1. Spirit Fanfics >
  2. Without saying goodbye >
  3. Capítulo 9 - Muitos beijos, ok?

História Without saying goodbye - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Capítulo 9 - Muitos beijos, ok?


Fanfic / Fanfiction Without saying goodbye - Capítulo 10 - Capítulo 9 - Muitos beijos, ok?

“Tá tudo bem sentir saudade, tá tudo bem não esquecer, tá tudo bem mandar mensagem, tá tudo bem se for doer”

- Dois quartos – Vai ficar tudo bem

ALGUMAS SEMANAS DEPOIS

Eu estava de férias e sozinha, Diana viajou e Emily também, como meus pais ainda estavam trabalhando, eu acabei ficando por aqui mesmo.

Diana foi para o encontro com Peter há algumas semanas e pelo visto ele é melhor na segunda vez, palavras da minha melhor amiga, ela disse que o encontro foi ótimo, que acabaram passando a noite juntos e que com certeza sairia com ele novamente e ah: ela devolveu o óculos. Aleluia, né?

Minhas férias estavam bem entediantes, não tinha muito com o que me distrair e o que fazer, eu ficava a maior parte do meu dia vendo série ou me distraindo em grupos de facebook, até participei de uma gincana, foi bom, eu canalizava toda meu tédio e também minha raiva pra brigar com as pessoas nessa gincana – não que eu seja uma pessoa briguenta, longe de mim.

Mas hoje eu acordei cansada, não queria mais ficar em casa, comecei a falar com algumas pessoas que eram da minha sala da escola, hoje era sexta feira, tinha que ter algum lugar pra ir, daqui 2 semanas as aulas voltariam e eu não queria ter que passar minhas férias inteiras olhando para o teto.

Pelo visto todo mundo ia para o Ultra bar, como sempre, não tinha muito o que fazer na cidade para quem era menor de idade e eu nunca gostei muito de ir em balada, um lugar que eu pudesse ficar na rua tomando minha cerveja era o que eu precisava. Mandei mensagem no grupo das meninas, precisava de ajuda com a minha roupa.

GRUPO – I ONLY THINK OF ALCOHOL

Megan: hoje vou no Ultra, vocês me ajudam com a roupa?

Emy: Que saudade que eu to de um bar, nossa!

Emy: Mande fotos

Diana: Gente nem fala de bar, queria estar passando essas férias com vocês!

Megan: decidiram me abandonar na cidade, não sei quando vou perdoar vocês

Diana: Dramática ela... E ah, Ultra? Acho que vai encontrar rostos conhecidos por lá

Emy: Ela não vai querer ir agora...

Megan: ROSTOS CONHECIDOS? Eu não tenho UM DIA de paz.

Diana: Tem que arrancar o curativo de uma vez. Peter, Eduardo... E se você for muito azarada, Ethan Jones

Emy: Falando em Ethan, vocês estão se falando?

Megan: até parece que não me conhecem...

Diana: Então você está.

Megan: depois eu mando a roupa, beijos, amo vocês.

Eu comecei a stalkear os meninos, ninguém tinha postado nada, será que iriam mesmo? Não é possível que não tem um lugar melhor pra esses garotos irem, vão explorar a cidade, conhecer lugares novos...

Eu pensei em mandar mensagem para Ethan, desde que nos encontramos no Ultra pela última vez, a gente vinha conversando um pouco por mensagem, não era nada demais, eu ainda tinha muito receio de encontra-lo e também de dar outra chance, eu sei que só de estar conversando com ele, inevitavelmente era uma chance que eu estava dando, mas nessas férias eu evitei ao máximo me encontrar com ele e não faltou convites. Ele estava de férias do trabalho e da faculdade, então tinha bastante tempo livre.

Um dia desses eu acabei bebendo em casa, fiquei bem alterada e acabei ligando pra ele, quase uma hora da manhã, ficamos quase duas horas no telefone, falando sobre nada em específico, eu mais dava risada do que realmente falava alguma coisa, ele falava da faculdade, do trabalho e de como ele gostava de fazer eventos, eu falei sobre minhas inscrições pra faculdade, já que no ano seguinte eu estava entrando em uma. Ele perguntou o que eu gostaria de fazer e eu disse que era jornalismo, ele ficou super animado e disse que eu daria uma ótima jornalista.

Depois de quase duas horas em chamada, eu acabei dormindo enquanto ele me contava uma história dele na infância, acordei só na manhã e com uma mensagem dele

Ethan: Dormiu na chamada, não é? Amei ouvir sua respiração calma assim, já bateu saudade de dormir junto contigo...

Eu não respondi, claro. Mandei apenas um bom dia depois de quase uma hora e pedi desculpas por ter dormido, ele disse que não tinha problemas e assim seguimos.

Depois desse dia, a rotina de ligações aumentou e não era porque eu estava bêbada e carente, ele me ligava porque dizia estar com saudades da minha voz e eu nunca admitira que sentia saudades da voz dele todos os dias, nunca admitiria pra ele e nem para minhas amigas, mas eu já havia admitido para o meu coração.

Ethan era inconstante, acho que era isso que eu mais odiava na nossa relação – e não é como se realmente tivéssemos uma – ora ele estava conversando comigo todos os dias e me ligando, ora ele não conversava comigo por uma semana... Eu nunca fui de cobrar nada dele, nós não tínhamos uma relação pré-estabelecida que eu pudesse virar pra ele e dizer que ele deveria ser mais constante, que ele deveria parar de ter esses momentos, que ele sumia e eu ficava sem saber o que tinha acontecido, afinal, ele nunca me deveu satisfações.

Hoje estávamos em uma dessas semanas, ele havia me mandado mensagem só ontem, que comentamos um pouco de como estava as férias, mas era só isso, eu queria saber se hoje ele ia sair, se ele ia mesmo para o Ultra, pelo que eu via no instagram dele e dos amigos, eles apareciam lá quase toda sexta-feira, eu queria que hoje ele decidisse não aparecer.

Tudo bem ter inúmeras ligações e mensagens, mas eu não estava preparada para encará-lo, sei que quando eu o visse, tudo se tornaria muito real.

[...]

Eu estava atrasada, eu encontraria os meninos da minha sala no bar, mas pedi para que eles fossem antes, já que eu já tinha passado totalmente do horário. As meninas tinham me ajudado com a roupa, o que foi bem difícil já que eu mandei quase 10 opções, mas depois da roupa escolhida, eu já estava atrasada quase vinte minutos, então pedi pra encontrar todo mundo no lugar, assim eu não atrasava mais ninguém. Eu arrumei meu cabelo e fiz uma maquiagem e quando eu já estava quase 40 minutos atrasada, eu pedi um uber.

Os meninos já estavam mandando mensagens e eu só respondi quando eu cheguei no lugar, eles disseram que estavam perto do bar, eu entrei e fui até lá, encontrando todos – que no total eram 4 – encostados no balcão, eu cumprimentei e eles decidiram que já íamos tomar dois shots de tequila cada um, eu fiz uma careta, mas entrei na onda, depois pedimos algumas cervejas e sentamos em uma das mesas, ainda estava cedo, então o bar não estava tão cheio.

Algumas meninas que também estudavam com a gente foram chegando e se sentando com a gente, já tinha quase 10 pessoas na mesma mesa e era muita gritaria, já tinha ido muita cerveja e toda vez que chegava alguém novo, nós tomávamos mais tequila. Eu estava sentada na ponta mesa, já que eu sempre ia pegar bebida e Cory estava ao meu lado, ele era um que estudava comigo fazia muito tempo e a gente se conhecia antes mesmo da escola, eu e ele ficávamos num assunto mais nosso na mesa, nós já tínhamos ficado há um tempo, algumas vezes na escola e em festas, hoje em dia nós éramos apenas amigos.

Não sei se era a bebida, mas ficar tão perto de Cory e por toda vez que ele fosse falar algo, ele tinha que se aproximar de mim por conta do barulho, eu quis beijá-lo, mas não queria que fosse na frente de todo mundo e também nem sei se ele queria, na mesa tinha uma menina que era meio que afim dele, eu não conversava com ela, mas também não sabia como ele se sentia em relação a ela, eu não ia causar discórdia aqui.

- Eu vou fumar – falei pra ele e depois falei para todos da mesa, eu não costumava fumar muito, mas eu estava precisando desestressar um pouco.

- Eu vou com você – Cory falou e se levantou

Eu assenti e então fomos para fora do bar, o bar já estava bem mais lotado, por já ser mais tarde, atravessamos a rua e ficamos sentado na mureta, com uma garrafa de cerveja e então pegamos o cigarro eletrônico, pelo menos assim o cheiro não impregnava na minha mão. Quando estávamos fumando, vi Peter e Eduardo do outro lado da rua, entrando no bar, o que me fez tossir.

- Está tudo bem? – Cory me olhou preocupado

- Aham – engoli seco – eu estava vendo que Amber não parava de te olhar – o empurrei com o ombro e ele deu risada

- A gente conversou um pouco nas férias, mas eu não me interessei muito – ele deu de ombros – acho que ela pensou que poderia rolar alguma coisa, mas eu não dei abertura.

- E em quem você está interessado hoje? – por um momento, torci para que ele dissesse que era em mim. Olhei para os lábios dele e então traguei.

- Quer mesmo saber? – ele deu um sorriso divertido e eu assenti – em você.

- Ufa – soltei a respiração – estava torcendo para isso.

E então ele me puxou para um beijo, beijar Cory era ótimo e eu me lembrei assim que sua boca entrou em contato com a minha, por que eu não beijava mais ele mesmo? Ficamos lá fora mais um tempo, nos beijando, fumando, bebendo e jogando conversa fora.

Quando decidimos entrar, nós entramos como se nada tivesse acontecido e eu gostava disso nele, nós nunca precisávamos nos tratar como um casal, era apenas um beijo, só isso. Quando chegamos na mesa, um dos meninos assobiou e eu olhei sem entender, até que Amber passou por mim e bateu em meu ombro de propósito, então ela tinha visto o beijo.

Dei de ombros e ri, eu não era amiga dela, não era próxima a ela, Cory disse que eles nem combinaram de ficar, se ela quisesse ficar brava por isso, eu não tinha o que fazer. Eu dei um selinho em Cory e disse que ia ao banheiro, quando eu estava no caminho de volta, um braço me puxou.

Era Peter.

- Hey! – ele me cumprimentou e então eu vi a roda dos amigos dele, olhando para Eduardo, ele estava mexendo no celular

- Oi – sorri e cumprimentei todos eles, Edu me devolveu um sorriso fofo, eu poderia até beijá-lo agora – estão aqui faz tempo? Eu estou com um pessoal da escola.

- Não muito – Peter respondeu – Diana está viajando, né?

- Sim – fiz um biquinho – sinto falta da minha amiga.

- Eu também – Peter soltou e eu comecei a rir, enquanto todos seus amigos gritavam, zoando-o.

- Eu vou lá fora fumar um – Edu disse, especificando que iria fumar maconha.

- Posso ir? – olhei pra ele e ele me olhou surpreso

- Claro, mais alguém? – ele se virou para os amigos e todos disseram que não, acho que era minha deixa.

Nós pegamos uma bebida e então fomos pra fora ficando mais afastados por conta de ser maconha. Eu estava me dando bem hoje quando saía pra fumar com alguém... Eu e Edu começamos a falar sobre as férias e em como ele sentia falta do calor do Brasil, já que em Los Angeles estava um tempo mais frio.

Não sei exatamente em que momento foi, se foi quando a maconha já tinha me deixado completamente chapada, se foi quando Eduardo elogiou meu sorriso ou foi quando eu me perdi nos olhos verdes dele, que estavam levemente vermelhos, mas nos beijamos. E o beijo dele era ainda mais intenso, ele me encostou na parede e apertava minha cintura, nosso beijo era acelerado, mas ao mesmo tempo era muito gostoso e muito cheio de desejo.

Nós nos separamos e em alguns segundos estávamos nos beijando novamente, até que a maconha acabou e nós decidimos entrar, ele tentou pegar na minha mão, mas eu o afastei, quando chegamos perto de Peter e dos meninos, reconheci alguém que estava conversando com Peter, ou melhor, estava quase no colo dele: Amber.

Ela olhou pra mim e revirou os olhos, ah eu não acredito que tenho que ver ela brava comigo porque eu beijei o cara que ela gosta e ela agora vai dar em cima do cara que a minha melhor amiga tá ficando? Mas não mesmo. Eu fui até o bar e pedi uma água bem gelada, quando eu estava quase na roda novamente, eu fingi tropeçar e acabei derrubando a água na roupa dela, como estava em um copo, foi bem fácil.

- Você é maluca? – ela me olhou e foi pegando papéis pra secar a roupa

- Meu Deus, desculpa! Foi completamente sem querer – bebi o que restava da minha água, enquanto Peter e Eduardo seguravam a risada

Ela foi para o banheiro terminar de se secar.

- Acho que vocês não se dão muito bem – Peter falou

- Que? Para, eu gosto de todo mundo – forcei um sorriso e todo mundo riu.

Quando eu voltei para o meu grupo da escola, eu estava debruçada na mesa, até que senti alguém puxar minha cintura e me dar um selinho. Abri meus olhos e então Eduardo olhava pra mim de longe e Cory estava de pé ao meu lado.

- Ethan! – falei para o homem a minha frente que tinha acabado de me beijar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...