História Without Fear of Death - Capítulo 15


Escrita por:

Visualizações 11
Palavras 992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 15 - Passado


Fanfic / Fanfiction Without Fear of Death - Capítulo 15 - Passado


Hela acordou completamente desnorteada. Sua cabeça doía e um zumbido irritante incomodava seus ouvidos. O Vazio era um lugar escuro e frio e nada podia ser visto ao longe, exceto por luzes vermelhas que brilhavam como o fogo e moviam-se como sangue. A medida que Hela procurava por Baldur sua cabeça parava de doer. Msmo sem saber quanto tempo havia se passado fora do Vazio, para ela pereciam horas. Após um longo período de procura Hela avistou o corpo de Baldur. Ele estava nú e desacordado, flutando. Ao se aproximar ela o abraçou pelas costas e então houve um enorme flash de luz, fazendo Hela fechar os seus olhos. Quando abriu-os notou que estava em outro lugar... Em outro corpo...
" - Qual vai ser o nome dele? - Perguntou o homem para a mulher que segurava o bebê.
- Será Baldur. Meu pequeno e bondoso Baldur... - Respondeu a mulher para Hela, que possuía o corpo do bebê."
A visão desapareceu quando Hela soltou o corpo de Baldur. Ela estava revivendo as memórias do deus. Hela mais uma vez abraçou Baldur, sendo levada para outra memória.
" - Filho, eu não quero te deixar, mas não tenho escolha... Estou definhando, como seu pai...
Baldur ouvia atentameente sua mãe, que volta e meia, trocava os soluços do choro pela tosse áspera da praga. Seus olhos se fecharam depois de minutos. 
A criança saiu sozinha pelas ruas, em busca de ajuda..."
Estava paralisada com Baldur nos braços. Queria tira-lo dali, mas também desejava entender seu passado... Sua vida...
Cada vez que tocava uma parte de seu corpo...
"O orfanato era um lugar assustador. Haviam crianças magras e o choro insuportável dos recém nacidos. Mas também havia Hela, a menina de que todos tinham medo."
Hela podia ver e sentir tudo o que Baldur sentira. O medo e a dor, mas também, o amor e o afeto por ela. Visões de conversas e brincadeiras entre os dois se transformaram em lágrimas nos olhos de Hela.
- Eu sei que preciso te tirar daqui... - Disse Hela, ao soltar o corpo de Baldur - ...Mas eu preciso saber o que fizeram com você.
Hela tocou o corpo de Baldur mais uma vez...
" - Vá embora daqui, Demônio! - Disse o homem que jogava Baldur para fora do orfanato.
Uma dor terrível tomava conta de seu corpo. Seu sangue queimava como fogo, enquanto os hematomas ardiam como ferro quente em sua pele. De flash em flash, Hela via os caminhos que Baldur havia percorrido.
- Garoto! - Chamou um homem estranho - Você está bem?
Baldur apenas negou com a cabeça.
- Onde estão seus pais?
Baldur continuou em silêncio.
- Por que você não vem comigo? Eu posso te ajudar. - Disse o homem, pegando a mão de Baldur e o lavando para o beco.
Hela sabia as intenções do homem, mas o que podia fazer? Aquilo já estava feito.
- Você é um garoto muito bonito... - Falava o estranho enquanto tirava a camisa de Baldur.
Hela se afastou do corpo e ficou parada por alguns segundos olhando para Baldur, sem saber o que fazer, sem saber o que pensar. Ainda haviam perguntas há serem respondidas, e Hela arriscou tocar Baldur uma vez mais.
" - Ele está completamente descontrolado! Você tem de fazer alguma coisa! - Gritou Odin, para Frigga.
- Demos poder demais a ele! Está forte demais! Não sei o que fazer! - Frigga gritou para Odin.
Baldur estava preso a uma cama, ouvindo a discução dos dois deuses.
- Então vamos mata-lo. Tragam um galho de visco! - Gritou Odin.
- Não! Nós não vamos mata-lo... Existe um outro jeito.
- Qual?
- Controlar os sentimentos dele.
Enquanto discutiam, Baldur conseguiu escapar das amarras e correu para fora do quarto que estava. Ao sair deu de cara com dois garotos: um de cabelos loiros e outro de cabelos castanho escuro. Ambos levavam armas em suas mãos.
- Quem é você? - Perguntou o garoto de cabelo loiro - Por que está sem roupas?
Baldur pegou o garoto pela perna e o jogou na parede. o garoto de cabelos escuros apenas negou com a cabeça e se afastou. Odin aproximou-se de Baldur e o pegou pelo pescoço usando o galho de visco, que enfraqueceu Baldur no mesmo instante.
- Começe o encantamento! - Falou Odin para Frigga.
- Tudo bem.
Mais uma vez, prederam Baldur à mesa, mas agora com o galho de visco próximo a ele. Após Frigga terminar o encantamento Hela pode sentir toda a raiva de Baldur ir embora, deixando apenas uma enorme sensação de dúvida." 
"Te trasformaram em uma máquina" pensou, ao soltar o corpo.
- Está na hora de irmos.
Hela abraçou Baldur e sussurou em seu ouvido.
- Vamos para casa...
O zumbido voltara e se tornava cada vez mais alto. Hela sentiu seu corpo fraquejar e então desmaiou.
- HELA?
Hela acordou nos braços de Baldur.
- OI. - Falou Baldur, sorrindo.
- Baldur! - Disse Hela, abrançando-o. 
- Caralho! Ela conseguiu! - Exclamou Loki, com as mãos na cabeça.
- NUA?
- O quê? Ah! - Falou Hela, se cobrindo com as mãos.
- Aqui - Disse Freyja, entregando uma toalha para Hela e outra a Baldur.
- Acho que é melhor eu tomar um banho. Não quero ficar cheirando a sangue.
- Ah, claro! Deixamos os dois sozinhos aqui então? - Falou Loki, rindo.
- O quê? Não! - Hela corou.
Os quatro foram para a sala enquanto Hela tomava um banho.
- Então... Como foi estar morto? - Perguntou Loki.
- É! Foi assustador? - Perguntou Freyja.
- NADA. APENAS. NADA... - Respondeu Baldur.
- Ah... Parece bem chato... - Falou Loki.
- Obvio que é chato! Ele estava morto!
- Calma, maninha.
Thor foi até Baldur e sentou ao lado dele.
- Fico feliz que esteja bem.
- TAMBÉM.
Thor então abraçou Baldur.
- Nunca mais morra, seu Bostinha.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...