História Wolf - Chanyeol - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Visualizações 203
Palavras 1.820
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eai, trago hj mais um cap dessa fic aa

Capítulo 12 - Outra parte da historia


Me levantei do chão, olhando ao redor, aquilo poderia ser um sonho, não poderia?

Caminhei até uma prateleira, a tocando, sentindo sua textura, e teno noção que eu fui andando até enquanto dormia ou fui magicamente teletransportada para lá, coisa que não duvidava que acontecesse, pois do jeito que meus dias estão seguindo com novas descobertas, não seria uma novidade. 

Uma brisa gelada passou por meu corpo, agitado meus cabelos, os jogando na frente de meus olhos, então uns 5 livros aleatórios caíram de suas prateleiras. Assim que consegui tirar os cabelos de meus olhos e boca, vi que estava no mesmo estado que no sonho, estava com roupas brancas e com sangue neles, a biblioteca estava no mesmo jeito, apenas um pouco mais moderna. 

O sangue? Não sei de onde veio, ou de quem, o por que de estar ali, apenas pareceu, nem mesmo essas roupas eu lembro de ter vestido, aquilo era estranho, porém não fora do comum do que estava acontecendo ultimamente. Caminhei até os livros que foram jogados no chão, neles não haviam títulos ou frases em suas capas, apenas capaz de couro pretas ou caramelo. Juntei todos em meus braços e tentei achar uma saída, lembrando do meu sonho ou lembrança, vi a mesma porta de metal, e a empurrei com força, ouvindo seu chiado estrondoso nos meus ouvidos. Era um bar, o mesmo de antes, porém abandonado, sem nem uma alma viva, teias de aranhas e poeiras eram o que mais tinha, mesas quebradas, ou desarrumadas, copos e tudo que se tem em um bar espalhadas por todos os lados. Fui até o balcão, passando uma das mãos para tirar a poeira, então apoiando os livros ali. A única mesa intacta ou inteira estava tombada, a ergui encaixando sua cadeira logo em seguida.

Andei até a porta dos fundos onde eu havia entrado em meu sonho, empurrando com força para tentar abri-la, mas nada funcionava. Voltei até o balcão, dando a volta no mesmo e pegando um copo, o único que estranhamente estava limpo no meio daquele sujeira. Busquei nas prateleiras algo que fosse ingerívei, encontrando um vinho que tinha idade para ser minha vó se estivesse viva, pegando ele em seguida. O levei para a mesa, voltei ao mesmo e peguei os livros que tinham caído, sentei na cadeira, apoiando os outros na mesa e um em meu colo, logo abrindo o mesmo. 

Minha surpresa, foi que as paginas estavam em branco, não havia nada, nem uma macha de caneta ou lápis, como se fosse preparado para alguém escreve-lo. Um diário talvez. Coloquei o mesmo em um canto afastado dos outros na mesa, pegando o segundo livro, esperava encontrar o mesmo em branco mais uma vez, porém, nele haviam palavras em uma língua que eu não fazia a menor ideia de qual podia ser, deixando um idioma completamente desconhecido, fluir como vento naqueles paginas amarelas do livro de capa marrom.

Separei esse segundo livro novamente, deixando em outro canto, afastado do primeiro isolado e dos outros   3 livros postos sobre a mesa. O terceiro livro, assim como o outro era assim como o segundo, porém a única diferença, era que eu sabia qual era o idioma cujo o livro fora escrito, contudo não era fluente em japonês, deixando mais um livro separado. 

O quarto livro que peguei, era capadura preta, ao abri-lo, vi que fora escrito em coreano, porém o linguajar chegava a ser velho, sem nada como hoje em dia, como se fosse mais formal, usando muitos verbos, e sem muitos pronomes, me deixando confusa a certo ponto. As datas escritas nas páginas que passava com certa dificuldade se passava há muitos anos atrás, nas quais nem minhas tatara tatara tatara vó poderia ter um sinal de existência. Aquilo podia muito bem estar em um museu, porém estava em uma biblioteca velha e abandonada assim como o bar conjunto com ela, que por obra do destino, ou não, também estava abandonado. 

Separei o quarto livro, colocando-o em meu colo, pegando o quinto e último livro em minhas mãos, vendo que o idioma ali não era coreano, mas sim português, da minha terra natal, Brasil. Eu sabia muito bem ler, mas assim como o quarto, era muito antigo, e as datas neles comprovavam minhas teorias, fora que a letra era tão cursiva que m admirava uma pessoa escrever tão belamente assim. 

Comparando os livros, o português parecia ter sido escrito antes do coreano, e juntando todos, comparando até mesmo os traços das letras, a mesma pessoa teria escrito. Como se fosse uma saga, onde a pessoa que escrevia viajava pelo mundo, e escrevia tudo o que passava naqueles caderno. No final, cheguei a conclusão, que aquilo era um diário, no qual parecia fazer sentido caso lesse. 

01/01/01

A terra foi criada por Deus, e assim como as diversas criaturas eu fui criada. Meu nome foi dado de morte, meu dever e levar aqueles que partem, pois os corações não batem mais. Deus disse que eu jamais iria partir, que iria ser eterna, meu dever único e fiel era levar comigo a pessoa que morresse, para o julgamento, e então para as 3 grandes partes do universo: o inferno, a terra e o purgatório. 

O inferno, é o lugar onde as pessoas impuras, nas quais derramaram sangue inocente, ou pecaram de um modo onde não houvesse perdão.  São as almas cujo no julgamento de Deus foram condenadas a sofrer pela eternidade, nas quais podem ou não virar demônios, seguido por criaturas do mal, ou serem reduzidas a pó pelo próprio diabo.

O céu, lugar maravilhoso, paraíso eterno, nos quais os puro e bons de coração, serão levados para usufruírem de suas melhores lembranças, conviverão com Deus e seus anjos, e dependendo do seu grau de glória poderão até mesmo anjos do senhor se tornarem, mas ao ultrapassem o limite dado pelo criador dos seres vivos, serão reduzidos e cairão do céu como seres expulsos por Deus, se tornando criaturas sobrenaturais, na quais tem uma chance se de redimir com o mais poderoso ser do universo. 

Purgatório, lugar destinado aos seres sobrenaturais por nascença ou expulsão divina, nas quais quando mortos por mim, serão levados à paisagem eterna, lugar onde deverão conviver uns com os outros em harmonia, ou então serviram de escravos do diabo, ou reduzidos ao pó. 

Terra, o lugar onde os humanos e seres não humanos irão, para serem provados e então julgados por seu ato, onde nascerão, viverão e morrerão,  sendo julgados e no final conduzidos até seu destino. 

14/05/24

Fiquei adormecida por mais de 24 anos, Adam e Eva tiveram filhos, e minha primeira morte foi conduzida por Caim, que matou seu irmão, Abel.  O mesmo acertou pedradas em sua cabeça, quando o livrou de ser corrompido por Lúcifer, sendo assim, o servidor do diabo, na qual será julgado no final de sua vida como pecador por derramar sangue inocente. 

Não foi difícil explicar para Abel o processo da morte, pois o mesmo apenas foi guiado pela minha voz. 

09/02/100 

Encontrei Lúcifer hoje, quando fui levar seu primeiro pecador ao inferno, Caim ainda conseguiu sobreviver até seu centéssimo ano, me impressionando no final. Enquanto os seguidores de Lúcifer que nem mesmo irão passar pela terra, mostravam para o novato como era a vida ali, Lúcifer me contou como fora expulso do céu. 

Ele era o preferido de Deus, porém quando chegou seu irmão mais novo tudo mudou. Um dia ele fora esquecido e seu irmão mais novo se tornara o preferido. Ele tentava de todos os modos chamar a atenção de Deus, porém, só olhos para o outro ele tinha. Ele sabotou o mesmo, dizendo que Lúcifer havia traído o mesmo, e Deus inocente foi enganado pelo filho mais novo, expulsando-o em seguida do reino. Ele tinha seguidores, nas quais acharam a atitude do maior errada e sem ética, e então foram expulsos junto com o mais velhos, se tornando demônios. 

28/08/888

Se passaram muitos anos desde que a terra fora criada, andei conversando com Deus e o mesmo alega que estou a fazer meu serviço corretamente. 

Com o passar os anos, a terra foi sendo povoada pelos filhos de Adam, onde criaram famílias e assim foi criando as gerações.  No começo as mortes eram poucas, apenas por doença ou velhice as pessoas eram mortas, porém, o ser humano foi tomado por ódio, inveja e ciúme, aumentando o número de vidas perdidas. Não sei ao menos como parar, porém Deus acredita que todas essas vidas perdidas são para um bem maior, para o mundo evoluir. 

11/12/1000

Completei 1000 anos, e nesse tempo a única coisa que tenho a fazer é ceifar o mundo inteiro, sozinha. 

Não consegui conversar com o todo poderoso, faz muito tempo desde a última vez que conversamos a respeito da humanidade. Hoje as mortes triplicaram, não estou dando conta do recado, foi então que ele deu um sinal, deu-me anjos, nos quais aceitaram o cargo de ceifeiros para me ajudar nessa missão. 

06/04/1500

O número de ceifeiros aumentou bastante, nem ao menos sei o nome dos novatos. Dizem que no céu está uma confusão, muitos julgamentos estão em andamento, filhas enormes de pessoas a serem julgadas, tudo porque as mortes aumentam cada vez mais. O que eu poderia fazer? apenas sigo ordens, nas quais tentei avisar o outro, mas fui ignorada. 

15/09/1845 

Seres sobrenaturais finalmente estão se revelando, hoje há muitas histórias nas quais os humanos contam sobre os mesmo, eles o temes, e os outros tomam isso ao seu favor, muitos matam e destroem aqueles que ousam desafiar sua fúria, e meu trabalho aumenta, apenas concordo que viver em paz seria o ideal para humanidade, mas como sempre, sou ignorada ou contrariada.

12/11/1910

Deus resolveu dar as caras e voltar a falar comigo, sua fila de espera à julgamentos continua enorme e cada vez crescendo mais. Ele me ordenou a criar uma profecia, na qual 12 forças divinas serão destinadas as pessoas distintas, nas quais futuramente me ajudarão em uma guerra que está para acontecer muitos anos mais tarde. Então sai de meu lugar no Brasil, para o outro lado do mundo, Coréia do Sul, agora já dividida com a Coréia do Norte. Nela, os 7 primeiros que constatei que foram puros de coração, os transformei em lobos, nas quais possuem um poder incrível a ser usado. 

Kim Junmyeon, poder da água. 

Kim Minseok, poder do gelo.

Kim Jongdae, poder do raio.

Kim Jongin, poder do teletransporte. 

Do Kyungsoo, poder da terra. 

Oh Sehun, poder do vento. 

Byun Baekhyun, poder da luz. 

E o oitavo, foi um cara, no qual conheci na mesa de um bar, no qual passei uma noite, mostrou-se puro de coração. Seu nome é Park Chanyeol. 

No dia seguinte, fui para China, na onde mais 3 homens puros receberam seus dons. 

Wu Yifan, o voo. 

Lu Han, telecínesia.

Huang Zitao, tempo.

Será possível, que são as mesmas pessoas que eu conheço? 

 


Notas Finais


a


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...