História Without You - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, Mark
Tags Death Fic, Got7, Jackson Wang, Jark, Mark Tuan, Markson, Sad Fic
Visualizações 35
Palavras 957
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não sei se essa one ficou boa, até porque não teve planejamento nenhum. A ideia pra escrever veio de um video de markson que assisti hoje à tarde (inclusive vou deixar o link mas nas notas finais caso queiram ver).
Boa leitura! 🐱📚

Capítulo 1 - Memories


Fanfic / Fanfiction Without You - Capítulo 1 - Memories

Meu amor,

 se fazem três anos desde que você se foi.

Três anos desde que comecei a me perguntar o porquê de continuar vivendo se não tenho mais você comigo. 

Três anos desde que tudo se desmoronou no mesmo instante em que seu coração parou de bater naquela cama de hospital.

 Três anos desde que comecei a te escrever cartas, músicas, poemas... Tudo inspirado em você, meu anjo.

No coração de nossos amigos, você agora é apenas mais uma memória. Afinal eles mesmos vivem me dizendo que devo seguir em frente assim como fizeram. Devo reunir forças para continuar minha vida normalmente.

Eu fico tão mal quando eles dizem isso, Mark.

Porque além da incontestável sensação de estar sendo incompreendido pelos meus melhores amigos, acabo sentindo ainda mais sua falta nesses momentos. Afinal sempre foi você quem me animava quando eu estava mal. Você gostava de pôr seus CDs favoritos pra tocar e me puxar do sofá aos pulos. E então nós dançávamos como dois malucos e depois pedíamos pizza. Você fazia questão de ficar abraçado comigo   no sofá enquanto comíamos, porque dizia que queria me abraçar apertado pra poder juntar de novo todos os "pedacinhos" quebrados dentro de mim.

Eles estão quebrados agora, Mark.

Na verdade estão quebrados desde que você se foi. E ninguém mais conseguiu juntá-los de forma que voltassem a formar o antigo coração que costumava bater mais forte por ti.

Sim Mark, eu tentei ficar com outras pessoas. Tentei procurar nos outros algo que apenas existiu em você. Em outros sorrisos, outros abraços, outras vozes, outros risos. Tudo isso porque eu apenas queria poder sentir novamente ao menos um pouco do conforto que a sua companhia me trazia. Mas não aconteceu, e tudo sempre acabava com um vazio no peito, uma angústia dolorosa e as saudades de você me atingindo ainda mais fortemente.

Às vezes eu acordo e penso que tudo isso não passa de um pesadelo em uma noite tempestuosa. Vou encontrar você na cozinha queimando alguma coisa, ou na sala fazendo bagunça com nossa cachorrinha logo de manhã. Mas não há coisa alguma, apenas o silêncio me recebendo sem nada à oferecer além de um vazio que não pode ser preenchido por nenhuma outra coisa além de sua presença.

Ainda lembro da última vez em que nos vimos. Suas mãos estavam frias, sua pele pálida, seus cabelos opacos. Mas mesmo assim você tinha um pequeno sorriso no rosto, e seus olhos ainda brilhavam com a mesma paixão e vitalidade de sempre.

Em meio às lágrimas deixei um beijo sob seus lábios sem cor. Você usou seu último fio de voz para dizer que me ama, mas antes mesmo de eu poder te responder os bipes até então estáveis dos aparelhos que te mantinham vivo pararam de ecoar pelo quarto, dando espaço à um único som agudo e contínuo.

Seu coração parou. E quando finalmente notei o que estava acontecendo, senti como se o meu também tivesse errado uma batida.

Eu perdi a força que ainda me sustentava nas pernas. Estava fraco por ter praticamente acampado na sala de espera do hospital durante aquela semana, quando o médico disse que você estava em estado grave. Caí sob teu peito e gritei o mais alto que pude, molhando com lágrimas o tecido branco de sua roupa hospitalar.

Tentei te acordar. Chacoalhei seu corpo, te chamei desesperado enquanto me engasgava com meu próprio choro. No final, apenas lembro de ter sido  arrastado pelos seguranças até o corredor, onde caí de joelhos desabando em lágrimas.

Minha cabeça estava uma bagunça. Todas as memórias passavam em minha mente como num filme. Eu via seu sorriso, seu corpo, podia ouvir sua voz e sentir seu toque. Era como se você ainda estivesse vivo, e por isso eu me recusava a aceitar o fato de que você se foi. Perdi a conta de quantas vezes naquela noite 
implorei ao médico para que tentasse uma ressucitação com o desfibrilador, mas já não havia mais nada que pudessem fazer.

Durante as primeiras semanas me mantive isolado, sob o efeito de remédios o tempo inteiro. Só assim eu conseguia dormir, mesmo sem seu corpo junto ao meu, sem seus beijos de boa noite e sem seu sorriso iluminado pela luz da lua que entrava pela janela do nosso quarto.

Mas apesar de hoje em dia eu não precisar da mesma quantidade absurda de medicamentos pra dormir, continuo tendo muitos pesadelos. Mas vez ou outra tenho um sonho bom com você, onde sinto sua presença. Isso me faz tão bem, tanto que às vezes choro de felicidade ao acordar simplesmente porque ouvi sua voz em meus sonhos.

São tantas coisas, Mark...

Passar por tudo isso todos os dias é difícil demais.

Eu realmente não sei porque continuo tentando viver sem você ao meu lado. Será que vale mesmo a pena, Mark? Vale a pena eu acordar pensando em você até a hora de dormir? Pensando que eu poderia estar com você ao meu lado agora mesmo se aquele motorista não estivesse bêbado o suficiente para não vê-lo atravessar a rua à caminho de nossa casa?

Você tinha comprado pulseiras pra nós.

Eu as vi jogadas para fora da sacola no asfalto quando cheguei lá.

Inclusive estou usando a minha, e você pediu pra eu pôr a sua antes de entrar em coma...

Poderia ter sido eu, Mark. Você não acha? É óbvio que eu não queria que você passasse  por tudo isso, mas sei que você sim teria disposição pra continuar sua vida. Uma pena eu não conseguir ser assim.

Porque minha vida era você...

Porém, onde quer que você esteja, espero que esteja sorrindo. Espero que seus olhos continuem brilhantes, espero que esteja contagiando os outros anjos com sua risada fofa. Espero que esteja em paz. Só assim terei uma boa razão para viver, sabendo que está descansando e cuidando de mim. 

Eu amo você;

Jackson.


Notas Finais


Link do vídeo que serviu de inspiração: https://youtu.be/lnzSvWQ6kQ8
bjos! 💕 peço perdão pelos erros!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...