1. Spirit Fanfics >
  2. Without seeing you >
  3. One

História Without seeing you - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - One


Três meses antes

Ela queria saber o que naquele momento estava passando em sua mente, de que maneira ele pensava nela. e se, ao arrepio de tudo, ela ainda era querida por ele...”

-Lena, já esta na hora! Suspiro seguido de um sorriso, era dessa forma que a Lena seguia durante seus dias, todas as manhãs, acordava sempre as 5h50 em ponto, abria a janela e via o nascer do sol pela sua janela, tinha uma bela vista, os primeiros raios batendo em seu rosto lhe animavam e lhe recarregavam para um novo dia.

Após a bela Vista sempre seguia para o banheiro onde se despia e tomava um banho morno, logo saia de roby e descia para cozinha, colocava água para ferver e fazia seu café acompanhado de duas frutas, e ia em direção ao jardim que tinha uma bela vista, sentava em uma espreguiçadeira e pegava seu livro de sua autora favorita, ‘Jane Austin’ Lena era uma amante de poemas e romance , porém os romances da Jane lhe tiravam vários suspiros, toda a escrita lhe prendia, a cada verso e palavras, Jane era uma escritora que explorava muitas coisas e era considerada bem a frente de sua época, as ironias em seus contos, a forma que explorava classe e gênero, extraordinária, e isso encantava a Lena.

Era a melhor parte do dia, ficava cerca de quase uma hora na leitura, até que dava 8h30 e tinha que começar a se arrumar para o colégio, era seu último ano e Lena pretendia cursar literatura... tinha uma grande vida pela frente e pretendia se tornar uma escritora um dia, e talento era oque não faltava na garota de olhos azuis.

Lena sempre gostou muito de arte, música e claro, livros sua maior paixão, amava sentar e sentir a textura do livro, até mesmo o cheiro lhe encantava...á o cheiro de livro novo, se possível era um dos aromas favoritos dela, se não o favorito.

Ela não se preocupava com as coisa fúteis da adolescência, namoros vagos e sem sentido, não conseguia conviver com pessoas vagas, sempre fora muito intensa e gostava de intensidade, uma clássica leitora não aceita menos que isso, era admirável por onde passava. Sua áurea era incrível, sempre sorria e tinha felicidade mesmo em seu ser, nem uma gota de falsidade, não conseguia ser falsa, era sempre verdadeira, os livros lhe ensinaram isso.

Como uma boa amante de animais e natureza, Lena não perdia uma oportunidade de se aventurar, seja fazendo uma trilha com sua melhor amiga Sam, ou acariciando um cachorro de rua, sempre gostou de ir em cachoeiras e acampamentos, fazia tirolesa e já havia feito até mergulho com golfinhos, era sua paixão estar em contato com tudo, árvores, plantas, animais, um de seus lugares favoritos de visitar era o Zoológico, e ver a Rubye, “sua" girafa que era deficiente, em um ataque perdeu a perna frontal direita, era seu animal favorito.

Lena não tinha muitos amigos, por mais que tivesse uma boa socialização no colégio, era uma pessoa extrovertida e introvertida ao mesmo tempo, conseguia conversar com todos, mas não confiava em todos, com razão, adolescentes não são confiáveis, raro achar quem são, e essa era a Sam.

Samantha era o completo oposto da Lena, mas tinha algo em comum, também era uma pessoa que se sentia livre, da forma dela, era verdadeira e Lena podia confiar nela de olhos fechados, Sam amava se aventurar também, porém odiava romances ou livros, suas músicas não eram calmas nem muito menos poéticas, eram animadas e gritantes, Sam era animada e gritante.

Gostava muito de brigas também, fazia de tudo para proteger a Lena, porque sabia como sua amiga era boa e não queria que ela perdesse toda aquela essência. Sam tinha prometido a si mesma que nunca deixaria algo acontecer com a Lena, que tirasse o sorriso dela ou aquele brilho no olhar... infelizmente não conseguiu impedir que aquilo acontecesse, não estava em seu controle, mas até hoje Sam se culpa também.

...

_Lena, você irá para Los Angeles nas férias ? Sam chega abraçando sua amiga de lado enquanto caminhavam juntas para a Sala de química.

O colégio em que Lena estudava era um dos melhores de Nova York, Loyola School NYC, seus uniformes era geralmente compostos por, saia ou calça, blazer da cor preta, uma camisa social e gravata, clássico de escolas de um padrão alto.

Lena trajava, saia com a camisa social branca e gravata com blazer, sempre vestia as roupa da forma correta, já ou outros alunos sempre “customizavam" os uniformes, como era o caso da Sam, usava a calça normal, porém sua camisa social era amarrada de lado, a gravata frouxa, e botões da camisa aberto sem blazer.

_Sim, e estava pensando em te convidar, estou pensando em saltar de paraquedas pela primeira vez. Lena falou enquanto entrava na sala e sentava na segunda carteira do lado esquerdo da sala onde tinha uma grande janela, que dava a lista de todo o jardim que inclusive, estava bem florido, já tinha chegado a época e várias flores se abriam, e lhe tiravam suspiros

_Serio? Sabe que eu vou mesmo né, eu já estava pensando em me convidar para ir com você! Sam falou sentando atrás da garota de olhos azuis quase cinzas por causa da claridade, soltou um riso com estalo de língua ao final de sua frase.

_Novidade nenhuma você se alto convidar, já estou acostumada, é até estranho quando você não faz isso. Lena falou rindo com sua amiga.

_Eu sei que você ama minha companhia, não viveria sem mim. Lena revirou os olhos pelo jeito convencido da garota rebelde, mas Sam tinha razão, Lena não se via, vivendo uma vida da qual Sam não estivesse nela, por mais implicante que fosse a morena.

_Não um pouco convencida. Lena falou por fim virando para frente, logo seu professor, o senhor Robert, entrou na sala com sua clássica feição fechada, mas não se deixe enganar pelo humor dele, era um excelente professor, e era mais rígido para impor respeito e ensinar.

Sua aparência era de um homem, de idade 50/60 anos, amava usar suéter, e trajava no momento um azul marinho com cinza, calça social e seu óculos na ponta do nariz, um clássico professor de química diria Lena, e um ponto curioso ele era o professor preferido da menina.

...

Quando acabaram as primeiras aulas, as meninas seguiram para o refeitório, o mesmo era enorme, tinha várias alas de alimentações, mesas da cor vermelha, tinha todo tipo de comida que pensar, desde comida japonesa, a comida vegana, Lena sempre optava por comida irlandesa, já que tinha sangue irlandês e amava quando sua avó fazia para ela.

Ao sentar na mesa, logo Sam chega colocando de forma não delicada a bandeja com pedaço de pizza, e um refrigerante, ao ver qual era a comida de Lena fez uma careta, e se sentou na frente dela pegando um pedaço da pizza.

_Como você consegue comer isso? Falou fazendo cara de nojo e dando uma mordida na pizza.

_Como você consegue implicar com tudo que eu faço? Rebateu Lena depois de comer um pouco, e logo olhou para Sam com a sobrancelha esquerda arqueada.

_Talento mon amour. Respondeu a menina enquanto comia a pizza dando uma piscada de um olho, e logo sentiu uma bolinha de papel na sua testa, James...

_Mas que poha? James, perdeu amor a vida logo antes de 12h de uma segunda feira? Sam falou e olhou para ele com ódio, ela o odiava, apenas suportava ele pelo fato de... James era namorado da sua amiga.

James Olsen, ele era um jovem negro, de altura de aproximadamente 1,75, um corpo não muito magro nem musculoso, e era um fotógrafo, bom amava fotografias, talvez tenha sido isso que conquistou Lena, o fato dele também gosta de arte, porém James era um “bobão” como diria Sam, ele não era uma pessoa muito inteligente, e nem perto da inteligência da Lena, e isso irritava Sam, porque ela sabia que sua amiga merecia mais que um simples fotógrafo com piadas ridículas.

_Deixa de ser estressadinha, está na seca por acaso? Isso que Sam queria dizer quando era piadas ridículas, Lena apenas abaixou a cabeça com um sorriso fraco, e Sam revirou os olhos.

Lena por mais que odiasse as coisas fúteis e namoros de adolescência, se apaixonou pelo rapaz, e jurava que ele poderia ser o cara da sua vida, quando os dois estavam a sós, ele era um cavalheiro, pois sabia que a Lena amava, isso fez Lena ser conquistada...

_Vai se foder, não tenho paciência. Sam falou e começou a se levantar.

_Já deu vocês dois, parecem duas crianças, vamos para a educação física. Lena falou levantando e dando um selinho do James, logo saiu arrastando sua amiga que fez questão de mandar um dedo do meio para o James.

_Você não tem jeito mesmo Sam. Lena falou rindo e abraçou a mesma de lado e seguiram para o ginásio.

_Ainda acho que você merece coisa melhor. Resmungou a Sam enquanto seguiam para o ginásio.

Ao chegarem no ginásio, logo seguiram para o meio onde tinha um círculo de garotas, todas já vestidas com as roupa próprias para exercício, que no caso era um short com o brasão da escola e uma regata ou top, Lena optou por ficar de regata porquê o esporte escolhido no dia era queimada, e ela não queria levar uma bolada a queima roupa direto na barriga.

_Bom meninas, quero as duas Capitã na frente para decidirem com qual começa com a bola. Julie que era uma das garotas mais velhas e quase treinadora falou, logo Lena e a Sara foram para frente e se encararam, Lena era extremamente competitiva por mais que não parecesse, logo encarou sua aniversário e jogou a moeda para o alto.

_Coroa. Lena falou e logo a moeda parou de rodar sobre a mão da Julie...

_Lena ganhou, a bola é sua! Lena deu um sorriso e pegou a bola, logo todos começaram a correr, Lena segurou a bola firme entre a palma e seus e jogou, acertando em cheio o Raphael que tentou desviar da bola rápida mas foi atingido no pulso.

_Que os jogos comecem... Lena falou sorrindo ao ter queimado o rapaz.

...

_Só temos você e eu Lena, acha mesmo que vai ganhar? Desiste! Julie que estava do outro lado com a bola na mão, provocava Lena, que se mantinha bem calculista, e um excelente reflexo.

_Está esperando oque para jogar essa bola? Sabe que não consegue me acertar né, tem duas mãos esquerdas. Lena rebateu a provocação e logo escutou todo mundo animado e gritando, Julie começou a ficar vermelha e logo jogou a bola, porém seu raciocínio não foi preciso, resultado, bola na mão de Lena que sorriu e correu rapidamente e conseguiu acertar a barriga da Julie que tentou correr e não conseguiu.

_ESSA É MINHA AMIGA, SE FERROU OTARIA! Sam chegou pegando a Lena no ombro e rodou comemorando e rindo, essas memórias eram perfeitas para Lena...

Naquela mesma tarde, Sam foi para a casa de sua amiga como de costume e pagou uma pizza para comemorar a vitória de sua amiga, ou como diria Lena, para “puxar o saco", logo quando chegou a pizza foi devorada pelas duas, e acabou as duas deitadas no chão da sala, com a Sam apoiando a cabeça na barriga da Lena.

_Eu sou tão feliz, e tenho medo de que isso se acabe sabe, parece que quando tudo está tão perfeito, é porque esta perto de uma catástrofe... Lena falou refletindo.

_ Você está com alguma... sensação de que algo ruim vai acontecer? Sam virou olhando a sua amiga, ela temia isso porque as vezes parecia que a Lena conseguia prever as coisas, como da vez que a Lena disse que estava com uma sensação de que algo iria acontecer e sua vó veio a falecer uma semana depois.

_Não é bem isso, mas é como se tudo fosse um sonho, o mais belo sonho, e uma hora eu fosse acordar, é estranho... Eu tenho uma amiga anormal... um som de estalo foi ouvido e a Lena resmungou ao sentir a ardência na sua coxa, Sam havia lhe dado um tapa. _Sua agressiva, eu iria falar que eu não vivo sem você, agora sai da minha casa! Lena falou apontando para a porta, a Sam arqueou uma sobrancelha e travaram uma batalha em que as duas dispararam a rir.

_Não deixe esses pensamentos ruins te afetarem, você merece tudo isso, você é incrível Lena, doce, amigável, chata, e ama romances ridículos. Agora foi a vez da Sam levar um tapa na cabeça e sorriu. Você merece o mundo menina de ouro, e você ainda está escrevendo aquele livro?

_Obrigada Sam, não sei oque faria sem você. Lena falou sincera, ela não via mais uma vida sem a sua irmã por mais que elas quase se matassem as vezes, ela sabia que a morena nunca trairia ela, e que poderia confiar de olhos fechados.

_Eu sei que não vive sem mim, sou incrível! Sam falou de gabando e logo escutou uma risada leve da outra.

_E respondendo sua pergunta, sim eu ainda estou escrevendo, tenho muito oque contar sobre mim...

Lena estava escrevendo o seu primeiro livro, ele contava a sua história, porém não era diretamente uma autobiográfica, ela contava sua história com outros personagem, ela recriou sua história sem dizer que era dela, e aquele livro tinha muito ainda sobre oque ser escrito, coisas que até mesmo a brilhante Lena não fazia ideia, e talvez não seria um livro tão feliz como ela pensou que seria...

...

As férias...

Então a tão esperada viagem chegou, Lena acordou mais animada que nunca abrindo a cortina e recebendo um chingamento da Sam que dormi em seu quarto, logo a mesma pegou um travesseiro e arremessou na Lena.

_Que poha Lena, são nem 6 horas da manhã, vai se foder. Sam falou resmungando, era de seu cotidiano acordar assim mal humorada, a Luthor já tinha até se acostumado com o jeito da mesma.

_Nem começa Sam, hoje é a viagem e nós precisamos nos preparar e começar a arrumar as malas! Lena falou e logo a Sam pulou da cama animada, ela tinha esquecido da viagem, típica falta de memoria temporária do amanhecer.

_Meu Deus eu tinha esquecido da viagem! Falou e saiu em disparada para o banheiro, Lena sorriu e logo desceu para a cozinha para preparar algo para elas comerem, logo sua mãe Lilian chegou abraçando ela.

_Bom dia meu anjo, animada para a viagem? Falou enquanto ajudava a pequena Luthor a preparar o café da manhã.

_Bom dia mãe, estou muito animada, vou finalmente saltar de paraquedas. Lena parecia uma criança que acabará de seu presente, estava tão empolgada porque finalmente iria voar como os pássaros e ter a famosa sensação de finalmente sentir oque é liberdade.

_Não sei onde eu estava com a cabeça de liberar você para fazer isso, mas oque eu não faço por você. Ambas sorriram e continuaram preparando o café da manhã, até que a Sam desce e se junta a elas para saborear o delicioso café.

...

_Samantha, se nós perdermos o voou por sua causa eu juro que te jogo do carro em movimento! Lena já estava estressada com sua amiga, pelo motivo da qual... Sam estava procurando sua blusa da sorte, e não encontrava em lugar nenhum.

_Lena, entenda eu preciso dela, vai que o avião explode e cai no mar, só porque eu esqueci a blusa. Sam falava serio e a Lena olhava incrédula, porque... era apenas uma simples blusa de lã!

_É apenas um blusa, vamos logo. Lena saiu puxando a sua amiga e colocou ela no carro, mesmo contra a vontade dela.

_Se acontecer alguma coisa é culpa sua por não deixar eu procurar a blusa! Sam falou emburrada com os braços cruzados.

_Eu deixei você procurar ela por quase uma hora, agora sossega, vai dar tudo certo. Lena falou se aconchegando no banco e colocando os seus fones de ouvidos e ficou olhando a janela.

Era um dos momentos favoritos da morena, olha pela janela durante a viagem de carro ou de avião, os momentos ali era único, sentava e conseguia refletir sobre tudo na vida, ou até mesmo criar histórias fantasiosas em sua mente tão fértil, imaginação era oque não faltava na pequena.

Quando chegaram ao aeroporto não tiveram muito tempo já que estavam levemente atrasados, fizeram o check-in e embarcaram para a viagem tão esperada, Lena optou por sentar na cadeira do lado da janela, já era de se esperar, ali ela sempre conseguia pensar e geralmente lhe viam inspirações e começava a escrever o seu livro.

A Sam sentou ao seu lado e começou a ver um filme aleatório, e ficava rindo, coisa que não incomodava a Lena já que a mesma estava escutando suas músicas favoritas, como o Ed Sheeran que agora cantava em seus ouvidos uma das músicas que mais gostava Lego House...

Metade do mundo não consegue compreender os prazeres da outra metade”

...

Quando o avião pousou o sorriso da Lena foi inevitável, ficou muito animada com o fato de finalmente iria saltar de paraquedas um dos seus maiores sonhos, logo grudou na Sam e saíram rindo para irem pegar as bagagens.

Saíram esbarrando em todos e pedindo desculpas rindo, parecia que eram duas crianças, pegaram as malas e saíram em busca de um táxi para levarem para o hotel, afinal depois de 5 horas de voo, precisavam de um descanso.

Assim que chegaram no hotel ficaram de cara, era espetacular o ambiente, tinha duas camas de casal enormes, em cada cama havia quatro travesseiros, um criado no meio das duas camas, todas forradas com um estilo de cobre leitor da cor bege com detalhes em branco nas bordas, e também continha um frigobar no canto do quarto, o banheiro era enorme as garotas ficaram eufóricas, tinha um espelho por cima da pia de mármore que era enorme com luzes, com direito a banheira de hidro, um quarto esplêndido.

_Meu Deus esse quarto é incrível, vou pular na cama. Sam falou e logo subiu na cama e começou a saltar igual um criança, logo Lena se juntou a ela e as duas começaram a rir até caírem deitadas na mesma.

_Esse vai ser a melhor férias da vida!...

Lena estava uma animação enorme junto com sua amiga, logo não perderam tempo em sair do hotel para explorar a cidade enorme, foram em vários lugares inclusive foram em uma biblioteca a muita insistência da Lena, depois de negociar que depois poderiam fazer oque quiser no shopping, isso foi irrecusável.

_Olha só esses livros, a biblioteca, é enorme, imagina... meu livro em bibliotecas assim, sendo reconhecido e tocado como todos esses grandes autores!

Lena falava sonhadora olhando todos aqueles livros, todas aquelas histórias... cada mundo novo em um livro, viajar em descobertas a partir de páginas e mais páginas, sua ansiedade chegava atacar só imaginar quais tipos de historias marcantes e tocantes poderiam ser descoberto naquele local.

Sam ficava admirada, por mais que não gostasse de livros assim como sua amiga, ela admirava a forma que Lena falava, de como sonhava e aquilo era inspirador para a morena.

Lena sempre desde pequena gostava muito de histórias, porém quando ainda não lia, seus pais perguntavam qual história ela gostaria de ouvir, e ao invés de ouvir sobre princesas, sempre escolhia livros mais complexos como os da Jane Austen, quando a Lena estava com seus 6 anos pediu seu primeiro livro de presente e ficou um dia todo sentado lendo, mesmo que a leitura não fosse uma das melhores, sempre pedia ajuda e foi aprendendo, na escola Lena também não perdia a chance de ler para os colegas.

Ao terminarem na biblioteca, foram para o shopping e tiveram um belo dia de garotas estilo filme americano, saíram experimentar vários tipos de roupas e brincaram na área de árcade do shopping, estava sendo as melhores férias das garotas.

Na manhã seguinte Lena acordou mais que animada, afinal seria o seu salto de paraquedas, eram 6h da manha e ela estava se preparando, o salto seria as 9h se tudo ocorresse bem, levantou se arrumou, e tomou o café da amanhã.

_Animada com seu salto de hoje? Sam apareceu vestida com uma calça jeans clara e um suéter, deu um beijo no rosto da Lena e pegou uma maça.

_Estou muito animada, já sinto a ansiedade cortando o meu corpo de ponta a ponta. Lena falava animada, logo olhou o relógio e viu que já estava na hora de partir.

...

_Meu Deus, o local é enorme. Lena falava empolgada andando na pista em direção ao pequeno avião, Sam estava um pouco aflita afinal, era um salto e se preocupava com sua amiga, mas iria apoiá-la.

_Lena você é muito corajosa, serio como você tem coragem? Sam falava seguindo ela até o avião.

_Eu quero sentir a liberdade e a sensação de voar... isso que me da coragem! 

_Olá, você é a senhorita Luthor ? Um rapaz de aparentemente uns 23 anos parou as garotas, ele também estava vestido com um macacão de salto, deveria ser o instrutor que saltaria com a morena.

_Sim sou eu mesma! Pode me chamar de Lena. Respondeu Lena com um sorriso contagiante e logo rapaz pediu para ela acompanhar e ali seria momento de separar da Sam, já que ela aguardaria a sua amiga em solo.

_Se cuida, te amo muito mesmo tá? Sam falava abraçando a Lena que sorria.

_Acalma Sam, não vai chorar, logo estou aqui de volta, te amo também. Lena falou e logo entrou no avião que decolou, o avião era um pouco barulhento por ter as janelas abertas, quanto mais altitude o avião pegava, mais a menina ficava ansiosa, seu estômago revirava em nervosismo e animação.

_Está pronta? Lena escutou o seu instrutor Luke aparecer, logo ele colocou o paraquedas e prendeu a Lena junto a ele e se prepararam para o salto.

_Mais pronta impossível! Lena falou e logo ele saltou com ela, e como explicar a sensação...

Saltar de paraquedas é algo incomparável! Esqueça o frio na barriga, esqueça a comparação com montanha russa, voar é algo prazeroso, sua sensação é de flutuar e não cair!

Saltar de um avião a quatro mil metros de altura, cair por 45 segundos em queda livre a uma velocidade de 240 km, e em seguida apreciar uma paisagem deslumbrante de um ângulo que você nunca viu.

Lena sentia seu corpo em combustão abria a boca e nada saia, nem mesmo um grito, estava olhando tudo tão encantada, estava a 240km/h e parecia estar em câmera lenta, Lena diria que finalmente entendeu o porquê dos pássaros cantarem...

_Isso é surreal... Lena sussurrou aos ventos, porém tira algo de errado, já tinha passado dos 60 segundos e a Lena estava em êxtase e nem percebia que o paraquedas não estava abrindo, a altitude estava perdendo rapidamente e a Sam já estava surtando em solo.

_POR QUE O PARAQUEDAS AINDA NÃO ABRIU? Sam estava desesperada, sua amiga estava caindo e perdendo altura demais, se continuasse, não adiantaria o paraquedas abrir, seria fatal o impacto.

Cada segundo que passava Lena aproximava do solo, mas ela ainda estava tão extasiada que não percebia, até que recebeu um impacto forte, o paraquedas abriu, porém abriu muito tarde... última coisa que foi ouvida foi ao grito de sua amiga Sam correndo em desesperada até o local que ela pousou...


Notas Finais


Espero que tenham gostado ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...