1. Spirit Fanfics >
  2. Witchers - KPOP INTERATIVA >
  3. Meet Jeon Hyerin

História Witchers - KPOP INTERATIVA - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Essa é minha personagem, a Hyerin. A princípio, ela não parece ser, mas é uma pessoa muito complexa e muito corajosa, afinal ela contrariou os ideais dos pais para realizar o sonho dela, saíu de seu país de origem e bateu de frente com o desconhecido. Espero que gostem dela!

Capítulo 2 - Meet Jeon Hyerin


Fanfic / Fanfiction Witchers - KPOP INTERATIVA - Capítulo 2 - Meet Jeon Hyerin

A garota bateu a porta ao entrar. Logo, a paz que predominava naquela casa deixou de existir: o cachorro, Bean, veio latindo alegremente até seus pés, o que alertou as gêmeas no andar de cima, que desceram correndo as escadas, fazendo a mãe gritar com elas. Em contraste, ela viu seu pai descendo calmamente do andar de cima, juntamente a seu irmão mais velho. Ela sorriu.

ꟷ Cheguei, família! ꟷ Anunciou animada Hyerin, como se nenhum deles tivesse percebido. Mesmo assim, a família Jeon se juntou em um abraço coletivo.

Uma cena dessas era rara: a garota vivia no dormitório da BigHit em Los Angeles e quase nunca vinha para casa desde os doze anos, além de que Kihyun, seu irmão, estudava em Santa Monica. Porém, agora se tornaria mais rara ainda: Hyerin acabara de receber a notícia que iria debutar e viera para a casa dos pais somente para se despedir antes de seguir para Seul.

Apesar de estar feliz por finalmente debutar, ela não podia negar que se desapontara um tanto: inicialmente, ela iria debutar solo e poderia ficar nos Estados Unidos, porém não reclamaria, afinal seu maior sonho era debutar em um grupo para não ficar sozinha. Já até imaginava como seriam suas companheiras: seriam divertidas ou sérias? Elas ficariam amigas ou seriam somente colegas de grupo? Hyerin espantou as questões da cabeça e resolveu aproveitar seu último sim de semana com a família antes de ficar a milhares de quilômetros deles.

E foi o que ela fez. Brincou de bonecas com as gêmeas, ajudou a mãe na cozinha e pôs o papo em dia com o pai. Na hora do almoço, apesar de quase não comer, se divertiu muito com a família reunida, e durante a tarde visitou os avós. Após perceberem a presença da família Jeon na casa, os Kang, vizinhos de seus avós e amigos da família – ou melhor, eram basicamente da família – vieram se juntar à bagunça.

Há dezoito anos, as empresas dos Jeon estavam quase falidas, então pegaram um empréstimo com os Kang. Porém, havia uma condição a mais no contrato: um casamento arranjado entre o filho do meio dos Kang, JungHyun, e a filha que os Jeon esperavam, no caso Hyerin. Ambos cresceram juntos para ser um casal, então mesmo quando as duas famílias decidiram que não precisavam casar à força, ambos continuaram com o relacionamento. Eles se amavam demais para viver um sem o outro.

Confusa, ela observou que seu namorado não estava por ali, mas deixou o assunto de lado e ficou com Chae-rin, sua melhor amiga de uma vida inteira. No final da tarde, após muita conversa e comida – a vovó Jeon não deixava a desejar – quem foi conversar com ela foi SooMin, a matriarca dos Kang.

ꟷ Querida, podemos conversar? ꟷ Ela tocou no ombro da mais nova gentilmente, a distraindo da conversa que levava com as irmãs menores e recebendo um aceno com a cabeça como resposta. ꟷ Você provavelmente não sabe, mas... o JungHyun foi convocado para o exército. Ele parte amanhã.

ꟷ Ele... ele não me contou nada. Quer dizer, nossa comunicação é difícil mas... ꟷ Hyerin gaguejou ao falar sobre isso com a sogra. JungHyun não falava com ninguém ao telefone, por que ele não falava. É, o pretendente da garota era surdo-mudo. A mais velha sorriu.

ꟷ Bom, não querendo insinuar nada, mas ele está no apartamento dele hoje. ꟷ SooMin lhe deu uma piscadela. Imediatamente Hyerin levantou-se, de olhos arregalados. ꟷ Vá, querida. Eu aviso seus pais.

A mais nova agradeceu rapidamente com uma reverência e se encaminhou para a saída da casa, parando para se despedir da avó antes. Chamou um motorista de aplicativo e em vinte minutos, já estava na frente da porta do apartamento de JungHyun. Porém, ali ela parou. Faziam quase três meses que os dois não se falavam. O que ela falaria? Como ele reagiria à aparição repentina dela? Após cinco minutos naquela hesitação, ela foi obrigada a apertar a campainha quando a vizinha do namorado saiu e ficou a encarando ao passar pelo corredor. Ela respirou fundo ao ouvir barulhos na tranca.

Quando ele abriu a porta, ela ficou surpresa de como ele tinha crescido. Três meses antes ele era só uns cinco centímetros mais alto, mas agora parecia um gigante perto dela. Oi, ela sinalizou envergonhada, fazendo o movimento giratório junto ao peito com o dedinho da mão esquerda levantado.

JungHyun sorriu, lhe puxando para um abraço. De repente, tudo lhe sumiu. Por que ela viera ali mesmo? Não lembrava. Muito menos o porquê de ficar tanto tempo longe dele. Nos braços dele, o mundo parecia fazer mais sentido, por que aquele era seu mundo, um tanto silencioso para uma garota tão cheia de música, mas ela gostava assim. Só se lembrou do mundo exterior horas depois, quando os dois já estavam na cama do mais velho após recuperar o tempo perdido do melhor jeito – vocês sabem como.

Nós precisamos conversar, sinalizou ela. Eu preciso contar uma coisa.

O que aconteceu? Ele fez uma careta preocupada após a pergunta. Os dois não costumavam ter problemas em seu relacionamento, mas ela imaginava que o que viria a seguir seria um.

Eu estou indo para a Coreia amanhã. Vou debutar em um grupo feminino. Ela começou e o mais velho a observou cuidadosamente.

Para a Coréia? Há quanto tempo você sabe?

Desde ontem. Ela respondeu rapidamente, mas foi direto para o assunto que queria tocar. Mas você não pode reclamar, você vai para o exército! Você perdeu a noção? E nem me falou nada!

Você teria me impedido! Ele fez os sinais exasperadamente, visivelmente irritado.

Claro, é loucura! Hyerin replicou à altura. Como um garoto surdo serviria o exército?

E ir para o outro lado do mundo cantar não é? O maior revidou e isso a machucou. Onde estava aquele JungHyun doce que pedira a ela o ensinar a tocar piano quando crianças? Aquele que a defendeu para os pais de ambos quando ela secretamente fez os testes da BigHit? Que sabia que parte de sua vida era a música e nada mais?

Claro que é, mas é meu sonho desde criança, e você sabia disso. Você concordou! Hyerin suspirou, cansada. É por isso que eu vim aqui. No contrato diz claramente que não posso assumir relacionamento com ninguém enquanto estiver em stage, e de qualquer forma eu não poderia te deixar aqui me esperando por vários e vários anos.

Mas... ele tentou sinalizar alguma coisa, mas ela segurou suas mãos, o equivalente a silenciar o mais velho.

Talvez eu esteja sendo egoísta mas... Eu não posso mais voltar atrás, nem fingir que tudo ficará bem entre nós. Ela soltou as mãos dele. Mesmo que isso signifique te deixar.

Tudo bem. Ele sinalizou sem forças. Eu sempre soube que esse dia iria chegar. Você é forte e tem determinação, sempre vai atrás dos seus sonhos.

JungHyun... Nessa hora, Hyerin já tinha lágrimas nos olhos.

Mas, por favor, não podemos aproveitar somente esta noite? Uma última noite, um último adeus... O mais velho sinalizou antes de lhe parrar a mão na bochecha com carinho, e em seguida tirar da gaveta do criado mudo uma caixa. Dentro dela, havia um lindo colar de rubi em forma de coração. Um último presente.

Para! Para, por favor, assim você me faz me sentir mais mal ainda... Hyerin, com o rosto manchado de lágrimas reclamou. E só pra você saber, não é um último adeus. Eu ainda vou voltar. Talvez a gente não possa ser os mesmos, mas eu vou continuar te amando.

JungHyun sorriu gentilmente e lhe puxou para um beijo. A atmosfera no quarto era total de despedida, mas isso não os incomodou naquele momento. Na manhã seguinte, bem cedo, ela fugiu. Não conseguiria olhar na cara do mais velho e se despedir, não depois daquela noite. Pegou suas coisas e foi embora.

Quem a acolheu em casa àquela hora foi seu irmão. Provavelmente recém-chegado de alguma festa, ele abriu a porta de casa e a envolveu em um abraço apertado. Eles não falaram nada. Nem precisavam, na verdade. Eles sempre foram tão cúmplices que sabiam ler um ao outro sem nenhuma palavra.

E naquela tarde, partiu para a Coréia. Apesar de tudo, ela não se arrependia de ter aceito o contrato. Era o sonho dela afinal. Sabia que era a primeira membro a ser escolhida e que faria parte da revelação das outras membros. Ficava ansiosa só de pensar.

Por fim no aeroporto, a manager já lhe esperava com um aplaca com seu nome. Sorriu ao ver a antiga professora ali.

ꟷ Noona! ꟷ Chegou já a abraçando, sabendo como sua agora manager gostava de demonstrações de afeto. ꟷ Não sabia que seria você a manager, teria ficado mais calma se soubesse.

ꟷ Eu sei que são muitas emoções para uma moça quase debutada, mas hoje você vai conhecer o dormitório, fazer uma sessão de fotos para as primeiras postagens no twitter e também já vamos encontrar a próxima integrante do grupo.

ꟷ Tudo isso? ꟷ Ela ficou surpresa. Nem tinham formado todo o grupo ainda e já tinha tantos compromissos! ꟷ E eu achei que as outras membros iam ser todas escolhidas em um minicampeonato...

ꟷ Nada, todas elas estão sendo avaliadas já tem muito tempo, mas de qualquer forma, você e mais uma já são confirmadas, vocês vão fazer um cover pré-debut já essa semana, e as outras serão confirmadas em duplas também e com suas devidas apresentações ao público. ꟷ Ela começou a listar todos os compromissos e Hyerin ficou até meio perdida com tanta informação. ꟷ Bem, vamos começar indo ao dormitório, sim? Ainda temos muita coisa pela frente.

Hyerin concordou com a cabeça, torcendo para que realmente, ela ainda tivesse um caminho beem longo pela frente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...