História Wolf Blood - The Twlight (Shifters) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Abo, Amor, Lgbt, Literatura, Romance, Shifters, Yaoi
Visualizações 47
Palavras 1.579
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem!!!!!

Capítulo 4 - A Coisa Implícita


EDDIE

Já faz dois meses que Hiram e Jake estão morando na minha casa, neste meio tempo eu cheguei a algumas conclusões muito importantes. Primeiro, eu não gosto nem um pouco do Hiram, tipo, nem um pouco mesmo, tem alguma coisa muito errada com esse cara a começar pelo corpo, porque não tem jeito de ele ser malhado daquele jeito sem tomar esteroides ou fazer pacto com o demônio.

Segundo, Jake não gosta nem um pouco de Hiram, tipo, nem um pouco mesmo, tudo o que ele faz é ora provocar o pai, a começar pela tatuagem. Uma semana depois de nos mudarmos ele fez uma tatuagem no braço, eu não cheguei a ver, mas o quanto que esse assunto rendeu foi o suficiente para saber que deveria ficar na minha.

Terceiro, Jake é provavelmente o homem mais gostoso que é já vi nessa terra. Na manhã seguinte a mudança, eu o vi acordar cedo e sair pra correr, quando ele voltou coberto de suor, eu quis mandar todos os meus princípios pra puta que pariu e lamber aquele tanquinho que brilhava lindamente com a luz da manhã. Tenho certeza de que ele percebeu meu leve derrame nos gominhos naquela barriga porque todo santo dia ele aparece completamente ensopado de suor e faz o maior barulho pra me acordar.

Quarto, Sean tem uma quedinha inocente pelo Jake, e com quedinha inocente eu quero dizer Monte Everest inteiro. É óbvio que Ty sabe sobre essa quedinha, e fica nos torrando as pitangas por conta disso. Toda vez que nos encontramos ele fica fazendo piadinhas sacanas sobre mim e o Jake e sobre a nossa relação não contar como incesto, Jake sempre ri - na verdade, Jake encontrou em Ty um melhor amigo, foi quase instantâneo, como se apenas estivessem esperando um pelo outro -, mas eu fico da cor de uma berinjela porque eu realmente pesquisei sobre isso, e não conta como incesto. Sim, estou nesse nível de idiotice.

E quinto, tenho quase certeza de que estou apaixonado pelo meu irmão postiço. Quando cheguei a esta conclusão? Na verdade é uma historinha fofa, vamos voltar em todas as aulas de genética que eu já tive na vida. Bem, os ômegas, nós sereszinhos abençoados temos dentro do nosso DNA a característica marcante da submissão e os alfas da dominação, em outras palavras, temos a predisposição para sermos trouxas. E sim o mundo está mudando, mas ainda existe muita gente desgraçada que acha que ômega só serve pra servir de capacho dos alfas.

Sempre fui ensinado que não importa o que digam, meu corpo é meu e que não significa não. Mas nem todo mundo sabe ouvir um não e aceitar numa boa, então, numa tarde na escola, estávamos Ty, Sean, Jake e eu no refeitório, quando um babaca imbecil sem cérebro chamado Westley Hasel começou a dar uma de babaca imbecil sem cérebro. Ele queria porque queria alisar um outro garoto ômega chamado Thomas Gray, e o garoto era tão corajoso quanto um coelho fofinho enfrentado um leão da montanha.

Vendo que o Thomas não conseguia se defender, a desgraça do alfa chamado Westley começou a tomar mais liberdades do que deveria para uma escola. Jake ficou puto da vida e caiu em cima do cara como se o Wes tivesse passando a mão na irmãzinha mais nova dele. Quando tudo acabou, tínhamos um Thomas possivelmente apaixonado, um Wesley humilhado e um Eddie babando feito um idiota. Foi naquele momento que eu percebi que estava muito afim do Jake.

Estou olhando pro teto do meu quarto, ja é madrugada, mas não consigo pregar os olhos. Tudo isso porque o imbecil do meu irmãopostiço saiu pra balada e não voltou até agora. Aquele idiota! Eu com certeza sou mais idiota, porque estou aqui esperando ele voltar pra conseguir dormir.

De repente ouço o som da porta sendo aberta, eu sei que deveria fingir que estou dormindo, mas estou tão revoltado que quando ele aparece no meu campo de visão eu salto da cama furioso. Ah, ele vai ouvir e muito.

- Que merda, Eddie! Quer me matar do coração? - saltou de susto quando apareci na sua frente.

- Talvez eu devesse! São três da manhã, seu babaca. Isso são horas de se chegar em casa? - gritei com raiva.

- Você não é minha mãe, então pare de falar como ela. - retrucou.

- Se ela não tá aqui pra falar, alguém deveria!

- Não você. Você nem é da minha família, para de agir como se fosse. - teria doido menos se ele tivesse me socado.

- Escuta aqui, seu grande alfa machão. Eu não sei o que rolava com vocês na sua antiga casa. Mas aqui tem regras, você não pode sair de casa e voltar seis horas depois, e sabe por quê? Porque gente idiota como eu fica preocupada com você, acha que você sofreu um acidente ou coisa pior.

- Não preciso que você tome conta de mim, Eddie. E até onde eu sei, a vida é minha, não me importa se você tem uma quedinha ridícula por mim e use isso pra justificar seu comportamento de mamãe. Não preciso da sua proteção ou preocupação. - falou. Eu senti como se ele tivesse me dado um tiro. Meu peito apertou e meus olhos se encheram de lágrimas. Mas eu não daria essa satisfação a ele.

- Sai do meu quarto. - falei entre dentes.

- Como é que...

- SAI DAQUI! - gritei. - SAI DAQUI AGORA! VAI EMBORA SE PUTO DESGRAÇADO, VAI VOCÊ E ESSA SUA ATITUDE DE ALFA SUPERIOR! S-O-M-E  D-A-Q-U-I!

Ele saiu batendo a porta atrás de si. Deixei as lágrimas escorrerem pelo meu rosto. Imbecil! É isso que eu sou. Um imbecil! Apaixonado por um filho da puta sem coração! Idiota! Me joguei na cama e chorei até dormir.

[Um imbecil! Apaixonado por um filho da puta sem coração! Idiota! Me joguei na cama e chorei até dormir]

Acordei com uma baita dor de cabeça. Sempre acontece quando eu choro. Escovo os dentes e desço as escadas para encontrar minha mãe com um olhar preocupado.

- Não quero falar sobre isso. - falei sem emoção.

- Eddie... - apenas fiz que não. Entrei na cozinha e vi Hiram e Jake tomando café. Ele levantou os olhos azuis e insinuou que queria falar algo, mas eu o cortei.

- Você não vai mais dormir no meu quarto. Fica com o de hóspedes ou dorme no telhado, não me interessa, só tira as suas coisas do meu quarto. - disse e saí com uma xícara de café. Subi as escadas e me tranquei no quarto.

JAKE

Eddie subiu as escadas correndo. Merda, o que foi que eu fiz? Eu estava bêbado ontem, e falei besteiras demais. Matilda me olha de um jeito reprovados, mas não diz nada até meu pai sair para o trabalho. 

 

- Você magoou o meu filho. - falou séria. - Tem poucas coisas que eu odeio mais que isso.

- Eu sei, sou um idiota.

- É mesmo. - concordou. - Mas vai concertar isso, porque o Eddie é um garoto muito doce, ele foi muito gentil com você quando você invadiu a vida dele. Então eu sugiro que faça alguma coisa antes que eu decida fazer. 
  
Apenas assenti, ela estava deliberadamente me ameaçando, mas aquela mulher loira e delicada inspirava mais medo defendendo o filho do que qualquer alfa que eu já conheci. Sabia que Eddie estava meio cadinho por M imm há algum tempo temos meio que brincado um com o outro, mas eu parti o coração dele ontem. Dizer que estar apaixonado por mim é ridículo foi um golpe muito, muito baixo.

Tenho que consertar isso. Aquele garoto é doce demais e lindo demais para estar magoado. E a forma como ele falou comigo hoje, simplesmente não combina com aqueles olhinhos castanhos, a frieza.

Eddie desceu as escadas para deixar a xícara e se despedir de Matilda antes da mesma sair para o trabalho. Aproveitei oara subir as escadas e pegar minhas roupas e minha mochila. Desci as escadas correndo e fui direto para a escola. Encontrei Ty na entrada.

- E aí lobo solitário? - cumprimentou.

- Cara, eu fiz uma merda. Muito grande e muito feia e preciso da sua ajuda pra resolver. - falei.

- O que aconteceu? - contei-lhe toda a briga da madrugada de hoje e ele me encarou como se eu tivesse dito que espanquei Eddie com um taco de beisebol enrolado em arame farpado. - Jake, é bom resolvermos essa merda logo. Porque assim que o Sean ficar sabendo eu vou ter que escolher entre te odiar ou terminar com meu bebê. E eu já te aviso que não deixo o Sean nem morto.

- O que houve com o papo, amigo em primeiro lugar? - brinquei.

- Cara, se algum dia você e o Eddie transarem, vai entender o porque de, em hipótese alguma, eu escolher algum lado que não seja o do meu parceiro.

- Vocês se amam mesmo, né?

- Mais do que eu imaginava ser possível. - falou com um sorriso de idiota apaixonado. - Vamos, temos que resolver essa merda. E só pra constar, você é maior filho da puta se conseguiu magoar o Eddie, aquele garoto aguenta mais porrada que qualquer alfa que eu conheço, se você fez ele chorar, com certeza vai ser difícil.

Eu fiquei imaginando o que ele queria dizer com aquilo.


Notas Finais


Beijinhos da Cat! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...