História Wolf (mitw) - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Felipe "Febatista" Batista, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Mike, Pac
Tags Mike, Mitw, Pac, Tazercraft
Visualizações 52
Palavras 605
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom, consegui me resolver mais ou menos e voltei.

Boa leitura :))

Capítulo 15 - Flor que se cheire


3 meses depois 

Tarik completava 4 meses na alcatéia. Nesse pouco tempo, o pequeno menino perdido já tinha amadurecido e virado um homem psicologicamente. Era impressionante a  evolução de Pacagnan em tão pouco tempo de alcatéia.

Seu relacionamento com Mikhael já estava muito avançado. Ambos estavam apaixonados e se desejavam mas esperavam o momento certo para se envolverem fisicamente. Todos os outros lobos da alcatéia apoiam a relação e chamam Tarik e Mikhael de rei e rainha. Apenas com exceção de Rafael, que tentava de tudo para não fazer alguma besteira com aquele casal. 

Hoje é um dia especial pois conseguiram caçar um boi, por incrível que pareça. Não é comum naquela região, então cogitaram a ideia de que apenas fugiu de algum gado que estavam sendo transportado na estrada que atravessava a floresta. 

Todos estavam reunidos em frente a caverna como uma família em um almoço de domingo. Estavam felizes e sempre fazendo piadas. Mas ouviram um barulho que fez o silêncio reinar. Os lobisomens olhavam para todos os lados com os corações acelerados como se fossem sair do peito a qualquer momento. 

De repente viram sair da mata uma menina. Aparentava ter uns 18 anos. Cabelo preto bem escuro e com olhos azuis como o céu de um dia ensolarado. Usava uma calça e uma camisa meio desgastada com um desenho de arco-íris. Estava com os pés descalços, por isso andava olhando para o chão para ter certeza que  não machucaria os pés. Ela resolveu levantar a cabeça e viu os homens que usavam apenas calça  reunidos. Assustou-se e andou um passo para trás. Ficou paralisada quando Linnyker se levantou do chão e parou em sua frente com os braços cruzados. 

- Quem é você? - Perguntou com a voz firme. 

- M-Meu nome é Mariana Sales. V-Vocês também são...- Parou de falar sem nenhuma razão aparente o que fez Mikhael franzir o cenho. 

- Somos? - Perguntou com um tom de como se estive pedindo para ela continuar. 

- Lobisomens. Vocês são lobisomens? - Perguntou sem medo na voz, até firme. 

- Somos. Você também? - Linnyker perguntou suave. 

- Sim. Mas pelo visto são uma alcatéia. Você deve ser o alfa e eles são seus betas. - Observou a garota. 

- Sim. Tem alcatéia? 

- Não. Posso me denominar ômega, pois desde que me entendo por lobisomem eu ando sozinha por aqui. Mas cheguei a um ponto meio crítico e saí para procurar ajuda. Podem me ajudar? 

- Claro. Meu nome é Mikhael Linnyker. Precisa de abrigo e comida? - Mike sorriu amigável. 

-Ah, sim. - Sorriu para o mais alto. 

Mike levou a garota até os meninos e a apresentou a todos. Pac estranhou um pouco. Sentiu que ela era uma ameaça. Não foi com a cara dela mas foi no mínimo educado com Mariana. Não a conhecia. Não podia tomar conclusões precipitadas, mas ficaria de olho a cada movimento da mesma. 

Resolveu focar no seu almoço enquanto conversava com Batista. Não era mais a mesma coisa com Cellbit. A relação deles foi praticamente destruída após aquele dia. Nos dias seguintes daquele dia, ele tentava conversar mas não conseguia sustentar aquela relação sozinho. Até que se afastaram de vez e se falavam quando necessário. Ficou triste no início mas começou a perceber que era algo fútil demais para se preocupar. 

Pegou uma carne do boi que estava pronta após ficar no fogo da fogueira que eles fizeram e percebeu como a garota que tinha chegado há apenas alguns minutos estava com o seu homem. Ficou com raiva mas escondeu. Mas chegou a uma conclusão:

Mariana não é uma flor que se cheire.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...