História With Love, Us - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Anne with an "E" (Anne)
Personagens Anne Shirley Cuthbert, Gilbert Blythe
Tags Anne And Gilbert
Visualizações 120
Palavras 647
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drabble, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Eu estava assistindo essa série incrível, vi a Anne escrevendo cartas pro Gilbert e não me segurei <3
Esse shipper é muito maravilhoso, minha gente.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction With Love, Us - Capítulo 1 - Capítulo Único

Green Gables, 1908.

Caro Gilbert,

    Não pense que estou escrevendo essa carta porque estou com saudades de você. Apesar do fato de muitas pessoas estarem, realmente, ansiando sua volta (Ruby em especial), comecei a me perguntar onde você deve estar. Talvez eu inveje sua recém obtida liberdade e que o mundo, a partir do momento em que embarcou naquele navio, tenha se tornado um pouquinho seu.

    Ontem, Marilla e Matthew resolveram me levar até a praia. Passei uma tarde extremamente gloriosa e esplendorosa acompanhada de umas de minhas duas pessoas favoritas nessa Terra e o som das gaivotas passeando tão perto de nós, parecendo não temer nossa pacífica presença. Porém, quando parei para observar o infinito e glorioso mar salgado que peguei-me questionando-me onde estaria, e o que estaria fazendo. Cantando? Sonhando? Provocando alguém e sendo irritante, como o habitual? Sendo livre?

    Porque está solto nesse mundo, Gilbert, e não consigo não compará-lo a um balão que voou para longe de Green Gables, cujo destino é como o vento que o leva para o mais distante possível. Como alguém que já se viu sozinha (até mesmo abandonada) pelo mundo, pergunto-me se você não está com medo. Logo depois, corrijo-me; você é boboca demais para sentir medo do mundo. Ou talvez o mundo que devesse temer você, porque algo no meu coração me diz que você vai conquistá-lo, todos os seus cantos, com um sorriso convencido no rosto.

    Devo parar de pensar em você. Já tenho coisas demais em minha cabeça, então, se fizesse o favor de comunicar-me de seu estado, ficaria grata e aliviada só pela ideia de que meus pensamentos não seriam mais sobre sua pessoa irritante.

    Espero que minha carta chegue em suas mãos, onde quer que esteja, e que o sacolejar do navio seja um bom jeito de fazê-lo, finalmente, cair no sono depois de um dia exaurido. Também espero que seus sonhos sejam sobre as paisagens belas que tem visto.

                                Cordialmente,

                                    Anne.
 

Porto de Vancouver, 1908

Querida, Anne,

    De algum modo, sua carta chegou até mim, e, de algum outro jeito completamente inusitado e além de minha compreensão, espero que minha carta também chegue até você.

    Fazem, exatamente, quatro longos meses desde que deixei nossa cidade para trás (minha casa para trás) e o mundo é enorme, Anne. Ele é cheio de maravilhas que nunca serei capaz de narrar. Maravilhas das quais eu não deveria desfrutar sozinho, então a todo instante eu imaginava o quanto seus olhos verdes brilhariam caso estivesse aqui comigo. Em algumas feiras, quase conseguia ouvir sua risada, ao pegar algum produto exótico e encher os vendedores com suas infinitas perguntas. Como você pensa em mim, também penso em você, Anne, mas, diferente de sua pessoa, não tento afastar esses pensamentos. Deixo-os vividos em minha mente e alegro-me ao perceber o quanto eles me fazem bem quando as coisas estão indo mal.

    Trabalhar é algo difícil. Os adultos tem sido severos, mas não existe ninguém que resista as minhas canções na hora em que preciso colocar carvão para que o navio zarpe sem problemas. Certo, talvez exista um ou dois, mas tenho certeza que minha voz magnífica vai encantá-los também. A noite é complicada, mas asseguro a você que sim, o balançar do navio me ajuda a dormir relaxado e a sonhar com o que já vi no pouco tempo em que deixei tudo para trás.

    Não pode acreditar em minha imensa alegria assim que um carteiro entregou sua carta à mim. Quase não acreditei, mas assim que visualizei seus garranchos, soube que ela era  sua, antes mesmo de ler seu nome rabiscado com pressa. Conseguiu me deixar com saudade de casa, Anne. Conseguiu me deixar com saudade de você.

    Caso vá a praia outra vez, aproveite o mar por mim, e saiba que, ao olhar para o oceano, vou estar lá no final dele, pensando em você.

Cordialmente,

Gilbert.


Notas Finais


Eu sei que ficou bem simples, mas é que eu queria fazer algo mais fofinho e inocente, acho que consegui :3
Sei que vai floppar, mas resolvi postar do mesmo jeito porque ficou um amor sz.
Obrigado por ler ^^
E ficamos todos no aguardo da terceira temporada de Anne, né hehe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...