História With feelings, It's better - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Hyoyeon, Jessica, Seohyun, Sooyoung, Sunny, Taeyeon, Tiffany, Yoona, Yuri
Tags Casamento Arranjado, Snsd, Taengsic
Visualizações 271
Palavras 3.427
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, gente
Esse capítulo foi meio que uma correria mas espero que gostem e é especial pra vocês que adoram uma moonbyul ;]

Capítulo 22 - Moontae


Alguns anos atrás...

 

Taeyeon chegava no seu apartamento, desabando no sofá. Mais um semestre de estudos terminava. Checou o celular por mensagens e como sempre, tinha uma de Hyoyeon avisando de uma "reunião" no salão da sua residência universitária, para comemorar as férias. A menina chamava com aquele termo mas todos sabiam que teria muita, MUITA, gente, álcool e mais algumas coisas que só universitários sabem fazer. Tae suspirou, tirou seu casaco, jogou uma água no rosto e pegou o boné. Vestia seu jeans escuro rasgado e seu moletom vermelho com o número 52 branco. O cabelo nos ombros deixava a menina com seu ar jovial aumentado. Ela queria curtir, mas seu corpo não. Só desejava mesmo deitar e dormir, porém, como uma boa amiga, não poderia deixar de participar de suas sociais, ainda mais depois de Hyo mudar de curso. Antes fazia Engenharia de Produção e Comércio Exterior como a morena, mas acabou mudando para sua real vocação: Moda. Era um grupo de pessoas meio diferente do que Tae tinha costume mas o básico sempre seria o mesmo. Música alta, bagunça, pegação e besteiras. Ao chegar no salão, a loira, sua amiga, logo veio a abraçar. Hyoyeon, com certeza, já estava no pique e seu sorriso gigante mostrava isso. Elas se abraçaram e já começaram a dançar. Algumas horas depois, conversa vai, conversa vem, Tae sai para tomar um ar. Chegou deslizando, deitando-se no gramado, seu boné tinha sido perdido em algum momento, tinha os braços abertos e o sorriso também. Olhava o céu estrelado quando ouviu um barulho desagradável. Alguém vomitava perto dali. A menina apoiou-se no seus cotovelos para assistir uma outra garota, mais alta, mais forte e mais bêbada, colocando tudo o que tinha comido nas últimas 24 horas para fora. A careta foi inevitável. A coitada não conseguia se segurar e afastar os cabelos laranjas ao mesmo tempo. Tae suspirou e levantou-se com pressa para ajudar a desconhecida. Juntou os fios num aperto acima da cabeça da outra e essa nem se assustou, deixou-se ser cuidada. Uns momentos depois e Moonbyul limpava sua boca com a manga da camisa comprida. O short jeans curto e desfiado ia até pouco acima da metade de suas coxas e era clarinho. Ela encarou a mais baixa ao seu lado e deu um sorriso charmoso.

-Oi, linda... Obri-obrigada... -Falou arrastado.

Tae riu e deu de ombros. Elas conversaram por mais alguns minutos. Nada muito profundo, só o suficiente para decidirem dançar juntas.

Aproximava-se do amanhecer quando Tae saiu para o banheiro, com uma Moonbyul segurando sua mão. Elas entraram lá e foram para a mesma cabine. Beijavam-se intensamente. Mãos passavam por todos os lugares. Roupas foram abertas e afastadas. Poucos minutos depois e elas saíam do recinto satisfeitas. Voltavam a dançar até que apagaram abraçadas num colchão largado. Acordaram com uma sirene de algum celular aleatório. Reclamaram, suspiraram, se despediram e foram cada uma para seu apartamento. Nem número se lembraram de trocar.

 

Algumas semanas passaram, até que o semestre recomeçou e certas calouradas apareceram. Em uma dessas, Hyoyeon apresentou para Tae essa caloura, certinha mas que queria descobrir várias coisas novas na sua vida de universitária. O nome dela era Seohyun. Era mais alta que a maioria das suas veteranas, mas a carinha de bebê não negava a inocência. Quando a menina falou que queria experimentar, o número de ideias que Hyo teve foi assustador. Taeyeon ainda alertou a novata, mas não foi o suficiente. Era a primeira calourada de Seo, mas ela já tinha testado todas as formas de plantar bananeira em um barril de cerveja, jogado todos os tipos de jogos com prendas inadequadas para menores de 18 anos e descoberto a complexidade de piercings em línguas de meninos e meninas, isso tudo sob a influência de uma Hyoyeon muito empolgada. Tae acompanhava tudo de perto rindo e registrando com o celular da mais nova quando viu um cabelo de tom laranja conhecido passar. Acompanhou o movimento da pessoa até que tocou seu braço e Moonbyul virou sorridente para a menina. Elas se cumprimentaram com um abraço apertado. Trocaram novidades e sentaram-se no gramado do parque, que ficava no meio do campus, onde acontecia a festa. Comentaram sobre as férias, sobre amigos em comum e sobre seus cursos. Tinham professores parecidos e faziam piadas sobre o comportamento dos senhores. Pouco tempo depois, foram dançar e dessa vez, satisfizeram seus desejos no carro da mais alta. Era uma picape usada, com lataria barulhenta e pintura descascando. Compraram algumas bebidas, soltaram no banco de trás e saíram do campus para um lugar, que segundo Moonbyul, era ótimo para olhar o céu. E ela estava certa. Beberam, conversaram, dormiram à luz da lua e acordaram para um guarda jogando água nas duas. Elas riram. Taeyeon foi deixada em casa e dessa vez, trocaram números de celulares.

 

Elas mantiveram contato constante. Hyoyeon foi apresentada, assim como Seo, que não desgrudava da loira depois de se aproximar tanto da amiga de Taeyeon naquela calourada. As quatro começaram a se encontrar com frequência. Assistiam filmes, comiam juntas e até estudavam. Tae e Byul ficavam eventualmente, mas nada que fosse levado para um lado mais romântico. Elas simplesmente... Gostavam. Hyo sabia de tudo isso e quando Seohyun questionou o que acontecia entre as duas, a menina mais nova ficou indignada de como aquilo era possível. Ou elas eram amigas, ou namoradas. Não deveria existir um meio termo. Ao ouvir isso, Taeyeon e Moonbyul olharam-se, imaginaram algum romance entre as duas e logo estavam tendo uma crise de risos. Claramente, um namoro não seria possível entre elas. E elas não se importavam. Eram amigas. Faziam maratonas de séries, davam bizus de provas, brigavam por sabor de sorvete, ficavam arrogantes ganhando no videogame. Quando uma moça chamada Hwasa apareceu, Moonbyul sumiu por uns dias. Taeyeon estava ocupada com seus projetos de disciplinas e trabalhos de casa, mas mandava mensagens para a amiga sempre que possível. As respostas eram curtas. Quando Hyoyeon comentou ter visto a menina de cabelo laranja com outra, numa balada, Tae sorriu. Era sempre Hyo que sabia de tudo, chamava a loira de "onipresente". Ela já sabia do romance da amiga e super apoiava. Até descobrir, pela "onipresente", de que Hwasa não era das mais confiáveis. Acabou falando para Moonbyul, que chorou no seu colo por uma noite inteira. No dia seguinte, parecia que não tinha acontecido nada. Elas saíram para comer, estudaram, foram para aula, voltaram para o apartamento da mais alta e lá assistiram duas temporadas de Friends.

 

Os semestres passaram e cada vez mais Moontae se aproximava. Elas não ficavam mais com tanta frequência, usavam mais o tempo em conversar bobagens, intimidades, medos, inseguranças, desejos e sobre a vida de cada uma. Foi numa tarde de sábado, na praia, que Taeyeon comentou sobre Jessica Jung. Disse para Moonbyul tudo sobre a menina. A forma que conheceu, o que sentiu, como ainda se sentia e o que imaginava viver com o seu primeiro amor na época de escola. Elas riam e comentavam as possibilidades de um dia virar realidade. Hyoyeon chegou logo depois e ouviu a história pela metade. Algumas vezes, sentia ciúmes da amiga ter se distanciado um pouco dela depois de conhecer Moonbyul, mas era divertido assistir a interação das duas. Moon conseguia ser muito grudenta e brega, fazendo Tae responder agressivamente, mas com um sorriso lindo no rosto. Era uma amizade bonita de se ver e que não foi abalada quando Byul ganhou uma bolsa de intercâmbio para o Canadá. Elas faziam chamada de vídeo sempre que conseguiam, Seo e Hyoyeon agora moravam juntas e Taeyeon frequentava o apartamento das meninas nos finais de semana que não tinha laboratório para ir marcar presença. Quando todas ficaram de férias, elas foram para suas respectivas cidades natais. Tae matou a saudade da irmã e dos amigos, mas passou longe de casa. Ficou em um hotel por duas semanas, não queria contato com o pai. Quando voltou para seu apartamento próximo ao campus e foi perguntada sobre sua viagem para casa, Moonbyul questionou a relação da menina com o pai. Foi mais um dia de conversa sobre assuntos profundos e escondidos, abraços impossibilitados por uma chamada de vídeo e lágrimas compartilhadas. 

 

Era aniversário de Moon e ela estava de volta no país. O intercâmbio tinha terminado e as aulas ainda não haviam voltado. Queria passar com a família. Sua irmã mais nova a abraçou com carinho quando se encontraram na rodoviária. Ao chegar em casa, deu de cara com todos seus amigos a esperando, inclusive sua amiga da universidade. As lágrimas foram da maior felicidade. Ela passou a festa babando para a sua família sobre como Taeyeon era incrível e gentil, que cuidava muito bem dela e não viam a hora de se formar. Hyoyeon e Seohyun souberam depois de que a Kim mais velha viajou para se encontrar com a outra. Sentiram-se um pouco deixadas de lado, mas sabiam que após o período que Byul ficou morando fora, elas tinham se afastado. Enquanto isso, na cidade da menina do cabelo laranja, Tae era apresentada para diversas comidas simples mas que ainda não tinha provado. Visitou cachoeiras, onde as duas nadaram sem roupa, acamparam no meio do nada e se perderam em um bosque cercado de estradas. Foi divertido. E inesquecível. No final da viagem, na despedida, elas voltaram na cachoeira anterior e lá beijaram-se, aproveitaram-se e despediram-se, até o começo dos seus últimos anos. Hyo não foi onipresente o suficiente para estar na cidade da amiga, mas Moonbyul fez questão de visitar o apartamento da outra e contar como foi tudo, do intercâmbio ao seu aniversário e a surpresa de Taeyeon.  

 

O último semestre começava. Todas dedicavam-se exageradamente nos seus estágios e trabalhos de conclusão de curso. Taeyeon usava a maior parte do seu tempo com seu orientador, ou trabalhando no projeto final ou no laboratório de onde controlava várias coisas administrativas. Ela já desenvolvia muito bem sua capacidade para os negócios ali. Destacava-se entre os demais com suas notas boas, sua dedicação e gentileza com todos. Era conhecida entre os novatos, babada pelos professores e adorava ajudar com os eventos de caridade. Um anjo em forma de gente, como Moonbyul dizia. Elas trocavam mensagens e não tinham tanto tempo para se encontrar mas a amizade continuava intacta. Byul agora fazia parte do grupo de modelos da universidade, além de preparar seu trabalho final. Tinha aproveitado todas as disciplinas que fez no Canadá e finalizou as horas extras com comparecimentos em eventos sociais para o curso de Moda. Estava muito dedicada e inspirada, acompanhada de uma Hyoyeon envolvida em tudo. Hyo já terminava a edição do seu TCC aprovado pela bancada. O que lhe faltava ainda era o estágio, que foi estendido e lhe dava mais crédito. As meninas estavam tão focadas em suas graduações que não se reuniram no período de aulas. Usavam suas becas e se encontravam na entrada do prédio do campus, usado especialmente para celebrações. Os abraços e as felicitações foram sinceros e carinhosos. Elas entrelaçaram os braços e foram para seus lugares. A de Taeyeon era primeiro. A turma de Engenharia foi chamada, aplaudida e ovacionada por todos. Fizeram seus juramentos, ouviram a oradora e alguns choravam. Yoona, Minho e Sooyoung assistiam a amiga de longe, com os corações cheios de orgulho. Em seguida, foi a vez de Hyoyeon e Moonbyul. A turma de Moda também recebeu muito carinho de todos presentes. No final da noite, todos dançavam e curtiam ao som de uma banda ao vivo.

 

Era hora de dar adeus aos anos de universidade. Elas faziam uma festa de despedida no apartamento de Taeyeon. Música, comida, risadas. Estava tudo muito animado. No final da noite eles zoavam o que colocar na mala de cada um de volta para casa.

-Coloca a vergonha na cara, já que a baixaria que acontece no campus, fica no campus! -Hyo gritava, fazendo todas rirem.

Elas estavam deitadas no chão da sala de estar, rodeadas de almofadas e garrafas secas de refrigerante. Moonbyul tinha as pernas por cima das de Seohyun, enquanto Hyoyeon deitava a cabeça na barriga de Tae. Elas conversavam, relembrando fatos históricos...

-Hyo... Tu lembra quando... -Byul ria. -Lembra quando você fez massagem sem querer nos ombros do professor de dança?!

-AAAAH! Não me lembra disso! Eu achava que era o outro carinha, lá! Ai, gente... 

Todas gargalhavam.

-Ah e quando a Seo foi mostrar que conseguia dar uma estrelinha no corredor e o professor de Materiais passou bem na hora?!

-MEU DEUS! Ele nunca mais olhou pra mim da mesma forma... -A mais nova choramingava falsamente.

Elas teriam muitas e muitas lembranças felizes daquele lugar. Conversaram por mais algumas horas e adormeceram todas abraçadas no chão.

 

Depois de voltarem todas para suas casas e cidades, elas mantiveram contato pela internet. Hyoyeon conseguiu seu trabalho em uma revista de moda, Seohyun foi para ser assessora de uma famosa estilista, Moonbyul conseguiu um emprego na mesma cidade que Taeyeon mora e Tae foi sofrer as consequências de um acordo que seu pai fez com o pai do seu primeiro amor e segue abalada com toda a situação...

 

Dias atuais...

 

Era noite de sexta-feira... Taeyeon e Minho iam para sua segunda garrafa de vodka, enquanto Jessica e Tiffany iam para seu quarto litro de vinho. Os quatro bebiam, separados por uma cidade inteira. De um lado, Tae e o amigo, que se encontraram depois do trabalho da morena, sentavam-se no chão da varanda da casa do menino, com a luz da lua acertando suas cabeças. Do outro lado, Fany e Sica marcavam mais um dia no seu bar favorito. Nenhum sóbrio o suficiente para um diálogo profundo.

 

-Ela chegou do nada, cara, cheia de mimimi -Taeyeon resmungava. Ela nem sabia como ainda não tinha apagado depois de tanto álcool no seu sistema.

-A Jessica sendo a Jessica... -Minho soltou.

-Ela é louca, ela -Tae falava arrastado.

 

-Eu não tô louca, gente. Você vendo o artigo, Fany. Tá-tá lá tudo, tipo tudo -Sica falava alterada. -Tá assim gritando que elas tinham se pegado antes!

-E ela ainda negou! -A amiga dava corda.

-Sim, ela ficou falando de que não é namoro e mó cara de pau lá! -A loira virava o restinho de vinho do seu copo na boca e enchia mais uma vez.

 

-De onde que ela tirou que eu na-namoro a Byul? Nunca namorei a Byul -Reclamava a Kim.

-A Hyo sabe da fachada? -O amigo perguntava, arrotando em seguida.

-Não, não ainda, eu ainda não falei... -Tae se enrolava. -Mas moço, nunca nem namorei. A gente se pega? A gente se pega.

-Com gosto, já soube -Minho ria.

-Porra, a "pepeka" é minha, eu dou pra-pra-pra quem eu-eu quiser! -A morena resmungou com os braços abertos.

 

-Eu sei! Eu sei! Eu sei que a "pepeka" é dela! Ela pode dar até pro-pro senhor Lee, caralho! Só não esfrega na minha cara! -Sica batia o copo na mesa.

-E... e ela esfregou na sua cara? -Fany perguntou confusa.

-Esfregou! Aquele artigo de merda!

-Ah... Achava que tinha sido... -A Hwang fez careta.

 

-O artigo que ela tava de piti, nada. Cara, nada. -Taeyeon fazia que não com a cabeça.

-Não tinha nada? -Minho colocava mais vodka no copo da amiga.

-Nada. Umas quatro linha no máximo, e tipo, ela lá toda puta, eu tava pra-pra-

-Toda puta. -Minho ria mais...

-Eu tava pra fazer blusa pra mim com ele bem grande assim -A Kim falou ficando em pé, cambaleando, mostrando o tamanho da blusa que queria.

-E ainda dava uma pra Moon!

-Dava mesmo -A  menina sentava de novo quase caindo.

 

-Moonbyul que me aguarde. E Kim Taeyeon também, chegar chamando falar ela assim, de-de... "Taeyeon..." -Sica parou pensando o que falaria em seguida.

-Vai, fala tudo! -Tiffany encorajava a outra.

-Não-não sei ainda, zero textão mas-mas eu vou falar, ah vou! -A loira bebia mais. -Inclusive, Tiffany Hwang!

-Oi? Não fiz nada, juro! -A outra tinha as mãos para cima em defesa.

-Olha aqui! -Sica ficava de pé, tonta.

-Eu não fiz nada!

-Ainda, né? Bandida -As duas riram. -Mas tu não me conta! -A Jung pediu, fazendo bico.

-Tu que pergunta, abestada! -Fany gargalhava.

 

-AH! MINHO! Ela ainda, tu acredita, eu ainda, ela ainda veio com coisa de Fany! -Taeyeon lembrou-se de mais um detalhe.

-Que?! -O menino perguntou no susto.

-Sim, ela veio de-de coisa de que "ah, tá pegando Fany também" e não sei o que... -Tae fazia uma voz fina como se imitasse a esposa.

-Mas a Fany é muito amor mesmo!

-Sim, mas, tipo... Nem-nem-nem vejo ela tão... Sei lá... -Tae corava, além do que já estava por causa do álcool.

-Eu namorava ela na boa!

-Cara, ela mandou um-um vídeo. Espera, pegar aqui -E os dois começaram a assistir o vídeo da coregrafia de "Over My Skin" no celular da Kim.

 

-Você é muito gulosa, Sica!

-Não sou!

-É sim!

-Ela gosta de mim! -Jessica sentava-se novamente, bebendo mais vinho, limpando o queixo depois de quase derramar tudo.

-O monte de merda que tu já fez, criatura! Acha mesmo que-que ela ainda gosta de ti? Por favor... -Tiffany debochava, virando seu copo.

-Ai, Fany! Não fala assim... -A Jung choramingou.

-É verdade, mulher. -Fany passava a mão no cabelo.

-Gosta sim! A gente já beijou duas vezes! -Sica exclamou.

-O QUE?! -Tiffany deixou seu copo cair na mesa, molhando tudo, enquanto olhava a amiga que agora cobria a boca com a mão.

 

-Porra... -Minho fazia que sim com a cabeça. -Se garantiu. -Colocando mais vodka no seu copo.

-Eu fiquei... Não vou negar... -Tae coçava o nariz, olhando a garrafa de bebida. -Sim, se garantiu...

-Vou ver de novo.. -O menino pegava o celular, enquanto Taeyeon bocejava.

 

-Ai, vou vomitar... -Sica se encolhia.

-Você tá muito bêbada, Jung. Falando nada com nada... -Fany saía do seu lugar, se apoiando na mesa para ajudar a menina.

-Você também, Hwang... Me leva pra casa... -A loira respirava fundo.

 

As duas meninas saíram na calçada e já deram de cara com um taxista que sempre ficava por ali para ajudar os alcoolizados. Entraram no carro, passaram os endereços e sentaram-se comportadas. Jessica pegou seu celular e depois de muita dificuldade conseguiu o que queria.

Taeyeon imitava (tentava) a dança que viu Tiffany fazer, quando Minho percebeu o celular da Kim chamando.

-Tae, sua esposa tá ligando... -O menino se esticou e atendeu o aparelho.

 

-Oi, Jessica Jung, linda, maravilhosa! -O Choi brincou, rindo alto.

-Quem é? Cadê Taeyeon?... Onde vocês tão? -A loira tinha os olhos fechados e a mão na testa enquanto o carro a levava para casa.

-Calma, moça... Ai.. Deixa de grito... -Ele reclamava, fazendo careta. Olhou Tae, que se abaixava na sua frente para pegar o aparelho. -Ela tá perguntando onde a a gente tá... -Falou para a amiga.

-Eu nem-nem gritei... -Sica respondeu, quase sussurrando. Tiffany já tinha ficado em casa. Ou pelo menos, já tinha descido do carro. Ela não percebeu.

-Diz pra ela... -Agora quem falava era uma Taeyeon, fazendo o litro de vodka de microfone. -Que-que a gente tá na "puta que pariu" e-e ela pode vir pra cá já! -A Kim terminou, aproximando a boca do celular e falando alto. Fazendo o amigo cair para trás gargalhando.

Jessica afastou o aparelho do ouvido, jogando ao lado no banco. Tinha a impressão de que ficou surda por uns segundos. A vontade de vomitar aumentava e a tontura também. Parecia que ia desmaiar a qualquer momento. Com a ajuda do motorista, conseguiu sair do carro e caminhou até a porta de casa. Quase não tirava a chave e acertava na fechadura. Ainda chamou por alguém, mas não tinha ninguém por perto. Já passava da meia noite e a menina não lembrava que seus pais e Krystal estavam num aniversário de amigos, provavelmente ainda não chegaram. Na sala, soltou seus cabelos, tirou o casaco e os sapatos, encostada na parede. Tudo ainda girava, mas seu foco agora era digitar uma mensagem.

Minho sentiu o celular da amiga vibrar na sua mão e depois de alguns segundos sem conseguir focar sua vista, leu o que apareceu. Jessica queria falar com a esposa. Ele olhou a morena dançando sem música na sua varanda e tomou uma decisão. Levantou-se, segurou o pulso da menina e saiu andando para a garagem do seu carro. Já chegava na porta quando Tae tentou se desvencilhar dele.

-Ei! Não! Dirigir não!

-Ah, é verdade... -Ele deu meia volta e foi andando para o dormitório dos empregados, queria um motorista.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...