1. Spirit Fanfics >
  2. Wings Of Love!- Camariana! >
  3. O Último Suspiro!

História Wings Of Love!- Camariana! - Capítulo 83


Escrita por:


Notas do Autor


Talvez eu faça uma maratona amanhã. Boa leitura meus bolinhos!

Capítulo 83 - O Último Suspiro!


Fanfic / Fanfiction Wings Of Love!- Camariana! - Capítulo 83 - O Último Suspiro!

WAVERLY POV!


Estou com tanto medo, as palavras de Kat ecoam na minha mente como um mantra. "Se ela vai viver ou não, só depende dela". Isso não sai da minha cabeça. Eu não consigo imaginar como será a minha vida, se eu não tiver a Ellen do meu lado.


Cada vez que ela acorda, sente mais dores e algumas vezes, chega a gritar de tanta dor que está sentindo. Ela está muito suada e sua respiração está, cada vez mais fraca. Temo que ela esteja perdendo a luta, mas devo acreditar nela até o fim.


Ouço um barulho e vejo Kat, entrando no quarto. Ela sorri ao me ver e se aproxima, vendo o estado frágil em que a Ellen se encontra. Talvez seja uma surpresa para ela, tanto quanto é para mim, vê-la nesse estado de vulnerabilidade. De repente, Ellen deu sinais de que iria começar a acordar novamente, eu já estava pronta para chamar a enfermeira mas, Kat segurou meu braço e fez acenou negativamente com a cabeça.


Katherine: Vamos sair daqui.- Ela falou, tomando uma expressão séria.


Waverly: Se a gente não chamar a enfermeira, a Ellen vai morrer.- Falei sentindo meu peito doer.


Katherine: Se a gente ficar aqui quando ela acordar, nós é que iremos morrer. Agora vem.- Ela falou e me puxou, para fora daquela sala.


Waverly: O que você quis dizer com, se a gente ficar aqui, nós é que iremos morrer?- Indaguei cruzando os braços.

Katherine: Olha só Way Way, veneno nenhum no mundo vai matar a Ellz. O organismo dela absorve e assimila, qualquer veneno que entre em seu corpo. O máximo que vai acontecer com ela, é exatamente o que está passando agora mas, quando ela acordar e se recuperar, seu instinto assassino vai estar com força total e ela, vai atrás do Mendes.- Ela falou e me encarou.

Waverly: Então, o que você injetou nela?- Indaguei confusa.

Katherine: Não injetei nada, apenas fingi.- Ela falou e se escorou no batente da porta, segurando um coldre com uma Magnum.

De início eu não entendi a sua postura, nem o motivo que fez ela dizer para ninguém entrar no quarto, era quase certo que a Ellen não iria acordar ainda, mas no minuto seguinte Kat me puxa para longe da porta, bem a tempo, pois ela vem ao chão bruscamente e por ela, sai uma Ellen com um olhar que eu nunca havia visto antes.

Katherine: É disso que precisa?- Ela indagou para Ellen.

Elleonora: Disso e das minhas espadas.- O olhar de Ellen era de alguém sem nenhum sentimento, era frio e me arrepiou toda quando ela me encarou, eu fiquei com medo, como se ela pudesse me matar apenas com aquele olhar.

Katherine: Estão aqui, você usa espadas muito pesadas.- Kat falou, entregando as espadas para Ellen.

Elleonora: Espadas com grande densidade são perfeitas para o meu estilo.- Ela falou e começou a caminhar na minha direção.

No mesmo instante eu fiquei estática no lugar, paralisei e isso nunca havia acontecido comigo antes. O medo que estou sentindo agora de uma pessoa, é algo que ninguém me fizera passar antes.

Elleonora: Não vou te matar Waves então, relaxa o corpo. Só vou cuidar de um assunto e logo voltarei, por favor, não me siga pois, não quero te machucar.- Como se lê-se a minha mente, ela pronunciou as palavras certas, me dando um rápido selinho em seguida.

Ela me encarou e então, começou a andar para fora daquele hospital. Sei exatamente o que Ellen irá fazer, ela vai matar o Mendes e eu não vou junto, pra dar cobertura a ela. A única coisa que posso fazer, é esperar ela voltar e eu sei, que ela vai voltar.

ELLEONORA POV!



Depois que sai daquele hospital eu voltei para o local, onde lutei com Mendes, ele havia sido ferido então, haveria sangue dele lá. Quando cheguei ao local, encontrei exatamente o que eu procurava então, me abaixei e passei o dedo sobre o sangue já seco. Levei meus dedos até meu nariz, inalando o cheiro de seu sangue. Já sei exatamente onde ir, me aguarde pois, seu cheiro está nítido para eu seguir.

Em algumas horas eu finalmente cheguei ao meu destino, um prédio de 7 andares bem protegido. Esses caras tem fetiche por prédios e coberturas, só pode, pois, não tem como escapar de mim, ele sabe que vou matar todos lá dentro e vou chegar nele, ou será que ele espera outras pessoas, imaginando que eu morri naquele hospital?

Comecei a caminhar em direção ao prédio, matando os dois da porta com muita facilidade. Assim que entrei, fui direto para a sala dos geradores, levando comigo um dos homens que tentou me matar na recepção, dei uma faca para ele e o mandei destruir o painel de energia. Assim que ele o fez, o mesmo morreu eletrocutado, claro que um choque desses não iria me matar mas, iria me atordoar. Fechei meus olhos e comecei a caminhar no escuro, os homens no prédio conversavam constantemente sobre o que estava acontecendo. Assim que cortei a garganta de um deles, os outros entraram em desespero, disparando para todos os lugares. Eu apenas me escondi atrás de um pilar, esperando que todos ali se matassem.

Quando não se ouvia mais tiros, eu saí de minha proteção e caminhei para os andares seguintes, mas dessa vez, eu ia matando um a um, sem dó, sem remorso, somente deixando meu desejo de sangue ser saciado mas, ele só iria se satisfazer completamente, com o sangue de Shawn Mendes. Quando finalmente matei todos os guardas do último andar, cheguei na suíte do Mendes, a qual tinha iluminação independente. Não haviam guardas lá, somente o próprio Mendes então, eu entrei e apontei minha arma em sua direção.

Elleonora: Toc Toc, achou que eu estava morta?- Indaguei e no instante seguinte, senti algo frio na minha nuca.

Xxx: Levanta as mãos, ou eu estouro seus miolos.- O homem atrás de mim, apontava a arma para minha nuca e eu sorri.

Mendes: Não seu idiota.- Ele não teve tempo de avisar seu capanga, pois no momento que eu ergui minhas mãos, peguei na empunhadura da minha espada, com um movimento rápido, cortei sua mão e em seguida, cortei sua cabeça.

Elleonora: A onde estávamos? Ah sim nessa parte.- Falei me virando e dando um tiro no ombro do Mendes.

Mendes: Você não vai me matar com a espada?- Ele indagou.

Elleonora: Seria muito fácil, vamos fazer você sentir um pouco da dor, que eu senti.- Falei atirando nos seus joelhos, ombro e saco.

Ele gemia de dor e se contorcia, seus gemidos são músicas pro meu ouvido, pois, eu sofri uma dor pior que a dele.

Elleonora: Quero ver você voltar dos mortos agora.- Falei e o decapitei, dando 7 tiros em seu peito em seguida.

Agora vou voltar para minha amada, sei que ela foi para a fazenda da família, no Canadá. O nome da cidade é meio peculiar mas, eu também não sou normal então, não me espanto. É uma cidade pequena, que neva e os moradores levam uma vida pacífica.

Após horas de viagem eu finalmente cheguei a cidade, vesti algumas roupas quentes e fui até a delegacia local, perguntar onde era a fazenda Earp. Um jovem cheio de tatuagens nos braços me encarou, me incomodando um pouco, mas logo o xerife chegou e sorriu, dizendo que me levaria até a fazenda, eu agradeci sorrindo e entrei na viatura.

Alguns minutos de estrada se passaram, ele dirigia com cuidado, devido a ter muita neve na estrada. Descobri que seu nome é Nedley e ele conhece Waverly desde que ela era bem pequena. Me contou sobre a irmã mai velha dela também e um sentimento de conforto e de estar finalmente em um lugar bom, invadia meu ser. Logo chegamos na fazenda Earp e eu desci da viatura, agradecendo Nedley pela carona.

Caminhei até a porta e Waverly a abriu, assim que viu pela janela a minha saída da viatura. Fui me aproximando até parar na frente dela. Sorri ao vê-la e ela também sorriu, nossa troca de olhares era intensa então nos aproximamos e ela acariciou meu rosto com a ponta dos dedos.

Waverly ergueu meu queixo com a ponta do dedo e sorriu, assim que nossos olhos se encontraram. Ela me olhava com intensidade e desejo. Ela foi se aproximando e eu fechei meus olhos, ansiando pelo contato de nossas bocas, assim que ela selou nossos lábios, começou um carinho em meu queixo com a ponta dos dedos. Nosso beijo era apaixonado, ela invadiu minha boca com a língua, sem pedir nenhuma permissão. Waverly explorava cada canto da minha boca, com sua língua macia e quente. Minhas mãos desceram para sua cintura, apertando o local e fazendo ela arfar. Waves colocou as mãos na minha nuca, dando leves arranhadas, quando eu mordi seu lábio inferior. Depois de alguns minutos, o ar nos fez falta então, terminamos o beijo com vários selinhos e eu capturei seu lábio inferior, dando um sorriso em seguida. Ela me guiou para dentro de casa e eu apenas a segui, talvez fiquemos por algum tempo aqui, mas eu estou até contente com essa ideia.


Notas Finais


Mendes finalmente morreu, as meninas agora terão paz. Será que Elleonora vai ir morar na cidade pequena junto com Waverly?

Até o próximo capítulo.

Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...