão de colocar o corpo em locais públicos para mostrar que não está de brincadeira e assustar as pessoas. Não se sabe a motivação de tamanha loucura, quem tem o prazer de ver alguém sofrer até a morte? Com Certeza um lunático psicopata.


     Yoo Kihyun e Min Yoongi são amigos de longa data. Ambos se conhecem desde de crianças resultado em uma bela amizade. Sempre juntos - o que causava muito ciúmes na irmã mais nova de Yoongi - para aprontarem ou se consolarem. Os dois tinham um sonho em comum, queriam ser  detetives. Não foi nenhuma surpresa para seus progenitores, seus filhos sempre brincavam no quintal da casa de um dos dois de resolverem casos como os detetives que ouviam falar. Com a maioridade chegando ambos amigos junto da irmã mais nova do Yoongi se mudaram para Seul, afinal os pais do Min morreram em um acidente de carro pouco tempo depois de completar seus tão sonhados 18 e virou sua responsabilidade cuidar de Lalisa.



    Claro que fizeram faculdade pois não podiam se agarrar na possibilidade de realizar seu sonho, caso desse errado  tinha que ter uma profissão reserva. Depois de acabada a faculdade conheceram Kim Seokjin que o ajudaram a fazer aquilo que mais queria. Seokjin era um bom chefe e um grande amigo que acreditou na capacidade dos dois mesmo sendo iniciantes no ramo. Sempre que algum caso mais complexo aparecia só bastava colocar o Yoo e Min que tudo já estava resolvido. Eram os mais competentes e eficazes por isso os mais procurados.


    Claro que era de se esperar que esses dois estivessem atrás desse assassino já que eram os melhores. O único problema é que se passaram dois meses e nada de o encontrar. Já estavam frustrados, como alguém conseguia matar sem deixar rastros a não ser sua marca.


   Já se beirava às 23h e os amigos ainda rondavam a rua onde o último corpo fora encontrado. Como nos outros dias nada de suspeito.


      - Acho melhor voltarmos. - Yoo não aguentava mais ficar dando voltas e mais voltas sendo que se tivesse algo já teriam visto a muito tempo atrás.


      - Tudo bem. - suspira. - Vamos embora, talvez amanhã teremos mais sorte. - Ao amigo dar a confirmação não tarda a dar meia volta com o carro voltando para casa. Sim eles ainda moravam juntos. Desde que chegaram foi assim mesmo depois de suas vidas financeiras ficaram mais melhores. Só optaram por um lugar maior do que a antiga casa que chegava a ser claustrofóbica de tão pequena.



     Ao chegarem fizeram o mínimo barulho para não acordar a mais nova que devia estar dormindo.


      - Só chegaram agora? - tomam um susto ao ouvir a voz feminina.


     - Ainda acordada Lisa? - Yoongi fala bravo com a irmã. Muitas as vezes que brigou com a mesma por ficar os esperando. Tinha alguns dias em que só de madrugada chegava em casa e depois tinha que sair direto para o trabalho, a irmã tinha seu estágio logo de manhã e ainda ficaria até tarde na faculdade tinha que descansar.


    - Acordei agora. - justifica. Sabia que o mesmo não gostava de a ver acordada a essa hora, mas era a mais pura verdade que estava dormindo, só acordou quando ouviu o barulho do carro.


   A Min mais nova era namorada do Yoo e o mais velho não tinha nada contra o relacionamento. Podia ser seu melhor amigo e sua irmã mas acredita que a mesma estará mais segura com ele.


    - Oi amor. - fala ao deixar um selinho na boca chamativa da mais nova.



      - Oi. - o abraça. Ela gostava muito do Yoo podia se dizer que quando o mesmo ia visitar o irmão na antiga casa que moravam em Daegu ficava babando no mesmo.


     - Estou subindo. - Yoongi resolve deixar o casal a sós. Ao seus olhos eles eram muito melosos juntos o que o dava um leve desconforto. Mesmo acreditando que o amigo seja um bom companheiro para Lisa ainda era estranho vê-la tendo intimidades com um homem.


     O que mais queria era um banho relaxante e se deitar na sua cama fofinha para dormir pelo restante da noite e madrugada. Depois de tirar suas roupas entrou no box ligando o chuveiro na temperatura morna. Seus músculos relaxaram automaticamente na hora em que a água bateu. Estava muito estressado nos últimos dias. O caso é muito mais difícil do que parece é como que se o responsável desaparecesse do nada, como se nunca tivesse existido e isso o deixa com os nervos à flor da pele. Ainda tinha a cobrança do governo e da polícia, eles acham que somos o que? Videntes, com certeza não.


    Meia hora depois e já se encontrava com a cabeça no travesseiro. O sono veio forte o impossibilitando de ficar acordado por mais tempo.


                                   *****



      Às 5h em ponto o som inconfundível e irritante do despertador o acordou. Com muita preguiça o desliga aproveitando para criar coragem de se levantar pois estava difícil a situação. Com mais preguiça ainda vai em direção ao banheiro para suas higienes matinais. Depois de um considerável tempo tentando ficar apresentável e tirar a cara de zumbi se arruma e desce.


     No horário todos da casa já estavam de pé. Yoo por trabalhar junto a si e Lalisa que tinha o estágio. Ela está no último ano da faculdade de medicina a noite e de manhã o estágio no hospital.

 As vezes fica com pena da irmã fazer todo santo dia a mesma coisa, é muito cansativo para ela que ainda os esperam acordada.


    - Bom dia. - deixa um beijo na testa da irmã. 


    - Bom dia Yoon. - diz a irmã super alegre.


    - Bom dia Yoongi.


     Se senta. Para espantar um pouco o sono pega uma xícara de café o melhor inimigo do sono e para não deixar o estômago vazio um fatia do maravilhoso bolo de chocolate da irmã.


    - Come mais Yoon. - Lisa sempre se preocupa com a alimentação do irmão não só por ser uma futura médica e sim por se importar com o mesmo. Nos últimos dias ele emagreceu muito devido a má alimentação tudo pelo estresse do trabalho. 

  

     - Estou sem fome Lisa. - era sempre a mesma desculpa.


   - Não adianta falar isso. - estava muito brava pelo mais velho sempre fazer isso. - Vai comer mais alguma coisa.


     - Mais …


    - Ouve sua irmã Yoongi. - Kihyun o corta. - Como ela também me preocupo com você. - ele nota os péssimos atos do amigo. Com a alimentação não se brinca e se tivesse que enfiar algo sua garganta abaixo assim faria.


    - Vocês tiraram a manhã para me irritar. - resmungou. Estava com uma dor de cabeça horrível e seu humor péssimo. Para que o deixem em paz pega algumas torradas e uma maçã. - Satisfeitos.


    - Sim. - ambos falam juntos caindo na risada.


      - Chatos.


     - Nada de reclamações gatinho. - Lisa o zoa. A mesma sempre acreditou que o irmão era um híbrido de gato mesmo não existindo ela acreditava. Quem era mais fofo que o irmão com aqueles olhinhos, a boquinha fina e avermelhada, o rosto redondo meio cheinho e o fator principal, adora quando fazem carinho na sua barriguinha. Um verdadeiro gatinho.


    - Mala. - fala com um biquinho emburrado coisa que faz a irmã o achar mais fofo ainda.


    - Mais você ama.


    - Amo mesmo. - desde muito pequenos os irmãos sempre se deram bem, mesmo Lalisa sendo sua irmã por parte de pai apenas. A mãe da garota o adorava do mesmo jeito que a filha, mesmo não sendo ela a o dar vida. Sempre gostou da mulher, ela o mostrou como é bom ter uma mãe já que a sua o deixou com o pai ao nascer por causa do mesmo não querer o colocar na adoção como a "mãe" falou. Tomada pela ira tentou o aborto sendo impedida pelo seu pai que deu uma bela quantia em dinheiro para a moça levar a gestação ao final e lhe entregar o menino, sinceramente, não tem a menor vontade de a conhecer.


    O resto do café continua com brincadeiras dos três que não paravam de  falar uma hora sequer. Logo os amigos saíram para o trabalho não antes de deixar a mais nova no hospital e lhe desejar um ótimo dia. Pouco tempo e já se encontravam em frente ao prédio que trabalham.


    Ambos eram bastante conhecidos no recinto por seus casos famosos que solucionaram. Complimentando todos ao caminho da sala de Seokjin. No lugar todos se consideravam uma grande família por isso sempre se preocupam quando tinha um caso como o que o dois estavam metidos, afinal estão atrás de um assassino que fez várias atrocidades.


       Ao chegar na sala dão duas batidas na mesma já que seu hyung odiava quando entravam sem bater o que era costume dos dois mais novos. Ao ouvir um entre não demoram para o fazer.


     - Bom dia hyung. - ambos falam sem notarem a presença de mais duas pessoas na sala.


     - Bom dia Yoongi, bom dia Kihyun. - ao olharem para o lado notam a presença intimidadora dos homens ali presentes nunca vistos antes. - Bom esses são Park Jimin e Jeon Jungkook. - fala apontando respectivamente para o loiro mais baixo e o moreno mais alto que se curvam em respeito. - E esses são Min Yoongi e Yoo Kihyun. - aponta para os amigos que repetem o ato de respeito.


      - Muito prazer. - fala o Min com toda sua cordialidade.


      - O prazer é nosso. - responde o denominado Jungkook.


     - Yoongi, Kihyun eles são detetives de Busan. - a única coisa que pensavam era por que de estarem aqui. - Eles foram mandados para ajudar os dois no caso do wings of death.


    -A gente não precisa deles. - fala o Min bravo. Odiava muito quando duvidavam de sua capacidade,era uma afronta muito grande contra sua pessoa.


    - Digo o mesmo. - Kihyun que até agora estava calado se manifesta.


       - Desculpe meninos mais eles querem que o caso seja resolvido logo. - o mais velho tinha razão a tempos os superiores os cobram uma resposta. E cansados de esperar mandaram o Park e o Jeon.


     - A gente está quase o resolvendo.


    - Me desculpe senhor Min. - Park toma a palavra. - Mas pelo que sabemos vocês nem estão perto de o desvendar. - quem esse tal de Jimin era para falar assim com ele era tudo que o Min pensava.


     - Vocês não sabem de nada senhor Park. - fala o sobrenome com sarcasmo.


     - Por favor Yoongi. - Seokjin sabia que se não contivesse seu amigo a situação ficaria bem pior. Conhece o Min a anos e sabe que o mesmo tem pavio curto e se capaz quebraria a cara dos dois a frente. - Os senhores não vieram  aqui para brigar e sim para resolver um caso.


      - Concordo plenamente. - a única coisa que o Jeon queria era ir logo, odeia mais do que tudo a pessoa sem coração que mata inocentes. Quando o mesmo tinha apenas 10 anos presenciou os pais serem assassinados o que fez sua sede por vingança. Não cansou até colocar os responsáveis atrás das grades, fato que ficou muito conhecido pois os indivíduos eram de uma das facções mais perigosas de Busan que acabou assim que os integrantes teve o mesmo destino de pessoas como eles. Fizera de tudo para acabar com essa onda de terror que assombra Seul, assim como fez em Busan.


     -Também concordo com o Jungkook. - Jimin pensava da mesma forma que o mais novo. - O quanto mais rápido aceitar mais rápido iremos pegar o assassino. - sua fala é dirigida ao Min, coisa que não agradou muito Kihyun. Como aquele ser que acabou de chegar fala desse jeito com o seu amigo.


    - Não fale assim com ele nanico. - Yoo estava com muita raiva da ousadia do loirinho. 


    - Fai fazer o que pau mandado? - alfineta.


   - A seu desgraçado. - logo ambos já se encaravam com muita ira nos olhos. Qualquer movimento e um ataca o outro.


   - Já chega! - esbraveja o Min. Não queria que o amigo se metesse em confusão por sua causa isso poderia custar seu emprego. - Fique calmo. - fala ao seu amigo. - Não vale a pena.


    - Ouve seu amigo. - diz Park. - Não vim para confusão e sim fazer meu trabalho. - endireitou sua postura.


     O Kim e o Jeon observavam tudo sem dar um piu. O Kim nunca tinha visto Kihyun daquele jeito, sabia que o mesmo não suporta ouvir falar daquele tom com o amigo mas nunca o viu tão alterado. Já o Jeon achava graça de como seu amigo enfrentava o outro afinal o baixinho não deixaria ser desrespeitado principalmente por alguém que o não conhece.


    - Bom. - Jin se vira para os recém chegados. - Amanhã os dois junto de Yoongi e Kihyun começam a ronda.


   - Podemos começar hoje. - afirma o mais novo.


   - Mas os senhores não querem descansar. - Seokjin não queria que os dois fossem assim sem descanso,  afinal ambos acabaram de chegar devem estar cansados da viagem. - A noite será longa e os meninos - aponta para o Min e o Yoo - fazem a de hoje sozinhos.


   - Não precisamos de descanso. - Jimin afirma. Ele e o amigo não estavam nada cansados e queriam logo acabar com a série de assassinatos.


   - Já que querem. - fala. - Encontre com os dois no local que os foi passado para fazerem a ronda. - assente. - Então se quiserem podem ir descansar pelo menos agora para não se cansarem rápido. 


   - Está bem. - ambos saem pela porta não sem antes se despedirem dos demais ocupantes.


   - Quem eles foram mandar. - diz Kihyun depois da saída dos outros.


   - E mesmo. - concorda.


     - Vocês dois nada de fazerem algo com o Jeon e o Park. - fala o mais velho. Temia que os amigos fizessem algo de errado e perdessem o emprego, não gostaria de trabalhar sem os dois.


     - Não se preocupe Jin. - afirma Yoongi. - Esses dois não vão nos enfezar de novo.


    - Acho bom.


                                        *****


    Os amigos se encontravam jogados no chão discutindo sobre o dia.


    - Não fui com a cara daquele Kihyun. - diz Jimin. Desde que botou seus olhos no homem seus santos não bateram.


     - Nisso eu tenho que concordar. - Jungkook como o amigo não gostou muito do detetive Yoo. - E o que achou do outro?


     - Gatinho. - fala sorrindo malicioso. - Imagina poder ver aquela bundinha sem o tecido da calça.


    - Você não presta. - nem dois segundo e caem na gargalhada. - Sério que já está pensando em corromper o garoto.


   - Sim. - diz o que era óbvio. - Uma gracinha daquelas merece uma bela foda.


   - Para Park Jimin. - não conseguia parar de rir. - É capaz dele quebrar sua cara se você chegar perto.


   - Mesmo assim vale a tentativa. - falava sério, aquele garoto de pele extremamente clara e cabelos acinzentados o fez rever o conceito de homens mais bonitos que já pegou. - É você?


       - Eu?


    - Não se faça de desentendido Jeon, eu te conheço. - estreita os olhos. - Sei que também quer dar uns pegas no baixinho.


     - Não fale assim Park. - diz. - Você também é baixinho. - Nem teve tempo de raciocinar que uma almofada acerta sua cara. - AÍ.


    - Idiota. - se senta melhor. - Agora fale.


     - Falar o que? - um olhar extremamente mortal e direcionado a si. - Não me olhe assim dá medo.


    - Ainda logo pirralho. - já estava muito bravo pela enrolação do amigo.


   -Ta. Ele até que é bonitinho. - fala recebendo um olhar do amigo. - Está bem, ele é muito gostoso.


     - Eu sabia. - diz o olhando maliciosamente.


     - Sei. - não dava bola para o amigo. Sabia muito bem como ele era. - Agora vamos falar de outra coisa que não me deixe de pau duro. - o outro rola os olhos.


      - Eu estava pensando em mudar o local da ronda?


     - Por que? - ficou curioso com o que amigo disse.


       - Acho muito estranho que os outros não acharam o assassino ainda. - era bem óbvio na sua cabecinha. - Isso me leva a crer que o assassino está nos fazendo de palhaço.


     - Porque acha isso? - Não entendia onde o amigo queria chegar.


    - Preste atenção. - se arruma em frente ao maior. - Faz dias desde o último assassinato então o responsável sabia que iríamos ao local onde ele deixou o corpo. - aos poucos ia entendendo onde o amigo queria chegar. - Eu acho que eles nos manda para lá para que planeje sua próxima vítima e sem nós ou a polícia por perto ele não corre riscos de ser pego.


     - Então faz com que a gente siga o seu plano de distração mantendo a procura no lugar errado?


      - Isso. - finalmente o amigo tinha entendido. - Por isso temos que ir para outros lados e não só focar em um local.


     - Você é um gênio hyung. 


     - Eu sei.


      - Não se gabe. - odiava quando o loiro estava certo pois sempre tinha que o aguentar falar o quanto é incrível. - Isso estava óbvio.


    -Tão óbvio que fui o único a perceber. - pelo resto da tarde continuou enchendo a cabeça do Jeon para sua infelicidade com os dizeres de ser um ótimo detetive e coisas do tipo.



                                       *****



    As 19h em ponto os quatros se encontraram no local combinado. O Park contou sua teoria para os demais e mesmo que o Min não gostasse do mesmo tinha que concordar que ele estava certo. Tudo fazia sentido, se perguntava como não percebeu isso antes.



     - Vamos nos dividir e dividir as ruas para cada equipe. - dizia o loiro. - Tenho a certeza de que algum de nós encontrará algo suspeito.


     - Concordo. - dizia Yoo.


      -  No conjunto um vai ficar as ruas em que nada aconteceu ainda e na dois as que já encontramos corpos. - diz Yoongi


      - Acho melhor vocês continuarem com esse. - Jungkook fala. - Deixa que eu e o Jimin vamos para o outro lado. - não que confiasse nele mas achava melhor o amigo junto a si olhassem as novas rotas. - Como os dois conhecem aqui ficará mais fácil para encontrar alguma pista.


   - Certo. - se afasta indo para o carro. - Vamos Kihyun.


   - Estou indo. - vai atrás do menor.



   - Vamos Jungkook. - fala Park.


  -  Vamos. - se dirigem ao seu veículo.


    Logo ambos os carros estavam em movimento. Todos estavam muito concentrados para não deixar nada de diferente passar. Já fazia muito tempo que o monstro estava solta e fazeram de tudo para o impedir. Várias vidas foram tiradas, várias pessoas foram antes da hora para o outro lado. Elas tinham sonhos e por culpa de um psicopata ele não foi realizado. 


    Para nova tática iriam para lugares onde o assassino ainda não usou para colocar as suas vítimas. É meio que óbvio que não usaria o mesmo lugar duas vezes. Em uma das ruas é onde fica a casa dos amigos, o que fez o Min temer pela irmã. Ela chega mais ou menos às 20h em casa e fica sozinha  até que os dois homens chegam. É muito perigo para uma garota de apenas 20 anos.


       Duas horas de passaram e nada de estranho fora encontrado pelos quatro.


    - Yoongi. - chama o parceiro.


   - Sim? - o mesmo não podia desviar sua visão tanto por estar dirigindo e por estar concentrado na movimentação da rua que não é nenhuma, já que o medo dos moradores é muito para ficar até esse horário na rua com um assassino a solta.


   - Não acha melhor nos separarmos? 


   - Por que? 


  - Ficará mais fácil para encontrar alguma pista.


  - Tem razão. - se os amigos se separarem ficaria bem mais fácil não deixar nada passar, mas por outro lado corre o perigo de ser pego. - Mas…


  - Não vai acontecer nada. - já sabia que o Yoongi ia temer pela vida de um dos dois. - Me deixe na porta de casa para pegar o meu carro.


 - Tem certeza.


 - Sim. - logo o amigo já estava na porta da casa. - Pode continuar que antes eu vou ao banheiro.


   - Está bem. - confiava muito no mesmo então deixaria o sozinho. - Fique bem.


    - Você também.


     Do outro lado o Jeon e Park continuam com os olhos bem abertos. Queriam mais do que nunca acabar com aquele episódio horrendo que acontecia.


    -Esse cara se esconde bem. - Diz o Jeon. Era a mais pura verdade. O nome até fazia muito sentido não só pela sua marca registrada nos corpos e sim por se esconder muito bem. Se coisas sobrenaturais existissem pensaria que o mesmo é um demônio e se esconde com ajuda da suas asas e se pensar bem mesmo não existindo ele é um demônio. -Acho melhor mudarmos o rumo. 


    -Não. - o amigo fala. Algo que o deixa confuso.


   -Por que não?


  -Pense meu amigo. - de novo ele tinha razão. - É isso que o assassino quer. Ele provavelmente pensa que nós desistimos  desse lugar por não encontrar algo e certamente a usaria para próxima morte.


   -Faz sentido.


   -É claro que faz. Sua sorte é que sou seu amigo.


  -Sei. - por um tempo continuaram com aquela briga besta, isso se algo não os tivessem chamado a atenção. - O que é aquilo Jimin. - fala o mais novo.


   -O que? - não enxergava nada pela frente.


  -Aquilo. - olha na direção do dedo do amigo finalmente vendo o que ele queria. - Para o carro.


   Em uma tática rápida estacionam o veículo não demorando muito para deixá-lo.


    -  Senhor, o que faz a essa hora na rua? - pergunta Jimin. O que os tinha chamado atenção era uma pessoa que estava ali. Certo que só tinham duas explicações na cabeça dos detetives, 1 aquele indivíduo era morador de rua ou louco para andar com um assassino à solta, 2 ele era o assassino. - Droga!


    A pessoa em questão sai correndo se enfiando em um beco que tinha na localidade. Os homens não podiam perder o suspeito, então não tardaram em o seguir. A sorte dos dois é que são rápidos e o azar e que o outro cara também. Corriam em um ritmo muito rápido, as respirações descompassadas pela corrida, algumas poucas gotas de suor descendo por suas têmporas.


     O sujeito era bom, sempre tentado os despistar pulando os muros ou jogando os objetos pelo caminho na direção dos dois. Para sorte ele entrou em um beco sem saída. A grande parede de tijolos alí era impossível de se pular, as portas das casa alí presentes todas trancadas.


        - Você não tem mais para onde ir. - Jungkook tinha uma arma apontada para o homem caso o mesmo tente algo. Era muito raras as vezes em que usavam armas no casos, mas esse em questão era de um assassino, se ele estivesse armado não pensaria duas vezes antes de atirar em algum deles.


     A pessoa não tendo para onde ir se vira. Era alto e pelo formato do corpo um homem, ficou impossível de ver sua identidade pela máscara cirúrgica que o mesmo usa tampando metade do rosto, trajava um conjunto todo na cor preta e uma toca escondendo seus fios que pelo que dava para ver eram castanhos.


     - Está errado meu amigo. - nem teve tempo de pensar na fala do indivíduo pois o mesmo taca uma bomba de fumaça, o que impede a visão dos dois.


       - DESGRAÇADO! - grita Jimin assim que a fumaça cesa um pouco, possibilitando ver que o cara não estava mais lá. - Vamos Jungkook! Ele pode estar perto ainda.


      Os dois procuraram por todos os lugares possíveis naquele beco imundo e nas ruas desertas. Parece que o homem desapareceu, como alguém conseguiria fugir de um local sem saída em pouco tempo, a não ser que não seja tão sem saída assim.


     - Vê se tem alguma porta aberta, túneis ou passagem secreta. - Muitos acham perda de tempo tentar achar algo, onde já se viu ter passagens secretas, ledo engano, ambos já se depararam com muitos casos onde os indivíduos se escondiam ou escondiam coisas valiosas - roubadas - em passagens secretas para dificultar a procura, coisa que não funcionou com os meninos.  


       -  Não tem nada Jimin.


     -  Droga. - estava muito irritado, tinha aquele desgraçado em suas mãos e com uma distração ele se mandou. - Devia ter atirado.


    -  Você sabe que não podíamos. - e sabia mesmo. Não cabia a ele esse mérito, como todos os outros teria de ser julgado e condenado. Um exemplo foi Jungkook, mesmo com a raiva imensa pelos assassinos dos pais, não deixou ela subir sua cabeça e fazer alguma besteira, por mais que eles merecessem, não se tornaria um monstro cruel que tira a vida de uma pessoa - mesmo sendo um bandido que tirou outras.

 

     - Vamos dar uma volta aqui de novo. - foi tudo que disse antes de voltar para o veículo.


                                    *****


    Yoongi dirigia desesperado para sua casa. O fato é que a irmã a uns minutos atrás o ligou, até aí  tudo certo a não ser por ela gritar socorro quando o mesmo atendeu. Tentou perguntar o que estava acontecendo mas foi em vão, a chamada tinha sido desligada. Assim ligou as coisas uma na outra, sua irmã era a próxima. Estava a alguns quarteirões de distância da casa, o que o fez xingar pelo caminho. Acelerou o máximo que podia para chegar a tempo, não correria risco de algum acidente pois não tinha trânsito sequer. Torcia para que Kihyun ainda estivesse na casa e a ajudasse. Não se perdoaria se algo aconteça a ela.



       Ao chegar nem sequer estacionou o carro. Saiu do mesmo e correu o mais rápido em direção a porta abrindo a na hora. Se desesperou quando não viu a irmã e o estado da sala só fazia jus. Os vasos espatifado no chão, os móveis fora do lugar. Correu por todos os cômodos e nada da mais nova. Não podia acreditar nisso, sua irmã estava consigo de manhã e agora poderia estar morta. Com a realidade batendo na sua cara soltou as lágrimas que segurava, deixando sofridos sons sair de sua garganta.


       - YOONGI! - escutou a voz de Kihyun vinda sala. Ao que subiu a escada dava para ouvir o choro sofrido do amigo, pensou em várias coisas ruins. - Yoongi. - corre ao corpo sentado ao chão o abraçando com muita força, não suportava o ver daquele jeito, o machucava muito. - O que foi? - perguntou em forma de sussurro para o mesmo.


     -  A Li-s-sa. - falou com dificuldade pelo choro.


      -  O que tem ela? - perguntou calmo.


      -  Ela su-m-m-miu. 


       -  Como?

    

       -  E-u n-não sei. - outra onda de choro voltou. - Ela li-gou ped-indo socorro. - ao terminar de falar Yoo tinha entendido.


     -  Vou ligar para o Seokjin. - pegou o celular discando o número do amigo.


      Instantes depois o mais velho já se encontrava na residência do Min. Quando recebeu a ligação de Kihyun não tardou em vim o mais rápido, sabia como os irmãos eram muito ligados e por isso se preocupava com o estado do amigo. Quase na mesma hora a polícia chegou, interditou o cômodo a procura de alguma pista sobre o paradeiro da garoto ou alguma evidência sobre o sequestrador.


       Jimin e Jungkook que estavam continuando a procura do homem misterioso tiveram que parar ao receber ordens para ir até a casa do Min. Não sabia o certo para que, mas era seu chefe o mandado, o que o levava a crer que algo muito sério tinha acontecido. Assim que entraram na rua já se via viaturas estacionadas na porta e alguns oficiais do lado de fora. Ambos ficaram a par da situação ao adentrar o local pois também ajudariam nas buscas pela Min mais nova, e se depender dos dois a encontrariam o mais depressa possível.


                                     *****


      Um mês tinha passado voando. Muitas coisas tinham acontecido, como a aproximação de Yoongi com os detetives de Busan. Os dois sempre ajudando Yoongi na sua procura árdua pela irmã que ainda não fora encontrada. Todos se preocupando com a saúde do Min. Ele não era mais o mesmo. Noites de sono perdidas - o que acarretou em olheiras enormes -, a perda excessiva de peso. Não sentia vontade de comer e para assim fazer era sobre ameaças dos amigos. Kihyun já não aguentava ver o amigo daquele jeito, doía demais em si. Ele também sente falta da Lisa mas tinha que ser forte por Yoongi.


      Yoo estava desesperado, fazia dias que o Min não descia do quarto para tomar ar fresco ou fazer uma refeição.


      -  Yoongi abra a porta. - ainda insistia em bater na porta, tinha esperança de que o amigo a abrisse. Em uma de suas mãos encontrava uma bandeja cheia das comidas favoritas do mais velho, vai que ele resolvesse comer.


      Silêncio era sua resposta. Estava frustrado, desde que Lisa desapareceu seu amigo ficou assim. Não queria ele com problemas de saúde futuros e sim, fazeria de tudo para amigo voltar ao normal.


       -  Eu vou deixar a bandeja na porta. - silêncio. - Por favor come pelo menos um pouco. - saiu, não adiantava suas investidas agora ele que daria um jeito.


       No outro lado da porta Yoongi estudava todos possíveis lugares que poderiam ser o suposto cativeiro da irmã. Teve uma ajuda de Jimin e Jungkook. Claro que os dois se preocupavam com o mesmo, por isso que o ajudaria diferente do Yoo que só falava coisas genéricas como "tudo vai ficar bem". Era tanta ladainha. Gostavam do garoto, não só no sentido de ficar e sim de amizade. 


     No dia combinaram de junto ao Min - que insistiu em ir quando os outros recusaram - de ir em todos os lugares encontrados como casas antigas e abandonadas, estações de metrô não usadas, e outras estruturas que podiam ser usadas.


      Yoongi não conseguiu pregar os olhos uma hora sequer - mesmo com o sono batendo na porta. Na sua cabeça sua irmã vinha primeiramente do que as outras coisas comum na vida de uma pessoa. O quarto estava todo escuro, com os dias sem sair sua retina ficaria incomodada com a luz. Claro que ajudava na busca pela mais nova mas só na parte de noite, na manhã estava ocupado vendo e estudando os prováveis lugares onde a encontrar. Nesse tempo viu como sua impressão estava totalmente errada sobre o Park e Jeon. Ambos eram ótimas pessoas que o ajudavam com a procura da Lisa pois não o julgavam e sim o entendia. Os outros chegaram a falar que estava obcecado e quando a encontrasse já estaria em decomposição - o que fez o indivíduo ganhar um lindo roxo no olho, as partes íntimas doloridas e três dentes quebrados junto de risadas histéricas de Jungkook e Jimin. Estava tão acostumado com o silêncio que levou um leve susto ao uma notificação chegar em seu celular. Eram os mais novos avisando que em instantes estariam alí. Poderia ter voltado a sua pesquisa se não notasse que um número desconhecido tinha o mandado mensagem. Como era curioso apertou para ler.


      Se quiser encontrar sua irmã venha nesse endereço xxxxx.


   Nem deu tempo e já pegava suas chaves na escrivaninha. Não esperaria nem mais um segundo.



                                *****

 

      Jungkook e Jimin estavam a frente da residência do Min. Faziam alguns minutos que apertava a campainha e nada do mais velho.


    -  Ele deve ter saído.

  

     -  Jungkook porque ele iria sair.- cruza os braços. - A gente falou que vinha aqui e de todo jeito ele falou que não ia a lugar algum. - Antes de aparecerem ali mandaram uma mensagem ao Min avisando de sua visita.


        - Hyung? - o outro responde um "que?". - A porta está aberta. - tinha suas mãos ao trinco.


       -  Alguma coisa aconteceu. - tinha completa certeza. Pelo que conhecia do Yoongi sabia que não seria tão irresponsável de sair e deixar a porta aberta, a não ser que algo tenha acontecido.


     Entraram a passos longos no local. Não perderam o tempo em olhar os outros cômodos pois tinha certeza de que seria no quarto do Min que encontrariam algo. Dito e feito subiram a escada. O quarto estava vazio, nem um sinal de seu dono. Teriam ido embora só que era estranho o celular do mesmo estar no cômodo. Podiam ser precipitados em relação ao Min mas a certeza de algo aconteceu piscavam em suas cabeças.


      A sorte era que Yoongi não colocava senha no aparelho. Sua justificativa era que se algo acontecesse ficaria mais fácil de o usar pois com a pressão o mesmo acaba esquecendo a senha e assim não dava. Mais sorte ainda foi que ao desbloquear o aplicativo de mensagens estava aberto na última coisa que o outro viu. Alguém falando que sabe onde a Lisa se encontra.


    - Ele foi. - Jungkook afirmou. Sabia o quanto cabeça dura era, e não esperaria por reforços, fazeria por ele mesmo. - Temos que ir logo hyung.


     Podiam ser considerados o Flash pela rapidez que chegaram em seu veículo. No caminho ligaram para Seokjin contando tudo e mandando o endereço. Não daria tempo de passar lá pois o Min corria perigo nas mãos do assassino.


       Não demorou meia hora e já estavam estacionando em algum lugar próximo para não levantar suspeitas. Era uma casa velha e desgastada pelo tempo. Suas janelas quebradas, as madeiras da varanda caindo, o pequeno portão a frente todo enferrujado. Foram por trás achar algum modo de entrar. Por sorte tinha uma janela acima. Era em uma distância consideravelmente alta, mas nada que os fizesse desistir.


    -  Vai primeiro Jimin. - com um balançar de cabeça o amigo o ajuda a alcançar a janela. Foi meio difícil mas graças a divindade ele conseguiu. O outro com um impulso segurou nas mãos do Park que o puxou para dentro, claro que teve dificuldade afinal o Jeon era maior e um pouco mais pesado.


       Olhando ao redor notaram ser um quarto, a poeira e os móveis em condições precárias só demonstravam que estava sem uso a tempos. Evitando fazer o mínimo barulho possível foram para outros cômodos. O bairro onde se encontrava era simples com casas não tão boas mas que davam para viver. Tinha consciência de que nem todos tinham condições de bancar algo melhor. Olhando para o relógio faltava poucos minutos para completar as 18h, o sol já se escondendo para dar lugar ao breu das noites de Seul.


    Se separaram para ser mais rápido. Enquanto Jungkook olhava a parte debaixo Jimin ficava com andar de cima. Caminhando pelo corredor existente ouve barulhos de vozes. As seguiu chegando até o final, em um outro quarto a porta estava entreaberta dando a clara visão de uma garota amarrada a uma cadeira. Pelas fotos vistas teve a certeza de ser a Min mais nova. A pobre garota estava muito assustada mas mesmo assim lutava contra o seu medo. Não pensou duas vezes antes de ir a mesma.


      -  Você está bem? - pergunta ao tirar o pano que cobria sua boca.


       - Sim. - ela estava assustada com os últimos acontecimentos. - Yoongi. - olho ao redor não o vendo.


        - Cadê ele? - só se passava coisas ruins em sua cabeça.


        -  No porão.


       -   Você sabe onde fica?


       -   Sei. - termina de soltá-la.


       Lisa temia pelo irmão. Antes do Park chegar Yoongi tinha a encontrado, mas para o seu bem teve que seguir o homem que a sequestrou , é a mesma tinha certeza que foi para o porão. Conhecia aquele lugar com a palma de sua mão - pois lá era onde morava ao quando chegou em Seul - e o porão digamos que era o local mais "seguro" da casa. O guiando chegou ao lugar.


       -  Jungkook venha aqui! -logo o mesmo aparece. - Lisa né? - a garota assentiu. - Saia da casa e vá para um local seguro.


       -  Mas e o Yoongi.


         - Nós vamos o ajudar. - disse. - Agora precisamos que você fique segura.


       - Está bem. - sai deixando para trás os homens.


       - É agora Jungkook. - ambos entram pela porta. Mais a frente tinha um Min desacordado no chão. Correram para seu socorro. - Yoongi acorda! - o chacoalha.


        - Ele não vai acordar agora. - uma voz familiar é ouvida, fazendo com que os amigos o olhem.


         - Desgraçado. - ralhou Jungkook. - O que você fez a ele?


        -  Não se preocupem. - anda calmamente até os mesmos. - Ele só está dormindo. - parou pouco próximo. - Sabe, ele foi um menino mal. - a maior vontade do Park era dar um belo soco naquela cara debochada.


        -  Você vai pagar Kihyun.


        -  Não, eu não vou. - o que levou Kihyun a essa loucura foi sua obsessão pelo Min. Yoo acredita ter um amor pelo mais baixo. Desde que viu aquele ser miúdo e branquinho muitas vezes o comparou com um anjo - por isso de marcar as vítimas com asas - , nunca vira tamanha beleza. Virou namorado de Lisa no intuito de fazer ciúmes no mesmo coisa que não deu certo. Sua loucura e obsessão o levou matar pessoas que julgava querer o separar de Yoongi - muitas dessas pessoas ele nunca tinha visto na vida. Enfezado queria matar Lisa, com a morte dela Yoongi se sentiria abalado e procuraria abrigo em seus braços. Seu plano não tinha dado certo, quando chegou e viu seu amor frágil, desistiu de matar a garota, seria muito sofrimento para o seu pequeno, mas a esconderia na antiga casa e séria a alegria dele enquanto ela não aprecia só que foi demais para seu coração vê-lo daquele jeito sem comer, sem sair, sem viver. Foi por água abaixo, então deixaria ele a ver uma última vez e depois ameaçaria a vida dela o que obrigaria ele a fugir consigo. Estava tudo dando certo até os enxeridos só Park e Jeon chegarem.


      -  Quando sairmos daqui vou fazer questão de te ver indo para trás das grades. - Jungkook estava com muita raiva. Sabia que tinha algo de errado quando viu aquele homem pela primeira vez, é estava certo. Devia ouvir mais sua intuição.


       -  Eu e Yoongi vamos sair, já vocês não. - aponta uma arma na direção deles. - Ninguém vai tirar o Yoongi de mim.


        -  Seu louco. - estava na cara que ele precisa de tratamento, sua obsessão pelo o Yoongi só fazia mal a todos. - Psicopata.


         - Não, nananinanão, não sou louco, eu só o amo.


         -  É louco sim. - enquanto Jimin o distraia, Jungkook conseguia se aproximar de Yoo. Precisava tirar a arma de sua mão antes que mesmo faça mais alguma besteira. - Se você o amasse mesmo não teria feito mal a ele. - estava funcionando. - Não teria o feito chorar, não o deixaria fraco, você não o ama.


         -  Eu amo sim. - a afirmação do Park fazia com que Kihyun ficasse mais alterado. - Ele também me ama.


           - Enxerga Kihyun. - chega perto do mesmo. - O Yoongi nunca te amará, sabe porque? - o outro nega. - Por que você é um monstro.


            - CALA BOCA. - Jungkook pula no corpo do Yoo. Ambos caem no chão, na tentativa de tirar sua arma pega sua mão o que faz alguns tiros serem disparados. Rolaram de um lado para o outro trocando socos. Num deslize do Jeon,  Kihyun fica por cima o sufocando. - Desgraçado! Você vai para o inferno. - Jungkook ficava sem ar. Num ato rápido Jimin o tira de cima do parceiro entrando na briga.


       Yoo tinha alguns arranhões e sangue seco pelo rosto. Os outros dois também mais nem tanto como Kihyun. Yoo era um homem forte, mas Jungkook e Jimin também e eles tinham a vantagem.


        - Você nunca vai ter o Yoongi. - desfere um soco no rosto quase deformado do mais velho.


         - A eu vou sim. - com uma força grande empurra Park de si pegando a arma que tinha caído ao seu lado. - Suas últimas palavras? - aponta se preparando para atirar.


       -  Vai para o inferno. - um tiro é disparado.



                                  *****

 

  2 meses depois


    Lisa e Seokjin caminhavam lado a lado para o cemitério. Com um enorme buquê de rosas à mão e conversas banais. A garota ainda continua um pouco traumatizada pelo ocorrido a dois meses. No dia em questão seu irmão salvou a vida dos detetives Park e Jeon, ficou conhecido como herói e ganhou várias homenagens, coisa que a fez chorar muito.


         - Ter certeza de que quer ir mesmo Lisa? - sabia que era muita emoção para a garota pouco recuperada.


          - Tenho sim Oppa. - deu um pequeno sorriso em direção ao mais velho. - Não se preocupe.


         -  Como não me preocupar contigo peste. - ambos riem da fala. - chegamos. - passam pelo portão. Lisa já tinha decorado o caminho para o túmulo que visitava algumas vezes. Quando chegando perto notam uma figura conhecida em pé a frente.


          - O que faz aqui Yoongi? - pergunta ao irmão.


         - Resolvi vir visitar o Kihyun. - a dois meses quando Kihyun estava prestes a atirar nos detetives de Busan Yoongi agiu rápido. Em um momento da briga o acinzentado despertou e como ninguém tinha notado, se apressou a pegar uma arma que Yoo tinha alí e quando o mesmo ia atirar Yoongi o acerta um tiro. Claro que ele não morreu, o tiro não tinha sido tão grave. Na época foi a notícia mais comentada no mundo inteiro e todos agradecem  aos três detetives pela captura do Yoo. Os pais do mesmo apareceram e ofereceram ajuda ao filho. Foi um choque para os mesmos descobrirem que seu menininho era quem cometia aquelas atrocidades. O mesmo foi julgado e preso, mas como era esperado ele estava doente da cabeça. Foi condenado a passar o resto da pena em um hospício com escolta policial. Um mês e alguns dias que estava internado Kihyun cometeu suicídio, os irmãos Min tinham motivos o bastante para ter raiva dele, mas os momentos bons eram sempre lembrados, sabia que não foi culpa dele e sim da sua cabeça que o pregava peças. Desde que o mesmo foi enterrado os  irmãos junto a Seokjin o visitavam sempre que podiam.


       Ficaram um tempo no local relembrando de quando Kihyun ainda era ele mesmo. Foram vários momentos que são difíceis de apagar, não podiam simplesmente pegar um borracha e o apagar pois é impossível.


       - Bom eu tenho que ir. - Yoongi se levanta batendo as mãos na roupa para tirar a sujeira. - Vocês vem?


      -  Não. Vamos ficar mais um pouco.


      - Então tchau. - acenou indo a saída.


     Yoongi antes de ir para casa tinha que passar na casa de certos detetives amigos de Busan. Falando nos dois eles resolveram continuar em Seul para mais experiências no emprego, coisa em especial que o Min adorou. No carro cantarolava uma música qualquer que estava tocando. Virando a rua chegou ao seu destino. Desceu do carro passando pela portaria, aproveitou para trocar algumas palavras com o senhor Kim - que era o porteiro - e pedindo para não comunicar da sua subida. Dentro do elevador apertou o botão do andar 7 onde ficava o apartamento dos seus detetives. A passos lentos caminhou até a porta batendo na mesma.


      Ao ser aberta foi puxado bruscamente para dentro. Nem teve tempo de perguntar algo que seus lábios foram tomados por um beijo quente. As línguas brigando por espaço no ósculo. Tinha que confessar que adorava ser beijado daquela forma bruta, mas que ainda tinha carinho nos toques ao seu corpo. Logo a falta de ar se fez presente fazendo ambos se separar.


       -  Uau. - fala meio ofegante. - Que beijo.


       -   Gostou? - Jimin perguntou fazendo a cara sexi. Foi se aproximando do corpo do Min que só agora tinha percebido o torso despido do mais novo. Mordeu os lábios com a visão magnífica. - Estava com saudades. - abraça o outro deixando beijinhos em seu pescoço. - Pensei que tinha se esquecido da gente.


        -  Nunca. - começaram outro beijo que agora foi interrompido pela voz do Jungkook.


       -   Yoonie hyung. - correu para o mais velho o abraçando, não perdeu tempo ao também lhe dar um beijo de tirar o fôlego. O Min gostava dos beijos deles, cada um de um jeito. O de Jimin era um beijo selvagem, afoito já o do Jungkook era mais delicado e carinhoso dois jeitos que combinavam muito bem pelo seu ponto de vista. - Você demorou. - fez um biquinho que o mais velho não resistiu em deixar um selinho.


        -  Coitado dos meus bebês. - faz um cafuné gostoso na cabeça do mais novo. - Prometo não ficar sem vir aqui por muito tempo.


        -  Espero mesmo. - diz Park. - Agora precisamos matar as saudades. - diz com um sorriso malicioso e apertando o membro recém desperto por cima da bermuda que usava. - Hoje não terei pena de você hyung.


        - E quem disse que eu quero que tenha pena. - diz provocativo.


       -   Ah hyung, você é uma perdição. - o traz de volta para seus braços musculosos. - Você vai se arrepender hyung. - sussurra em seu ouvido. - Sabe porque?


          - Não. - fala baixo concentrado nos toques em sua cintura.


            - Por que você está brincando com fogo. - retoma o beijo apertando o bumbum cheio que tanto admira. O Jeon não tardou de se juntar aos dois. Era excitante demais ver seus hyungs quase se comendo na sua frente. Seu membro chegava a doer de tão duro. Com suas mãos grandes ajudava o Park a apertar a carne gostosa do traseiro do Yoongi.


            -  Yoonie você é tão gostoso. - fala rente ao pescoço branquinho. Desde que o viu pela primeira vez teve a vontade de ser o pintor daquela obra de arte, é agora não deixaria um lugar sequer sem sua marcas. O Min foi obrigado a interromper o beijo para soltar seus gemidos.


           - Você gosta disso hyung? - o mais novo começa a brincar com o seus brincos causando uma sensação gostosa. - Gosta de quando acabamos com você? - simula uma estocado forte ocasionando em um gemido alto do mais velho.


         -  Droga! - diz envolto de prazer.


          - Responde o Jungkook, hyung. - agora agarra o membro começando uma masturbação por cima da roupa.


          - S-sim. - era tão boa a sensação das mãos dos dois homens no seu corpo. - É maravilhoso.


          -  Bom garoto. - o pega no colo. - vamos cuidar de você. - Com Jimin ao lado sobe as escadas. Precisava muito se enterrar no corpo miúdo que segurava.


        No segundo andar Jimin abre a porta do quarto deixando os outros dois entrarem antes de a encostar. Com delicadeza o mais alto deposita o corpo na cama. A dois dias que não tocava no seu hyung e já se sentia frustrado por isso. Quando o tomou para si pela primeira vez foi difícil não querê-lo toda hora, o mesmo acontecia com Jimin que estava muito necessitado do Min. 


       Um de cada lado começam a distribuir beijo pelos delicados em cada um dos pés. De vez em quando o Min soltava umas risadinhas pelas cosquinhas no seu pé. Os beijos foram subindo até o cós da calça. Abriram o zíper a puxando para baixo e acabando com o aperto do baixinho.


      -  Olha, ele está tão duro. - o mais alto solta sua respiração em cima do membro tirando um gemido do mais velho. - Tão necessitado. - baixa a box.


        A boca do Park encheu de água pela visão.


       - Que tal sentar na minha cara hyung? - pergunta o Park. Estava doido para se afogar naquela abundância. Com uma manejar de cabeça vai até o mais novo que se ajeitava na cama. Com a mão em cada banda se posiciona em cima da cara do outro sentando com vontade. Soltava alguns xingamentos misturados com gemidos toda vez que seu buraquinho era chupado com vontade. Em um movimento mais ousado Jimin mete a língua na entradinha enrugada. Inconscientemente começa a movimentar o quadril em busca de mais contato.


     Jungkook olhava para cena enquanto se masturbava. Era um alívio não ter mais o aperto do jeans no seu membro teso. Não demorou ao ficar de pé na frente do rostinho delicado do Min, posicionou seu membro em frente a boca fininha.


      - Chupe. - sua voz saiu autoritária. Não demorou e já sentia a cavidade quentinha dr Yoongi envolta do seu pênis. Era tão gostosa aquela boquinha. Tinha que admitir, aquele era o melhor boquete que já recebeu em sua vida. Leva a destra aos cabelos molhados pelo suor os apertando enquanto estocava sem dó a boquinha pequena. - Ohh, maravilha. - gemia. Não demorou muito para se desfazer na boca da sua putinha que engoliu tudo. Quando estava quase para gozar Jimin para de chupar sua entrada o que causa um gemido de reprovação no Min.



        - Calma hyung. - deixou um selinho na boquinha vermelha. - Só estamos começando. - dito isso faz o outro deitar novamente no colchão.


        Levanta da cama começando a tirar suas roupas devagar com o olhar desejoso do mais velho em seu corpo. O Jeon também repete o ato do amigo. Yoongi estava a ponto de enlouquecer. Nunca pensou que aqueles dois estariam à sua frente tirando a roupa e deixando a mostra os corpos pecaminosos.



        Quando despidos voltaram para a cama, ainda faltava tirar as roupas do Yoongi. Com cuidado desabotoava botão por botão revelando o corpo branquinho. Não conseguiram se segurar e atacaram os dois biquinhos rígidos. Era muita tentação para as duas pobres almas. Desceram seus chupões para a barriga lisa e gostosa do Min, marcariam toda as partes do corpo pequeno para mostrar que o mesmo só pertencia aos dois.


      Jungkook direcionou dois de seus dedos para a boca apetitosa que os chupou deixando o mais lambuzado possível. Quando julgou lubrificados o tirou direcionando ao buraquinho que piscava em antecipação.


      Com um dedo penetrou o pequeno ouvindo um gemido sôfrego do mesmo. Adorava como o Min era escandaloso na cama, coisa que fazia o seu ego inflar. Dois dedos já era abrigados no canal anal, logo três, quatro, todos estimulando o Min. Para ajudar Jimin masturbava o falo rígido de Yoongi que era uma confusão de gemidos no momento. Abandonou a entrada recebendo outro gemido de reprovação.


        - Calma bebê. - se levantou pegando as camisinha e o lubrificante. Entregando um preservativo ao Park ambos o colocaram. Tacaram um pouco de lubrificante masturbando de leve o membro para espalha-lo. - Pronto? - recebe um sim feito com a cabeça. Deitado em cima começa a introduzir seu membro. Yoongi só sabia gemer pela gostosa sensação. Gemeram em uníssono quando o membro já estava dentro. Se posicionando ao lado do mais novo Jimin direciona o seu membro para a entrada já preenchida. Aos poucos vai se enterrando ali também soltando gemidos pelo aperto que o membro recebia.


      Yoongi tinha que concordar que era incômodo dois membros dentro de si mais tinha que admitir que era muito gostoso. Já dentro esperaram o Min se acostumar.


       Para confirmar, rebola de leve nos dois. A primeira estocada veio forte e bruta, era possível até ver o pequeno relevo na barriga pequena. Com a primeira investida veio logo as outras. O Min era levado do céu ao inferno pelo caralho do Jimin e Jungkook. Os dois citados a mesma coisa. Ter aquele aperto gostoso no membro pelo cuzinho gostoso do Min era coisa de outro mundo. O único barulho presente no cômodo eram os gemidos e o barulho dos quadris se chocando, tinham absoluta certeza de que os vizinhos estavam ouvindo tudo, mas quem disse que se importava era mais excitante assim. 


       - Jungkook, Jimin!


      -  Olha Park. - contínua a o estocar no mesmo lugar. - Achamos sua próstata.


         - E mesmo? - lambe os lábios com a visão de um Yoongi suado com os cabelos colados à testa e mais para baixo a visão daquela bunda gostosa o engolindo junto do amigo, foi impossível não gemer com isso. Se fosse um pecador por desejar muito aquele corpinho junto a ti, bom ele seria mesmo, pouco se importava, gostava muito do Min para se queixar se é pecado ou não.


        Com as estocadas fortes - e a certeza de que Yoongi não andaria alguns dias - sentiam o orgasmo chegando de um jeito avassalador. Dez estocadas depois e os três gozam, o Min em seus abdomens e os mais novos na camisinha. Foi um dos melhores orgasmos - sempre era. Se retirando do interior apertando deitaram cada um de um lado. Yoongi tinha que concordar que a foda esgotou todas as suas forças, mas não podia descartar que ia querer um outro round depois de um descanso.


          Os mais novos deixavam alguns beijos suaves pelo cabelo e pescoço do Min - era mania. O mesmo quase dormindo.


       -  Olha Jungkook. - o dito olha. - Nosso gatinho está quase dormindo.


        -  Que amor. - aperta o narizinho redondinho e apaixonante recebendo um resmungo manhoso. - O bebê tá carente. - deixa alguns selinhos na boquinha. - Pode dormir tranquilo. - os dois se aconchegam melhor ao lado do Min.


        - Quando eu acordar vou comandar o próximo round. - dito isso caiu no sono, enquanto os outros tinham pequenos sorrisinhos nos lábios.


          - Pode deixar pequeno.


Notas Finais


Espero que tenha gostado.
Beijinhos 💋💋💋💋 e fiquem com os anJINhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...