1. Spirit Fanfics >
  2. Winx Club - Second Generation IV >
  3. Férias

História Winx Club - Second Generation IV - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá. Eu não atualizo a saga desde 2018, mas agora, no ano do meu vestibular, senti saudades de postar e exercitar meus neurônios. Se alguém ainda está a ler esta história, agradeço por sua paciência e por sua preferência :D

Capítulo 1 - Férias


Não é necessário dizer como Skyllar estava exausta. Agora a calma reinou sobre a Dimensão Mágica, ela e seus amigos podiam voltar a focar nos estudos e na realeza. Skyllar só não lembrava de como seus deveres com o Reino eram um saco, um fardo que ela não pediu para carregar.

- Mas você vai ser Rainha! Você precisa treinar e-

- Eu não pedi pra ser, mãe! Eu nem pedi pra ser princesa! Por que a Amber não pega o trono? Ou o Josh? Eles são mais velhos, não são?

- Você sabe que não é assim que funciona, floquinho.

Skyllar rosnou. Já tinha quase 18 anos, não suportava ser chamada assim. - Amber é a primogênita e Josh é homem!

- Machista? Você? Querida, você sabe que Amber não pode e nem quer governar, e Josh possui outros compromissos-

- Compromissos com a Dimensão Mágica e as Estrelas D'Água.

É, as Estrelas D'Água se tornaram um item proibido em Eraklyon. A Rainha Bloom, o Príncipe Josh e a Princesa herdeira Skyllar não podiam se aproximar delas. Apesar de Valtor ter dado um salve à Dimensão Mágica a pouco tempo, nem ele quis saber dessas preciosidades.

- Exatamente, agora... se você puder me dar licença, tenho uma festa para redigir.

Skyllar suspirou e saiu da sala do trono. Desejou que seu pai estivesse ali, e não numa reunião com seus tios em Domino. Até cogitou em querer a presença de seu implicante irmão ao seu lado, mas sabia que ele não voltaria para casa tão cedo. Talvez, com sorte, conseguiria retornar antes da Semana do Dragão, pois nesse evento, os gêmeos eram as estrelas.

A princesa saiu do castelo em suas roupas de combate e seguiu para o Arsenal. Não é uma novidade que Skyllar adora combate corpo a corpo, apesar de tecnicamente não precisar depois de ter descoberto seus poderes mágicos. Mas ela sempre amou e sempre amará usar sua espada e melhorar habilidades que sempre foram dela, uma herança genética de seu pai.

Ela entrou no arsenal. Estava vazio, o frio do outono sendo refletido ali dentro. Skyllar respirou fundo, como se respirasse ar puro, e adentrou. Seus passos reverberaram nas paredes enquanto ela observava as armaduras nas paredes. Ela seguiu até uma sala que dava para um galpão, onde ela sabia que encontraria sua velha armadura de prata e a espada de seu avô Oritel, que, apesar de ela não ter sido notificada, sabia que seria sua assim que se tornasse Rainha. Ela sorriu levemente ao pensar nesse tesouro em suas mão, para si.

A armadura parecia um pouco enferrujada, ou talvez era apenas a falta de costume de Skyllar usá-la. Se sentia livre de novo, desatrelada de seus pensamentos e preocupações com a escola, o reino. Tirou a espada de seu avô da caixa de cristal que essa ficava e a pôs em punho. Ela achava uma estratégia brilhante e irônica uma espada tão preciosa ficar num galpão velho da Guarda Real, mas fazia sentido para sua proteção: era o único bem da Coroa que não podia ser capturado por mãos erradas.

A platinada encarou os sacos de pancada pendurados na aula de treinamento e suspirou. Jogou todas as suas mágoas e seu estresse nos pobres sacos de pano e couro. Duas horas depois, o chão estava empestado de penas e algodão, o que não é novidade.

- Uou... me lembre de não te deixar brava, floquinho de neve...

Skyllar sorriu. A única pessoa que ela deixava a chamar assim era, claro, seu pai.

Ela se virou e viu o rei de Eraklyon: os olhos azuis com leves olheiras, as bochechas e o queixo barbudos, o cabelo loiro precisando de um corte de novo. Se Sky não fosse seu pai, ela suspeitaria que ele era um bárbaro perdido de seu povo. O sorriso do rei o deixou mais relaxada.

- Oi pai. - Ela conseguiu sorrir e se aproximou. 

- Como está sendo... seu dia...? - Ele perguntou, olhando para trás dela a bagunça de penas e algodão.

Ela deu de ombros. - Talvez não tão melhor que o seu.

Ele suspirou. - É... - Ele desviou o olhar. Skyllar percebeu que algo não parecia estar certo. Ela notou que as órbitas dos olhos de seu pai estavam mais frias. 

- Aconteceu algo na reunião? - Ela pegou a mão de seu pai, que aparentava uma força imensa, apesar da pele suave.

- Nada com o que tenha que se preocupar. - Ele sorriu, tentando tranquiliza-la e suspirou. - Que tal um duelo, hm? O vencedor paga um sorvete para o outro, fechado?

Skyllar não gostou daquilo. Quando seu pai desviava o assunto assim, era porque algo errado estava acontecendo. Mas ela suspirou e forçou um sorriso. Não queria forçar seu pai a falar agora, talvez ele só precisasse de um pouco de distração.

- Eu vou acabar com você.

________________________________________________________________________________________________________

Star sorriu ao por um alcaçuz na boca de Dexter. Ele foi o único dos meninos que não foi para a missão com Josh, não porque não seria capaz, mas sim porque queria passar mais tempo com ela. O piquenique que já durava desde o almoço estava deixando os dois relaxados com a tensão da ida de seus amigos à uma dimensão perigosa. 

Star pegou uma folha alaranjada do chão e sorriu. - O outono... eu só digo gostar do que vem depois porque minha melhor amiga domina muito bem a temperatura. - Ela riu e olhou para ele, os olhos esverdeados sorridentes por trás do vidro do óculos.

- É, eu prefiro o verão, acho que você sabe o porquê.

- Eu? - Star pensou um pouco. Ok, pensar não era seu forte, ela sempre deixou os enigmas e charadas para Dexter ou Skyllar desvendarem. - Não, não sei.

Ele se aproximou de seu ouvido, - Você fica só de biquíni...

Ela arregalou os olhos e riu. - Dex! Onde você aprendeu essas coisas?

Ele riu e beijou a bochecha da princesa. - Sorte a sua que os invernos de Solaria ainda faz possível entrarmos na piscina e ir na praia.

Ela olhou novamente em seus olhos. - Você é um namorado incrível... - Ela sorriu e beijou sua bochecha. 

Dexter a puxou para seus braços. - Você é uma namorada fenomenal... - Ele sorriu e observou o sol, querendo se esconder atrás das Montanhas do Oeste. Star se virou para ele e sorriu antes de trocarem um beijo apaixonado.

- Quer subir pra assistir um filme comigo? - Ela sussurrou ao levantar e espreguiçar.

- Claro minha morena, claro que quero.


Notas Finais


Espero escrever o próximo episódio e postá-lo daqui a dois dias.
A pandemia do COVID-19 me fez ter férias adiantadas, logo, usarei esse tempo para atualizar vocês e me atualizar.

Lavem as mãos hein?

~ Beijos, GbMr


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...