1. Spirit Fanfics >
  2. Wolf Pack >
  3. Capítulo 7

História Wolf Pack - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Olá again!
Informando pelo anuncio passado, meu computador decidiu ter pena de mim e o teclado está de volta ao normal. Não sei por quanto tempo, mas estou aproveitando para escrever mais. O cap depois desse já está a meio caminho andando (mais ou menos). Ele provavelmente vai ficar grande então não tenho certeza se ele vai sair exatamente na semana que vem. A partir de aqui acabaram os meus caps extras.
Obrigado por todo o retorno de vocês! Tenho ficado muito felizes com os comentários e os favoritos. Fico feliz em ver que estão gostando tanto da história.
Como falei antes essa é apenas a parte introdutória da fic, muito ainda tem para aparecer.
Aproveitem bem o cap!

Capítulo 8 - Capítulo 7


Wolf’s Pack 

O clima dentro da sala, poderia se dizer, era, no mínimo, tenso.  

Peter procurou manter-se o mais próximo possível aos novos inquilinos, vendo como eles pareciam ter uma animosidade menor em comparação a matilha residente daquela terra. Ele poderia ser qualquer merda que inventassem, mas todos devem concordar que ele não era estúpido e sabia como escolher seus aliados. Talvez por ter o cheiro do companheiro de seu alfa, os recém chegados não se importavam muito com ele, afinal, se tinha conseguido a permissão para estar perto dela deveria querer dizer que tinha entrado em suas graças e, por consequência, um pacto temporário de não agressão com os outros membros do bando, mesmo do alfa.  

Ainda assim, ele poderia sentir o calafrio na espinha subir com os olhos atentos da garota nos braços de Skye. Para uma criança, ela tinha um olhar bem perigoso, um suficiente para dar calafrios a ele de todas as pessoas. E nem mesmo era hostil ou comparado ou que ela estava lançando ocasionalmente para o bando McCall que se reunia apertado do outro lado da sala, longe do sofá onde a garotinha se mantinha aconchegada nos braços de seu par alfa, cada vez maiores em número. O dele era mais curioso e calculista do que realmente ameaçador de alguma forma, o que ele estava sinceramente agradecido apesar de apreensivo. 

A divisão era clara, apesar de simples. A sala dos Stilinsks não era tão grande para caber tantas pessoas que queriam manter uma distância de mais de um metro entre elas. Assim que o xerife colocou todos para dentro Skye e a garota prontamente se enfiaram no sofá em um aconchego que desde o momento que se encontraram não havia saído. A garota ainda estava nua e não parecia se incomodar nem um pouco com o fato, apesar dos outros na sala estiverem ligeiramente incomodados, principalmente levando em consideração sua possível idade. Eles não pareciam realmente compartilhar de uma linguagem verbal, ou, pelo menos, não precisavam de uma, vendo como o homem mais velho, também constrangedoramente nu para os outros presentes, desapareceu de volta na mata com apenas um único olhar compartilhado com os outros dois membros da matilha. Ele parecia ter plena confiança de que sua parceira batedora, apesar de sua pouca idade, seria perfeitamente capaz de proteger a companheira de seu alfa em um território infestado de uma matilha inimiga.   

Novamente Peter preferiu se manter perto das duas garotas, enquanto observava Scott amontoar-se junto com Isaac e Allison do outro lado, apertados contra a parede, olhos nunca deixando a nova inquilina do lugar. Ele já tinha ligado para todos os outros membros, avisando-os para virem para a casa do xerife, provavelmente informando sobre os novos visitantes, por assim dizer. O xerife estava na cozinha, pelo cheiro que Peter conseguia sentir, fazendo alguma coisa para eles comerem. Provavelmente esquentando alguma coisa que já estava na geladeira. Peter sabia que o homem não era exatamente caseiro.  

Nos minutos que se seguiram a espera, sem qualquer parte se pronunciar além dos leves resmungos que ambas as garotas no sofá deixavam escapar, como uma conversa sem palavras, sons do fundo de suas gargantas que vibravam entre uma a outra, sorrisos nunca deixando seus rostos, alguns membros da matilha McCall haviam se apresentado, tal como Lydia e Liam. Infelizmente para Scott, que provavelmente esperava ter toda sua matilha reunida antes do terceiro membro da matilha de Skye retornar, o homem estava de volta não muito depois de Liam, dessa vez vestido, com um carro e algumas pequenas mochilas as quais só poderia se supor conter suprimentos para ficar, para grande desgosto do alfa presente.  

Sem nem ao menos olhar para Scott ou os novos membros presentes no lugar, ele entregou uma bolsa para a pequena garota, que, lentamente, mas ainda animada, agarrou e abriu, cavando seu conteúdo por um tempo antes de finalmente retirar mudas de roupas as quais vestiu sem muita cerimonia, fazendo todos os outros membros da sala, retirando os da nova matilha, suspirar em alívio. Ele também entregou uma para Skye, que a agarrou com um sorriso agradecido, retirando também uma muda de roupa a qual prontamente vestiu, sem realmente se importar com os membros masculinos ao redor, trocando-se na sala mesmo.  

A roupa em si era bastante comum. Calças jeans escuras, botas, uma blusa mais larga do que realmente parecia precisar e uma jaqueta de couro. Encaixava-se a ela. Mas os cheiros que tomavam a sala quando tudo foi posto em seu lugar fez o nariz dos lobos McCall se contorcer e um enorme sorriso cheio de alivio e alegria ser posto no rosto de Skye, prontamente puxando a enorme camisa para mais próximo de seu nariz e respirando profundamente, quase em nostalgia.  

- Obrigada, Kai... Eu precisava disso. - Skye sorriu, assim que retirou seu nariz da peça de roupa, sua posição visivelmente mais relaxada do que durante toda sua estadia ali. O beta assentiu, pequeno sorriso desenha no rosto, orgulho brilhando nos olhos, feliz por ter agradado o par de seu alfa. Peter se lembrava desse sentimento, muitas vezes tendo ignorado com uma zombaria ou sarcasmo, não querendo admitir o quanto sentia prazer em agradar o marido de sua irmã. 

Ele não diria que faria diferente agora, ser assim era quem ele era e mesmo que sentisse falta do homem, de toda sua matilha na verdade, ele não seria outra pessoa por eles, como imaginava que eles não gostariam que ele mudasse também. Talvez, no máximo, ele procurasse agradar um pouco mais, estar mais presente, fazer mais o que lhe mandavam, apesar de suas respostas inteligentes ou seu escarnio natural. Por que, Deusa, ele sentia falta disso e observar a interação de Skye com seus betas não o estava ajudando de forma alguma a abafar a dor oca pulsante da ferida ainda aberta e infeccionada.  

Ele foi agradavelmente puxado de volta ao presente quando Scott grunhiu. Profundo e raivoso, quase resignado em alerta, respondido prontamente por rugidos gêmeos de dois betas. Isso levou uma reação em cadeia que teve todos do bando McCall meio transformados, grunhindo e prontos para atacar, aqueles mais humanos afastando-se do que possivelmente seria a confusão. Do lado de Skye, onde os rugidos betas que haviam respondido inicialmente ao de Scott estavam, ambos os betas flanqueavam a garota, calma e tranquilo como não deveria aparentar em tal situação de tensão, a causa de toda a confusão em sua mão, ainda digitando os números que provavelmente precisava para entrar em contato com o alfa.  

Peter adoraria dizer que se manteria longe, mas ele era mais esperto do que isso e sabia que seria arrastado para a briga querendo ou não, apenas por estar ali. Mais de um do bando McCall tinha uma rixa antiga para cobrar dele e essa seria uma boa oportunidade, principalmente levando em consideração o lado que ele posicionou. Bem, não como se ele estivesse muito resignado, se ele pensasse bem na organização que era o bando de Skye e sua sincronia, ele tinha quase certeza que, apesar da desvantagem numérica, ele estava no lado vencedor da disputa. Ele também duvidava, apesar das possíveis crenças do bando McCall, que Stiles ficaria de fora da luta, principalmente com seus betas envolvidos.  

Ela era companheira de um alfa, uma faísca também. Peter não deveria estar muito longe da verdade ao pensar que ela era mais forte que todos eles ali, mesmo Scott.  

-Sério, Scott? Sério mesmo? Vai continuar com isso? - Skye perguntou, seu rosto resignado e nem um pouco impressionado marcando o quanto ela estava cansada da atitude de seu amigo (ex-amigo?) - Meu bando já está aqui, nada mais vai me impedir de entrar em contato com meu alfa, com ou sem o telefonema. Na verdade, seria o melhor para vocês se eu ligasse e esclarecesse a situação antes de termos problemas entre as leis lobisomens que tenho certeza que você não conhece.  

-Eu não gosto disso, Stiles. - Scott rosnou em resposta recebendo um rolar de olhos em resposta.  

-E eu não me importo com o que você gosta. Eu vou ligar para ele, quer você queira ou não e eu realmente aconselho a você e seus filhotes a não atacar meus filhotes. Eles foram treinados para atacar e defender, são batedores, diferentes de sua matilha onde ninguém sabe quem é quem. Eles não vão aceitar de ânimo leve qualquer ameaça e não se deixem enganar pela aparência, Blue já mostrou ser muito boa sozinha, mas não queira imaginar o que ela é capaz de fazer quando tem Kai como seu Backup. Sério, não queiram. Eu vi, é incrível. Assustadoramente incrível. - ambos os betas se regozijavam com os elogios de seu par alfa, sorrindo com todos os dentes afiados para os betas de McCall. Liam recuou, muito esperto o garotinho. - Eu vou estar no meu quarto fazendo essa ligação. Blue, Kai, usarei um feitiço para que não escutem o que estou falando, então não se preocupem se não me escutarem, qualquer coisa eu vou chamar vocês dois, o feitiço se quebrará se uma ameaça se aproximar, eu prometo.  

E com isso dito, Skye desapareceu escada a cima, quase saltitando, animada e apressada. Prontamente a sua partida Kai e Blue se posicionaram na frente da escada, bloqueando o único acesso ao andar de cima por dentro da casa. Seus olhares atentos também indicavam que não aceitariam que qualquer um do bando rival saísse de sua vista enquanto seu par alfa estava ocupado e querendo privacidade.  

Peter se manteve onde estava, apenas imaginando o que aconteceria quando Derek aparecesse – porque ele definitivamente apareceria para buscar Skye, sendo ambos companheiros – e como tudo isso poderia acabar em um desastre. Muito provavelmente para o lado de Scott.  

Peter estava ansioso.  

Skye fechou a porta do quarto, o feitiço já lançado enquanto seu coração batia apressado em seu peito, ansiedade fazendo suas mãos tremerem enquanto apertava o botão de ligar e sentava-se em sua cama, procurando manter o controle de sua respiração. Não seria a melhor maneira de falar com seu alfa depois de dias de separação se estivesse hiperventilando.  

Não precisou esperar muito também, graças a Deusa, para que sua chamada fosse respondida e ela pudesse escutar a voz do par alfa de Hall-Mateev do outro lado. Tranquila e apática como sempre, tão familiar e querida a seus ouvidos que trouxa a calma de volta para seu sistema, a segurança que tinha sido perdida quando arrastada a força para um território distante.  

-Ann... - Skye resmungou, voz chorosa e carente, quase como um soluço ou lamuriar de um cachorro.  

-Skye! Graças aos véus você está bem. Kai e Blue encontraram você? Você está bem? Está segura? Onde você está? - a voz não tinha emoções, não realmente, talvez alívio e satisfação, preocupação provavelmente, mas nada o suficiente para elevar-se da maneira como a maior parte das pessoas esperaria. Ann sempre foi uma pessoa de poucas emoções, uma criatura que se despia de qualquer sentimento para ter seu julgamento da melhor maneira possível, sem qualquer tipo de interferência pessoal. Muitos a viam como fria, cruel, mas Skye veio a aprender que ela era apenas justa e, muitas vezes, a justiça não era bela.  

-Eu estou bem. Fisicamente quero dizer. Estou estressada, claro, mas não me trataram mal nem nada parecido. É a primeira vez que estive longe de Derek por tanto tempo, o vínculo está repuxado e dói. Kai e Blue me encontraram, é apenas assim que consegui entrar em contato com vocês.  

-O que quer dizer? Eles não te deixaram você se comunicar com seu alfa? Mas não te machucaram? Skye o que diabos está acontecendo?  

-É complicado. - Skye suspirou, cansada, a dor de cabeça começando por detrás de seus olhos, retumbando em seu cérebro já naturalmente agitado. Ela tinha o conforto de Kai e Blue agora, não mais se sentindo tão irritadiça ou alerta como antes, mas ainda não tinha seu alfa, ainda em território estrangeiro e com todas as más lembranças e questões inacabadas que haviam sido deixadas naquela maldita cidade. Era muito e o estresse, apesar de abafado, ainda estava ali, incomodando, doendo, cutucando feridas que apesar do tempo não tinha se fechado, apenas sido esquecidas. Algumas talvez até tivessem infeccionado.  

-Então explique. Eu posso entender.  

-Eu... Olha, é uma longa história e eu vou te contar, prometo que vou, mas agora, por favor, me deixe falar com meu alfa? Eu realmente, realmente preciso falar com ele. Ele pode te explicar também. São coisas... Coisas que deixamos para trás.  

A linha ficou em silêncio por um tempo. Skye poderia imaginar Ann pensando, seu rosto estoico e fechado em pedra totalmente parado enquanto raciocinava a melhor opção de ação.  

Elas eram pares alfas. Hierarquias iguais, mas pessoas diferentes. As necessidades, em um determinado aspecto, eram as mesmas, mas a maneira como se portavam perante elas eram diferentes. A situação de convivência entre eles já era estranha e suas matilhas refletiam perfeitamente bem o quão pouco ortodoxo eles poderiam ser. A história era longa e cansativa, tanto para o lado de Ann como para Skye, e talvez fossem todos esses pesares que os fizessem se relacionar tão bem, compreender alguns maneirismos um do outro, sua necessidade de desconfiar, de proteger. Não era como Scott.  

Scott se tornou um alfa muito jovem, sem treinamento e de sua própria vontade. Ele nunca aceitou muito bem toda a situação, mas usufruiu dos benefícios. Ele não sabia, não conhecia e não parecia querer conhecer, todos os detalhes minuciosos que vinham com uma cultura inteira. Em mais de um aspecto ele infringiu a lei, mesmo humana, porque achava que o sobrenatural não tinha as próprias regras e assuntos relacionados a eles não se relacionavam aos humanos. Ele acreditava que era uma terra sem lei.  

Ann e Skye, elas foram forjadas de formas diferente, mas cada uma abraçou a cultura que lhe foi apresentada, a deixou entrar e a devorou como sua sem deixar suas raízes. Skye era uma faísca, ela nunca seria um lobo comum, mesmo se não fosse um par alfa e Ann... Ann nem ao menos era um lobo e ainda assim se elevou para uma posição que muitos lobos não recebiam. Ela teve que provar que merecia e, mais do que em uma única ocasião, ela tinha feito. Ela era a pessoa mais forte que Skye já conhecera e seus contos de luta por liberdade e autonomia eram incríveis, ainda que a própria autora de tudo nunca os visse dessa forma. Ann sempre foi muito... Fria e simples com relação a esse assunto, mas vinha de sua natureza.  

Ela não era um lobo, mas também não era humana. Ann era seu próprio tipo de ser e teve que crescer para aceitar-se como era e entrar em um acordo com os limiares de sua existência.  

Elas reconheciam a luta uma na outra, as cicatrizes emocionais e físicas, elas reconheciam o trabalho que desempenhavam e se respeitavam por tudo que tinham que sofrer. Talvez por isso Ann tenha suspirado depois de um tempo de silêncio ponderativo e respondido:  

-Tudo bem, mas eu vou querer respostas Skye. Por muito pouco eu mesma não fui em sua procura e tive que controlar dois alfas e quase duas matilhas inteiras para evitar algum tipo de confronto, o mínimo que espero é um bom motivo para ter feito isso.  

-E você vai ter, apenas... Eu apenas preciso... Preciso... 

-Eu sei. Por isso estou deixando você passar agora, mas exigirei mais depois, quando você estiver melhor e mais centrada. Agora deixe-me passar o telefone antes que seu alfa tente arrancá-lo da minha mão e algo realmente ruim saia disso. Não para mim, devo acrescentar. Eu odiaria ter que informar que seu alfa tenha se machucado por conta de seus malditos instintos que ele não pode controlar.  

Skye riu um pouco divertida, muito bem imaginando Ann encarando seu alfa, olhar profundo dourado de ouro derretido quentes em ferocidade desafiando-o a tentar qualquer coisa, seu rosto ainda sem mudar da expressão neutra que sempre carregava, mas a ameaça sendo clara.  

Ouviu um baralhar do outro lado e logo Skye conseguia ouvir sua voz, tão ansiosa, tão profunda, quase desesperada, chamando-lhe do outro lado da linha com tal carga de emoções como ela sentia. O alivio que lhe passou foi ainda maior, mais forte e mais poderoso, seus ombros finalmente caindo e seu coração afrouxando. Ela poderia respirar novamente, sua garganta solta e as emoções borbulhando em seu interior. Deusa, foram apenas alguns dias e sentia-se como se fossem anos.  

-Alfa... - ela suspirou, feliz, mas ainda faminta, não era o suficiente, ela queria poder tocá-lo, cheirá-lo, senti-lo. Queria tê-lo ali para envolvê-la em seus fortes braços e fazê-la se sentir segura, protegida, acolhida. Ele sempre foi muito bom nisso.  

-Graças a deusa você está bem... Quando ouvi seu uivo... Quando encontramos os garotos, eu pensei... Deusa, Stiles, eu pensei... - e Skye entendia, entendia perfeitamente porque ele havia escorregado para seu antigo nome, com o escorregar de sua voz, os soluços e sons animalescos nela, em cada palavra, em cada respiração, ele estava na ponta da transformação, tão perto de seu lado selvagem que Skye poderia senti-lo.  

-Eu sei, eu sinto muito, eu sinto tanto. Mas eu estou bem, sourwolf. Eu estou bem, Kai e Blue me encontraram e não vão deixar nada acontecer comigo até você chegar, eu prometo. Eu vou ficar bem até lá. - ela resmungou, procurando controlar sua própria respiração, sua voz suave baixa como ela faria sempre que ele começava a escorregar, por um motivo ou outro, sussurrando garantias e verdades que ele precisava ouvir. Normalmente ele tinha o alívio de escutar seu coração, sentir seu toque sobre o rosto, arrastando-se por entre as madeixas escuras de seu cabelo selvagem, ancorando-o. Dessa vez ele teria que se contentar em acreditar nela. - Eu estou bem. Ninguém me machucou, eu prometo, Der. Eles nem tocaram em mim, eu não deixei tocarem em mim.  

-Onde você está? Para onde te levaram? - sua voz era um lamento profundo, implorando. Ela apenas poderia imaginar o quanto o angustiava ter sido deixado para trás enquanto esperava que seus betas a encontrassem. Por mais que ele confiasse em suas capacidades ainda era dela que estavam falando, de seu companheiro e sempre, sempre, ela seria a única em quem ele depositaria toda sua confiança.  

-Você não vai gostar da resposta.  

-Stiles, eu juro, se você não me disser... 

-Beacon Hills. Estou em Beacon Hills. - houve o som de uma respiração profunda, engasgada e Skye já sabia que os olhos dele estariam brilhando, a surpresa e a angustia em seu rosto normalmente firme. Nenhum deles falava ou gostava de pensar sobre essa cidade. Eles a deixaram para trás, mas parecia que ela não queria deixá-los ir. - Eles acharam... Acharam que eu fui levado a força. Scott está tendo algum tipo de alucinação de herói dizendo que fui forçado a acasalar por conta do meu poder como faísca. - ela ouviu o grunhido na outra linha, nem um pouco surpresa. - Eu sei, eu sei. Ridículo, mas ele não vai me ouvir, você sabe disso. Eu tentei dizer de todas as formas e parece que alguns deles acreditam, mas Scott ainda é o alfa e não me deixou te chamar até Kai e Blue não lhe darem escolha. Eu queria ter saído, mas...  

-Stiles? Skye o que foi? Eles te forçaram a ficar? O que eles fizeram?  

-Nada. Eles não fizeram nada. Scott tentou quebrar nosso vinculo, mas eu o cortei antes que realmente tivesse causado algum problema. Mas eu não saí porque... Porque... Der... Der, nós conseguimos.  

-Skye o que... 

-Conseguimos, Der. Finalmente conseguimos. E eu não poderia sair sabendo disso... Tendo essa possibilidade. Seria muito arriscado e depois de todo o esforço que fizemos...  

-Conseguimos... - e então o silêncio caí na linha novamente, nem mesmo uma respiração mais profunda ou qualquer outro som suave. Parece que ele havia parado de respirar por um momento e Skye estava começando a se preocupar quando ele começou novamente, voz baixa, suave, quase não mais do que um simples sussurro, o expirar da respiração: - Você está grávida?  

-Sim. Sim. - foi quase irreal, a confirmação escapando solene de seus lábios e mais do que nunca ela queria seu alfa ao seu lado para aproveitar essa sensação, essa realização tão saborosa. Suas mãos desceram para encontrar o ventre, tocando-o quase com reverência, o sorriso suave desenhado em seus lábios.  

-Como você sabe? Como descobriu? - a preocupação nele novamente se elevou e ela facilmente poderia imaginar o motivo.  

-Eles pegaram uma amostra de sangue enquanto eu estava desacordada, Melissa me contou e eu a fiz prometer que diria apenas a mim. Quando ela chegou com os resultados positivos eu os queimei e a fiz prometer não contar a ninguém. Mas, Der, acho que o cheiro está começando a mostrar. Peter descobriu e ele apenas ficou a meu lado por alguns minutos. Não acho que o bando McCall vai descobrir até alguém contar, nem mesmo acredito que eles saibam como identificar esse tipo de odor, mas, por favor, se apresse. Eu sei que essa cidade não fez nada de bom para você, inferno! Nem para mim! Mas eu preciso de você.  

-Chego hoje a noite. Enquanto isso permaneça perto de Kai e Blue, não deixe o lado deles nem por um instante sequer, entendeu?  

-Sim, alfa.  

-Você está na casa do xerife?  

-Foi o lugar mais neutro que consegui encontrar para formar uma toca improvisada. Eu não poderia ir para a reserva e não sabia se seu loft ainda estava vago. Eu não sei como as coisas em Beacon estão funcionando, não queria arriscar. 

-Você fez bem. Eu estou chegando e vamos resolver tudo isso. 

-Estarei esperando. - e assim ele desligou. Não houve despedidas, porque não eram necessárias. Eles logo se veriam e não seria uma despedida, ambos se recusavam até mesmo em dizer qualquer palavra próxima a um adeus, mesmo um simples tchau. Eles se recusavam porque pareciam muito próxima do para sempre para o gosto dos dois.  

Com um respirar profundo, tentando se recompor de todas as emoções, sentindo-se muito mais leve sabendo que logo teria seu alfa de volta a seu lado, Skye se levantou da cama e caminhou para fora, torcendo para não encontrar um massacre na sala de estar de seu pai.  

Felizmente para ela não foi esse o caso e todos pareciam muito bem-comportados, Kai e Blue ainda posicionados no começo das escadas, olhos atentos em todos os outros hospedes do lugar. Mesmo quando ela apareceu seus olhos nem mesmo piscaram em sua direção, sabendo que a prioridade eram os desconhecidos e possíveis ameaças. Peter estava ainda em seu conto, parecendo muito relaxado, mas Skye conseguia ver a tensão em seus ombros, leve, mas presente. Ele era o mais afastado de todos os outros, mas ainda mais próximo de Blue e Kai do que de Scott e seu grupo. Isso definitivamente queria dizer muito, ainda que não fosse uma surpresa.  

-Ele está chegando essa noite. - informou para seus betas, enroscando-se próxima a Blue, deixando que ela se envolvesse em seu colo e deixasse todo o acesso para acariciar. Kai não estava muito longe, acomodando-se ao lado de Skye e envolvendo um dos braços ao redor dela, permitindo que ela se enroscasse ao seu lado tão próxima quanto possível. Seus betas nunca deram as costas para os intrusos e a envolveram em uma bola de proteção humana. Qualquer um que quisesse chegar até ela teria que obrigatoriamente passar por eles primeiro. - Logo teremos nosso alfa de novo.  

-Stiles... 

-Nem comece Scott. Você me arrastou até aqui. Se não queria ter um outro alfa em seu território deveria ter pensando nisso antes de me sequestrar. Agora apenas sente como um bom cachorrinho e deixe acontecer ou então as coisas podem ficar ainda piores. - Skye o cortou, nem mesmo se dignando a erguer o rosto para encará-lo enquanto falava. Skye não estava muito preocupada com etiquetas agora e se ela estava falando com alguém como Scott, se portando de tal maneira, então ela nem se preocuparia em tentar parecer cortez.  

-Quantas pessoas estamos esperando exatamente? - Lydia, abençoada deusa escarlate, perguntou, ignorando o grunhido de Scott.  

-Depende. Ele não pode exatamente trazer dois de nossos betas e um outro deve ficar com eles e dois outros estão de viagem. Então... Hum... Provavelmente Lily... - Skye parou para pensar um pouco sobre isso. Ele não deixaria as crianças sozinhas no território, ainda que tivesse outra matilha para tomar conta das coisas, os filhotes ainda eram novos demais para serem mantidos longe de seus pais. Mas, novamente, não era sempre que poderiam manter o olho neles então precisariam de alguém para ajudar. - Definitivamente Lily.  

-O que quer dizer com dois não podem vir? - Liam perguntou, curioso. Ele inclinou a cabeça para o lado, apenas ligeiramente, seus enormes olhos azuis arregalados, sem hostilidade ou desconfiança, curiosidade pura. Ele era apenas um filhote, lobo novo, Skye poderia muito bem dizer e sorriu com carinho, calma, um sorriso quente e convidativo apesar da atmosfera ameaçadora.  

Ela não ameaçava filhotes e ele lhe recordava demais Blue no começo. 

-Em primeiro lugar porque seria complicado transportar dois lobos através do país. Em segundo porque eles odeiam viajar de carro e meu alfa não quer demorar. Ele não pode fazer uma travessia correndo.  

-Seu alfa também não é um lobo? Por que esses dois são especiais? - Skye não conseguiu conter, ela riu com o comentário, mesmo Kai e Blue sorriam divertidos. Deve ter sido isso que chamou a atenção de todos mais atentamente para eles.  

-Eu quis dizer realmente lobos, não lobisomens em forma de lobos. Temos dois lobos reais em nossa matilha.  

-Isso é possível? - o menino moreno, Mason ela acreditava, perguntou, saltando em curiosidade pura. Skye conseguia sentir um pouco de magia inexplorada nele, mas nada comentou. Se o bando não havia dito nada ou o garoto simplesmente decidiu ignorar, não era da conta dela, não mais pelo menos. A matilha McCall não era sua, ela não lhes devia informações ou qualquer coisa do tipo, mesmo que estivesse a falar sobre sua própria matilha.  

Ela se sentia mais confortável agora, depois de falar com seu alfa e saber que ele estava a caminho e ter seus betas mais fortes ao se redor, protegendo-a e marcando-a depois de dias afastada. Ela estava de bom humor para se dispor a oferecer um pouco de informação e não era como se fosse afetá-la de alguma forma posterior. Não era realmente um segredo.  

-Nada diz que não é. O alfa apenas precisa considerá-los parte do bando e eles serão. Não costuma acontecer porque lobisomens não costumam ter contato com lobos. Um vive na cidade e o outro na floresta, mas eles convivem bem, nosso caso é um pouco especial. - Skye deu de ombros, orgulhosa de sua matilha e como tinham se encontrado. Eles eram peças quebras que de alguma forma se encaixaram enquanto procuravam um lugar para ficar. Eles passaram por muito, mas no fim conseguiram encontrar um lugar para chamar de lar, um lugar para proteger e zelar. Ter outra matilha com eles, tão bem sintonizados que poderiam fazer parte de uma única era apenas um bônus.  

-Parece ter uma história por trás. - Lydia comentou, curiosa, mas não se estendeu. Skye sabia que ela queria saber, Lydia sempre queria saber, mas ela também sabia que poderia ser muito a frente do nível de intimidade que tinha com Skye agora, ainda não de confiança. Skye sorriu para isso, sempre sabendo que deveria contar com Lydia para compreender rapidamente uma situação e agira corretamente sobre isso.  

-Há. - Skye confirmou, novamente com orgulho seu rosto esfregando sobre o topo da cabeça de Blue que solto um som muito próximo a um ronronado de satisfação, afundando ainda mais em seus braços.  

-Seus betas não falam? - Isaac perguntou dessa vez, olhar ainda atento sobre os dois novos inquilinos, desconfiado e desdenhoso com o Skye bem se recordava dele agir. Ela sabia que era derivado de sua confiança como lobisomem, ter tanto poder quando era basicamente indefeso antes poderia fazer isso com uma pessoa. Erica foi a mesma coisa, mas Skye pensou que depois de tanto tempo ele se aquietaria um pouco. Aparentemente ela estava errada e, pelos grunhidos gêmeos de Kai e Blue, eles também não apreciavam a atitude em particular.  

-Kai aqui, antes de nos encontrar, teve sua matilha caçada por caçadores, todos mortos um por um, torturados por dias em gaiolas onde eram forçados a lutar uns contra os outros. Ele fugiu, mas mesmo lobisomens não podem se curar de algumas feridas causadas por caçadores, veja Deucalion por exemplo. - ela notou como uma boa maioria se encolheu na sala, apenas aqueles que não conheciam o lobo demoníaco na época permaneceram quietos, confusos, mas simpáticos. Skye sentiu um sentimento maldoso enrolar-se em seu peito, feliz que eles também ainda eram afetados pelo que aconteceu, mas decidiu ignorar e continuar seu conto, olhar ainda focado em Isaac que parecia constrangido até o momento. - Essa cicatriz que ele tem no pescoço é dessa época. Afetou suas cordas vocais e agora ele quase não consegue falar. Grunhidos, uivos e rosnados ainda saem, mas falar? É quase doloroso. Creio que são sons muito complicados para o dano que foi feito. Blue, no entanto, acreditamos que foi abandonada quando muito jovem. Nós a encontramos vagando totalmente selvagem, nossa primeira beta. Acreditamos que ela tenha estado vivendo sozinha por bastante tempo antes de aparecermos porque ela não sabe dizer uma palavra que seja. Mas está aprendendo. Ela apenas prefere mais não falar. Não é Blue? 

-Vá se foder. - Blue disse, enorme sorriso dentado no rosto, a voz arranhada apesar de ainda fina e infantil, com palavras atrofiadas em um tipo de dialeto estranho meio rosnado e grunhido, rude e simples, talvez tornando as palavras ainda mais agressivas do que já eram, encarando Isaac diretamente no rosto.  

-É isso! Cam está proibido de estar perto de você sem supervisão! Ele é uma má influência! - Skye exclamou, uma expressão de dor em seu rosto enquanto todos os outros encaravam a pequena garota com surpresa, Isaac levemente ofendido, grunhindo para seu rosto desdenhoso. Kai parecia muito divertido, ao igual que Peter. Claro que Peter estaria se divertindo com isso.  

Blue ergueu os enormes olhos azuis esverdeados, batendo os cílios inocentes em sua direção com suas feições infantis tristes.  

-Sem Cam? - ela perguntou chorosa, ainda que fosse acompanhado com os sons de um lamuriar de filhote.  

-Sem Cam! Pelo menos até os dezoito... Dezessete talvez. E pare com os olhinhos, você sabe que não funciona comigo. Você pode ter seu alfa enrolado em seu dedo mindinho, mas não comigo, nuhu, não vai acontecer. - Kai soltou um chiado, quase como uma gargalhada, mas muito abafada, arranhada, como um sopro de ar. Ele sabia que não iria acontecer, Blue correria para Cam logo que tivesse a oportunidade e Skye a perdoaria ao igual que seu alfa não muito tempo depois. Ela era, ou foi, o bebê da matilha, todos a mimavam como podiam e ninguém conseguia ficar com raiva dela por muito tempo, mesmo quando fazia suas travessuras. Inferno! Mesmo Ann parecia ter um fraquinho pela garota. - E você pare de rir ou vai ficar de castigo também, eu não estou brincando!  

Kai se enrolou contente um pouco mais ao redor da companheira de seu alfa, envolvendo-a e Blue um pouco mais profundamente em seus braços, feliz por nada pior ter acontecido.  

Peter observava Skye gritar e lamuriar com seus betas, brincando e se divertindo com eles de uma forma que nenhum dos membros do grupo McCall tinha visto desde que ela chegou aqui. Inferno, mesmo antes dela ir embora. Era leve, carinhoso, fraternal... Eles estavam todos juntos enroscados e contentes por isso, não existia irritação ou hesitação em seus movimentos, não existia incomodo ou recusa ao toque. Eles pareciam famintos e tão próximos que para olhares humanos seriam confundidos com um trio romântico. Era a mesma proximidade que Peter havia perdido quando sua matilha foi assassinada por Kate, a mesma proximidade que ele estava faminto, mas quebrado demais para confiar em alguém o suficiente para procurar.  

Deusa, as memórias estavam voltando... Elas têm sido muito presentes ultimamente.  

O olhar conhecedor de Skye brilhou brevemente em sua direção, seu nariz dilatando-se com o fungar mais profundo e torcendo com o possível cheiro azedo que sentiu. Por sorte, Peter foi salvo de dizer ou responder qualquer coisa quando o som conhecido da tele entrega ressoou e todos os lobos ergueram a cabeça na direção, como cachorros animados. Skye riu, resmungo alguma coisa sobre filhotes e cachorro.  

Não muito tempo depois a campainha tocou.  

-Deve ser a pizza. Eu não sei o quanto é necessário para alimentar tantos lobisomens, mas acho que pedi o suficiente para alimentar um batalhão. Tive que dar a desculpa de termos uma festa, mas não parece muito longe da verdade de qualquer maneira. - o xerife brincou, levantando-se do sofá na intensão de ir atender a porta, porém Skye se adiantou, Blue saltando logo atrás com Kai.  

-Pode deixar que eu pago. - Skye ofereceu, porque, afinal, ainda era seu pai e ela apenas poderia imaginar quanto dinheiro custaria para alimentar tantos lobisomens de uma só vez. Ela poderia não ter certeza sobre a condição atual dele, tendo a mãe de Lydia para ajudar nas contas, talvez até mesmo a própria Lydia, mas ela sabia quanto de dívida havia sido deixado para trás quando ela partiu, sabia o quanto seu pai estava com dificuldades para quitar tudo e ela também sabia como a maior parte era sua culpa e ainda o havia deixado para lidar com tudo sozinho. O mínimo que poderia oferecer era pagar pela comida, vendo como já a haviam trazido aqui de qualquer maneira.  

Sem que precisasse dizer Kai tomou sua mochila, retirando de um dos bolsos um cartão o qual o entregou em sua mão. O xerife parecia quase escandalizado com a oferta.  

-Eu não posso deixar você pagar tudo isso. Posso conversar com o entregador e parcelar a compra, talvez mesmo um desconto, compramos muito afinal, eles podem oferecer isso. - ele reclamou, sem realmente ter certeza como exatamente Skye pretendia pagar. Ela tinha conta no banco? Levando em consideração o cartão em sua mão talvez não fosse tão surpreendente quanto imaginava, mas quanto dinheiro ela tinha? Como ela o conseguiu? Ela trabalha? Mas a encontraram como um lobo! Scott teve que fazê-la voltar ao normal, então como poderia... Como poderia ter tudo isso?  

Skye, por sua vez, bufou.  

-Não se preocupe, meu alfa tem realmente mais dinheiro do que realmente usamos e eu recebo meu bom quinhão nesses últimos tempos. O preço não vai ser realmente um problema para minha matilha. Posso ter ficado muito tempo fora, mas você ainda é meu pai e não me sentiria bem se tivesse que arcar com todas essas despesas. Mesmo que as coisas não estejam tão ruins como eram quando eu saí, ainda seria um preço muito alto para pagar. Então fique quieto e me deixe fazer resolver o que normalmente resolvo.  

-Seu alfa não se importe que você gaste o dinheiro dele desse jeito? - Kira perguntou, curiosa e tímida. Pensar em alguém simplesmente pegando o dinheiro de outra pessoa e gastando-o assim sem nem ao menos perguntar parecia muita liberdade.  

-Quem você acha que cuida de todas as transações? Financeiro é minha responsabilidade junto com Cam, qualquer contrato, seja ele qual for, a ser feito deve passar por nós antes de ser aceito. Meu alfa confia em nós para cuidar do dinheiro da matilha e gastar com o que achemos necessário. Ele nunca limitou o que eu devo ou não fazer, é por isso que somos companheiros, o que é meu é dele e o que é dele é meu, confiamos um no outro. - Skye enfatizou a última parte, seus olhos fixos em Scott enquanto dizia cada palavra, esperando que a mensagem passasse. Infelizmente o garoto parecia ter uma cabeça mais dura do que uma pedra, mas mais oca do que um coco, franzindo o cenho em expressiva confusão.  

Suspirando exasperada, mas decidindo não insistir em um assunto que aparentemente não ia para lugar nenhum, Skye se dedicou para algo que realmente poderia ser resolvido: comida.  

Ela caminhou até a porta de entrada, Blue logo atrás, Kai não muito longe.  

Peter os observou com inveja, mas divertido ao perceber os olhares surpresos do bando McCall. A grande maioria deles não compreendia como uma verdadeira matilha se organizava, todos sendo lobos mordidos e recém ingressados no mundo sobrenatural, com pouca ou nenhuma informação. Skye, como Stiles, era o único a informá-los sobre determinados conceitos, nem mesmo Lydia conseguia achar tanto em suas pesquisas, mesmo que ela fosse boa. Não era fácil diferenciar entre os sites que apenas tinham ficção e aqueles que realmente tratava o sobrenatural a sério e tinha conhecimento sobre ele.  

Pares Alfas eram alfas, eles tinham o comando assim como seus companheiros ainda que não detivessem o poder alfa propriamente dito. Eles não poderiam ser comandados, apesar de na maioria das vezes escolherem por obedecer ao seu par. Nem mesmo poderia ser dito como obedecer, talvez respeitar e escutar fosse melhor utilizado. Skye não poderia ser forçada a nada, ela estava no topo da cadeia alimentar e acreditar que ela tinha sido apenas uma fera desgovernada e comandada para todos os lados seria subestimar muito suas capacidades. Mesmo ele, louco da maneira que estava antes de morrer, soube a importância que o garoto tinha, oferecendo-lhe a mordida.  

Scott não sabia o que tinha deixado escapar por entre seus dedos e, aparentemente, continuava sem saber.  

Quando Skye voltou, ela tinha Kai carregando a maior parte das caixas e Blue já mordiscando uma fatia que havia retirado da única caixa que segurava. A própria Skye carregava o resto das caixas, caminhando para o sofá onde se sentou, depositando a comida não muito longe deixando para Kai colocar as pizzas na frente da matilha McCall antes de retornar para pegar sua própria.  

Indiferente, com um pedaço gorduroso de pizza de calabresa em mãos retirado da caixa a qual Blue já estava devorando, ela empurrou uma para ele, seu olhar desafiando-o a negar.  

Bem, ele não diria que não estava com fome então apenas deu de ombros e agarrou a caixa entregue para ele e dedicou-se a saborear a pizza dentro. Além do mais seria rude negar a oferta de um companheiro alfa e Peter poderia ser muitas coisas, mas ele nunca faltou ao respeito a quem realmente merecia. Ele não questionou o ato de bondade também, sendo um ômega ele não tinha o direito de exigir ser alimentado de qualquer forma, nenhuma das duas matilhas precisava se preocupar com ele além do fato de mantê-lo na linha, mas o ato de Skye era basicamente um convite.  

Na etiqueta, seria o mesmo que oferecer um espaço em sua matilha, dizer que tinha uma chance. 

Peter não sabia se queria ou mesmo se Skye estava fazendo isso por pena ou por algum motivo obscuro qualquer, mas ele passou tanto tempo como ômega que ter essa chance era tentador demais para recusar.  

Os lobos betas de Skye o encararam curiosos, mas não mostraram qualquer outro tipo de emoção, ninguém mais pareceu notar qualquer coisa e Peter não se aproximou, ainda não lhe foi permitido. 

-Então... - Lydia começou, quebrando o silêncio que havia se instalado desconfortavelmente na sala depois da chegada da comida. - Você tem dez pessoas em sua matilha?  

-Treze na verdade. - Skye respondeu automaticamente, levando mais um pedaço até a boca, esse de uma nova caixa, e apenas depois que Kai já havia mordido um pedaço dela.  

-Isso é muito. - assombrou-se Mason, olhos arregalados em surpresa. E para eles deveria ser, tendo oito, talvez onze se contassem os adultos humanos envolvidos, em sua matilha.  

-Existem matilhas maiores. - ela comentou, divertida, limpando o rosto lambuzado de Blue a qual parecia não ter modos para se portar na mesa. - Nós somos novos ainda, pequenos, as mais velhas podem chegar a mais de vinte, talvez trinta no máximo, membros. Tudo depende da fertilidade dentro do grupo e sua aceitabilidade a membros externos. A maior parte das matilhas são formadas por lobos nascidos, membros da mesma família. Apenas as mais novas costumam ter lobos de origens diferentes. Mesmo transformados são raros, normalmente aqueles que são, eram nascidos humanos dentro da própria matilha.  

-Não é comum lobos morderem humanos? - Mason voltou a perguntar e Skye poderia ver como ele era curioso.  

Ela franziu o cenho com o pensamento. Se ele era tão curioso assim não fazia sentido sua magia ser tão inexplorada. Será que ele não sabia realmente sobre ela? Os outros saberiam? Se sim, por que não treiná-lo para se tornar o próximo emissário? Deaton não viveria para sempre e nunca se sabe quando se precisaria de um substituto.  

-Ingressar um humano no sobrenatural é complicado e muitas vezes causa mais confusão do que a maioria gostaria. É preferível transformar aqueles que já sabem, mas normalmente aqueles que sabem são caçadores e você não quer um desses dentro de seu bando. Não normalmente quero dizer. - lançou um olhar rápido para onde Allison estava, apenas um leve reconhecimento antes de voltar a falar. - É raro, na verdade, aceitarem pessoas de fora da família, humanos ou não. Normalmente esse tipo apenas entra por casamento.  

-Matilhas não costumam ter humanos? - dessa vez foi seu pai a pergunta, cenho franzido no que parecia ser indignação ou confusão, seu cheiro era amargo, como e pregava na língua, tão próximo do que normalmente era a raiva, que Skye diria que eram ambos os sentimentos, mas muito mais indignação do que confusão realmente. Olhando de fora, ela poderia entender. Dizer que matilhas preferiam não ter humanos parecia um tanto preconceituoso.  

-Não de fora. Humanos ajudam a equilibrar a matilha, recordá-los que eles ainda são... bem... humanos em um certo aspecto. Os ancora. Mas, como eu disse, ter que informar a um humano tudo relacionado ao sobrenatural correndo o risco de ser exposto é complicado e normalmente prefere ser evitado. Os humanos que existem nas matilhas normalmente são filhos de lobos que por qualquer motivo não herdaram o gene ou casados com um dos membros da matilha. Minha matilha não tem humanos, mas é porque nos aproximamos muito mais de uma matilha de lobos do que uma matilha convencional de lobisomens. Escolhemos viver como lobos.  

-Espera... Vocês escolheram... Viver assim? Selvagens? - Liam perguntou dessa vez, espantado. Ele não conseguia pensar em si mesmo abrindo mão de sua vida humana, se tornando um lobo, ser selvagem. Scott sempre pareceu muito apegado a toda a questão de se manterem o mais humano possível que a simples ideia nunca lhe passou pela cabeça em qualquer momento, ou mesmo que alguém até mesmo escolhesse isso.  

-Não somos selvagens. Somos apenas lobos, vivemos na natureza como lobos. Inicialmente não foi muito uma escolha, nós não tínhamos controle, mas agora? Temos âncoras, podemos mudar sempre que quisermos, nós nos incluímos em algumas leis humanas, mas preferimos não estar nelas. Nós escolhemos abrir mão disso.  

-Deaton disse que é raro a transformação total em um lobo, principalmente para transformados. Ele estava mentindo? - Lydia intrometeu-se, olhos brilhando em curiosidade e fascinação. As pizzas estavam acabando. 

-Não. É realmente raro uma transformação completa, normalmente apenas alfas conseguem. Mas, como vocês sabem, minha faísca é poderosa e não desapareceu quando me tornei um lobo. Até mesmo criamos a teoria que tenha sido ela que me possibilitou transformar em um lobo completo, em primeiro lugar. Ela escapa através do vínculo também e trabalha como um empurrão para outros lobos. Todos da minha matilha podem se tornar lobos completos por causa disso. - e Skye estava orgulhosa disso. Eles eram únicos e era por causa dela. Eles tinham um meio de fugir de toda merda humana que os ferrou por causa dela. 

Antes que mais uma pergunta pudesse ser feita Skye bocejou, cansada. Ela não tinha dormido muito esses dias e isso tinha levado seu preço. Agora, com sua matilha ao seu redor, ela se sentia capaz de descansar, confiando que Blue e Kai não deixariam alguma coisa acontecer com ela enquanto não estava atenta. Ainda era o começo da tarde, demoraria algumas horas para seu alfa chegar, ela tinha tempo para tirar um cochilo.  

-Tenho certeza que Peter sabe muito também sobre toda essa cultura lobisomem. Ele nasceu nela afinal. Eu vou dormir um pouco, qualquer coisa, perguntem para ele. Tenho algumas horas ainda antes de meu alfa chegar. Vocês podem perguntar para Kai e Blue também, mas duvido que consigam entender a maneira como eles costumam falar. - resmungou, aconchegando-se contra Kai e deixando seus olhos se fecharem, seu corpo prontamente relaxando com a familiaridade dos dois corpos contra ela, deixando-se levar facilmente pela inconsciência.  

Logo Derek estaria aqui.  


Notas Finais


Temos um pouco mais de informações nesse cap!
No próximo o Derek aparece, eu prometo. Como falei a história é pequena, mas a introdução dela é bem lenta. Também tem uma surpresa no próximo cap. Pelo menos acredito que vai ser uma surpresa para vocês kkkk.
Espero que tenham gostado! Até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...