História With You -Imagine EXO - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Exo, Imagine, Romance
Visualizações 88
Palavras 3.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem, deixa o like. Beijos.

Capítulo 1 - Sehun- With you


Fanfic / Fanfiction With You -Imagine EXO - Capítulo 1 - Sehun- With you

Já faz exatos 2 meses que terminamos e eu não consigo me recuperar. Eu deveria seguir em frente e tudo mais, só que a coisa que me persegue o dia inteiro é o interesse sobre ele. Saber se ele está bem, se ele seguiu em frente, se ele já me esqueceu. Essa é na verdade a segunda vez que terminamos, nunca fomos pessoas normal. Quando nos gostamos é intenso, tudo é intenso e esse excesso nos trouxe a essa situação. Brigamos sempre por coisas bestas, não sei o que falta para nós. Eu o amo, intensamente, profundamente e verdadeiramente. 

Nos conhecemos em uma festa muito famosa, na qual por acidente fui parar. Não sou uma pessoa famosa e tampouco tenho uma legião de amigos. Ele, por outro lado, tem toda essa vida. Sehun vive assim todos os dias e eu não posso reclamar, pois é o que ele ama, o que sempre amou. E eu desejo tudo de bom para ele, do início ao fim. Não foi exatamente a vida de celebridade dele que nos atrapalhou, mas posso dizer que aquele seu estilo vivência mudou-me muito. Não para pior, mas acho que foi necessário para me trazer mais perto dele. Necessário para me adaptar a ele. 

Tudo entre nós foi intenso e eu me lembro perfeitamente do dia que nos conhecemos, continuando...Foi o melhor dia da minha vida, mesmo tendo tudo para ser o pior. 

24 de dezembro de 2016

Esse dia era para ser o melhor, mas desde a hora que eu acordei tudo veio dando eficientemente errado. E como eu sou controladora e muito organizada, ver as coisas saindo fora do controle me fez pirar totalmente. Olho pela janela mais uma vez esperando minha amiga super atrasada chegar, mas ao que parece a única coisa apressada que acontece agora é a chuva torrencial que não para. 

Meia hora depois de rodar pela casa inteira e trocar de roupa um milhão de vez ouço a campainha. 

No momento que abro a porta, a atrasada e super encharcada Sunny entra. 

-Desculpa a demora, como pode ver...A chuva me pegou de jeito.- Admite entrando no meu minúsculo apartamento. 

-Mas cadê sua mala? O voo vai sair daqui a uma hora. - Pergunto assustada. Esperamos por essa viagem há tanto tempo que quase enlouquecemos. Eu e Sunny não temos uma família legal que se preocupe conosco, então desde que nos conhecemos, nosso natal é sempre assim, uma viagem, uma festa, qualquer coisa que nos deixe empolgadas, felizes e sobretudo atarefadas. 

-Novidade. Não tem voo nenhum saindo e nem entrando aqui. Então oficialmente nossa viagem foi cancelada. -Revela chateada. 

Ela dá um passo em direção ao meu sofá, mas tem uma breve lembrança de seu estado ensopado e para bruscamente antes de se acomodar. 

- Pegue uma roupa minha e se seque.- Falo e ela assente indo em direção ao meu quarto. 

Enquanto ela se troca, minha cabeça tem um longo colapso. Eu realmente não consigo acreditar que nossa viagem foi cancelada. Quer dizer, eu me preparei para ela durante meses, e é a nossa primeira viagem para fora do país, então tenho certeza que seria a melhor de todas. O que faremos agora? Não acredito que vamos ficar em casa. Que vamos ficar assistindo filmes. Ugh, tenho pavor. Desde que sair de casa, esse era o único programa que minha mãe fazia. Meu pai saiu de casa e nos deixou sozinhas, sobrevivendo com o pouco que havia nos deixado. Ele não era um homem rico, então o momento foi péssimo. Minha mãe não tinha nada e o pior de tudo... O pior ainda dessa covardia da parte dele foi que isso mudou drasticamente a vida da minha mãe. Ela se dedicou somente e unicamente para qualquer pessoa que não fosse eu. Então resultado, desde muito nova estive no mundo sozinha. Ela me largou e eu tive que me virar. 

- Desculpa, essa era para ser a nossa viagem. A melhor delas.- Expressa tristemente. 

-A culpa não é sua. - Sento no sofá ao seu lado. 

- Acho que tenho uma ideia. - Diz minha amiga. 

- Qual?- Pergunto sem muito entusiasmo. 

- Vamos ao natal da casa do nosso amigo de trabalho. Ele nos convidou, não foi? 

- O que? Sério que você quer ir a uma festa que não conhece ninguém?

-O que que tem? 

-Acho melhor ficarmos em casa. 

-Sério que você quer ficar em casa.-Minha amiga pergunta no mesmo tom. 

-É bem melhor que isso. 

-Ah, então vamos a alguma boate ou festa privada qualquer que tiver na cidade. Tudo ou nada. O que você quer?- Incita.

Já é noite de natal e tudo que temos é, ingressos para uma festa qualquer no centro da cidade. Segundo minha amiga, temos grana o suficiente para qualquer festa cara e granfina da cidade, porém eu não quero fazer isso. Na verdade qualquer lugar que nos proporcione animação nesse dia que não deu nada certo até agora, eu topo. Coloquei um vestido de brilho que ao mesmo tempo é simples e muito arrumado. Um salto que eu não costumo usar e uma maquiagem básica para não ser notada. 

Ao contrário de mim, Sunny se enfiou em um vestido super curto. Mas a mulher ficava linda de qualquer jeito, então o vestido só a deixou ainda mais bela.

O que era para ser apenas uma boate, se transformou em 5 festas loucas. Todos os lugares que parávamos os seguranças nos dava alguma cortesia, então a noite até agora estava animada. Sunny bêbada ao meu lado, eu nem tanto sóbria, quando percebemos, já estávamos em frente a uma festa super e mega privada. Pra falar a verdade eu nunca tinha visto esse bairro na vida. Talvez até porque eu estou um pouquinho bêbada, porém essa festa que está rolando deve está muito boa. Tem carros luxuosos para todos os lados, e vários seguranças para todos os lados. Em cima tem o nome da casa noturna, mas essa tem algo estranho. É diferente das outras boates que entramos. As outras possuíam uma legião de pessoas em volta, já essa...Digamos que não tem pessoas aleatórias na rua, apenas a festa interna e pronto. 

-Vamos entrar? - A voz bêbada da minha amiga me assusta e quando olho para trás percebo que ela levantou do banco perto de uma árvore artificial ornamentada. 

-Acho melhor não.- Assim que respondo, sinto um breve calafrio e uma leve aguçada no meu juízo. Estou bêbada, certeza. E aquela festa parece está legal. Eu quero ir, mas tenho impressão que não vamos conseguir entrar. Além disso, estou com medo por está em um lugar que desconheço. Andamos tanto e agora para voltar vai ser difícil. 

- Venha.- Sou surpreendida por minha amiga, que segura meu pulso com força me impulsionando a acompanhá-la. 

-O que está fazendo?- Pergunto assustada, pressentindo a direção que ela está me levando. 

-Para a festa, ué.- Admite com a voz embargada. 

Meu deus, isso não vai dar certo. Eu acho que isso não tem como dar certo. Não vou entrar nesse lugar, e se tiver apenas mafiosos. E se for perigoso. Assim que chegamos diante a quantidade imensurável de seguranças na frente da casa noturna, somos barradas. 

-Essa festa é privada.- O segurança revela. 

Minha amiga começa a rir estupidamente na frente do homem e eu estou nitidamente horrorizada. Ainda que eu esteja bêbada, sei exatamente o que devemos fazer, mas minha amiga faz o contrário antes que eu me rebele. 

Sua mão voa no segurança e eu fico nervosa. O homem a segura fortemente, e bom...O resto foi uma loucura. Mas antes que ficasse pior um carro preto. Para ser mais exata um JEEP de mafioso para na frente da boate. E graças a isso a atenção dela foi para as pessoas que estavam saindo dali. 

Dois homens altos saem primeiro e um mais baixo sai logo depois do banco de trás. O segurança dá toda a atenção para eles, enquanto um outro pega a chave do carro para manobrá-lo. Os caras eram lindos e novos. Pareciam ser capa de revista e eu não duvido nada se forem mesmo. 

- O que está acontecendo?- O mais baixo, com rosto de anjo pergunta de forma leve, porém séria. 

O segurança dá um passo atrás e suspira.

-Nada. Essas moças insistem em entrar, mas tenho ordens.- Responde formalmente. 

- Ok.- Balança a cabeça aceitavelmente. - Quem são vocês?- Pergunta enfaticamente para ambas. Minhas respiração para sobre a pergunta, não porque foi grosseira, mas justamente por ser ao contrário. Era amigável. Como se estivesse querendo conhecer nos duas. 

-Ninguém. Já estamos de saída.- Respondo, segurando o braço de Sunny, pronta para tirá-la dali. 

-Queríamos entrar na festa.- Sunny é mais rápida e replica. 

Ele dá uma risada simples, mas tão amigável. 

-Vocês sabem aonde estão?- Contesta com o sorriso no rosto. 

Como ninguém responde ele sorri ainda mais abertamente. 

- Ótimo. Isso é bom. - Ele continua. - Seguindo a linha de raciocínio.- Diz.- Vocês sabem quem eu sou?- Não foi uma pergunta grotesca ou malvada. Foi apenas uma pergunta normal, a qual eu não sabia responder. 

Será mesmo que ele é alguém famoso? 

- Oh, meu Deus, isso continua estranho.- Ele diz, rindo. - Ok, se souberem quem eu sou, deixo vocês entrarem na festa. - Diz gentilmente e brincalhão. Isso é justo, mas como eu não sei e tampouco Sunny, talvez porque estamos muito bêbadas, creio que vamos ter que dá meia volta. 

-Baekhyun, seu idiota. Estamos te esperando, o que você está fazendo?- Um de seus amigos distraído pergunta. E bingo. Lembrei. 

Isso é loucura. Muito loucura. Viemos parar em um bairro de celebridades. Que ótimo, estamos de frente para uma das celebridades mais reconhecidas do mundo. Um dos membros do Exo. E o outro provavelmente é um dos membros. Eu não conheço bem o grupo, mas conheço as músicas  e amo-as. 

-Membro do Exo. - Eu respondo como se eu quisesse mesmo entrar na festa. Ele me dá uma piscadela e segura nossos braços. 

-Elas são minhas convidadas. - Baekhyun diz para os seguranças e o que nos atendeu faz uma cara de mal para minha amiga. Minha amiga por sua vez dá lingua como uma criancinha e ele fica sério como se estivesse aceitando a derrota. 

- Então garotas, de onde vocês são?- Ele pergunta assim que entramos na boate lotada. 

- Somos...-Sunny quase responde, antes disso eu a puxo e tapo sua boca. 

Baekhyun ri alto. 

-Ok, vamos subir. - Diz nos levando ao acesso restrito da festa. Quer dizer, a festa não é tão privada assim como o segurança havia dito, ele estava apenas selecionando por cara. Há pessoa super arrumadas no andar de baixo, mas são nitidamente pessoas comuns como a gente, já no andar de cima onde estamos meu queixo cai. 

Artistas para todo lado. Uma festa privada. É uma festa privada, estou numa festa de famosos. 

- Olha só ele. - O cara alto que também saiu do mesmo carro que o Baekhyun começa.- Quem são suas amigas?- Pergunta. 

-Acabei de encontrá-las perdidas lá fora. - Revela. 

- Hm, porque não conseguiram entrar?- O cara pergunta para mim e eu dou de ombros. 

Ele ri. 

- A propósito sou o Chanyeol. - Se apresenta.- Sentem-se conosco. - Dá uma piscada para ambas. 

Minha amiga sem nem sentir onde está, poque está bêbada demais para raciocinar vai atrás do cara. Baekhyun segura minha mão e também se direciona a mesa. 

-Sente-se. -Pede, mas eu fico boquiaberta quando encontro mais homens nessa mesa. Todos estão conversando e bebendo, então nem percebem que eu cheguei. 

A noite fica curta, totalmente. E sunny está totalmente bêbada com Chanyeol, Chen, Baek e Kai. Eu não consegui também enfiar mais bebida, visto que minha vontade de por para fora era maior. 

Enquanto, Xiumin, Suho e Lay estão semi bêbados falando sobre qualquer outra coisa, dois caras se juntam na mesa em silencio. Todos eles eram alegres e receptivos, porém aqueles dois que acabaram de chegar, pareciam o oposto. 

- Eles já estão bêbados.- O mais baixo detecta ao se senta do lado de baek. - Quem.. Opa.-Ele para quando me percebe na mesa os espiando.- Quem é você?- Pergunta estranho. 

Eu não consigo responder, porque o cara em pé fica me olhando como se eu fosse um ser de outro mundo e talvez eu seja, do lado desses caras super bonitos. Na verdade eu e Sunny fomos parar aqui por uma causa muito louca, nem sei como conseguimos. Enfim, foi estranho, mas realizamos o sonho de qualquer fã. E por hoje, eu me tornei uma fã. Escutei eles cantarem, vi todos interagirem tão amigáveis e engraçados e inclusive foram super charmosos e gentis conosco. Eu não imaginaria isso nunca. E acho que estou sonhando. 

Levanto no ponto para buscar minha amiga e assim voltarmos para casa, mas o passo que dou para frente me arremessa diretamente para um abismo que com certeza vai me render muitos machucados. Antes que eu me debruce no chão sou pega pelo cara alto super bonito. Não, na verdade ele é de tirar o fôlego. Ele era lindo de tantas formas, que nem a cachaça impregnada na minha corrente sanguinea é capaz de explicar. Aquele cara era a personificação de beleza. Os outros também eram muito bonitos, mas porra. Esses braços me segurando... 

Esse rosto... Levanto assustada. Meus olhos ainda estão aguçados de sono. Estou grogue e desnorteada. Para meu azar estou com dor de cabeça e não faço a minima ideia de onde estou. Não consigo nem levantar. A única coisa que vejo é um rosto bonito e angelical bem na minha frente. Estou louca ou o que? Devo está sonhando. Estou sonhando com o Sehun? Que especie de sonho louco é esse. Vou fechar os olhos e pronto, a mágica acaba. Mas antes, quero triscar ou pelo menos ter mais alguns segundos desse belo rosto. Um belo homem. Um magnifico corpo. Por que raios tenho ele na minha mente. Mas a pergunta é, quem não teria não é? 

Espera, onde eu estava ontem? 

Passo a mão pelo meu corpo e... Ufa. Estou vestida. Espera. Estou vestida não totalmente. O que aconteceu? 

Sento lentamente na cama, me ajeitando para não doer ainda mais a cabeça. 

Que droga. Não é um sonho.

Eu dormir com o Sehun. 

Dou o grito mais alto do mundo. 

- O que? - A voz dele me assusta. 

- O que? - Repito zombeteira. - Porque estou na sua cama? 

Ele sorri de forma travessa. 

- Eu que deveria te perguntar isso, não é mesmo?

Dou uma risadinha nervosa.- Não...Não fizemos...Não!- Fecho os olhos envergonhada.

Ele ri. 

-Você não lembra de nada? 

- Não.- Replico me sentindo culpada. 

Ele me olha profundamente como se estivesse achando graça da minha reação.

- Eu acho que não rolou nada além de um mini briga até aqui.- Ele diz e eu fico confusa. Como assim uma mini briga.

- O que? -Meu tom de voz expõe claramente minha preocupação. 

- É, você e eu brigamos o caminho inteiro até aqui. Ontem na festa, você me fez beber com você. E eu também não posso dizer que estava sóbrio. 

- Como assim?

- Lembrando que... O meu descontrole foi culpa sua. - Responde.

É ai que lembro de tudo. Eu fiquei louca ontem, só pode. Sunny voltou para casa de táxi com os meninos e eu fiquei na festa com D.O e Sehun. Bebemos ainda mais e dançamos a noite inteira. E claro, para me deixar ainda mais envergonhada eu beijei ele. 

Nos beijamos e agora eu me lembro. 

Foi muito bom.

Foi maravilhoso. 

 

Atualmente. 

Meu celular toca. 

-Está tudo bem com você?- Minha amiga pergunta preocupada. Era normal sairmos todos os finais de semana, mas hoje fez dois meses do meu termino e eu a única coisa que sei disso tudo. É que eu ainda o amo. Amo muito. Profundamente. 

- Está tudo bem.- Respondo engolindo o choro.

- Ainda está cedo, quer vir para cá? - Desde o tempo que eu e Sehun nos conhecemos, Sunny tem sido nosso culpido. Então sempre que estou do lado dela é muito triste e ao mesmo tempo feliz. Mas agora, dessa forma que estou, acho que o melhor é evitá-la. Ir até ela, vai me fazer lembrar dele.

-Não, está tudo bem. Pode ficar com seu...namorado.- Engulo em seco.

- Você sabe que sempre estarei aqui para o que precisar. Se quiser ficar a sós comigo, não tem problema. Depois eu o vejo. Você é a minha melhor amiga.- Ela diz carinhosamente.

- Sério, está tudo bem.- Repito mais uma vez. Uma mentira estupida

- Me ligue se precisar, beijo.- E então eu encerro a ligação. Se demorasse mais um segundo eu desmancharia em lágrimas. 

Eu ainda o amo. 

Não posso dizer isso a ele. Nosso termino não foi algo bonito. 

Acho que faltou mais maturidade da parte de ambos, para aceitar nossas diferenças. O ciúmes estava nos afetando e a distancia por alguns dias também. Eu queria ele. E ele também me queria. Esse desejo era tão grande que fez com que nos afastássemos. 

A campainha do meu apartamento toca e eu não faço ideia de quem seja a essa hora. Passei tanto tempo virada para a janela, visualizando de dentro as pessoas e o mundo lá fora que nem percebi a mudança de tempo. Estava frio e estava tarde. Mas eu levantei, mesmo tremendo de frio para atender a porta. 

Não estava esperando por ninguém, então quando eu abri a porta ele estava aqui na minha frente, parado e triste. 

Com as mãos nos bolsos, todo sem jeito ele olha para os pés. Ele não parece bem. Nem eu. Então eu me pergunto, o que estamos fazendo um com outro? Estamos sofrendo. 

Precisamos de mais, de felicidade, de carinho e proteção. Precisamos de alguém que nos ame. E eu amo ele. Eu preciso dele, eu conserto tudo para está ao lado dele novamente, por mais que isso seja assustador para mim. O tamanho do amor que sinto por ele é assustador para mim. 

- Eu te amo.- Ele ergue o rosto, corajoso, mas sobretudo sincero. Seu rosto está sofrendo, mas aqueles palavras eram um alívio. Ele sempre falara isso para mim, tantas vezes. Tantas incansáveis vezes, mas dessa vez era diferente. Foi a primeira vez que senti que era diferente. Era ainda mais assustador, por que mostrava nitidamente que ele me queria tanto quanto eu o queria de volta, mas isso implicava mais resultados no nosso relacionamentos, e o medo era de ser algo ruim. 

- Sehun...- Suplico quase aos prantos. 

- Eu preciso de você. Estou enlouquecendo. Não consigo fazer mais nada, só penso em você. Por favor me diga que é igual para você também. Eu sei que é egoísta...- Suspira.- Mas eu preciso saber se ainda sente minha falta. Preciso saber se ainda me ama.- Sua voz é tão triste que me faz querê-lo ainda mais. Quero abraçá-lo e poder dizer que vai ficar tudo bem. 

- Eu não vou suportar uma terceira vez. 

- Você ainda me ama?- Ele pergunta ignorando minha sentença.

- Eu ainda amo você, Sehun e esse é o problema. Estamos machucando um ao outro. Eu não quero ver você assim. 

- Tudo que precisamos é desse amor. - Ele dá um passo a frente e me toma em seus braços. O beijo no inicio é desesperado, mas logo depois cessa e vai ficando mais lento e calmo. Nos levando a uma onda de carinhos e emoções que estavam guardadas, mas agora afloradas. Eu preciso disso e dele. Dessa vez não vou deixá-lo ir. Dessa vez vou brigar por ele.

-Não vou deixar você ir dessa vez.- Esclarece assim me toma de corpo e alma. Ele sobe na cama comigo e me enche de beijo. 

- Eu amo você e nunca, jamais quero te perder novamente.- Continua.- Vamos superar. Lutar juntos e eu prometo me dedicar mais. 

- Eu te amo, meu Sehun. 

-Eu te amo, minha S/N.- Seus olhos cheios de emoção me revelam e eu sorrio apaixonada. 

Então ele intensifica o beijo que nos leva a mais uma noite de amor, ternura e carinho.  

 

 


Notas Finais


não é bem um imagine. Mas se vocês se imaginarem no personagem, tudo dará certo.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...