História With Love - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Tags Abo, Alpha&omega, Changkyun Omega, Couple, Jooheon Alpha, Jookyun, Mbb, Monsta X, Romance, Skate
Visualizações 219
Palavras 1.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI DE NOVO

Capítulo 8 - Seven


Fanfic / Fanfiction With Love - Capítulo 8 - Seven

- Não precisa, eu posso ir sozinho, Jooheon.  

- Claro que precisa Changkyun. Não é seguro um ômega andar sozinho por aí nesse horário. Ainda mais se o ômega em questão for você

- Eu sei me cuidar, ok?! – Fez um bico nos lábios.  

- Disso eu não duvido, mas você é novo aqui e eu sinto que preciso te proteger. Vamos? – Chang suspirou derrotado, começando a andar junto com o maior, este que ainda tinha as mãos pousadas na cintura do ômega.  

O caminho até a casa de Changkyun foi silêcioso, os dois estavam distraídos demais para que pudessem puxar algum assunto. Enquanto o ômega estava perdido em seus pensamentos, Jooheon aproveitava o momento para sentir a região em que suas mãos seguravam. Dedilhava a cintura fina em uma espécie de linha imaginária, depois alisava o local de cima a baixo. O menor já havia percebido os movimentos que a mão grande fazia em seu cintura, mas optou por não protestar, vendo que Jooheon parecia mais estar brincando com os dedos em seu corpo e provavelmente não iria passar daqueles movimentos leves. Desde quando era tão liberal assim?  

- Chegamos. – O alfa anunciou. Changkyun olhou o portão grande da casa tão conhecida por si, logo dando mais alguns passos a frente e retirando uma chave de dentro de um dos bolsos, logo abrindo o portão. Voltou-se para o alfa, encontrando-o com um sorriso ladino nos lábios e as mãos enfiadas nos bolsos da calça, seu olhar era sugestivo e Changkyun logo entendeu as intenções do maior.  

- Será que devo confiar em você? – Questionou com as sobrancelhas arqueadas.  

- Por que não confiaria? – Rebateu rindo. Changkyun suspirou novamente, dando espaço para que o outro passasse.  

- Não faça muito barulho, eles já devem estar dormindo. – Disse assim que fechou o portão novamente, com cuidado.  

- Hyungwon e seu irmão?  

- Sim, e meu irmão se chama Hoseok.  

- Eu sei.  – Chang revirou os olhos antes de digitar a senha para que a porta principal abrisse. – Vocês são refinados. – Comentou.  

- Isso é tudo coisa do Hyungwon hyung. Eu nunca entendi o porque dele ter uma coisa tão grande e chique sendo que ele sempre disse que prefere casas pequenas e mais humildes. – Assim que adentraram a residência, fechou a porta atrás de si cuidadosamente e acenou para o maior para que lhe acompanhasse. Foram até o quarto do mais novo, este que antes de entrar no cômodo olhou para os lados verificando se algum dos seus hyungs estavam acordados e logo empurrou Jooheon para dentro.  

- Você quem escolheu a decoração? – O alfa perguntou observando em volta.  

- Só escolhi algumas coisas. – Falou enquanto se sentada na beirada da cama.  – Os quadros e as cores das paredes. O resto Hyungwon e Hoseok hyung escolheram o que acharam que combinava comigo. – Deu de ombros.  

- Até o espelho? – Apontou para o objeto.  

- Ah, isso foi um presente da minha omma. Ela sempre dizia qu eu estava ficando um ômega lindo e que deveria “me amar mais”. – Fez aspas com os dedos nas últimas palavras. – Eu nunca fui muito seguro sobre minha aparência, e ela não gostava disso. Todos os dias de manhã ela me dava um beijinho na bochecha e me lembrava do quanto eu era perfeito para ela. Ela chorou horrores quando eu vim para Daegu com meu irmão. – Riu fraco. – Então ela decidiu que como não estaria aqui, um espelho enorme faria o papel dela. Hoseok e Kihyun super apoiaram a ideia. – Revirou os olhos.  

- Você tem saudades dela, não é?  

- Sim. – Suspirou e fechou os olhos. – Mas no fim, ela foi a pessoa que mais apoiou e insistiu para que eu viesse morar aqui. – Jooheon se aproximou do menor, pôs sua mão sobre a do outro que estava espalmada no colchão, ato que fez o ômega abrir os olhos, se deparando com os olhos felinos de Jooheon o encarando profundamente.  

- Sabe, eu concordo com sua mãe. – Puxou o menor com delicadeza, o levantando da cama e pondo-o a sua frente, com uma distância mínima entre os corpos. Changkyun já se encontrava corado novamente naquela noite, sua respiração começava a ficar mais pesada e seu coração palpitava dentro do peito. – Você é perfeito. E sabe como fica ainda mais perfeito? – Aproximou ainda mais seu corpo com o do outro, os deixando colados um ao outro. – Quando está assim, pertinho de mim. – Ditou com a voz baixa, levando o rosto para mais perto do de Changkyun, até que as respirações se misturassem e os narizes estivem roçando-se.  

- Chang? – Uma voz foi ouvida através da porta do quarto. O mais baixo ali empurrou Jooheon para longe de si, o desespero estava evidente em seu rosto.  

- O-Oi – Respondeu com a voz um pouco vacilante. Um pouco mais a frente, o alfa lhe observava com uma expressão indecifrável.  

- Já está de volta? A festa já acabou? – A porta foi parcialmente aberta, mas não muito, apenas revelando para Changkyun um Hoseok com a cara amassada e os cabelos desarrumados. Enquanto pensava rápido em algo para responder, Chang fez um sinal discreto com as mãos para que Jooheon saísse dali e se escondesse. Heon revirou os olhos, virando-se para trás e vendo algum lugar em que poderia se esconder. Encontrou um espaço entre a parede e uma estante e se pôs ali, sendo o mais silencioso possível.  

- Não... Hm, a festa não acabou não. – Sorriu forçado para o irmão. – E-eu só resolvi vir mais cedo mesmo, sabe? Não queria ter que voltar para casa muito tarde, seria perigoso, não acha.  

- É, realmente seria perigoso. – Concordou com o mais novo. – Vou voltar a dormir, boa noite.  

- Boa noite. – Respondeu por fim, indo fechar a porta quando o mais velho saiu e suspirando de alivio.  

- Foi por pouco. – Jooheon comentou saindo de onde estava.  

- É, ele iria ter um  ataque se visse você aqui.  

- Não estou falando disso. Tô falando daquilo, o que íamos fazer antes do seu irmão chegar e nos atrapalhar. – Bufou.  

- Jooheon! – Repreendeu o outro.  

- O quê?  

- Acho que já tá na hora de você ir embora, não acha? – Mesmo queimando de vergonha, Changkyun foi até o mais alto, o pegando pelo braço e o puxando até a saída da casa.  

- Estou tão frustrado que acho que vou morrer. – Dramatizou com um biquinho nos lábios.  

- Não posso fazer nada. – Chang deu de ombros.  

- Na verdade você pode sim. Só você pode. – Quando o mais baixo estava prestes a dizer algo, Jooheon o calou com um selo nos lábios. O ato fez Changkyun arregalar os olhos e ficar estático, mas não rompeu a aproximação do mais alto. Ao findar o breve selo, o alfa sorriu para o outro e correu, sumindo pelas ruas escuras.  

 
- O que acabou de acontecer?   


Notas Finais


vocês gostam do Astro, shippam Binwoo? hihi
então gente, eu meio que estou com um projetinho novo sabem? vai ser bem legalzinho, juro que tá muito fodinha, espero que leiam ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...