História Without Fear of Death - Capítulo 16


Escrita por:

Visualizações 9
Palavras 792
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 16 - Olhares


Fanfic / Fanfiction Without Fear of Death - Capítulo 16 - Olhares


- Baldur, acho que já pode tomar banho. - Falou Hela, entrando na sala enquanto secava o cabelo.
Baldur levantou-se e foi em direção ao corredor. Quando estava quase saindo da sala  ele parou.
- O que está olhando? - Perguntou Hela, rindo de forma envergonhada.
Ele a observava fixamente. Em seu rosto uma expressão de dúvida o fazia franzir o cenho.
- Você está bem? - Perguntou Hela.
- Acorda! - Gritou Loki, batendo na cabeça de Baldur.
Baldur olhou bravo para Loki e se retirou da sala.
*
- Bom, acho que é isso... - Falou Hela, enquanto os deuses se preparavam para voltar a Asgard.
- É. Obrigado. - Falou Thor.
- Obrigado? Isso tudo foi culpa dela! Sem ofensas, é claro. - Protestou Loki.
- Loki... - Começou Thor.
- Não. Ele está certo. Eu provoquei tudo isso, então não precisam agradecer por nada. Só quero que saibam que não foi por mal...
- Eu te entendo... Em parte. - Falou Thor, com um sorriso falso.
- Eu não. Por que fez tudo isso? - Perguntou Loki.
- Eu odeio esse lugar... É morto e solitário. Já estava cansada disso.
- E aí resolveu me drogar? Não acha que seria melhor apenas pedir? - Interviu Freyja.
- Você não ficaria. Eu não ficaria. - Respondeu Hela.
- Eu ficaria...
- E pra quê?
- Você parece uma pessoa legal, mas eu estou sempre com pressa. Entregar mensagens e ir embora costuma ser a minha única interação com você.
- Acho que se vocês tivessem conversado teriam nos poupado disso tudo. - Falou Thor.
- É. Um puta trabalho. Ah, já ia esquecendo, Freyja. Três das suas Valquírias foram capturadas por gigantes. - Loki falou com desdém.
- O quê!? Elas estão bem?
- Estão sim. Nós matamos os filhos da puta.
- O Baldur matou... - Esclareceu Thor.
- Somos uma equipe, cara!
- Que bom que as salvaram. Obrigada. - Freyja tentava sorrir em gratidão.
- De nada. - Falou Loki.
- Vou convoca-las em Valaskjálf quando chegar.
- Quê? Vai chamar elas? - Perguntou Loki.
- Sim, algum problema?
- Não, nenhum - Falou Loki, desconcertado.
Enquanto falavam, Baldur olhava para Hela com a mesma expressão confusa que tivera antes. Ao perceber, Loki foi até Baldur, puxando-o para longe dos outros.
- Tá, o que tá rolando?
- O QUE?
- Essa sua cara de sonço. Não é a primeira vez que isso acontece hoje.
Baldur deu de ombros. Loki sabia que Baldur não podia mentir, porém, resolveu conferir os sentimentos de Baldur. Ele olhou bem para os olhos de Baldur e um som começou a ecoar em sua cabeça. Diferente dos outros, sempre que Loki tentava ler a mente de Baldur, um som ensurdecedor tomava conta de sua cabeça. Após alguns segundos de esforços, Loki conseguiu ler: era paixão, porém, de uma forma muito confusa.
- Acho que entendi...
Baldur olhou confuso para Loki, que virou-se e retornou ao grupo puxando-o para junto dos outros.
- Que bom que voltaram. Eu preciso dar uma coisa a Baldur. - Disse Hela. 
- O que é? - Perguntou Thor.
- Um remédio, para controlar a praga. Só esperem eu buscar.
- Claro.
- Eu preciso ir ao banheiro... - Falou Loki.
- Ok. Vem comigo. - Disse Hela.
Os dois entraram na casa e Loki começou a falar.
- Sei por que Baldur está daquele jeito.
- O quê? - Perguntou Hela, confusa.
- O motivo de Baldur ficar olhando pra você com aquela cara de sonço...
- Ah. E o que é?
- Ele está apaixonado.
- Como assim? Ele te falou?
- Não. Na verdade ele nem sabe.
- Não entendi...
- É dificil explicar. Ele sabe o que é paixão, mas não sabe como é. Não sabe o que está sentindo. Ele sente constantes impulsos e não sabe porque.
- Acho que sei porque...
- Foi um dos encantamentos de Frigga. Os sentimentos dele tem um tipo de bloqueio.
- Sim... Eu vi...
- Viu?
- No vazio eu pude ver as memorias do Baldur, inclusive o dia em que a Frigga fez o encantamento.
- Sério? E você viu o Baldur jogando o Thor na parede? - Perguntou Loki, rindo.
- Sim... - Respondeu Hela, com seriedade.
- Ah...
- Enfim, achha que existe alguma forma de quebrar o encantamento?
- Talvez exista alguma coisa no laboratório da Frigga...
- Então, me promete que vai tentar ajudar ele?
- Nós vamos!
- Quê?
- Vem com a gente. Ai podemos invadir o laboratório e quebrar o encantamento.
- Eu não sei se é uma boa idéia eu ir com vocês.
- A única pessoa que poderia se opor, está te convidando.
- Eu...
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...