1. Spirit Fanfics >
  2. W.I.T.C.H - Alternative Season 18 >
  3. Desavença

História W.I.T.C.H - Alternative Season 18 - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei hehe

Capítulo 10 - Desavença



Enquanto jantavam o som da chuva ecoava do lado de fora, somado ao bater dos talheres deixava o silêncio das pessoas a mesa ainda mais perturbador para Will, após dias sem notícias de Kandrakar e nenhum sinal de Nerissa todas estavam apreensivas e mal conseguiam se divertir.

Irma estava no terceiro hambúrguer e estava de olho no da Cornélia que mesmo sendo vegano ela não estava com tanta vontade de comer e Will estava dividindo a comida chinesa que Hay Lin havia pedido. Cornélia foi a primeira a levantar para ir ao quarto, ela era a mais quieta, estava distante e evitava interagir. Como líder do grupo e principalmente como amiga Will levantou para ir falar com ela, a sós poderia saber o que estava acontecendo, apesar de que na última conversa Cornélia ter dito que precisava resolver-se sozinha.

Ao entrar no quarto a viu regando seu cacto, ela olhou para ver quem havia entrado e rapidamente desviou o olhar.

— Corny, posso conversar com você? — Will se aproximou e ela permaneceu de costas — Sei que você me disse que precisava de tempo e que...

— Eu sei o que vocês fazem quando eu não tô vendo Will... — Ela disse friamente o que Will não esperava ouvir.

Ela saber poderia explicar o porquê estava tão retraída com todas, Will pensou na abordagem que iria tratar o assunto, mas Cornélia se adiantou.

— Já desconfiava, vocês pareciam que escondiam um segredo com as trocas de olhares... minhas suspeitas foram confirmadas quando o meu cacto me permitiu ver através das memórias dele...

— Então já que descobriu... — Will tentou trazer leveza para o assunto, mas foi cortada.

— Me deixe terminar — Ela virou para confrontar Will com os olhos marejados — Me senti culpada por pensar em vocês dessa forma, no começo tinha vontade de me conectar a vocês como vocês fazem... mas percebi que todas tinham os mesmos desejos... comecei a desconfiar que esses sentimentos eram alheios a mim... e sim estavam relacionadas as guardiãs, talvez seja influência do coração de Kandrakar para nós tornar unidas... — Uma lágrima escorreu pelo rosto dela, Will sentiu um pesar no peito por não saber o que fazer para confortá-la, além da insegura que as palavras dela a trouxeram, não havia pensado daquela forma — Não gosto da sensação de me sentir sem controle sobre eu mesma, então... — A porta se abriu e Taranee entrou com uma expressão preocupada, mas ficou confusa ao ver Cornélia enxugando as lágrimas do rosto.

— Tá tudo bem aqui? — Taranee perguntou.

— Depois conversamos sobre isso, aconteceu alguma coisa Tara? Você parece preocupada.

— Sim, não vão acreditar em quem está na praia...

Will deu uma última olhada em Cornélia que estava se recompondo olhando para seu cacto.

Saiu do quarto remoendo as palavras de Cornélia, mas ao pensar nos momentos que teve com as outras pareceu ser tão verdadeiro. Mas agora tinha que focar no que Taranee queria mostrar.

Esperaram os pais de Irma irem para cama e deixaram suas gotas astrais no quarto. Saíram pela janela para encontrar o mensageiro de Kandrakar em um antigo cais da praia. Nenhuma delas disse uma palavra até chegarem no local e encontrarem alguém sob um manto encapuzado na escuridão. Ele se aproximou e ao tirar o capuz viram Caleb, ele estava sério e Cornélia também não sorriu ao vê-lo.

— Tem notícias de Kandrakar Caleb? — Will perguntou.

— Sim... Estão em uma situação nada fácil de lidar, Nerissa vêm unindo um exército.

— Como essa velha enrugada conseguiu isso? — Irma deplorou.

— Isso não é o pior, ela montou cerco em Zamballa... Suspeitamos que ela queira roubar o coração de lá...

— Então por que não nos comunicaram antes?! Devíamos impedir ela — Taranee disse com fogo nos olhos.

— Bem, Kandrakar tá um caos com todos os líderes dos reinos lá tentando resolver o que vão fazer, ninguém se entende e além disso não conseguimos rastreador Nerissa para planejarmos um ataque...

— Então por que veio até aqui Caleb se não foi para nós convocar? — Hay Lin estava tão séria como Will nunca havia visto.

— Enquanto os reis e líderes discutem como combater Nerissa preciso da ajuda de vocês em Meridian. Ela tem ordenado ataques as vilas mais distantes do castelo para enfraquecer o reino. Com tanta gente na capital não vamos ter comida para todos por muito tempo.

— Mas e os outros reinos, não precisam da nossa ajuda também? — Cornélia se pronunciou pela primeira vez na conversa — Se ajudarmos somente Meridian isso não iria causar conflitos políticos entre os líderes? Aposto que se sentiriam prejudicados por termos preferências — Por mais frio que fosse o questionamento de Cornélia tinha sentido, elas poderiam gerar mais atrito entre os reinos, mas não seria certo negar ajuda já que elas estavam ali sem fazer nada e apenas esperando ordens. Elas tinham que tomar uma decisão.

— Não me parece certo não ajudar Meridian, assim não faz sentido a gente ter tirado Phobos do trono para depois deixar o reino de lado — Hay Lin se posicionou.

— Vamos votar — Will disse decidida olhando para a cara de reprovação de Cornélia.

— Decidam-se logo, preciso voltar para ajudar meu povo — Caleb disse meio revoltado com a discussão.

— Levantem a mão quem acha que devemos ir para Meridian — Will disse.

Hay Lin levantou a mão prontamente e Irma também. Cornélia estava emburrada de braços cruzados. Taranee estava pensativa olhando para o chão.

— Acho que devemos pensar em uma estratégia para vencer Nerissa diretamente, não que tenhamos que ficar paradas esperando ordens de Kandrakar, mas acho que para vencermos ela tem que usar a inteligência estratégica dela — Taranee expressou sua opinião e olhou para Wil.

— Você desempata líder — Irma disse.

Muitas coisas passavam na mente de Will, era uma decisão muito grande para se tomar naquele instante com consequências altíssimas. O senso de dever e ética a chamavam para ir imediatamente ajudar, mas pensando em termos de lógica e estratégia Nerissa está focada em tomar Zamballa e não Meridian, portanto isso tudo poderia ser uma distração, mas ninguém sabendo onde a antiga guardiã está não poderiam tomar medidas.

— Eu acho que... Devemos ir atender o pedido de socorro! Esse é o nosso trabalho como guardiãs certo? Não temos culpa se isso vai gerar conflito entre os líderes, só teremos culpa de não ter feito nada quanto poderíamos.

— Belo discurso — Cornélia disse séria — Já que vamos para lá podemos tentar descobrir de alguém do alto escalão do exército dela alguma pista de onde ela está se escondendo.

— Você está dizendo pra gente torturar alguém Corny? Não sabia que você era sadomasoquista — Irma brincou, em uma mal hora com certeza.

Cornélia nem mesmo respondeu, o que fez Irma se encolher atrás de Hay Lin.

— Então vamos agora — Caleb disse entrando em um barco velho de onde vinha um brilho azul de portão.

Hay Lin segurou a mão de Will para entrarem juntas, mas Will percebeu o olhar de Cornélia sobre elas e recolheu a mão. Foi irracional, estava com receio da situação piorar com Cornélia antes de terem uma outra conversa. Hay Lin a olhou confusa, mas ela rapidamente sorriu para demonstrar que estava tudo bem, porém nada efetivo.

Passaram pelo portal e a primeira coisa em destaque na visão delas são fagulhas laranja brilhando na escura noite, chamas consumiam casas e meridianos corriam para apagar o fogo e ao mesmo tempo se salvar do ataque inimigo.

— Não! — Caleb gritou — Chegamos tarde demais...

— Vamos garotas! — Will ergueu o coração de Kandrakar — Witch unidas!

Depois dos feixes de luz coloridas elas estavam transformadas.

— Hay Lin e Taranee, ajudem a apagar o fogo — Will apontou para as casas.

— Apagar fogo não é minha área capitã? — Irma perguntou enquanto segurava um cavaleiro desacordado.

— É verdade! Troque de lugar com a Hay Lin.

— Você tá distraída hein — Irma disse e voou para o lado de um poço e começou a manipular a água dele.

Will percebeu que os inimigos nem mesmo se importavam com os cidadãos fugindo, os ignoravam e continuavam a atear fogo. Ouviu gritos vindo de uma casa e entrou no instinto para ajudar. Metade da casa de madeira já havia desabado e a fumaça cobria totalmente sua visão, projetou um escudo e caminhou dentre as chamas até achar uma garotinha com a perna debaixo de uma viga. Will a levantou com uma mão enquanto mantinha a proteção com a outra, conseguiu e a garotinha chorando rastejou até ela, porém uma parte do teto caiu repentinamente e a fez cair, mas conseguiu manter o escudo enquanto protegia a garota com o próprio corpo. Viu a abertura no telhado, apertou a garota contra seu corpo e voou para fora, sentiu a ponta de uma de suas asas queimar. Sobrevoou a vila e viu Cornélia com meia centena de soldados derrotados ao redor dela, ela estava cercada usando raízes para chicotear os inimigos.

Deixou a garota com Irma que estava ajudando na evacuação e voltando para ajudar Cornélia percebeu um dos soldados de cima de uma casa apontando uma balestra para a amiga e voou na direção dele que tentava mirar com dificuldade e quando a viu se aproximando disparou, Will ainda o acertou o fazendo cair do telhado antes de ver a trajetória do dardo, porém no meio da confusão da batalha demorou alguns segundos até ver Cornélia no chão com a mão sobre o abdômen coberto por sangue rodeada de inimigos.

Will saltou do telhado e ao cair do lado da companheira disparou rajadas de energia que derrubou os inimigos mais próximos. Cornélia tentava se conter com a dor de ter um dardo atravessando sua costela, mas as lágrimas já deixavam seu rosto encharcado. Era uma visão que deixava Will desestabilizada, ela não estava conseguindo conter os ataques e foi até Cornélia.

— Vai ficar tudo bem Corny, vou te tirar daqui — Will disse a pegando nos braços.

Cornélia não protestou e se segurou retraída pela dor. Will alçou vôo, mas já haviam flechas vindo em sua direção, segurando a amiga não teria como se defender. Por sorte Hay Lin apareceu e afastou as flechas com uma rajada de vento.

— Ela tá bem? — Hay Lin perguntou preocupada.

— É um ferimento sério, vou leva-la para um lugar seguro!

— Certo, vamos terminar aqui e depois te encontramos — Taranee surgiu com Irma ao lado dela.

Will sobrevoo a floresta e viu o castelo de Elyon não muito longe, aparentemente os ataques estavam cada vez mais próximos da capital.

Chegando no castelo pousou na varanda de um dos quartos, abriu a porta e deitou Cornélia na cama, ela estava tremendo, provavelmente pelo sangue perdido.

Quando iria sair para buscar ajuda Elyon abriu a porta do quarto.

— Te vi se aproximando do castelo, o que houve? — Ela perguntou e arregalou os olhos ao ver o estado de Cornélia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...