História Winter Scars - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Lílian Evans, Pedro Pettigrew, Personagens Originais, Petunia Dursley, Remo Lupin, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter
Tags Bunnysdf, Harry Potter, James Potter, Jily, Lilían Evans, Lílian Potter, Lily, Lily Evans, Lily Potter, Marotos, Patinação, Potter, Tiago Potter, Universo Alternativo
Visualizações 19
Palavras 5.764
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá!
Demorei mais que uma semana para postar por pura preguiça e esquecimento, mas ok.
Boa leitura e aproveitem esse shipp lindo que é Jily <3

Capítulo 2 - Atração


— Que coincidência te encontrar por aqui. — Amy sorriu maldosa se contemplando com o semblante assustado do ex-namorado. — Não é uma coincidência, amor?

Ela olhou para o homem ao seu lado que apenas assentiu.

— Está com uma namorada nova? — Amy encarou Lily.

— Não, uma amiga. — James parecia imóvel e Lily sentia que a qualquer momento ele pudesse desmaiar ali.

— Ah, que pena. Mas sabe isso não é tão surpreendente, o tolo James Potter ainda está com o coração amargurado para seguir em frente. — deu dessa vez um sorriso vitorioso. — Bom, estamos só de passagem, Hogsmeade não é tão interessante assim. Tchau, James.

Foi um breve encontro, mas já era o suficiente para destabilizar todo o psicológico de James. Se sentia mais uma vez quebrado e todas as sensações de um mês atrás voltaram. Sua respiração estava descompassada e sentia vontade de gritar.

Suas mãos começaram a suar e seu corpo começara a ficar trêmulo. Estava a beira de um colapso quando sentiu um par de mãos quentes e macias tocarem as suas. Lily lhe olhou com preocupação e tentou lhe dar um sorriso acolhedor.

James não conseguiu segurar e quando viu as primeiras lágrimas escorriam por suas bochechas. Notou os braços de Lily o envolverem e logo retribuiu o abraço. Estava chorando no ombro dela e molhando seu casaco, estava se sentindo um tolo como Amy lhe dizia.

Seu coração mais uma vez foi esmagado, porém dessa vez havia algo diferente. Foi novamente reconfortado, mas a sensação era completamente distinto. Quando as lágrimas cessaram, sabia que o rosto devia estar vermelho e os olhos fundos.

— Me desculpe por isso. — se afastou um pouco de Lily. — Você deve me achar um idiota agora.

— Idiota? É claro que não, James. Eu acho aquela garota idiota, na verdade a acho uma vadia cretina.

— Então, você já sabe não é?

— Ela é sua ex qual não queria falar. — Lily deduziu vendo James assentir fraco. — Você quer sair daqui? Distrair a cabeça? Que tal sairmos juntos? Chamamos Remus, Sirius e Peter se quiser ou se preferir ir só com eles, vou entender.

— Vamos só nós dois, eles vão acabar ficando ainda mais preocupados comigo e não quero isso. Eu tinha dito que superei ela, contudo após isso confirmei que não.

— Vamos para o Três Vassouras?

— Prefiro algum lugar mais afastado.

— Cabeça de Javali? Está tendo uma festa que vai durar até às quatro da manhã, pelo que fiquei sabendo. Quer passar na sua casa para pegar algo?

— Não.

— Bom, eu também estou de boas. Só vou precisar avisar meus pais.

— Ok.

Lily mandou uma mensagem para sua mãe que acabou apenas a alertando que teria que trabalhar amanhã, infelizmente Lily lembrava desse detalhe fatídico. James acabou ligando para Sirius avisando que sairia com Lily, o amigo ficou apenas o incentivando e dizendo para aproveitar.

— Podemos ir, estou de carro. — falou assim que colocou o celular no bolso da blusa.

— Ok.

[…]

— Duas cervejas amanteigadas por favor. — Lily pediu para a mulher de aparência jovem e bonita que viera anotar seus pedidos. O Cabeça de Javali estava cheio, porém isso não pareceu incomodar James que estava absorto em seus pensamentos.

— Obrigado por estar aqui, Lily. Não sei nem como te agradecer. — falou com a voz falhando como se tivesse algo entalado na sua garganta.

— Me agradeça se divertindo, vem. — puxou a mão dele se levantando e indo com ele até a pista de dança.

— Eu não levo jeito para dança.

— Eu também não. — Lily comentou rindo e fazendo movimentos esquisitos sem se importar com as pessoas ao redor. Ela dançava de um jeito desengonçado que fez James cair na gargalhada.

— Você é realmente ruim, mas eu sou pior ainda.

— É uma competição, Potter?

— Acho que sim, Evans!

Os dois começaram a competir vendo que dançava da pior forma. Riam a cada passo e a música mudava de eletrônica para pop. As cervejas amanteigadas chegaram e ambos beberam um gole antes de voltar a dançar.

— Desculpe, eu vim aqui para perguntar uma coisa. — uma mulher de seios fartos que quase escapavam por seu vestido curto veio para perto deles. — Vocês dois estão juntos?

— Ah não, somos amigos. — James respondeu descontraidamente e Lily não soube porque mas sentiu algo estranho no seu peito.

— Então, é que eu queria conhecer você melhor. — a mulher falou diretamente a James.

— Tudo bem para você Lily? Disse que seria bom distrair minha cabeça, né? — James perguntou com um sorriso no rosto.

— Ah… Claro. — eles se distanciaram e Lily tomou mais um gole de sua cerveja antes de voltar a dançar quase colidindo o corpo com vários outros ao seu redor.

Começara a tocar sua música preferida agora e dançou com todo seu entusiasmo, por um segundo esquecendo qualquer problema fosse que tivesse. Olhou para o lado e viu a mulher beijando James com ferocidade, ele agarrava a cintura dela e a puxava para o seu colo começando a apertar a bunda dela. Lily desviou o olhar e bebeu mais um gole.

Viu um homem sentado num canto e decidiu falar com ele.

— Oi, vi que está sozinho aí. Gostaria de se juntar a mim? — não sabia da onde havia tirado a coragem para chegar naquele desconhecido.

— Pode ser, mas achei que estivesse com aquele cara de óculos.

— Bom, acho que ele arranjou uma companhia melhor. — falou apontando a cabeça para James e a mulher que estavam quase transando ali mesmo.

— Ok, vamos. — o homem segurou a mão de Lily e foi com ela até a pista. — Você tem quantos anos?

— Dezoito, vou fazer dezenove mês que vem.

— Tenho vinte e dois. Tem algum problema com diferenças de idade?

— Claro que não. — ela sorriu.

Dançaram juntos com os corpos quase colados e Lily jurou que sentiu o olhar de James em si, mas achou que devia estar ficando louca. Minutos depois James saiu dali junto com a mulher, provavelmente foram para algum lugar mais reservado.

Ficou enraivecida de ter se proposto a fazer companhia e distrair James para ele depois ir foder com uma mulher qualquer.

O homem que ainda não sabia o nome e nem se preocupou muito em saber, colocava as mãos em seus quadris e a puxava para mais perto ainda. Começou a se aproximar dele e já conseguia sentir a respiração dele batendo contra seu rosto. O beijou de uma maneira lenta e intensa. Passava suas mãos no rosto dele enquanto ele apertava sua cintura.

— Desculpe, mas hoje não passarei de amassos.

— Eu entendo. — ele sorriu voltando a beija-la. Dois minutos depois James voltara ainda mais frustrado.

— Lily! — chamou fazendo a garota sair dos beijos e encara-lo. — Bom, posso falar com você?

— Ok. Acho que isso é um adeus, é… — olhou para o desconhecido esperando ele dizer seu nome.

— Tyler.

— Adeus, Tyler. — acenou para ele e em instantes ele se afastou indo para a direção do barman.

Lily e James voltaram para sua mesa com as cervejas amanteigadas já frias.

— Qual o problema? Achei que essa hora estava transando com a peituda. — Lily falou de forma pacífica.

— Não, eu não consegui.

— Por que?

— Não sei, minha mente estava em outro lugar.

— Bom, agora nós dois estamos sem companheiros para amassos. — Lily falou fazendo ele soltar uma risada gostosa de se ouvir.

— Sim, e foi mal por interromper você e aquele cara. Eu acabei te deixando sozinha aquela hora também, sendo que você veio aqui justamente para me ajudar, então desculpe fui um idiota.

— Que bom que concordamos. — sorriram. Pelo menos ele tinha reconhecido o que fez, pensou Lily.

[…]

Um mês havia se passado desde que Lilian Evans conheceu James Potter na velha e nostálgica pista de patinação. Os dois agora conversavam direto e sempre saíam juntos ou com os outros marotos também. Madison estava afastada de Lily e Severus estava de volta.

— Você conheceu quem? — Severus indagou arqueando as sobrancelhas ao ver um sorriso maroto nos lábios da melhor amiga.

— James, ele é legal e estamos nos falando já faz um mês.

— Gosta dele?

— Somos amigos, Severus. Mas confesso que ele é bonito e seria um bom namorado, entretanto James não quer nenhum relacionamento agora.

— Ele é gay?

— Não, até aonde sei não.

— Se ele recusasse uma garota como você, seria um tremendo babaca.

— Mas e você? Está saindo com alguém?

— Para ser sincero, estou. Lexie Walker é o nome dela. — Severus começou a explicar como a conhecera. Aparentemente a garota gostava dele já fazia um ano e só se confessou nas últimas semanas. Assim como ele, ela amava a cor preto e tinha muitos interesses em comum.

Lily estava mais que feliz por seu melhor amigo, sabia da dificuldade de Severus para fazer amigos ou arranjar um relacionamento. Ano passado ele teria se declarado para Lily que ficou entristecida em ter que recusar, nunca viu o amigo daquela forma e não queria o iludir, então foi sincera.

Severus pareceu entender perfeitamente embora pediu um tempo longe para que pudesse clarear a mente. Depois de uma semana falou com Lily e voltaram as coisas como antes. Pelo menos agora Severus parecia ter superado sua paixão platônica por Lily.

— Você poderia conhecer, James! Que tal marcarmos uma saída? Eu, você, Lexie, James, Sirius e Remus.

— Não acho que daria certo.

— Mas…

— Talvez outro dia, Lily.

A semana passou voando e logo já era sábado, neste dia como combinado iria até a lanchonete do Caldeirão Furado com Sirius, Remus e James.

Nessa noite tomou um banho lavando os longos cabelos ruivos, vestiu calças jeans numa coloração vinho, uma camiseta preta, botas marrom e uma jaqueta preta aproveitando que essa noite não estava tão frio quanto as outras desse mês.

Desceu para encontrar sua carona e se amaldiçoou por ainda não ter um carro.

— Uau, quem você vai encontrar lá para você se arrumar assim? — Sirius questionou enquanto Lily se sentava ao lado de James. Remus que estava dirigindo essa noite e Sirius ia ao seu lado.

— Você está linda mesmo, Lily. — James comentou quando o carro começou a se movimentar.

— Obrigada. Você também não está nada mal e…

Sentiu um cheiro forte e gostoso ao seu lado, olhou para James que pareceu um pouco corado.

— Passou perfume?

— O que? Não.

— Passou sim, deixa eu cheirar!

— Lily, não. — James impediu a tentativa dela de chegar em seu pescoço. — Isso é estranho, sério.

Lily continuou com suas tentativas até James se dar por vencido e deixar que ela comprovasse sua teoria.

— Eu sabia! — exclamou vitoriosa. — É um perfume muito bom, está cheiroso James.

— Então quer dizer que nos outros dias eu era fedido? — brincou.

— Não, seu tonto! Está mais cheiroso que o habitual eu digo.

— Que o habitual? — Sirius se intrometeu na conversa usando seu tom conhecido de malícia.

— Padfoot, vai deixar Lily constrangida. — James riu ao ver a garota vermelha.

— Fique quieto, James! — ela deu um tapa em seu ombro fazendo ele gargalhar ainda mais. — Ah, você é irritante.

— Esse é o preço da amizade, Lily.

Ao chegarem no Caldeirão Furado escolheram uma mesa e se acomodaram lá. Lily já estava acostumada com essas saídas com os marotos, geralmente eram sempre noites divertidas onde ficava com a garganta doendo de tanto rir e falar.

— Sabe, podíamos patinar novamente. O que acha, Lily? — Sirius indagou enquanto se servia de uma porção de batatas fritas.

— Não posso.

— O que? Por que? Você foi daquela vez. — James comentou chateado. Afinal sabia o quanto Lily amava patinar, então não entendia o porquê de recusar.

— Não vamos tocar nesse assunto, ok? — não disseram nada. James sabia que ela estava escondendo alguma coisa, afinal se lembrara quando ela dissera que só ia patinar nas sextas a noite e isso com certeza não eramuito comum.

— Mas se vocês quiserem ir patinar, tenho uma casa afastada daqui onde tem um ringue de patinação, snowboard e outros.

— Sério? Parece demais!

— Sim, só teríamos que combinar algum final de semana para fazer isso.

A noite seguiu alegre como o habitual. A parte mais engraçada havia sido quando o atendente paquerou Lily fazendo James ficar irritado dizendo que ela era sua namorada.

— Prongs está com ciúmes. — Sirius falou.

— É claro que está. — Remus concordou. Enquanto isso Lily apenas dava gargalhadas do semblante ainda irritado de James.

— Eu não estou com ciúmes.

— Ah, claro que não. — James teve vontade de bater nos dois amigos nesse momento. Como poderia ter ciúmes de Lily? Ela era apenas uma amiga e não mudaria isso.

— Fiquem quietos!

— Mas a Lily quer mesmo ser a namorada do Prongs, não é Lily? — Remus indagou.

— Nada direi. — Lily falou com um sorriso no rosto enquanto bebia seu suco de limão. — James só se interessaria por mim se eu fosse peituda.

— Por que esse lance com peitudas? — James questionou intrigado.

— Porque você tem alguma atração por mulheres de seios grandes, lembra não daquela mulher?

— Isso não é verdade, não vou me interessar por uma mulher só por causa disso.

— Infelizmente ele não me quer porque meus seios não são do tamanho certo. — Lily falou rindo enquanto olhava para Sirius e Remus que também estavam a gargalhadas.

— Pelo céus! Seus seios são do tamanho perfeito e nada mais! — todos se calaram ao ouvir aquilo e segundos depois começaram a rir ainda mais alto do que da outra vez.

— Admite logo seu interesse por Lily, Prongs.

— E-Eu… Ah, vocês são dois idiotas!

— Mas obrigada pelo elogio, James. — Lily piscou para ele se aproveitando de seu constrangimento.

James sentiu o rosto queimar e só queria colocar a cabeça na terra agora.

[…]

— Está entregue, senhorita. — disse Sirius estacionando o carro na frente da casa dos Evans.

— Eu te acompanho até a porta, Lily. — James desceu do carro seguindo a garota até a entrada de sua moradia. — Apesar de todas as vergonhas que passei, essa noite foi legal.

— Foi mesmo, mas quando estou com você, todas as noites são legais. — Lily confessou e James ficou desconcertado com este comentário. Seu peito parecia queimar. — Boa noite, James.

Deu um beijo na bochecha dele e entrou em casa. James ficou um bom tempo parado ali até ouvir as buzinas indicando os dois amigos impacientes que o esperavam dentro do carro.

— Vocês estão insuportáveis hoje. — reclamou batendo a porta do veículo.

— Vou avisar para Lily que para fazer seu mal-humor melhorar vai ter que dar um beijo na boca mesmo. — Sirius falou fazendo o amigo revirar os olhos. — Ah, é tão bom saber que tem interesse por uma garota decente dessa vez.

— Não sei o que está falando, infelizmente eu ainda estou um caco por causa de Amy.

— Lily está pegando os pedacinhos de seu coração e juntando-os novamente. — Remus falou.

— Vocês não estão falando nada com nada. Já disse, não quero nada com Lily.

Não importa quantas vezes dissesse isso, seus amigos realmente não estavam crédulos quanto aquela afirmação. James foi dormir exausto essa noite dando graças que só precisaria trabalhar amanhã a noite, odiava ter que acordar cedo.

Faltava pouco para a loja dos marotos ser aberta e admitia que estava cada vez mais entusiasmado.

A semana passava tão devagar e estressante que na quarta feira quase quebrou um copo enquanto entregava na mão do cliente. Sirius vivia ligando para Lily e passando horas conversando com ela, James dessa vez tinha que admitir que ficou enciumado. Não conseguia falar com a garota porque seus horários nunca batiam, de manhã até a tarde ela estava no cinema e de noite ele estava no Três Vassouras.

Percebeu que estava muito ligado a Lily e foi como um choque para si. Não conseguia ficar um dia sem pensar naquela ruiva que o fazia se sentir tão bem e lhe proporcionar as conversas mais divertidas e profundas.

Estava fodido. Será que realmente começara a criar sentimentos pela garota? Será que não estava pensando desse jeito por pura pressão dos amigos? É claro. Com certeza estava se confundindo, sabia que via Lily apenas como uma amiga querida e nada mais.

[…]

— Você está melhorando. — Lily deu um sorriso enorme ao ver James patinando com mais facilidade. — Eu sabia que conseguiria.

— Eu tive uma professora incrível.

— Galanteador como sempre, Potter. — ela revirou os olhos sorrindo. — Você devia estar com saudades de mim para vir nesta sexta-feira a noite.

— Lily, por que você nunca conta por que vem aqui a noite? Sabe, se você contar o porquê, eu te conto sobre a Amy. — estremeceu só de falar o nome daquela mulher.

— Ah, James… Meus pais, esse é o problema. Quanto eu tinha dezessete anos sofri um acidente no gelo enquanto patinava e desde deste dia eles são super protetores e não querem ver gelo ou patins em sua frente.

— Eu… Sinto muito, deve ser difícil para você ter seu hobbie privado pelos seus pais.

— É, realmente é. Mas felizmente consigo sair escondido às sextas feiras.

— Por que não contou antes?

— Não é uma história que eu goste muito de falar, até porque quanto menos pessoas souberem mas meu segredo estará a salvo.

— Não vou contar para eles, pode confiar.

— Eu confio, James. Caso o contrário eu não teria lhe falado isso hoje.

— Bom, acho que agora é a minha vez não é? — suspirou andando em círculos. — Amy era tudo para mim, eu me apaixonei por ela de uma forma realmente intensa e só queria estar com ela a cada momento. O sexo, as carícias eram tudo incríveis com ela, meus amigos e uma amiga diziam que ela não era confiável e que estava me enganando desde quando nos conhecemos. Eu ingênuo como sempre, não acreditei e isso foi o maior erro.

Lily ouvia atentamente enquanto olhava para seus patins evitando contato visual, James parecia nervoso ao falar disso.

— Uma noite que acabei chegando do trabalho mais cedo encontrei ela na cama com o maldito personal trainer.

— Sinto muito, James.

— Eu também sinto, Lily. Fui um otário de acreditar em cada palavra que ela falava, eu era um perfeito cachorrinho que obedecia tudo que ela mandava. Ela destruiu todo meu jeito de ser e me tornou um cara rancoroso que busca álcool para afogar as mágoas e acorda a maioria das noites ao lado de uma mulher nua qualquer.

— Você parou com isso, não é?

— Sim parei, mas só depois que te conheci…

— Eu… fico feliz por isso.

— Lily, você não acha mesmo que iríamos dar certo como um casal, acha? — ele a olhou vendo a expressão de surpresa no rosto dela.

— Por que está perguntando isso, James?

— Bom, é que, sabe... — bagunçou os cabelos. — Não quero dar a impressão errada, eu gosto muito de você como uma amiga e não quero te iludir caso você sinta algo por mim.

— James, deixe isso para lá. Está se deixando levar pelo que Remus, Sirius e Peter dizem.

— Acho que está certa.

— Mas sabe, não acho que seríamos tão ruim como casal. — Lily confessou fazendo James perder todo o ar de seus pulmões e abrir a boca sem conseguir falar nada. — Você está bem?

— E-Estou.

Era estranho como Lily não se demonstrara incomodada quando os outros falavam que ela era uma perfeita namorada para James, já que ele pensava que não podia ter nada com Lily. A garota combinou de irem na casa de férias que tinham para poderem aproveitar o fim de semana com snowboard, patinação, bebidas quentes e lareiras aconchegantes.

Lily convidou Madison que terminara recentemente com David, achava que a viagem podia distrair a cabeça da colega. Gostaria de ter convidado Severus também, mas ele iria passar o fim de semana na casa dos pais de Lexie, a relação estava realmente evoluindo.

Lily pediu o carro de seus pais para poder ir até a casa que não era usada a muito tempo, afinal não caberia todo mundo no carro de James. Aproveitou para buscar Madison que ainda arrumava sua bolsa e levou cerca de dez minutos para terminar. Passou na casa dos marotos que já estavam no carro e só esperavam que Lily os guiassem pelo caminho.

Madison colocou música no rádio cantarolando em alguns segundos e perguntando para a amiga se Sirius era solteiro.

— Não acredito que está interessada nele, Mad!

— Qual o problema, Lil? Ele é solteiro, não é?

— Sim, ele é.

— Então perfeito.

— Você ao menos sabe o nome dele.

— Qual o nome dele?

— Sirius!

— Sirius. Pronto, já sei.

— Por favor, me diz que você não vai dar em cima dele nesses dias.

— Não prometo nada. Mas afinal, você está interessada naquele de óculos, não é?

— James. — informou vendo a amiga pedir para que prosseguisse. — Eu estou…

— Ah, meu deus Lily! Finalmente encontrou alguém, fiquei cética disso acontecer já que você tem o péssimo hábito de não saber se arrumar. — Madison comentou.

— Deixe eu terminar! Dizia que eu estava sem esperanças com James, ele parece não querer saber de relacionamentos por conta da ex dele.

— Ex? Oras, mas ele tem que superar isso. Chega nele e diz que você não vai estar disponível para sempre por isso ele tem que aproveitar enquanto tem chances, mas vai que ele está interessado em outra.

— Ah claro que vou fazer isso, e no final vamos nos beijar e transar loucamente. Você acha que minha vida é um pornô? E como assim interessado em outra?

— Ué, por que não? Afinal James é bonito e chama a atenção onde vai. Já pode ter uma mulher na jogada, nunca sabemos.

— Tanto faz.

— Aproveite o fim de semana para dar uns amassos com ele. — piscou.

— Endoidou? Os amigos dele vão estar lá também, Mad.

— Tudo bem, eu saio com eles durante uma hora ou duas para você e James fornicarem bastante. O que me diz?

— Não bote fé nessa idéia.

A discussão se encerrou por ali e meia hora depois finalmente estavam na casa de férias dos Evans. Visivelmente não era a única casa que ficava naquela região, haviam várias outras, umas mais luxuosas e algumas mais simples.

Lily desceu do carro abrindo a porta e todos entraram ficando deslumbrados com o local. Era uma casa grande e apesar de não ser tão sofisticada quanto outras ali, era boa e espaçosa.

— Bom, temos quatro quartos, uma sala de estar, dois banheiros e uma cozinha. — Lily explicou. — Então ficará duas pessoas em um quarto, duas em outro e as duas que sobrarem ficarão cada uma com um quarto para si.

— Por que não fazemos o seguinte, eu e Sirius ficamos num quarto, James e Lily no outro e Remus e Peter ficam com um só para eles? — Madison sugeriu.

— Bom, acho que seria mais fácil James e Sirius dividirem um quarto e eu e você dividimos outro. — Lily comentou e Sirius revirou os olhos, parecia que ele também preferiu a idéia de Madison.

— Prefiro dividir o quarto com Mad. — Sirius anunciou dando um sorriso maroto. — Até porque James não vai se importar de dividir um quarto com Lily, não é?

— Ah… Claro que não, mas… eu achei que fosse ficar num quarto com vocês ou sozinho. — James não podia se importar mais ainda. Afinal, estava deveras confuso em questão daquela mulher de cabelos ruivos e ainda teria que dividir seu quarto com ela para fazer mais duvidas cruéis surgirem em sua cabeça.

— Não acho que James esteja muito empolgado para dividir o quarto comigo. — Lily observou não conseguindo disfarçar o quanto aquilo foi chateante para si. — Acho que ele prefere um quarto com Remus ou Peter.

— Divido um quarto com esse idiota, fique tranquila Lily. — Remus a tranquilizou passando uma das mãos em seus fios alaranjados.

Lily foi a primeira a sair da sala rumando para um dos quartos. Assim que estava longe o bastante para não ouvir o que diziam, Remus olhou reprendendor para James.

— O que está acontecendo, Prongs? — indagou.

— Não é nada. Eu não tinha problema em dividir o quarto com ela, só estranhei.

— Ah, não. Imagine se tivesse. — Sirius se intrometeu. — Deu para perceber na sua cara a mentira fajuta, Prongs. Até Lily percebeu, e olhe que geralmente ela é lerda com essas coisas.

— Vocês não entenderiam.

— Você nem ao menos tentou nos explicar.

— Mad veja se Lily está bem. — Remus falou e por uma fração de segundos jurou ver Madison revirar os olhos antes de sair da sala indo em direção aos quartos procurar a colega.

James acabou explicando toda a situação e disse que estava confuso em questão de seus sentimentos por Lily e que por nada nesse mundo não queria estar sentindo o que pensara que fosse. Não conseguia nem pronunciar a palavra em voz alta.

— Você tem que parar de medo de viver um relacionamento, Prongs. Nem todas as garotas são como Amy. — Peter pronunciou depois de um tempo quieto. — Lily é legal, divertida, bonita, gentil e tem vários gostos em comum com você. Qual o problema?

— Eu não quero me prender numa relação, não tenho mais vontade disso.

— E esnobar a Lily é a resposta para negar a atração que você sente por ela, sério? — Sirius parecia estranhamente irritado com aquela situação.

— Padfoot, não complique ainda mais minha cabeça. Nunca foi minha intenção ignorar Lily, mas preciso organizar meus pensamentos até poder estar perto dela novamente.

— Ah, você teme que se ficar ao lado dela vai instantaneamente ter um surto e agarrar ela? — Remus falou no mesmo tom de voz que Sirius, isso já estava começando a deixar James levemente irritado. Por que seus amigos não podiam ser compreensíveis só uma vez para variar um pouco?

— Eles estão certos, Prongs. Você está sendo um idiota ao se afastar da Lily por esse motivo ou pior, nem falar sobre isso com ela. — Peter comentou e logo James se levantou cansado daquela discussão.

— Ah por favor Wormtail, até você?! Pelo menos você eu esperava que ficasse do meu lado.

— Três contra um, ainda pensa que está certo? — Sirius questionou com um olhar sério e James apenas foi para um dos quartos trancando a porta.

Por que não estavam do seu lado? Por que não conseguiam entender que precisava de um tempo e ficar perto de Lily não ajudava em nada? Mas sabia que no fundo Peter e os outros estavam certos, ele não podia se afastar e esnobar Lily sem ao menos falar com ela sobre isso, todavia, como devia chegar nela?

"Ah, vou ter que me afastar de você porque você vive na minha mente e estou com medo de estar me apaixonando de novo."

Não. Com certeza não. Não conseguia admitir isso em voz alta, isso era tão bobo. Imaginava que Lily iria rir da sua cara ao ouvir aquilo.

[…]

Lily não iria deixar de se divertir por causa de James. Com certeza não. Ela era uma mulher independente e forte, não precisava de homem algum para ser feliz e não ia se deixar ficar triste por conta de James, embora aquilo a magoou mais do que pudesse imaginar.

Estava se sentindo mais leve ao dar giros ao redor de todo aquele gelo aberto ao ar livre. Era incrível como patinar lhe deixava mais calma e tranquila. Se lembrava que várias vezes antes de resolver um problema, ela patinava para poder pensar melhor.

— Você está bem? — Madison indagou se sentando numa pedra ao lado enquanto abria sua revista de fofocas.

— Estou sim.

— Tem certeza, Lil?

— Claro que sim! Acha que eu vou ficar cabisbaixa porque James agora decidiu me menosprezar?

— Não sei, Lilian. Só foi uma pergunta, agora não posso ao menos querer saber seu bem estar?

— Só quero ficar sozinha.

— Ok, aproveite o seu momento então.

— Vou aproveitar e agora pode ir falar com Sirius, eu sei que é isso que você quer fazer.

Horas depois…

— Vocês estão prontos? Estou mofando aqui. — Sirius dramatizou se jogando no sofá enquanto esperava os amigos.

— Eu demoro para me arrumar mesmo. — Madison confessou. Ela estava muito bonita e produzida, por um minuto Lily pensou que ela fosse num desfile de moda. — Lil, você vai assim?

— Qual o problema? — Lily olhou para sua roupa. Vestia uma jaqueta xadrez vermelha e preta por cima de uma camiseta escura, calças jeans simples e Timberlands marrom.

— Está muito… simples.

— Não comece, Madison. — revirou os olhos. — Você sempre reclama de qual roupa eu uso, vamos logo.

— Eu concordo com Lily, melhor irmos. — Remus interrompeu e os seis saíram.

Dessa vez Sirius acompanhou as garotas no carro dos pais de Lily. Ele temia que elas fossem brigar novamente, porque a situação na casa não estava nada amena. James estava ignorando Lily que fazia o mesmo, Madison parecia achar qualquer coisa mínima para reclamar, chegando até ter tido uma discussão feia com Peter, e Remus também pegava no pé de James que virou a cara para ele e também para Sirius. Como um fim de semana se transformou numa catástrofe sendo que só tinham chegado há seis horas atrás?

— Chegamos. — saíram do carro e já entraram no local da festa acompanhado dos outros três amigos. Se separaram e foram curtir de sua maneira, James e Sirius já estavam perto do barman pedindo suas primeiras doses, Remus conversava com uma garota de cabelos coloridos, Peter começava a jogar sinuca com mais alguns homens e Lily e Madison estavam sentadas em um dos sofás avermelhados e aconchegantes.

— Eu só acho que você tem que parar de se vestir igual uma pobretona, homem nenhum gosta disso. — Madison insistia no mesmo assunto.

— Ah, hoje você tá uma droga. Por favor, me deixe em paz ok? Eu não quero saber de ficar com alguém e já te falei dezenas de vezes, é tão difícil entender?

Não conseguiu evitar falar naquele tom grosseiro, estava ficando realmente perturbador ficar perto de Madison.

— Mas que porra Lily. — Madison se levantou quase gritando. — Você é ingrata demais.

— Eu sou ingrata? Já te deixei avisado mais de dez vezes que não quero saber da sua opinião quanto a forma que eu me visto, não ligo para o que homem algum prefira em mim.

— Por essa atitude que você e o Steve não deram certo.

— Cale a boca!

— Não, agora eu vou falar. Você é uma garota problemática que nunca era o suficiente para ele, sabe como eu sei disso? Steve mesmo que me disse enquanto nós dois fazíamos sexo. Ah e nós dormimos juntos umas quatro vezes, ele disse que eu era muito mais gostosa que você e sabe o que mais? Era ele quem sempre me procurava para aliviar todo o estresse que você o causava.

— Você é uma vadia.

— Eu sou? Eu ainda tentei ajudar você, a ruiva esquisita metida a besta a ter algo com James, não sei para quê, não é?

— Tentou me ajudar? Sério? Você estava me criticando a todo momento e quando foi atrás de mim para saber como eu estava, fez isso para ganhar a confiança dos meninos e não porquê realmente se importava.

— Parabéns Lilian, finalmente raciocinou algo. — falou em um tom de deboche. — E quer saber? Acho que vou querer dar o troco em você novamente e vou transar com James dessa vez, quem sabe ele me prefira.

— Vai então! Corre, porque você não perde mesmo a chance de dar para qualquer cara, não esquece de cobrar James depois. — Lily sorriu e recebeu um tapa estalado no rosto. Colocou a mão onde havia sido desferido o tapa e olhou para Madison.

— Você mereceu.

Lily pegou um copo com algum líquido, que não sabia identificar, de uma das mesas perto do sofá e jogou em cima da cabeça de Madison. Fazendo o líquido ir dos cabelos dela até o pescoço e em seguida o vestido.

— Você mereceu. — devolveu as palavras.

Madison foi embora o mais rápido possível, visto que vários estavam rindo de seu estado. Lily se sentou novamente no sofá se sentindo ainda mais irritada. Como nunca notou as baixarias e ofensas que Madison falava para si? Sempre pensou que fosse brincadeiras, mas pelo visto se enganara. Nunca considerou Madison como uma amiga, mas elas se davam bem antigamente, até Madison começar a mudar e ser mais crítica com qualquer coisa que fosse, aquilo havia sido mesmo o estopim para a paciência de Lily.

— Lily, você está bem? — Remus se sentou ao seu lado.

— Estou irritada, mas estou bem melhor longe daquela mulher. — vociferou.

— Eu vi o que aconteceu, digo, acho que quase todo mundo daqui. Sinto muito, mulheres como ela são as piores e acredite conheço o tipo.

— A ex de James, Amy, é assim também?

— Sim, acho que até pior. Mas eu proíbo você de ficar aí parada sem se divertir.

— Mas…

— Sem mas.

Lily fez o que Remus disse e se divertiu. Por três horas esqueceu cada problema que tinha e estava dançando com um homem um pouco mais baixo que si. Estava sorridente e quando estava prestes a beijá-lo viu alguém tocar o ombro do seu mais novo ficante.

— Ela tem namorado, e ele está bem aqui. — era James.


Notas Finais


Eu postei a fanfic no wattpad também, caso alguém tenha:

https://my.w.tt/7qc4D4ke81

O próximo capítulo já é o último, então espero que estejam gostando dessa threeshot que eu dei sangue, suor e lágrimas para fazer ;^;

É isto, até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...