1. Spirit Fanfics >
  2. Winter >
  3. Capítulo Único - É inverno novamente

História Winter - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Soltei e fui.
Vergonha não me permiti dizer nada, apenas queria me livrar dessa fanfic que está ha 1 ano no meu gg docs.
É isso.

Capítulo 1 - Capítulo Único - É inverno novamente


Fanfic / Fanfiction Winter - Capítulo 1 - Capítulo Único - É inverno novamente

A neve caia graciosamente. O vento era fraco, porém cortante. Os flocos decoravam as pétalas das delicadas peônias de branco. O campo antes colorido, agora era uma paisagem exuberante em cores claras, as folhas congeladas davam um ar de elegância à natureza.

Jin Guangyao vestia roupas pesadas e felpudas com o objetivo de se aquecer. Este acompanhava o movimento da neve, apoiado sobre parapeito da janela, apreciando a beleza a fora que lhe chamara atenção.

Um resmungar agudo o tira dos seus devaneios, as cobertas sendo movimentadas e um choro tomar conta do lugar. Ele se vira e caminha até um bercinho de madeira maciça, decorado delicadamente com tecidos amarelos e a Faíscas em Meio às Neves entalhada na frente. Guangyao sorri suavemente, escorregando suas mãos até o corpo daquela criança, colocando a para mais perto de si.

“Por que está chorando, hm?” Jin Guangyao sussurra para a bebezinha que teimava em chorar. Em poucos minutos, ela se acalma, conseguindo se aconchegar nos braços do seu genitor. Jin Guangyao sorri maravilhado “Boa garota. ” Ele dá leves tapinhas nas costas dela.

De longe, Jin Guangyao ouve passos vindo até seu quarto. A porta é aberta e é revelado dois rapazes de boa aparência.

Um vestia roupas brancas, seu cabelos negros presos perfeitamente em um coque alto e algumas mechas soltas davam um ar de elegância. Este exibia uma fita de testa branca com bordado de nuvens. Seu semblante era gentil e dócil, podendo aquecer o coração de qualquer um.

O outro, por sua vez, é mais alta e tinha uma expressão mais severa, mas  suavizou assim que viu Guangyao segurando a bebê. Ele vestia robes de cor esverdeada, detalhes dourados nos ombros e seu cinto perfeitamente polido, esbanjava o emblema de sua seita.

“Da-Ge, Er-Ge. ” Guangyao sorri plenamente, virando-se para cumprimentá-los.

“A-Yao” Lan Xichen se curva, aproximando-se do menor. “Como está indo? Viemos visitá-los. ”

MingJue suspira cansado, massageando seus ombros. “Desculpe a demora. Estava resolvendo alguns afazeres. ”

Jin Guangyao “Não seja por isso.  Ninguém estava com pressa.”

Lan Xichen sorri ao ver a pequenina calma nos braços do amado. “Nós estávamos. Queríamos ver vocês o mais rápido possível. ” O Lan estende o dedo indicador, na qual é agarrado pela bebezinha. “Fofa. ” Xichen não deixa de sorrir e acariciar a bochecha da pequena.

MingJue abraça Guangyao pela cintura. “A cada dia ela se parece mais com você, Guangyao. ” O Líder da Seita Nie deixa escapar um sorriso bobo assim que a bebê o percebe e sorri para ele.

O Jin ri “É mesmo? ” Guangyao arruma a coberta que envolvia a menorzinha. “Às vezes penso qual de vocês dois é o pai dela, mas parece que ela puxou um pouquinho de cada um de nós, não é?”

A bebê, nomeada de Jin Suyin, é dotada de feições delicadas, sua pele clara como jade, seu olhos eram cor de mel e os ralos fios de cabelo eram castanhos.

Os três admiravam a beleza da filha, e esta, vendo seus pais reunidos, pôs se a rir sem parar, arrancando dos pais sorrisos bobos com uma pontada de orgulho. 

“Ela é perfeita. ” Xichen afaga os cabelos da menor.

Guangyao suspira em satisfação. Subitamente, memórias daquele dia vieram à tona, sendo a segunda razão pelo qual Guangyao não deixou de sorrir.

 

Naquele dia o inverno não tardou em chegar. Os poucos raios de sol se esgueirava pelas nuvens acinzentadas.

 O Palácio Perfumado estava mais agitado que o normal. 

Guangyao respirava lentamente, inspirando e expirando. Suas costas e seu baixo ventre doíam, mesmo estando bem aconchegado na cama. Além do mais, o frio não contribuiu para nada. Quem diria que, enquanto passeava pelos arredores da Torre de Carpa, Jin Guangyao acabou escorregando no gelo e, para seu infortúnio, fortes dores o atormentaram. Guangyao não hesitou em pedir ajuda e, no final, sua cunhada Jiang YanLi foi ao seu resgate.

Agora, ele estava deitado na cama, segurando a mão de um de seus amantes enquanto suportava as dores que se intensificava a cada minuto. 

“A-Yao...” Xichen massageia as costas do menor. “Acho melhor começarmos. ”

Guangyao diz ofegante e relutante “Não posso... ” Sua fala foi interrompida por uma contração, o fazendo gemer de dor e apertar a mão de Xichen. “Da-Ge estava ansioso para a chegada do bebê. Ele...” Guangyao respira aliviado. “Ele disse que queria ver o nascimento dele. Preciso aguentar mais um pouco. ” Guangyao novamente sente a dor e o faz se curvar e ofegar.

Lan Xichen expressa preocupação “Mas A-Yao, você não pode ficar segurando por tanto tempo. Melhor começarmos, A-Jue irá entender... ”

Nesse mesmo instante, a porta do quarto é aberta abruptamente. Os dois olham para a entrada e veem MingJue ofegante, sinal de que veio às pressas.

“Da-Ge!” Guangyao exclama com alegria. “Estávamos  esperando.”

Lan Xichen “A-Yao teimava em te esperar. Ainda bem que chegou. Está quase na hora. ”

MingJue se aproxima e pega delicadamente na mão de Guangyao. “Como está se sentindo? ”

Jin Guangyao apoia-se a cabeceira e sorri. “Está doendo bastante. Estava esperando por você. ”

Guangyao aperta a mão dos dois e geme de dor, dessa vez, uma contração forte que o fez se contorcer.

“Chame a médica!” Lan Xichen diz aflito para um servo que o atendeu prontamente.

Longas horas se passaram. Para Guangyao, a cada pontada de dor era como se estivesse prestes a morrer. O cansaço já tomara conta do seu corpo e parecia que não iria aguentar se continuasse. Desde o momento que começou a sentir as dores, até mesmo no início de sua gravidez temia por este momento. Tinha medo de falhar, de não conseguir trazer seu filho ao mundo ou até mesmo de não ser capaz de estar presente e vê-lo crescer.

Queria vê-lo.

Vê-lo em seus braços.

Queria sentir o enorme prazer de ser pai.

“A-Yao” A voz de Xichen o tirou dos seus pensamentos. “Falta mais um pouco. Aguente! ” O Lan deposita um beijo em nas costas de sua mão como uma forma de  incentivo.

Guangyao respirava pesadamente. “Não sei se consigo...”

“Pare de dizer baboseira!” MingJue toca em seu ombro. “Guangyao, eu já te vi enfrentando coisa pior que isso. Você chegou até aqui e agora pensa em desistir? Deixa disso! Nós acreditamos em você! Sabemos que consegue. ” MingJue, com sua mão direita apoia a cabeça de Guangyao. “Agora vai. ”

Jin Guangyao respira fundo e coloca toda sua força naquele empurrão.

Guangyao sentia que estava preste a desmaiar tamanho era o cansaço, quando finalmente sentiu a sensação de alívio o confortar e a dor desaparecer gradualmente.

Com um baque, Guangyao joga seu corpo na cama enquanto tentava regular sua respiração. Suas pernas tremiam, não conseguia sequer movê-las. Fechou os olhos com a intenção de querer dormir, mas sentiu um peso em seu peito, quente e aconchegante. Quando abriu seus olhos, viu um pequeno ser  enrolado numa toalha, começando a resmungar aos poucos.

Jin Guangyao sorri, aninhando o recém-nascido em seus braços. Aos poucos, o bebê não resistiu e começou a chorar, levando o Jin em lágrimas de alegria.

“LianFang-Zun meus parabéns! É uma menina forte e saudável. ”

Jin Guangyao solta um “Ah” de satisfação, respirando fundo e aliviado por saber que sua filha havia chegado ao mundo em segurança.

“A-Yao, você conseguiu!” Lan Xichen diz enquanto o abraçava.

Nie MingJue sorri orgulhosamente “Eu disse que conseguiria.”

Guangyao solta um suspiro “Obrigado. ” Ele sorri tanto para a filha quanto para seus maridos, depositando um beijo casto na cabecinha da bebê. “Seja muito bem-vinda. ” Ele sussurra para a filha que parecia se acalmar assim que reconheceu a voz de Guangyao. 

Quando finalmente pôde descansar em paz, Guangyao observava com um pleno sorriso seus amantes segurar a pequena em seus braços.

Lan Xichen sorria e brincava com os dedinhos da bebê, dando um beijo terno no topo da cabeça.

MingJue, quando a pegou no colo pela primeira vez, não soube o que fazer, muito menos a como reagir. Era uma mistura de emoções. Felicidade e medo afloraram no peito do Líder da Seita Nie. 

“A-Yao, estamos muito felizes por você. ” Xichen o abraça e o beijo nos lábios.

Jin Guangyao “Nada disso estaria acontecendo se não fosse por vocês. ”

“Hm...” MingJue pede socorro discretamente quando a pequena em seus braços deu indícios de insatisfação. “Ela vai chorar. ” O Nie tenta devolver a filha para o pai que a gerou, mas Guangyao insiste em querer mantê-la no colo do marido.

“Ela precisa se acostumar com você. Veja, deixe ela para mais perto do seu peito e a segure com carinho. ” Guangyao ajeita a pequena lentamente no colo de MingJue para não piorar a situação. Era evidente o desespero do maior.

“A-Jue, não tenha medo. ” Lan Xichen sorri. “Ela não é nenhum tipo de monstro. ”

MingJue finalmente conseguiu ajeitar a filha de maneira que ela se sinta confortável. Ela parou de chorar assim que sentiu o calor familiar a envolvendo. “Só estou um pouco assustado. Os nove meses passaram... Tão rápido. ”

Jin Guangyao e Lan Xichen se entre olham e entendem a preocupação do marido.

“Mingjue” Guangyao acaricia o braço do parceiro. “Não se preocupe. Nós vamos conseguir cuidar dela, assim como qualquer outro pai. ”

“Pais.” Ele diz olhando para a filha. “Não tenho preocupação em criá-la. Talvez um pouco, mas... A maneira que irão olhar para ela mais para frente me assusta...” MingJue suspira pensativo. “Apenas quero que ela seja feliz. ”

Lan Xichen segura a mão de MingJue em forma de consolo e sorri o mais gentilmente possível. “Como A-Yao disse. Não se preocupe. Tudo ainda é muito novo. Tudo aconteceu muito de repente. Precisamos nos acostumar e aprender a como lidar com uma criança.  Pode até ser difícil, mas... ” Xichen desliza sua mãos para a de Guangyao, recebendo um sorriso do menor. “Juntos nós vamos conseguir superar qualquer obstáculo. É por isso que estamos aqui, não? Nós vamos aprendendo um com o outro. ”

Poderia ser coisa de sua cabeça, ou efeitos pós parto, mas Guangyao soluça e deixa lágrimas cair dos seus olhos. “Xichen, MingJue...” Ele aperta a mão de cada um. “Sim, A-Huan, nós vamos conseguir. Seremos os melhores pais para esta criança. ” Ele funga e sorri para seus maridos. “Obrigado. ”

Nie MingJue não deixou se de sentir emotivo. Sabe pelo que Guangyao passou durante toda a gestação e teve medo de perdê-lo, mas quando viu aquele pequeno ser nos braços do seu A-Yao, teve a certeza que o que viria pela frente seriam apenas dias de alegria.

MingJue sorri orgulhosamente e devolve a pequena para Guangyao. “Está frio. ” Ele a envolve mais no cobertor que estava enrolada. “Qual o nome que escolheu? ”

Guangyao suspira e olha para sua filha. “Shi. ” Ele diz afagando os cabelos ralos. “Jin Shi para o nome de nascimento. O de cortesia, eu deixo com vocês. ”

MingJue e Xichen sorriem, satisfeitos com o nome dado a filha.

Lan Xichen. “É em homenagem a sua mãe, não?”

Guangyao levanta o olhar, mas ele desvia. “Sim. ” Diz ele timidamente. “Ela foi uma mulher excelente. Uma fonte de coragem e determinação. Não tem como eu esquecer todos os feitos que ela já fez por mim. ”

Nie MingJue arruma os cabelos do Jin. “Uma ótimo escolha. ” Ele sorri, deixando suas bochechas adquirirem um tom rubro. “E... O nome de cortesia pode ser dado mais tarde. Não há pressa. ” MingJue puxa Xichen para mais perto de si, o segurando pela cintura e o beijando e em seguida beijando Guangyao. “Eu amo vocês...” O Nie sussurra num tom que apenas os quatro poderiam ouvir.

Jin Guangyao acaricia o rosto do maior. “Vocês são tudo pra mim. ”

Lan Xichen o beija carinhosamente. “E você é tudo para nós, A-Yao. Também te amamos muito. ” Ele encosta a sua testa com a do menor, fazendo MingJue queimar de amores pelos seus maridos.

 

“A-Yao?” Xichen toca em seu queixo. “Está chorando?”

Guangyao é tirado de seus pensamentos e nota os dois o olhando de forma preocupada.  Percebeu que seu olhos estavam úmido e, assim que piscou uma vez, sentiu as lágrimas escorrerem pela sua bochecha.

“Ah, não é nada. ” Guangyao tenta limpar as lágrimas desajeitadamente, mas MingJue se apressou e pegou Suyin no colo e deixou Xichen o consolar.

“Por que está chorando?” Xichen o abraça.

Guangyao suspira e sorri, abraçando Xichen fortemente. “Só estou feliz. ” Ele se afasta do Lan e se apoia em MingJue, sem deixar sua mão desencostar de Xichen. “Durante esse tempo, aprendi muitas coisas. Errei e acertei. E a cada dia que passa, sinto que sempre há algo novo me esperando. Ter Suyin ao lado de vocês dois é algo que nunca irei me arrepender. ” Guangyao sorri  e beija a bochecha de cada um. “Eu apenas tenho que agradecê-los. ”

MingJue e Xichen sorriem para o marido.

“Nós que agradecemos. ” MingJue sorri timidamente para Guangyao. “Por nos dar Suyin. ”

Lan Xichen “Ela será o nosso raio de luz por muito tempo. ”

Seria difícil para Jin Guangyao expressar todo aquele emaranhado de sentimentos e emoções em curtas palavras que compõem em curtas frases. Assim como é difícil para MingJue expressar seus mais verdadeiros sentimentos em apenas ações concretas e físicas. Mas nunca será um problema para Xichen deixar de amar essas duas pessoas que apenas lhe proporcionam momentos de felicidade e alegria.

Dizer eu te amo nunca será o suficiente para expressar tamanho amor que sente pelos maridos e, agora, pela sua amada filha. 

 


Notas Finais


Às vezes eu queria ser filha de 3zun.
Sla


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...