1. Spirit Fanfics >
  2. Wish Granted-Imagine Suho(EXO) >
  3. Cap. 7

História Wish Granted-Imagine Suho(EXO) - Capítulo 7


Escrita por: e BiiaYang


Notas do Autor


Oiii amores, tudo bem?
Mais um capítulo fresquinho aqui pra vocês❤️
Créditos para a @BiiaYang que escreveu o capítulo

GENTE, SOMOS 100 FAV!!! Muito obrigada de verdade por todo o amor e carinho pela fanfic💜💜

Capítulo revisado, mas pode conter erros, então, me perdoem
Boa leitura 😍

Capítulo 7 - Cap. 7


Quando nossos corpos se separaram, saí nadando imediatamente para a margem da cachoeira, saindo das belas e preciosas águas que pareciam ferventes depois do meu beijo com Junmyeon.

Por deus, não conseguirei esquecer isso tão cedo, pior que não gosto nem um pouco da idéia de ter esse idiota vagando pelos meus pensamentos.

Suspirei fundo, tentando ao máximo manter minha sanidade mental, rezando mentalmente para esquecer esse maldito momento, o motivo pelo qual fiquei excitada pela primeira vez na minha vida, acho que por ser a primeira vez só torna essa situação memorável até demais, mais do que eu gostaria.


—Sabia que eu tenho uma bela visão da sua bunda, com você de pé desse jeito? –Junmyeon comentou provocativo, enquanto saia da cachoeira, indo pegar suas vestes dobradas no chão.

—Não me lembro de ter lhe dado permissão para me observar, seu idiota pervertido! –Resmunguei enquanto pegava meu vestido para vestir, quando senti um impacto de uma mão na minha bunda, fazendo-me soltar um gritinho de surpresa. —Você bateu na minha bunda? Quem diabos você pensa que é? –Viro-me em sua direção, olhando-o incrédula.

—Eu já olhei, já apertei, e agora tive um desejo imenso de lhe dar uma palmada, então eu não quis passar vontade! –Ele piscou em minha direção, se há alguns segundos atrás eu estava excitada essa sensação evaporou de imediato, restando apenas a minha irritação. — Sua bunda estava branquinha demais, faltava algo…a marca da minha palma nela caiu como uma luva. –Deu de ombros, respirei fundo tentando ignorá-lo pois se eu não tentasse pelo menos ficar calma com certeza poderia matá-lo e deixar o seu corpo boiando dentro dessa cachoeira.

Revirei com os olhos, não me dando o trabalho de respondê-lo.

Vesti meu vestido tratando de esconder novamente o punhal, fiz um coque em meu cabelo molhado. Tento amarrar o corset, peça que fazia parte do vestido que ficava em minhas costas, porém sem sucesso.

—Deixa que eu te ajudo! –Ele se aproximou e eu pude sentir o calor do seu corpo perto do meu. O desgraçado respirou perto da minha nuca, o que fez meus pêlos se arrepiarem enquanto ele puxava as amarras devagar, apertando a minha cintura. —Pronto! –Exclamou por fim se afastando.

—Obrigada –Agradeci em um tom de voz baixo. —Já podemos ir? Como eu disse antes, ainda tenho coisas para fazer quando retornar.

Ele riu soprado, prensando seus lábios enquanto me olhava.

—Porque você está rindo? Tem algo de errado no meu rosto? –Pergunto com a sobrancelha arqueada.

—Digamos que eu fiz um pequeno acordo com seu pai, que eu te levaria de volta para casa apenas amanhã! –Ele riu enquanto me contava, deixando-me incrédula —Não me olhe assim, seu pai gostou muito da lábia de bom moço que eu fiz para ele. –Completou convencido.

Arregalei levemente os olhos de raiva, fecho os punhos e tento acertar socos nele, mas ele conseguiu desviar habilmente de todos.

—Seu cretino desgraçado, quem lhe deu permissão para fazer tal coisa, huh? –Resmungo raivosa. —E você por acaso acha que eu quero passar a noite com você? Deverei matá-lo e jogar o seu corpo em algum lugar desta mata. –Tento acertar um soco em sua cara, mas ele segura minhas mãos.

—Pelo que me lembre, você tem que fazer minhas vontades por um mês –Ele me puxou pra perto e roubou um selinho meu, no qual sem nem mesmo dar conta foi retribuído por mim, fazendo o sorriso daquele cretino aumentar ainda mais.

—Você trapaceou, fez um jogo sujo –Bufo alto me afastando dele. —Aish tenho mesmo que ir com você? não tenho nenhuma outra opção? –O encaro esperançosa.

—Não –Ele riu voltando a se aproximar de mim—Vamos logo, nossa noite será deveras divertida –Pegou minha mão novamente e entrelaçou nossos dedos, me puxando para a trilha que dava de volta para o seu chalé.

O caminho na volta foi meio silencioso, não conversamos nada ou ao menos teve alguma gracinha da parte dele. E eu até preferi assim, o som das folhas secas no chão quando pisamos nelas é bem melhor.

—Chegamos –Ele disse, soltando minha mão para abrir a porta de seu chalé, e assim que abriu, fui a primeira a entrar, sendo seguida por ele.

Ele fechou a porta e trancou por precaução.

—Só quero tomar um banho e tirar um bom e velho cochilo, estou exausta. –Falei suspirando, tirando meus sapatos que estavam machucando meus pés por estarem molhados da água da cachoeira.

—Sabe que vai ter que ficar pelada ou vestir uma das minhas roupas, certo?! –Ele indagou divertido.

—Se é assim então prefiro ficar pelada! –Disse simplista, vendo os seus olhos brilharem em resposta. —É claro que não vou, cretino, até porque sei muito bem que você tentaria se aproveitar do meu corpo. –Revirei os olhos quando ele suspirou tristemente, me fazendo prender um riso.

—É claro que não vou –Junmyeon falou com um tom de voz manhoso, e quando ia o responder, fui interrompida por barulhos fortes vindo da porta.

Junmyeon logo tratou de ficar sério puxando-me em sua direção sinalizando para que eu ficasse em silêncio.

Em questão de segundos a porta veio ao chão, revelando cinco homens que adentraram o chalé com sorrisos largos no rosto, pelo cheiro quatro deles tratava-se de humanos, juntamente com eles, estava um lobo ômega.

ㅡ Achou que iria escapar facilmente de nós Suho? –O que parecia ser o líder perguntou ironicamente, senti Junmyeon ficar tenso, e a temperatura do seu corpo aumentar. — Vejo que está acompanhado, essa parece ser diferente nunca o vi trazer as outras vadias aqui essa é a primeira… ela é mesmo uma gracinha! –Sorriu para mim o que me deixou enojada.

ㅡ O que você quer ? Seja lá o que você tem para resolver isso cabe somente ao meu pai! –Respondeu em meio a um rosnado, fazendo todos os homens ali presente rirem.

ㅡ É exatamente aí que você se engana meu caro… amarrem ele e essa bela moça. –Ordenou a dois de seus capangas que logo se aproximaram de nós dois, quando ameacei resistir o Junmyeon apertou o meu braço impedindo-me.Um dos homens me arrastou para longe de Suho, e usando uma corda amarrou os meus braços atrás do meu corpo. ㅡ Você é ainda mais linda de perto, seu cheiro também é delicioso! –Disse cheirando o meu pescoço, roçando o seu nariz na minha pele, virei o rosto encarando o Suho, seu olhar era tão fácil de se ler.

Não acredito que vou ter que fazer o papel de uma donzela frágil.

ㅡ N-não me machuque por favor, eu dou o que você quiser...e-eu sou filha do marquês Lee Seojun! –Implorei fingindo estar morrendo de medo, tive uma vontade enorme de arrancar a sua orelha com os meus próprios dentes quando senti a sua língua em contato com a minha pele.

ㅡ Deixe-a fora disso Hanjoo, ela não tem nada haver com toda essa merda! –Junmyeon se intrometeu, chamando a atenção dele que estalou a língua.ㅡ Seu problema é comigo, então aja como homem...se é que você é um! –Indagou o provocando, o tal de Hanjoo se levantou e andou na sua direção acertando um soco em cheio na face fazendo o seu corpo cair no chão, aproveitei a sua distração para alcançar o punhal o escondendo nas minhas mãos.

ㅡ Você é um maldito imbecil, você dormiu com a minha irmã mesmo sem ter nenhuma intenção de se casar com ela...ㅡAcertou um chute na sua barriga, exatamente no local em que está a sua ferida. Então é por causa disso que eles estão aqui?

Junmyeon é mesmo um bastardo miserável.

Comecei a cortar a corda quando ele voltou a bater em Suho, dessa vez várias e várias vezes seguidas. –Vou paga-lo na mesma moeda, essa mulher parece ser importante para você, e pelo cheiro ela ainda é virgem! –Ergueu Junmyeon pela camisa, fazendo-o olhar para mim.

ㅡ Não se atreva...tocar nela! –Disse com dificuldade, mas o conhecendo sei que tudo é puro fingimento, ele estava tramando algo porém não vou espera-lo agirei assim que esse idiota vir até mim, os outros capangas estão ocupados demais revirando o lugar essa é a minha chance. —E-eu juro que eu te mato, está me ouvindo?! –Tentou se soltar, porém não conseguiu tendo o seu corpo arremessado em direção a estante de livros.

ㅡ Agora sim, poderemos nos divertir um pouco, docinho! –Iniciou passos em minha direção esperei um pouco até ele estar a alguns centímetros de distância, me levantei em um movimento rápido acertando um soco com toda a minha força no seu rosto, fazendo-o dar alguns passos para trás, dei outro soco no seu abdômen, outro em sua garganta, por fim me posicionando atrás dele colocando o punhal no seu pescoço.

ㅡ Tem razão docinho, que a diversão comece! –Debochei segurando firme a lâmina na sua garganta quase cortando a sua carne, assim um dos seus homens apareceu apontando a espada em minha direção. —Tem certeza de que quer fazer isso? Não quer ser responsável pela morte do seu chefe quer? – Coloquei ainda mais pressão sobre a faca, ouvindo Hanjoo resmungar de dor.

ㅡ Quando eu conseguir me libertar juro que vou acabar com você, sua vadia desgraçada! –Falou alto, me irritando. Odeio que se refiram a mim de forma tão baixa, então chutei forte a sua perna fazendo ele se ajoelhar diante de mim. ㅡ O que você está fazendo aí de pé, chame os outros imediatamente! –Gritou raivoso, rosnando alto tentando me assustar.

No mesmo momento o escutei um estalar de ossos, misturado a grunhidos e rosnados. o cheiro do Junmyeon ficou mais intenso, assim um lobo enorme, com pelos alaranjados e olhos amarelo ouro tão intenso quanto o seu cheiro, ele veio ao nosso encontro em passos lentos, seu olhar tinha um único foco; o Hanjoo.

O mesmo ao menos tentava esconder o quanto estava apavorado nunca pensei que um macho ômega pudesse ser tão covarde, porém não o julgo por isso ele é um ômega então era normal ele estar nesse estado diante da presença esmagadora de um alfa ainda mais, como Junmyeon.

ㅡ Você demorou, estava quase arrancando a garganta deste bondoso cavalheiro! –Reclamei o empurrando em direção ao Suho, pelo barulho que ele emitiu com certeza estava debochando de mim. — Não me olhe com essa cara, eu entrei nessa bagunça por culpa sua, seu cretino! –Vociferei chutando o Hanjoo que ameaçou se levantar do chão, mesmo no seu estado.

ㅡ O-o q-que vocês irão fazer comigo? –Perguntou em desespero, por outro lado eu apenas o ignorei percebendo que o resto dos seus homens já estava ali, quando viram o Junmyeon em sua forma de lobo ficaram horrorizados e paralisados de medo.

Em um movimento rápido o Suho correu até eles pulando em um agarrando o seu braço com os dentes o jogando para longe, enquanto os três outros passaram por mim correndo em total desespero. ㅡ V-veja bem N-nós podemos conversar, e resolver isso huh? Esqueceremos de tudo. –Arrastando o seu corpo, tentando de alguma maneira fugir de Suho, o que era quase impossível já que ele estava a um palmo de distância dele.

Quando pensei que ele iria matá-lo, para a minha surpresa Junmyeon retomou a sua forma humana. Ficando completamente nu assim como veio ao mundo diante dos meus olhos, senti as minhas bochechas esquentarem porém não desviei o olhar, seu corpo era realmente digno de um deus.

ㅡ Eu disse para você não se meter no meu caminho, eu sou algo que você não pode e nunca poderá compreender… você achou mesmo que me deixando ferido eu seria uma presa fácil? –Se agachou perto do homem que estava tremendo mais que as folhas das árvores com a ventania, seus olhos pareciam que a qualquer momento saltariam do seu rosto, a batida do seu coração estava acelerada ao ponto de deixar-me quase surda. —Não vou matá-lo...com sorte você acabe enlouquecendo por não ser nem metade de um alfa gostosão que eu sou, ou pegando uma peste que leve a morte em outras palavras deixarei você ir embora. –O levantou do chão com só um impulso.

ㅡ O-o que ? –Se enrolou nas palavras, e Junmyeon apenas revirou os olhos e rosnou para ele e isso foi o suficiente para que não apenas ele, mas também o seu capanga antes caído no chão corressem porta a fora.

Fiquei alguns minutos parada, olhando para a porta, mas não senti mais o cheiro deles, o que significa que eles já estavam longe o suficiente.

—Finalmente eles foram –Junmyeon se pronunciou e olhou pra mim, encontrando meu olhar de raiva sobre ele. —Por que está me olhando assim?

Nem ao menos o respondi, quando deposito um chute em sua parte íntima, o ouvindo urrar de dor.

—Ai S/N! Meu precioso não! –Ele grunhiu de dor, encarando-me. —Como vamos nos reproduzir desse jeito? –Mesmo estando numa situação difícil, ele não deixava aquele jeitinho irritante dele de lado.

—Você é mesmo um Don Juan desprezível, como pôde fazer isso?! –Questiono raivosa, começando a dar-lhe vários tapas. —Não teve ao menos coragem de me contar a origem de seu ferimento!

—Eu não queria te envolver nisso –Ele se justificou, mas continuei a bater nele, fazendo-o andar pra trás até o sofá.

—E você me colocou nessa situação com o irmão da sua amante de merda! –Rosno alto, vendo ele cair sobre o sofá, e no mesmo momento eu caí por cima dele, pois, continuava a bater no alfa.

—Para de me bater! –Ele segurou minhas mãos e me olhou. —Eu nem ao menos me lembro dela direito –Junmyeon riu e eu revirei os olhos. —Mas você... –Ele me olhou de cima a baixo e eu acompanhei o seu olhar, vendo que estava sentada em seu quadril, e ele abaixo de mim totalmente nú. —Vou me lembrar direitinho se continuar sentada em mim desse jeito –Ele deu um sorrisinho malicioso em minha direção, oque fez meu rosto corar novamente naquele dia.


Notas Finais


Foi isso por hoje, pessoal hehehehehe

S/N se faz de durona mas gosta do Suho peladinho😏

Comentem oque acharam, por favorzinho, é super importante!

Link do grupo: https://chat.whatsapp.com/K12Lneo93hLIeg5rBfdL6X

Link da minha outra fanfic: https://www.spiritfanfiction.com/historia/almas-destinadas-imagine-xiuminexo-20560500


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...