História Wishing Groom - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Danielle Campbell, Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Casamento, Danielle Campbell, Justin Bieber, Noivo, Only_hope, Romance, Sexo, Traição, Wishing Groom
Visualizações 917
Palavras 1.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello People!
Nem eu estou acreditando que estou postando capítulo tão rápido assim. Mas vamos torcer pra eu continuar tendo essa disposição pra postar rápido. Hahaha

Faltam apenas 7 capítulos agora e o capítulo nove já está em andamento. Então deve sair muito em breve também.

Boa leitura! ❤

Capítulo 8 - I Can Not


Fanfic / Fanfiction Wishing Groom - Capítulo 8 - I Can Not

Isabella Laurent

Por mais que eu dissesse a mim mesma que não iria mais ser fantoche da minha irmã, no final acabava concordando com sua vontades.

Era uma degustação de noivas, com diversas decorações diferentes, alguns doces finos e flores de várias formas. 

Naila estaria ali, se não fosse sua incrível viagem que a impedia. Me fazendo mais uma vez ocupar o seu papel e escolher as coisas do casamento. 

Com esse teste drive de noiva, eu só conseguia imaginar que não queria que minha vez chegasse. Porque seria como ter um novo casamento, sendo que eu nunca tive um.

Às vezes era estranho ser a irmã mais velha e ver a mais nova prestes a subir ao altar, enquanto eu nunca tive um namoro duradouro, algo que me levasse sequer próximo de um noivado. 

Talvez fosse admiração ou até um pouco de inveja, mas eu me sentia mal por ver meus pais tão felizes e orgulhosos pelo casamento da minha irmã. 

— Naila. — ouvi a voz da organizadora, me chamando. Mas invés de corrigi-la, eu apenas concordei.

— Sim. 

— O seu casamento será na igreja ou em um ambiente aberto? Era sua dúvida na última vez que nos falamos por telefone.

— Eu gosto bastante da ideia de um casamento na praia, uma coisa mais clara e simples. — dei minha opinião pessoal. 

— Mas pela nossa conversa eu entendi que você e seu noivo estavam interessados em algo mais chique. Trocaram de ideia?

— Sim, exatamente. Pela minha família e pelo meu noivo, acho que a igreja é mais elegante e tradicional. 

— Tenho umas igrejas lindas para lhe mostrar. — sorriu. — E também alguns salões de festa extremamente chiques.

— Poderia mandar as fotos por e-mail? Acho importante a participação do meu noivo nessas decisões. — respondi, sabendo que essa era uma decisão de Naila e não minha.

— Claro. Acho importante a participação dos futuros maridos nesses momentos.

— Bom, já escolhemos as cores das flores e os modelos. Os doces finos eu já reservei com uma outra doceira, mas iremos encomendar os bem casados com a senhorita. — sorri educada.

— Claro, como preferirem. Enfim, finalizamos aqui. — levantou-se e eu fiz o mesmo, a abraçando, despedindo-me.

Após deixar o ambiente de trabalho da organizadora, fui até o escritório onde trabalho e peguei os papéis importantes para revisar. 

Depois de fazer exatamente tudo que meu chefe pediu, enviei tudo para o departamento de contabilidade para eles revisarem. 

Enquanto eu trabalhava, Naila me enchia de mensagens, perguntando sobre os preparativos do casamento dela e pedindo opiniões sobre as roupas que ela havia comprado.

Bieber também me mandou mensagem, dizendo que queria conversar comigo. Pediu para passar em seu apartamento, se não, ele iria até minha casa. Mas eu apenas o ignorei. 

— Isabella, eu posso conversar com você por um segundo? — Jhonny, meu chefe, me chamou.

— Claro, senhor. — fui até sua sala, a qual ele fechou a porta em seguida e sentou-se à minha frente.

— Bom, tenho uma proposta irrecusável para lhe fazer. — sorriu amigavelmente. 

— Do que se trata?

— Como sabe, estou abrindo uma nova empresa em Phoenix. O escritório tem sido muito procurado nos últimos tempo e por isso decidimos expandir os negócios. 

— Acho que foi o melhor que o senhor fez. Empresas de marketing só tendem a crescer cada vez mais.

— Concordo com a senhorita. E por conta disso, gostaria muito de tê-la em nossa nova equipe de Phoenix.

— Como assim? — indaguei.

— Quero transferi-la. Como minha assistente há anos, acho que tem potencial para administrar a empresa de frente. 

— O senhor quer que vá para Phoenix pra ficar a frente de tudo? — indaguei incrédula. 

— Exatamente. Preciso de alguém da minha confiança por lá, já que não poderei estar sempre viajando.

— Meu Deus, essa é uma proposta muito tentadora e...

— Difícil, suponho.

— Muito.

— Por conta disso lhe darei uma semana para me dar uma resposta. Neste meio tempo você pode se afastar do escritório, considere-se de férias. — sorriu mais uma vez.

— Não tenho nem palavras para agradecer a oportunidade que o senhor está me dando.

— Você tem muito talento, Isabella. Por isso estou apostando minhas fichas em você. Não me decepcione e pense muito bem nesta proposta. 

— Pensarei. Muito obrigada!

• • •

Durante o jantar meus pais conversavam animados, colocando todos os assuntos em dias. Como mamãe ter sido promovida no restaurante que trabalha e papai contente por finalmente ter fechado contrato com uma empresa importante. 

Enquanto eu jantava calada, pensando em inúmeras alternativas que estavam sendo colocadas em minha frente. 

Aceitar transferência e mudar de cidade, poderia ser uma boa ideia, mas também uma péssima. Não havia uma garantia que tudo ocorreria bem e daria certo, mas por outro lado, era uma chance que estava tendo. 

Um modo de seguir com minha vida, esquecer de vez o cara que amo e deixá-lo livre para ser feliz, juntamente da minha irmã. 

— Por que está tão calada, minha filha? — meu pai perguntou, atraindo minha atenção.

— Estou pensativa, apenas.

— Aconteceu algo, querida? — foi a vez de minha mãe querer saber. 

— Digamos que sim. 

— Nos conte. Está me deixando curioso.

— Meu patrão me ofereceu uma grande oportunidade. Ele está abrindo uma nova empresa em Phoenix e me quer a frente da mesma.

— Que notícia maravilhosa! Isso mostra que ele confia cegamente em você. Tem noção de como isso será ótimo para seu currículo? — meu pai perguntou animado.

— Sim, eu tenho, pai. Mas é uma decisão muito importante, requer um tempo para decidir.

— Você sabe que tem nosso apoio, independentemente da sua escolha. — minha mãe disse, apoiando-me.

— Parabéns, filha, você realmente merece. — sorri para meu pai e assenti, em forma de agradecimento. 

Depois do jantar subi para meu quarto e vi que havia mais mensagens de Justin em meu celular, assim como algumas ligações perdidas. Entretanto, continuei a ignorar. 

Mas inesperadamente, quando eu estava quase dormindo ouvi o barulho da porta abrindo e vi que Justin estava dentro do quarto, fechando a porta.

Em um pulo, me sentei na cama assustada e ele acendeu a luz.

— O que está fazendo aqui? — inquiri nervosa.

— Nós precisamos conversar.

— Nós não temos mais nada para conversar. Acabou! — me levantei e andei até a porta, com o intuito de abrir e expulsá-lo. 

Mas Bieber segurou em meu braço e me colocou colada à parede.

— Me solta. — pedi, sentindo-o apertar meu braço. 

— Você não pode me deixar.

— Eu nunca o tive.

— Óbvio que teve. Você me tem.

— Por favor, vai embora. — ele soltou meus braços e aproximou seu rosto do meu, porém eu o virei.

— Não. Me deixa ficar. — sai de seus braços, e parei ao lado da cama.

— Eu te amo, Isabella. Quero ficar com você. Por favor não me deixa. — implorou.

— Para. Para com isso! Você tem a Naila, é ela quem você ama. É com ela que você irá se casar.

— Eu desisto de tudo. Vou pedir pra cancelar o casamento, apenas para ficar com você. 

— Não seja louco. Você está sendo precipitado. 

— Eu não estou sendo. Só agora pude perceber o quanto te amo e que é com você que quero ficar.

— Vai embora. — pedi mais uma vez.

— Por favor, Isabella. 

— Não, Justin! Não me faça implorar, você precisa ir embora agora.

Ele relutou, continuou parado em minha frente. Enquanto eu não conseguia mais ter reação. 

— É a última vez que eu te peço isso. Sai daqui. 

Naquele segundo que eu percebi que Justin estava se controlando para não desabar em lágrimas. 

E foi exatamente esse o meu ponto fraco. Chorei silenciosamente em sua frente, o vendo fazer o mesmo. 

Eu o amava.

Ele me amava.

Mas não podíamos ficar juntos. 

— Não acaba comigo. — pediu com a voz fraca.

— Você já fez isso.

— Nos de apenas mais uma chance. Por nós. — ele deu um passo em minha direção e eu recuei.

— Eu não quero ficar com você. 

— Lógico que você quer. Não minta.

— Se você não sair daqui agora, eu vou gritar, Justin.

Ele negou com a cabeça, secou suas lágrimas e saiu do meu quarto, batendo a porta com força. 

Me joguei na cama e simplesmente chorei a noite inteira. 

• • •

Pela manhã, estranhei a barulheira que vinha do andar de baixo. Era muita falação e risadas. Olhei no relógio na cabeceira da cama e vi que passava do meio dia. 

Tomei um banho antes de descer e descobrir que tudo não se passava da volta de Naila para casa. Soube disso por conta de suas malas espalhadas pela sala.

Ao entrar na cozinha encontrei meus país e minha irmã conversando. Ela contava sobre a viagem e os desfiles. Parecia até uma outra pessoa, tão animada que estava.

— Isa! — me abraçou assim que me viu e eu retribui. — Trouxe vários presentes pra você, acho que irá adorar. — sorri para a mesma, após soltá-la.

— Vejo que a viagem foi muito divertida. 

— Sim, você não tem noção do quanto. Mas senti saudade de vocês. — disse sentando-se na cadeira, assim como eu. — Vou ligar e chamar Justin para almoçar conosco. Estou morrendo de saudades do meu noivo. — estremeci com suas palavras.

— Falando em Justin, o que ele veio fazer aqui ontem, Isabella? — minha mãe perguntou. — Ele saiu chorando daqui.

— Justin chorando? — Naila indagou com as sobrancelhas arqueadas.

— Nós estávamos conversando e acabamos tendo uma pequena discussão. — respondi.

— Mas por que ele estava chorando?— minha irmã quis saber.

— Não quero falar disso agora. Mas foi coisa boba, não se preocupem.

— Vou chamar ele pro almoço e vocês irão fazer as pazes. Não podem ficar brigados, principalmente agora que o casamento está cada vez mais próximo. — ela se levantou com o celular na mão e saiu em direção a cozinha. 

Puta que pariu. Como eu faria para resolver tudo isso agora?


Notas Finais


Não sei muito o que comentar sobre esse capítulo, apenas que meus sentimentos estão tão destruídos como o da Isa. Não estou sabendo lidar com esse afastamento do otp. Será que ela aceitará ir pra Phoenix?
Não deixem de me contarem o que estão achando e o que querem ver daqui pra frente.

Minhas outras fanfics:

The Gynecologist:
https://spiritfanfics.com/historia/the-gynecologist-9810569 (One-shot)

After My Choice: https://spiritfanfics.com/historia/after-my-choice-9018997 (Ídolo e fã)

Bodies In Flames: https://spiritfanfics.com/historia/bodies-in-flames-9653967 (Sedução: Justin grego)

Slip Of A Night: https://spiritfanfics.com/historia/slip-of-a-night-5984423 (Gravidez inesperada: Concluída)

Teaser de Wishing Groom: https://youtu.be/iA5A0bGJyPs

Grupo das fanfics: https://chat.whatsapp.com/D3uKt028arj7epbChkVD1O

Xoxo, Bia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...