1. Spirit Fanfics >
  2. Winx Club: Another Dimension (Interativa) >
  3. Uma Fada em Gardenia

História Winx Club: Another Dimension (Interativa) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá gente. Eu decidi aumentar o tamanho do capítulo. Essa fic já agora será uma releitura da primeira temporada mas num universo alternativo com mudanças bruscas na história. Ficha nas notas finais. Boa leitura!!!

Capítulo 1 - Uma Fada em Gardenia


 Frustração dominava na mente de uma jovem ruiva que andava pelas ruas da grande e esbelta cidade de Gardenia acompanhada de uma outra jovem de cabelos esverdeados, que mais se assemelhavam a algas.

- Não acredito...- disse a jovem ruiva, de forma frustrada.- Não acredito que tirei cinco a português...- a mesma olhava desapontada consigo mesma para o chão, segurando os seus livros pesados nos dois braços. A rapariga era bastante esbelta. Tinha olhos azuis assim como a sua bandelete e o seu colete de ganga. As suas calças e o seu top eram amarelados como o sol. Em seus pés estava um par de sandálias amarelas. A rapariga de cabelos esverdeados que a acompanhava vestia-se completamente de negro. A mesma parecia uma gótica total. Numa tentativa de consolar a amiga, a jovem acariciou seu ombro, segurando uma pilha enorme de livros apenas com uma mão.

- Tem calma, Bloom. Vês que melhoras para a próxima!- disse com um sorriso de orelha a orelha. A rapariga ruiva de nome Bloom a olhou de forma mortal.

- Estás sempre a dizer isso, Selina! E eu tenho sempre estas notas baixas! Tu tiveste oito!- gritou a mesma, surtando com a amiga. Selina apenas revirou os olhos. Bloom parecia uma criança total, apesar dos seus dezasseis anos.

- Olha vou te ser muito sincera! Acho que deverias estudar mais e largar por um pouco essa ceninha que tu tens por fadas!- gritou a amiga de Bloom, já irritada com a infantilidade da mesma. A ruiva engoliu em seco e fuzilou a amiga com o olhar.

- Ei! As fadas são brutais! Estou a desenvolver agora uma história sobre uma fada chamada Azalea! Até escrevi sobre a minha história na redação do teste de português!- disse a mesma, ainda empilhando os livros. Selina a olhou de olhos arregalados.

- Já percebi que tiveste cinco... Não cumpriste o tema da redação.- disse já mais calma. Bloom apenas retorquiu de forma debochada.

- Aquele tema era tão chaaato... Nunca nos pedem para fazer temas interessantes...- disse a mesma olhando para o sol que já se punha no céu. De forma desprezível, Selina disse:

- O tema desta vez era interessante! Tu é que só pensas em fadinhas!- disse a mesma, dando uma leve pancada nas costas de Bloom que estava distraída. Essa pancadinha foi o suficiente para fazer a jovem ruiva estender-se no chão, derrubando a torre de livros que carregava. Uma forte dor atingiu seu joelho, fazendo uma lágrima cair sobre a calçada branca como cera. Selina, em pânico, derrubou também os seus livros para ajudar a amiga.- Bloom! Desculpa não foi por mal... Eu estava só a chamar a atenção e...

- Ora, ora, ora... Se não são a esquisita e a esquisitoíde.- uma jovem de cabelos negros cortou a fala da outra jovem. Ao ver aqueles olhos penetrantes protegidos por um par de lentes, Selina rangiu os dentes.- Parece que a esquisita, desmaiou no passeio. O que foi ela viu uma fada?- questionou a morena, rindo bem alto. Bloom apenas a olhou com raiva, no meio de um mar de lágrimas. Selina apenas se ergueu e se dirigiu á rapariga que fazia troça de ambas.

- É melhor que cales a boca, Mitzi!- disse Selina de braços cruzados.- Nunca caíste na vida?

- Eu nunca caí porque ando com sapatos decentes, ao contrário da tua amiguinha que usa umas sandálias da loja dos trezentos.- disse desprezando a maneira como Bloom se vestia, fazendo a mesma olhar com ainda mais raiva pra a morena. Com uma voz dolorida, Bloom interveio:

- É melhor parares... Mitzi...- disse a ruiva, se sentando de mão em volta do joelho. Mitzi apenas sorriu de canto com desprezo.

- Uau, parece que a fadinha despertou!- disse rindo do facto de Bloom ter estado calada e agoniada pela dor. A amiga de Bloom apenas a olhou com vontade de a espancar. Selina não suportava Mitzi desde que a conheceu. Sempre chocaram uma contra a outra, se tornando grandes rivais. Por impulso, Selina agarrou a gola do top verde listrado de Mitzi, que arregalava seus enorme olhos.

- Oh, compradora de Louis Vuitton! É melhor meteres-te na tua vida a não ser que queiras sair de cara partida!- gritou a jovem de cabelos esverdeados, largando de seguida Mitzi que caiu de rabo na calçada, olhando amedrontada para Selina. A jovem de cabelos esverdeados era bastante calma, porém protetora com seus amigos. Era bastante leal, porém sempre se envolvia em conflitos para os defender. Selina apontou para o fundo da rua, olhando com seus olhos roxos de forma penetrante na alma de Mitzi.- Pira-te!- gritou. A sua rival assim o fez, correndo apressadamente para o fundo da rua com fobia de Selina. Quando Mitzi estava longe o suficiente, Selina suspirou de braços nas ancas. De seguida, a jovem apanhou todos os livros que lhe pertenciam e os livros da amiga, que olhava para ela de forma lacrimejante. Com um sorriso, ela estendeu uma enorme pilha de livros para Bloom.

- Desculpa, não queria te magoar.- disse Selina, desapontada consigo mesma.- Achas que consegues andar assim até casa? Queres que te leve os livros?- questionou preocupada com a amiga. Bloom acenou negativamente, a cabeça, limpando suas lágrimas de seguida.

- Não é necessário. Isto apesar de me estar a doer, não me faz diferença. Não quero ver-te a levar uma rapariga ferida e duas toneladas de livros.- disse rindo de forma fraca. Selina sorriu e abraçou a amiga, assim ambas tomando rumo na direção que Mitzi tinha ido.

Bloom e Selina chegaram em frente de uma humilde e simples casa. A jovem ruiva parecia nervosa, não só pela mancha de sangue em seu joelho que manchava as suas belas calças, mas também pelo que seus pais iriam dizer a cerca da nota da filha. Os olhos de Bloom paralisaram ao ver a porta. Calma, Selina colocou uma de suas mãos no ombro da amiga.

- Se quiseres podemos dar uma volta antes de contares aos teus pais a tua bela nota.- disse Selina rindo do stress que a melhor amiga carregava. Bloom apenas engoliu em seco.- Podemos ir ter com a senhora Eldora e desenhar no quintal de Legunias dela.- disse tentando alegrar mais a amiga. Porém em vez de esboçar um sorriso na face, lágrimas caíram sobre Bloom.

- Eu até queria ir... Mas já sei que não posso porque vou ficar de castigo... E se for até á casa da senhorita Eldora, os meus pais vão se chatear ainda mais.- de súbito, Bloom largou seus livros no chão se abraçando a Selina. Selina fez o mesmo e abraçou a melhor amiga. Um sentimento de pena via-se nos olhos da jovem. Os pais de Bloom eram bastante simpáticos porém quando Bloom tinha notas baixas, os mesmos não eram piedosos com os castigos.

- Então ficas aqui e ouves um enorme raspanete?- questionou Selina, pegando de novo em seus livros. Bloom olhou para a estrada de forma desapontada.- Ok, então... Eu vou me embora.- disse percebendo aquele olhar de Bloom a dizer que não poderia.- Então, adeus Bloom.- disse a jovem que começou a andar. Porém, Bloom a chamou.

- Selina, espera...- a sua melhor amiga olhou para ela, confusa.- Porque não ficas aqui até á hora de jantar?- questionou a jovem ruiva.- Assim, poderia desabafar mais contigo...- Selina sorriu e assentiu com a cabeça. Virando-se para trás, Selina disse:

- Muito obrigada pelo convite! Achas que o Mike e a Vanessa iriam se importar?- perguntou a Bloom. Porém em vez de seu ouvir uma voz fina e doce, ouviu-se uma voz masculina e grave.

- Claro que não, Selina. És como nossa filha!- disse um homem louro que abrira a porta da casa de Bloom. A jovem ruiva olhou de olhos arregalados para o homem. Não esperava ver o seu pai em casa tão cedo. Sorridente, o homem se aproximou de Bloom e lhe despenteou o cabelo.- Olá, minha pequenina! Como foi o dia de escola hoje?- questionou o homem. Bloom queria mentir... Porém eram os seus pais. A jovem olhou relutantemente para Selina, que afirmou com a cabeça.

- Não muito bem...- disse com uma voz desiludida. O pai de Bloom tirou logo o seu sorriso da cara.

- O que tens, pequenina?- para o seu pai, Bloom sempre foi a sua pequenina. Mesmo com dezasseis anos, a ruiva gostava que ele a chamasse assim. Bloom fez um sorriso numa tentativa de tapar a sua tristeza.

- É que... Eu tive outra vez cinco a português...- disse a jovem, olhando para Selina que olhava com pena. O homem cruzou os seus braços e olhou para a filha com um ar de reprovação.

- Bloom... Tu tens de estudar mais, amor. Tens de organizar os teus estudos melhor... Tens de deixar essas coisas das fadas por um bocadinho... Já és velha demais para isso...- disse abraçando a filha que já esperava um castigo. Apesar do seu pai não a apoiar tanto nesse assunto de fantasia, a ruiva não replicou para não faltar ao respeito de seu pai. Numa voz trémula, Bloom disse:

- Vais me por de castigo?- questionou a jovem já a prever que não poderia assistir televisão, jogar videojogos ou sair com as suas amigas. Porém o homem disse algo que a surpreendeu.

- Não, querida... Quero que aproveites a tua adolescência. Não é preciso estares sempre de castigo, já que notei que não aprendeste a lição.- disse tocando no nariz da filha, sorrindo. Um leve sorriso se fez na face de Bloom. Selina ria de braços cruzados. Os pais de Bloom eram um amor de pessoa. Porém Selina não poderia dizer o mesmo dos seus já que não sabia quem eram. Selina era órfã quer de pai, quer de mãe, vivendo perto de Eldora, uma senhora simpática que era constantemente visitada pelas amigas.

O pai de Bloom, então, disse:

- Bom, vamos entrar. A tua mãe já está lá dentro a cortar os legumes para a sopa.- ao ouvir a palavra "sopa", Bloom fez uma cara enojada.- Bloom, sopinha faz bem!- disse erguendo um dedo no ar. Selina apenas ria da face de Bloom, que mais parecia de uma criança. A jovem ruiva então pegou em todos os seus livros e entrou na sua esbelta e humilde casa seguida por seu pai e por Selina. Quando chegaram a casa colocaram as enorme torres de papel numa mesa da sala.

Na cozinha da casa, estava uma mulher de cabelos castanhos e curtos. A mesma vestia um avental e por baixo, umas roupas simples. A mulher cantarolava alegremente cortando os vegetais, que ficavam na tábua de madeira esperando para serem colocados na panela que já tinha a água a ferver. O pai de Bloom se aproximou da mulher, a abraçando por trás.

- Cheira tão bem, Vanessa.- disse sentindo apenas o cheiro da água fervida. Vanessa, a sua esposa, notou que seu marido a estava a lamber as botas, por isso replicou.

- Mike, ainda cheira apenas a água fervida.- disse Vanessa, cortando uma cenoura às rodelas. Bloom e Selina que olhavam no corredor começaram a rir da forma que Mike olhava para Vanessa: sem jeito e de olhos esbugalhados. Para fugir daquele assunto humilhante, Mike retorquiu:

- Bem, querida. A Bloom já chegou da escola e trouxe uma visita para jantar.- disse mostrando Bloom que sorria, assim como Selina. Vanessa sorriu e se aproximou da filha, porém ficou paralisada ao ver uma enorme mancha de sangue nas calças da mesma.

- Filhinha! O que aconteceu á tua perna?- questionou a sua mãe, preocupada se ajoelhando para observar. Bloom queria mentir para proteger Selina, porém antes sequer se abrir a boca, a melhor amiga a protegeu.

- Fui eu sem querer, senhora Peters. Sinto muito...- disse bastante desiludida com o facto de ter deixado amiga desabar na calçada mesmo em frente de Mitzi. Vanessa Peters sorriu para a melhor amiga de sua filha.

- Não tem mal, Selina. Os acidentes acontecem. E que sejas muito bem-vinda para jantar.- disse Vanessa acariciando a filha. Mike se aproximou também de sua família.

- Bloom! O que aconteceu ao teu joelho?! Eu nem notei! Desculpa, pequenina!- disse fazendo um drama descomunal. Bloom, incomodada com os gritos do pai, falou de forma ríspida.

- Pai! É só um arranhão!- Selina interveio no meio da conversa da amiga com seu pai.

- É só um arranhão mas tu ficaste a chorar durante muito tempo no chão!- disse Selina, rindo. Bloom olhou para a melhor amiga de forma fuzilante.

- Bem, Bloom é melhor cuidares da tua ferida. Vai lá para cima.- ordenou Vanessa. Bloom assim o fez, subindo lentamente as escadas. Preocupada, com a amiga, Selina decidiu ir atrás.

- Eu também vou, senhora Peters. Ela deve de precisar de ajuda.- disse a melhor amiga de Bloom. Vanessa e Mike assim sorriram, vendo duas amigas tão unidas se acompanharem tanto.

Sons de vidro a quebrar se ouviam do outro lado da parede. Gritos e estalos fulminavam numa sala enorme. Do lado dessas quatro paredes, uma jovem loura chorava sem cessar. O divórcio a fazia se sentir mal. A mesma abraçada, ao seu travesseiro, chorava e soluçava.

"Porquê pai... Porque traíste a mãe?!"- questionou-se a loura. A mesma era bastante bela. Tinha uma enorme coroa em sua cabeça, e se vestia como uma autêntica princesa, com um vestido branco e alaranjado adornado de flores amarelas. De súbito, uma porta se ouviu abrir. Era a porta do enorme salão, do qual saiu uma mulher loura com um vestido azul e branco. A mesma portava um sorriso cabisbaixo e uma catarata de lágrimas em sua face. A mulher entrou silenciosamente no quarto, olhando para a jovem de figura destroçada e tristonha. A princesa que chorava a prantos não notou na presença daquela esbelta mulher sentada a seu lado.

- Stella...- disse a mulher de forma doce. A princesa de nome Stella fitou seriamente a mulher. Que tentava mostrar um sorriso como máscara para esconder a sua dor e sofrimento.- Não chores, minha filha...- disse a mesma acariciando os cabelos dourados da rapariga, que se abraçou fortemente a ela.

- Como é possível não chorar, mãe... Eu não quero que vocês se separem!- gritou a mesma frustrada, chorando baba e ranho. A mulher suspirou.

- Stella... Tu sabes que eu e o teu pai já não estamos bem há muito tempo... Nós precisamos de andar em frente. Em breve, terás uma nova madrasta.- disse tentando confortar a filha, porém a situação piorou. Stella bradou bastante alto.

- Eu não quero uma madrasta! Eu quero-te a ti, mãe!


Notas Finais


Modelo de Ficha:

Nome:
Idade:
Sexo:
Aparência:
Personalidade:
Sexualidade:
Local de nascença:
História:
Poder:
Arma:
O que ele é (fada, bruxa, especialista...):
Transformações que possui:
Coisas que gosta:
Coisas que detesta:
Animal de Fada* (caso tenha o Butterflix):
Selkie* (caso tenha o Harmonix ou Sirenix):
Curiosidades:


Qual vossa transformação das Winx favorita?

Meu top 3:

1. Mythix
2. Harmonix
3. Bloomix


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...