1. Spirit Fanfics >
  2. Witch House, Bitch >
  3. Deus é uma mulher

História Witch House, Bitch - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Deus é uma mulher


Hinata

Havia se passado uma semana desde que chegamos a casa da Senhora Kurenai. Todos os dias tínhamos aulas orais e escritas com a Senhorita Guren e aulas práticas de combate corporal com a Senhorita Anko, irmã da Guren. Eu me saia muito bem nas aulas da Senhorita Guren, afinal, era apenas a História das Bruxas durante o século, e um pouco sobre Feitiços e Poções. 

Mas era um completo desastre nas aulas de Anko. Sempre tive dificuldades em atividades físicas por conta de alguns problemas respiratórios que tenho desde criança. No Colégio, os garotos costumavam caçoar ao ver-me ofegante e cansada ao tentar participar das aulas de Educação Física, então eu sempre cabulava as aulas para ir para a Biblioteca, onde ficava confortável em meus casacos largos e livros de Ficção.

Me olhei no espelho, apenas de calcinha e sutiã, observando meu corpo pequeno e sem graça. Se estivesse em casa, Hanabi diria para eu amar meu corpo e tentar algo ousado e Neji brigaria com ela pela ousadia. Ri com a lembrança de meu primo e minha irmã. Sentia falta deles, principalmente da animação e dos comentários ácidos de Hanabi. Diferente de mim, Hanabi sempre teve um corpo esbelto e invejável, mesmo sendo mais nova, por isso era fácil para ela falar "Ame seu corpo, ele é perfeito". O dela era perfeito, o meu não.

Depois dos 15 Anos, simplesmente aceitei que aquele era meu corpo, e que eu não conseguiria mudá-lo. Então abandonei de vez qualquer atividade física e foquei em minha formação acadêmica.

Me assustei com o barulho de alguns passos, e rapidamente vesti minha roupa, vendo a Senhora Kurenai entrar no quarto cantarolando.

- Vamos Hinata, está na hora da aula da Senhorita Anko.

Acho que ela se assustou com minha pressa, e logo parou na porta, me olhando com uma cara desconfiada. Ela tinha um jeito de mãezona muito fofo, era toda cuidadosa com a gente... Antes que ela perguntasse, já fui logo me explicando.

- Estava apenas me vestindo, já estou descendo.

Ela ergueu uma sobrancelha, fechando a porta atrás dela. Bufei, sabendo que não haveria como fugir daquela situação. Era simplesmente impossível guardar segredos daquela mulher, afinal, era uma bruxa!! Ela apontou para a cama, indicando que eu me sentasse, e eu o fiz, vendo-a sentar ao meu lado.

- O que te aflige, criança? Eu sei que tem alguma coisa errada, não tente me enganar!!

Suspirei, buscando uma forma de me expressar.

- Karin e Temari possuem habilidades incríveis!! Além de seus poderes, Karin é uma ótima lutadora e Temari parece ser a mulher mais inteligente do mundo!! Elas já descobriram seus pontos fortes e fracos, e já estão aprimorando suas habilidades, enquanto eu se quer manifestei um poder... A única coisa em que sou boa, é em Feitiços, e olhe lá. Sinceramente, Senhora Kurenai, acho que escolheu a garota errada. Eu sou só mais uma universitária que tava voltando da faculdade e a senhora teve o desprazer de encontrar.

Desabafei, já sentindo as lágrimas quentes rolarem pelas bochechas grandes e rosadas. Era terrível ser eu!! Estar presa a este corpo inútil, não ser tão forte, bonita ou inteligente quanto as outras garotas... Por um momento, eu senti que seria diferente. Que eu seria enfim especial, importante em algo. 

Me assustei com a mão de Kurenai em meu rosto, limpando minhas lágrimas. Ela tinha um olhar de ternura, e acariciava minha bochecha com seus dedos finos e delicados.

- Hinata, eu não te escolhi. A Deusa te escolheu. Você representa uma figura muito importante dentro do panteão Xintoísta, e acredito que vá realizar grandes feitos. As bruxas mais poderosas da história demoraram a despertar seus poderes, mas quando o fizeram, foram habilidades devastadoras.. Conheça a história da sua cultura, os deuses xintoístas, conecte-se com eles. Sua facilidade com Feitiços pode te ajudar a realizar uma Conjuração.

Virei a cabeça, confusa. O que diabos era uma Conjuração? 

Vendo minha confusão, Kurenai levantou a mão em direção a estante de livros que tinha em meu quarto, e um livro voou em sua mão. Cara, eu tenho que aprender a fazer isso!!

Ela me entregou o livro. Na capa, podia-se ler "Conjuração e Invocação: Diálogo com Deuses e Demônios". O título era interessante, apesar de assustador.

- Aperfeiçoe seus feitiços e poções, e durante a madrugada, tente contatar seu panteão. Por ser uma Bruxa nova e inexperiente, será atendida por um Deus menor, mas será o suficiente para sanar-lhe as dúvidas.

As palavras de Kurenai me deixavam mais tranquila. Peguei o livro e a abracei, como agradecimento. Ela pareceu ficar meio em choque, e pensei ter invadido seu espaço, mas logo ela retribuiu o abraço.

- Agora ande, criança. Ainda tem aula, e Anko é bem rígida quanto atrasos.

Disse ela, risonha. Agradeci com um aceno de cabeça, guardando o livro embaixo do travesseiro e me dirigindo a porta. Iria ler o livro quando chegasse do treino, e se possível, realizar a conjuração ainda esta madrugada.

Quebra de Tempo

A aula foi extremamente cansativa. Como sempre, Karin e Temari foram bem elogiadas por Anko, e não foi atoa. Karin já conseguia controlar as chamas para apagarem quando quisesse e lança-as com a mão. Temari sempre fora a mais avançada com seus poderes, e Anko presenteou-lhe com um leque gigante (Se brincar, do meu tamanho), para ajudar-lhe a desferir ataques mais destrutivos.
E a mim, sempre as mesmas críticas. Que eu estava sedentária, que precisava me esforçar mais, que eu era lenta... Nada que eu já não saiba.

Entrei no quarto ofegante. Ainda eram 19h, e tinhamos um tempo livre até o jantar. Após tomar um banho, resolvi ir para a Estufa, dar uma revisada no livro de Feitiços e Poções antes de ler o livro indicado por Kurenai. Após o jantar, eu o leria, e durante a madrugada, realizaria a Conjuração. 
Fiquei por um bom tempo na Estufa, cercada de plantas exóticas e livros. Enquanto pronunciava as palavras do Feitiço, era possivel perceber que algumas plantas se mexiam, e que até mesmo o ambiente ficava mais iluminado. Eu estava treinando meu latim com um Feitiço qualquer do livro, para fertilidade. Algo relacionado a Deusa da Colheita que eu não entendi muito bem.
Enquanto eu falava as palavras, era possível ver flores nascendo e algumas até virando frutos!! Sem dúvidas era meu ponto forte.
Quando Kiba, um dos funcionários de Kurenai, ao qual eu já tinha me afeiçoado bastante, entrou no local chamando-me para ir jantar, me assustei e derrubei alguns frascos.
Ele rapidamente se pôs para me ajudar a limpar, e eu aceitei. Após isto, caminhamos juntos para a cozinha, onde eu me despedi dele com um abraço e rumei a sala de jantar, onde as garotas já comiam - e conversavam, bem animadas - acompanhadas da Senhora Kurenai.

- Hinata, pensei que não viria... Sente-se, vou servir seu jantar.

Disse Kurenai, com o tom cauteloso de sempre. O jantar foi silencioso de minha parte. As garotas falavam empolgadas de suas habilidades, sobre como estavam evoluindo a cada dia. Eu só queria me afundar naquela cadeira até sumir.

Terminei de comer e subi como uma bala para meu quarto. Me joguei na cama, pegando o livro que ali tinha guardado, e iniciando a leitura. O livro era grande, mas estava com pressa, então pulei muitas partes. Ao ler a lista de materiais necessários, comemorei mentalmente, já que tinha todos os ingredientes em meu quarto (Peguei mais cedo da estufa e ganhei alguns da Senhora Kurenai).
O relógio marcava 3h da Manhã. Qualquer bruxa em plena consciência realizaria uma Conjuração à meia noite, já que às 3h da Manhã você estava vulnerável a receber demônios em sua Conjuração. 
Preparei-me para o ritual. Coloquei a roupa indicada: um vestido de seda, fino, que cobrisse meus braços. 
Com o sangue de um puro (Que eu evitava pensar ser de uma criança, mesmo sabendo que era), fiz o círculo no chão do quarto. Após alguns escritos de proteção e mais alguns desenhos representando meu panteão, acendi sete velas negras nas extremidades do círculo. Me sentei no meio, com uma caderneta preta, onde estavam anotadas as palavras do Feitiço.

"Sob a proteção da Deusa
Sob o olhar da Lua
Evoco-te com o sangue de um puro
Atenda os suplícios de uma filha
Que anseia o conforto de suas doces palavras"

As palavras em latim saiam como uma melodia. Ao final, deveria dizer o nome de todos os Deuses de meu panteão em minha língua materna. E assim eu o fiz, dizendo o nome de todos os Deuses Xintoístas em Japonês. A cada nome, uma vela se apagava.
Fiquei no escuro, encarando o nada. O único som audível era o de minha respiração pesada. Eu conseguia sentir meus batimentos em cada centímetro do meu corpo.

- Possui belos olhos, Hinata... Os Hyuuga sempre tiveram belos olhos.

Uma voz feminina chamou minha atenção. Estava escuro, não conseguia ver ninguém, e a voz parecia vir de todos os lados.

- Quem está aí? Identifique-se.
Disse, com a voz mais firme que consegui. Estava tremendo? Sim. Mas não podia deixar o medo me dominar agora. Senti uma mão segurando em meu ombro, e então entrei em pânico. Deuses se manifestavam em suas formas astrais, então não era possível tocar-lhe.

- Por séculos os Hyuuga mantiveram um pacto comigo, querida. Seu nascimento já era aguardado, e seu despertar como Bruxa... Ah, será fabuloso.

A voz agora era clara, sussurrando em meu ouvido esquerdo. Sua mão era quente e emanava um calor incomum. De repente, todas as velas se acenderam novamente, e eu a vi, sentada em minha frente.
Não existiam palavras no mundo capazes de descrever aquela mulher. O traço tipicamente asiático e o kimono japonês deixavam óbvio que se tratava de uma Deusa do panteão Xintoísta. Agora, qual delas?

- Quem é você? Kurenai disse que o comum era que Deuses menores se manifestassem a Bruxas iniciantes...

A mulher riu. Foi uma gargalhada tão suave, que seus fios negros balançaram como fumaça. A pele pálida parecia tremeluzir, dançando como a chama das velas.

- Você não é uma Bruxa iniciante ou fraca, Hinata. Você é a minha representação direta na Terra. Uma filha do Sol e da Lua, mas confesso que você puxou bastante o seu pai.

A mulher parecia bufar a última parte, levemente irritada. Hinata estava confusa. Sempre se achou mais parecida com a mãe do que com o pai, afinal, herdara dela os longos cabelos negro-azulados. A Deusa pareceu entender seu entendimento, e engatinhou até ficar bem próxima de si, acariciando seu rosto.

- Eu sou sua mãe, minha querida... A Deusa mais importante de sua cultura, a Deusa do Sol. Todas as suas dúvidas serão esclarecidas com o tempo, pequena, está predestinada a grandes feitos. Seu pai enviará ajuda em breve, mas prepare-se, treine e adquira conhecimento. Enfrentará grandes batalhas, e o seu despertar como Bruxa irá chamar a atenção de todo o plano físico.

E enquanto falava, a mulher ia sumindo aos poucos, como fumaça. Continuei sentada, sentindo a sensação gostosa de calor que o ambiente havia ficado. Eu havia conversado com a Deusa mais poderosa do panteão Xintoísta, e ela me revelou tantas coisas...

- HINATA, VOCÊ...

Karin abriu a porta, em êxtase. Me assustei, e acabei chutando uma das vela que estava próxima a mim. Ela parou na porta e ficou olhando o círculo e as velas confusa, até balançar a cabeça e voltar a falar.

- A gente tem que descer agora. A Senhora Kurenai disse que chegaram novas garotas.

Assenti, ainda confusa. Iria conversar com Kurenai depois, mas por hora, resolvi ignorar. Apaguei todas as velas e quebrei o círculo de conjuração, descendo as escadas junto com Karin. Temari e Kurenai já nos esperavam próximas a porta, onde notei a presença de duas mulheres, altas e elegantes, rindo com Kurenai. Atrás delas, um grupo com umas cinco garotas se encontravam escoradas a parede. Eram todas jovens e bonitas, a maioria com um olhar simpático. Kurenai virou-se para nós e disse:

- Garotas, temos visitas. Os Covens de Tsunade e Mei irão juntar-se ao nosso para aperfeiçoar o treinamento de todas vocês. Deem as boas vindas as suas colegas.
 

 

 


Notas Finais


Peço perdão pela demora e pelos capítulos monótonos, porém, agora que eu já descrevi o psicológico das três personagens, eu posso entrar mais afundo na Bruxaria. Eu estava pensando se seguiria a risca os conceitos da Bruxaria ou se traria mais pro lado mítico, como a série da Sabrina fez. Eu resolvi inventar algumas coisas, para facilitar na escrita. Irei abordar algumas mitologias, e para facilitar o entendimento, estarei criando uma história EXTRA, explicando mais sobre cada panteão, entrando mais a fundo sobre a história de cada mitologia e os seus Deuses.

Mais uma coisa. Pra quem não sabe, eu também desenho. E tive um problema chatinho envolvendo o Fandom da Sakura, no Facebook. Portanto, a Sakura não estará presente na Fanfic. Ela seria do Coven da Tsunade, mas eu não irei mais abordar a Sakura em nenhuma Fanfic ou FanArt minha.
Quem quiser entender o que aconteceu, segue o post:
https://www.facebook.com/AmaterasuSHIT/posts/558841788152757?notif_id=1590008308358997&notif_t=page_post_reaction


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...