História Wolf School - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Bertolt Hoover, Connie Springer, Dot Pixis, Eren Jaeger, Erwin Smith, Farlan Church, Grisha Yeager, Hange Zoë, Hannes, Historia Reiss, Jean Kirschtein, Kenny Ackerman, Levi Ackerman "Rivaille", Marco Bott, Mikasa Ackerman, Personagens Originais, Petra Ral, Reiner Braun, Sasha Braus, Ymir, Zeke Yeager
Tags Attackontitan, Ereri, Riren, Shingekinokyojin, Vampire, Wolf, Yaoi
Visualizações 219
Palavras 5.428
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal.
Eu vim aqui depois de séculos, bom quem acompanha minhas outras fanfics percebeu que eu sumi de todas...
Muita coisa aconteceu, eu mudei de emprego e tive um grande bloqueio criativo, eu cheguei a pensar em abandonar a fic porque eu não sabia como continuar, eu escrevi o começo do capitulo umas 5 vezes,eu não conseguia decifrar como continuar.
Eu amo escrever e ler, mas vezes eu acho que eu preciso de um tempo pra mim, pra ler minhas fanfics tbm. Espero que ninguém tenha ficado chateado com esse sumiço, a próxima fanfic a ser atualizada vai ser Musubi, pois já tenho o desfecho da história.

Eu quero EXPLICAR algo na história que eu com ajuda de algumas pessoas ( lindas e maravilhosas) descobri que ficou confuso.

Em algum capitulo que Eren foi procurar seu pai, ele disse que era ele que tinha mordido o professor.... e depois em um outro capitulo Grisha fala pra Petra que foi o Jean...
Então calma, eu não escrevi errado, Grisha é mais inteligente do que aparenta e ele tem informantes na escola, informantes que vocês nem desconfiam. Ele já sabia desde o começo que quem tinh mordido o professor era o Jean e por isso ele deu aquela ajuda para o filho : Você tem que matar a pessoa que mordeu o professor, Grisha sabia que Eren jamais mataria o amigo e acabaria fazendo de tudo para contatar Kenny.


Espero que gostem do capitulo de hoje, eu trouxe um pouco a história de Carla Jaeger e do nascimento do Eren e lógico um lemon também ❤️

Estavam com saudades do Lemon, está ai 🎈


Me digam o que acham, isso é muito importante, vocês podem não se atentarem, mas cada curtida e comentário trás estímulos, não só pra mim, mas pra todos os escritores continuarem.


Boa leitura ❤️

Capítulo 17 - Carla Jaeger



Sabe o que é ser prometida para alguém desde o dia que nasceu ? Foi isso que aconteceu  a minha vida inteira, desde que eu nasci meu pai havia me prometido a Familia dos Jaegers, eu nasci uma beta, que já era de grande alivio, pois se eu fosse um omega, teria que obedecer tudo o que me era ordenado.
Eu cresci em uma vila onde lobos e vampiros viviam em paz, tinha um melhor amigo chamado Hannes que era um vampiro e eu um lobo, mas isso não nos impediu de criar laços profundos onde nós passavamos as tarde na beira do lago conversando sobre viagens, vendo o por do sol, falando sobre países diferentes, sobre culturas distintas, ele me trazia livros e livros e me mostrava como era o mar, como era voar pelo céu, me explicava sobre os cometas e sobre aurora boreal, ele dizia que iriamos lá um dia, que ele me levaria, Hannes era aquela liberdade que eu nunca poderia ter.
Eu cresci e fiz 15 anos, nessa idade nós lobos ja estamos na fase para procriarmos, minha mãe me ensinou tudo que eu tinha que saber quando me mudasse para a casa do tal noivo prometido que tinha o nome de Grisha, enquanto meu pai fazia acordos entre eles, bom naquela época eu não sabia muito bem sobre a familia Jaeger, só sei que Grisha era um icone para os lobos por coisas que aconteceram no passado e que todo mundo admirava o homem que ele era, mas eu não queria saber, eu não queria ser presa a ele, eu queria voar, voar para longe e foi assim que eu conversei com Hannes e decidimos fugir nós dois e conhecer diversos lugares e então eu seria livre.
Um dia antes de ter que me mudar para Brasov que era a capital da Romênia e era onde ficava a casa do tal alfa, eu sai pela janela do meu quarto, levando uma pequena mala comigo, o céu estava estrelado e eu estava feliz, eu corri em direção ao lago onde iriamos nos encontrar, a lua refletia sobre aquela porção de água e eu esperava por Hannes, esperava para que eu pudesse voar sem ter a preocupação  em ter filhos ou como ter  que arrumar a mesa do jantar, eu seria livre junto com Hannes e ele me faria feliz.
Foi assim que eu pensei que seria, mas após 3 horas esperando do mesmo local, eu sentia as lágrimas pesarem nos meus olhos, caminhei devagar até a porta da casa do mesmo, porem estava tudo escuro, como se não existisse ninguém ali, ele tinha ido embora sem mim ? Mas o plano não era me levar junto ? 
Lagrimas de desespero e desilusão caia sobre meus olhos, eu tinha apostado toda a minha esperança nessa fulga e ele simplesmente sumiu, levando minha liberdade junto, senti um sentimento de regressão, eu estava novamente presa aquela gaiola de destino que minha familia me colocou, eu seria a esposa do Jaeger.
***
Grisha Jaeger era um homem muito bonito, seus cabelos longos e olhos verdes brilhavam quando me viram, seu aroma era forte e até eu sendo uma beta, me sentia intimidada com ele e isso fazia meu corpo tremer.
"- Você tem lindos olhos" ele disse sorrindo enquanto pegava minha mão para beijar.
Percebi o olhar so meu pai sobre mim esperando a minha respota.
"- Muito obrigada, posso dizer o mesmo dos seus" eu sorri levemente sentindo meu estomago embrulhar.
" Ah, que otimo, já estão se dando bem" meu pai exclamou e ambos riram e dentro de mim, estava sangrando por pensar onde estaria Hannes, descobri naquela mesma manhã que sua familia teve que sair as pressas por conta de uma ameaça que estavam recebendo de alguém e que foi feito um acordo que eles se manteriam longe daquela vila e o motivo  seria algo que eu só descobriria no futuro.
Com o passar dos dias, eu pude perceber que Grisha fazia de tudo para me agradar, me levava para passear, me dava presentes, era gentil comigo, me acordava com café da manhã na cama,me deixava ficar na biblioteca lendo, poderia dizer que ele conquistou minha confiança com isso, mas não meu amor, afinal, eu já havia escolhido quem amar.
***
Chegou o dia do nosso casamento, foi tudo muito lindo e luxuoso,  meus pais estavam orgulhosos e pude perceber que todos estavam felizes, então eu coloquei na minha cabeça que talvez eu devesse dar um chance para aquele homem que parecia querer apenas o meu bem e minha falicidade, por mais que tudo aquilo fosse um acordo entre minha familia e a dele, ele nunca me tratou mal para eu odia-lo.
A noite estava quente e era a noite de nupicias, bom sabemos o que acontece nessa noite, eu perdi a minha virgindade com ele, mas ele não fez nada forçado, eu estava ciente de tudo aquilo ia acontecer e tinha me preparado para isso e foi quando ele me mordeu, eu senti seus dentes fincando em minha pele e logo em seguida uma marca surgindo, ele havia me marcado como dele, naquele momento eu percebi que havia feito uma besteira, eu não amava aquele homem, eu não podia ficar com ele a vida toda, mas ele era tão legal comigo, talvez eu pudesse conversar com ele e explicar a minha situação, foi o que eu pensei...
Quando conversamos ele fingiu entender e disse que me daria tempo para me acostumar, já que não podia tirar a marca, eu fiquei grata e feliz por ele ter entendido, mas então descobri que estava grávida, sim, estava grávida do Grisha, ele disse que não tinha feito  nada dentro porque eu não queria engravidar, mas então ele havia mentindo e essa foi a primeira mentira que eu descobri sobre ele.
Após meu primeiro filho nascer, Grisha se transformou no meu pior pesadelo, ele era grosso, me obrigada a dormir com ele, me batia se nosso filho chorasse e se ele acordasse por conta disso, me obrigada a ter relações com ele, ele me deixava grávida incontáveis vezes , por todo um ano inteiro, eu tinha filhos e logo ele já estava me obrigando a ter mais e mais crianças, eu estava quebrada, estava cansada, meus filhos não ficavam comigo, Grisha levava para alguém cuidar e educar, porque nas palavras dele, eu não servia para isso, apenas era uma cachorra parideira, foram anos em desgraça, anos chorando quando estava sozinha e com medo do que ele poderia fazer comigo, Grisha nunca me amou, ele antes de se casar comigo se ligou alguém, aquela ligação de destino, porém essa pessoa era uma ômega e ela não aguentaria isso que ele faz comigo, então eu fui a válvula de escape dele, por culpa dessa mulher e de minha família  eu tinha me tornado uma escrava de Grisha Jaeger.
***
Era dia de comprar coisas para casa, eu consegui permissão de Grisha para ir com as empregadas ao supermercado, sim, ele não me deixava sair, na boca dele eu era feia e ele tinha vergonha de dizer que era meu marido por ai, eu já estava tão cansada que não me importei mais com nada que ele falava, já estava destinada a morrer e tinha aceitado esse destino, mas foi então que eu reconheci aquele homem de longe, não tinha como mudar, ele era um vampiro, era a mesma pessoa que me fazia viver a liberdade de quando era uma criança, eu sai correndo e me afastei das empregadas falando que iria fazer algo rápido e já voltava.
“- Hannes ?” Eu o chamei de baixo enquanto ele se despedia de algumas pessoas, percebi que ele estava acompanhado de uma criança lobo.
Ele parou por um segundo e me olhou? Eu estava apreensiva, aqueles segundos pareciam horas.
“- Carla ?” Ele disse abrindo um sorriso
“- Oh, meu deus, Carla, você está viva, esta bem ? Quanto tempo”.
“- Hannes, o que aconteceu com você ? Porque não foi ao meu encontro ?” Eu  não pude evitar o olhar de desilusão.
Houve um silêncio e logo o sorriso de desfez...
“- Precisamos conversar, mas não aqui”. Ele disse e olhou pros lados. “- Pode vir comigo ?” 
Eu senti a marca dos dentes de Grisha arderem por eu estar desacatando uma ordem dele, mas eu não podia deixar essa explicação para o futuro, eu precisava pedir ajuda.
Eu assenti com a cabeça e percebi a menina perto dele me olhar com um sorriso acolhedor.
“- Sua filha ? “ Eu perguntei sorrindo para ela.
“- Como eu teria um lobo, Carla ? Ela é uma pessoa especial para alguém que eu conheço, estou cuidando dela”. 
“- Ela poderia ser uma híbrida”. Eu dei de ombros.
“- Você sabe que filhotes de raças híbridas é mil vezes pior para se gerar e 98% morrem antes de nascerem, eu não faria algo assim.” Ele disse e eu pude sentir o quanto ele ainda era o gentil Hannes que eu conhecia.
Chegamos em tipo um café e Hannes nos encaminhou para um lugar mais afastado e deu dinheiro para a menina lobo brincar nas máquinas ali próxima.
Eu estava sentindo cada vez mais a dor da marca do Grisha.
“- Como você está Carla ? “
A voz do homem agora estava diferente, mas raivoso parecia.
“- Eu.. eu não to bem, minha vida é um inferno Hannes, Grisha faz ela um inferno”. Eu abaixei a cabeça, por mais que eu fosse beta, bom, não devíamos falar mal dos nossos companheiros.
“- Eu imaginei, eu fui embora da vila naquela noite, porque ele ameaçou minha família, eu iria fugir com você Carla, eu era feliz com você, mas então o grande Grisha, que matou a família Original dos vampiros foi até minha casa me pedindo para me afastar de você por bem ou por mal, senão todos ali morreriam, eu não pude fazer muita coisa, eu era só um menino”. Ele disse olhando para meus olhos, eu pude ver dentro deles a verdade estampada, era algo que ele também teve que aprender a conviver.
“- Então ele já sabia quem eu era antes de me conhecer pessoalmente “. Eu disse me sentindo uma tola, eu já estava nas garras de Grisha antes mesmo de eu nascer, mas porque ? Porque eu.
“- Ele fez algo com você ? Te machucou ? Te obrigada a algo?”  Hannes olhava minha expressão.
Eu não poderia falar aquilo para ele, senão.... se Grisha soubesse ele podia me matar.
Apenas levantei as mangas da blusa onde ele podia ver os vergões na minha pele, os roxos e os hematomas.
“- Filho da puta !” Ele exclamou alto “- eu vou te tirar de lá Carla, ainda podemos viajar o mundo, eu posso te mostrar a liberdade? Eu, você e Hanji” ele pegou minha mão, toda aquela sensação de anos atrás passaram sobre meu corpo, a sensação de proteção e de conforto, como alguém que não era da minha espécie podia me proporcionar isso, enquanto Grisha fazia eu me sentir pior que lixo.
Eu deixei lágrimas escorrerem por meus olhos enquanto abria um sorriso para o vampiro.
“- Eu senti sua falta”. Eu sussurrei
“- Eu não poderia olhar pra nenhum mar e não pensar em você”.  Ele disse e percebi apertar minha mão. “- Eu irei de ajudar, esse é meu endereço, o que precisar, corra pra lá, hoje em dia, Grisha não é mais o temível Lobo, hoje ele é nada, tentando construir um exército”. E então eu me liguei que era por isso que estávamos tendo filhos ? Para ele criar guerreiros, mas pra que ? 
 A marca do meu pescoço doeu mais e então eu tive que ir embora, antes que isso me paralisasse, eu e Hannes combinamos de nos encontrar mais vezes e colocar o que tinha de assunto em dia.
Naquele dia eu apanhei por horas do homem que era meu marido, mas eu estava feliz e meu coração estava em paz por ter encontrado meu primeiro amor.

***
Eu estava correndo sobre as ruas de Brasov enquanto sangrava mais uma vez, Grisha tinha me batido logo depois  de eu ter dado mais um filho para ele, consegui fugir no meio da noite, mas eu sentia que meu corpo estava começando a apodrecendo por dentro, a dor era insuportável, peguei o endereço de Hannes e segui até lá usando todas as minhas forças, bati na porta e então uma porta se abriu, era Hanji com aquele mesmo sorriso, me mandando entrar, eu entrei e logo Hannes veio correndo.
“- Pude sentir o aroma dela de longe, senhor, precisamos ajudá-la a se limpar e de um médico”. A garota disse.
Hannes assentiu pegando o telefone enquanto Hanji me encaminhava para o banheiro, tirando minha roupa e me colocando embaixo d’água, tudo doía.
Enquanto meu corpo tremia, os machucados daquela noite deixavam o sangue escorrer pelo meu corpo e ir embora no ralo do banheiro, lágrimas não deixavam o meu rosto, as dores eram cada vez mais forte.
“-Você precisa ser forte moça, aquele lobo não merece que você morra, você precisa ser forte para irmos embora daqui”. A garotos agora passava a esponja levemente em meus machucados tentando estanca-los.

Foi realmente uma noite longa entre médicos que entraram na casa, os medicamentos que me passaram, a tentativa de amenizar o aroma para que  não chamasse a atenção da vizinhança e então eu adormeci.

***
Os dias passaram e por mais que minha marca doía como o inferno por estar distante do meu “par perfeito” eu estava feliz, eu e Hanji arrumávamos a cozinha para mais um café da manhã, Nos três sentados à mesa, compartilhando momentos de quando eu e Hannes éramos crianças, das conversas no lago, dos livros que líamos... o tempo havia passado rápido. 
Mas mesmo assim eu estava ali, com Hannes, diferente de quando éramos jovens, Hannes agora não era só minha liberdade, ele era meu Porto Seguro.

Batidas na porta.

Eu rapidamente me levantei correndo e fui para o andar de cima, senti o aroma de quem estava chegando o que me fez ter vontade de vomitar.
“- Grisha, o que devo a honra ?” O vampiro abriu a porta enquanto Hanji espiava por trás dele.
“- Hannes, não se faça de idiota, eu sei que você tem algo que pertence a mim “.   O homem encarava o vampiro de modo ameaçador.
“- Acredito que não Grisha, o que eu tenho aqui é minha filha e alguém que foi usado e jogado fora por você, você não vai por mais as mãos nela!”  O vampiro rosnou.
Grisha abriu um sorriso irônico é maléfico.
“- Você acha que vai acontecer o que se ela se mantiver afastada de mim ? Ela tem uma ligação comigo Hannes, eu sou seu dono, por mais que ela não tenha me marcado, ela carrega a minha marca no pescoço dela”.
“- Ela não te marcou porque você já tem a Dina, Grisha, você fingiu ser bom pra ela para fazê-la uma escrava, não vais tocar nela.” A voz do Hannes era grossa e fria.
“- Quer mesmo competir comigo ? Acha mesmo que ela ficará aqui ? Primeiro que ela morreria dentro de um mês e depois eu ainda preciso dos serviços dela. Eu posso mover o mundo para tê-la em casa novamente, você é um vampiro, nunca entenderá o que acontece entre lobo! Eu voltarei e levarei Carla comigo, aproveite seu tempo”. 
O homem mais conhecido como meu marido foi embora e eu senti meu estomago afundar, ele tinha razão, eu morreria se não voltasse a ele, isso era a lei natural das coisas, eu fui vendida pela minha família e ele era meu dono.
Eu me tranquei no quarto naquele dia, eu precisava colocar os pensamentos em ordem e decidir o que faria, percebi que Hannes também tinha ficado agitado com aquela visita e as palavras que ele falou, ouvi ele falando incontáveis vezes ao telefone com pessoas aleatórias sobre quebra de ligação, mas todos riam da cara dele ou não entendiam o porque de um vampiro  estar preocupado com isso.
Eu desci para o jantar, comemos em silêncio, eu havia decidido morrer dentro de um mês se não tivéssemos achado uma solução, eu preferia morrer do que voltar para aquele lugar, Hannes entendeu a minha decisão e prometeu fazer de tudo que era possível para mudarmos isso e eu me senti novamente agradecido por sua compreensão.
Naquela noite eu esperei Hanji dormir e então eu procurei Hannes que estava na sala lendo alguns papéis e fiz o que sempre quis, beijei o meu primeiro amor, beijei a única pessoa que podia fazer eu me sentir amada e livre, beijei como se fosse a última vez que faria isso, então as coisas evoluíram, os toques evoluíram e  naquela noite desta também foi a primeira vez que eu fiz amor com alguém, era algo sensível, os toques dele eram leves e delicados como se eu fosse quebrar, nos dois estávamos mergulhados em um universo nosso e único, a sensação que eu achei que nunca sentiria na vida estava presente naquele momento, eu me transbordei e ele também, sem pensar no amanhã e nas coisas que poderiam acontecer, ali não existia algo ruim, ali era eu e ele e o nosso amor.

***
Mais alguns dias se passaram, as coisas estavam normais, Grisha não havia mais aparecido, a dor ainda estava presente mas eu já tinha convivido com dor maior, Hanji estava feliz, disse que sentia um aroma diferente em mim e que parecia coisa boa.
Eu não senti aroma nenhum e por um momento eu realmente pensei que era coisa da cabeça da garota. Mas então os enjoos vieram, enjoos fortes, as dores fortes também e eu estava grávida, mas dessa vez não era de Grisha e sim de Hannes, eu estava grávida de um vampiro, isso era mesmo possível ? 

***
Estava a algumas semanas para ter o bebê, o quarto já estava montado, Hanji já estava um pouco maior e estava feliz por ter um pequeno irmão, a gravidez entre espécies diferente demoravam mais para acontecer e foi uma das piores dores toda vez que ele se alimentava de mim, Hannes estava ansioso e nervoso também, eu não sabia o porque, mas então tudo desmoronou mais uma vez.
Grisha veio acompanhado da polícia me buscar, mesmo que Hannes tenha tentado impedir com toda a sua força eu fui levada mais uma vez e a casa de Hannes, o quarto do bebê, as coisas de Hanji foram todas queimadas, pude ver o desespero na cara dos dois, Grisha era um monstro !
***
Eu tive o bebê mais lindo entre todos os meus filhos, ele tinha olhos de Esmeralda, iguais aos meus, pele bronzeadas que lembravam o pai e era calmo, quando Grisha me trouxe de volta para o inferno ele não me fez tirar o bebê, disse que um dia o garoto seria útil, mas que ninguém poderia saber que ele não era filho dele, para proteger meu filho eu concordei, eu obedeci a tudo o que Grisha dizia e mandava.
Ele então cresceu acreditando que Grisha era seu pai é sofrendo as consequência senão ser seu filho , o alfa espalhou para a cidade que a nova criança que eu tinha gerado tinha morrido, então Hannes e Hanji provavelmente achariam que isso realmente aconteceu.
Então um dia, quando o médico disse que eu não poderia mais gerar um bebê, porque meu corpo não iria aguentar mais, Grisha foi totalmente contra as ordens e me obrigou mais uma vez a gerar uma vida, acabando com a minha.
Antes de eu morrer eu pedi para que ele cuidasse de Eren, independe dele ser filho do alfa ou não, Eren acreditava que era seu filho, Grisha apenas sorriu e disse que trataria o menino bem, naquele momento, aquele Grisha que eu conheci gentil estava presente, eu me agarrei as palavras dele que trataria Eren bem e apenas senti minha liberdade chegando no meu corpo, eu me despedi desse mundo com a lembrança de Hannes e Hanji sorrindo pra mim.
***

Levi.
Senti o sangue escorrer pela minha boca, o sangue do Eren era doce e levemente cítrico, dando o balanço perfeito, eu fechei os olhos sentindo os
braços do pirralho em volta de mim, me  impedindo de me afastar quando terminasse, eu sentia o sangue passar por todo meu corpo, como se aquilo cada gota ativasse uma eletricidade em mim, como se me deve vida novamente, minha marca ardeu quando eu senti já tinha bebido o suficiente para não deixar o garoto inconsciente.
“- Eu senti sua falta, Levi”. Ele sussurrou em meu ouvido.
Como poderia um pirralho daquele ter o poder de amolecer toda a estrutura rígida e inexpressiva que eu tinha, apenas com uma única frase ?
Eu passei meus braços em volta dele, suspirando e sentindo o cheiro do seu sangue que estava no ar, lambi a ferida que minhas presas deixaram e senti o mesmo se arrepiar.
“- Achei que nunca mais te veria “. Eu disse baixo e senti seu braço apertar mais em minha volta.
Olhei seu pescoço próximo a minha boca mais uma vez e depositei um beijo delicado no local, subi a boca dando pequenos beijos no lobo, seu cheiro não me incomodava na verdade me chamava para ele, quando foi que ele se tornou tão importante ? 
Ele abaixou a cabeça se inclinando para frente, percebi que ele fechar os olhos, eu avancei em sua boca, diferente dos outros beijos, esse era desesperado e delicado, nós queríamos sentir um ao outro, eu precisava sentir meu pirralho, sentir todos os seus sentimentos passarem através de seu corpo até chegar a mim.
Minha mão subiu até o cabelo de sua nuca, acariciando lentamente enquanto inclinava o seu corpo para se deitar na cama, tínhamos muito o que conversar, muito o que planejar, muito o que esclarecer, mas naquele momento o que eu mais queria era ter o meu pirralho de volta.
O beijo chegou ao fim por falta de ar da parte dele e eu encarei aqueles olhos verdes me olhando com um brilho de luxúria mas também um sentimento a mais, amor ? Talvez.
Eu estava encaixado sobre o seu colo e eu senti sua mão acariciando minhas costas enquanto eu mexia em seu cabelo, nenhum dos dois quebrou o olhar, era uma visão linda ver o pirralho corando e respirando um pouco mais rápido quando eu mexi meu quadril em seu colo.
Me aproximei devagar em seu ouvido deixando minha voz baixa e mais rouca.
“- Hoje, eu vou fazer amor com você”. Falei e consegui sentir seu coração acelerar sobre o meu peito.
Desci minha boca beijando lentamente cada parte daquele pedaço de pele e deixando pequenas marcas, suas mãos corriam pelas minhas costas fazendo leves carinhos, enquanto ele inclinava a cabeça para trás com os olhos fechados.
Me afastei novamente tirando sua camiseta e aproveitando para tirar a minha, a sensação do quente e frio estava ali novamente, como se a diferença de temperatura nos completasse, a eletricidade a cada toque, as sensações de carinho e amor, tudo fazia com que eu sentisse que me peito iria explodir, desci lentamente por seu peito, beijando seu mamilo levemente e dando pequenas mordidas, Eren soltou com gemido e agarrou minha nuca com uma mão enquanto a outro tampava o seu rosto.
Desci mais um pouco enquanto lambia parte de seu abdômen, tudo delicadamente e levemente, eu nunca fiz amor com alguém, não posso dizer que não tenho vontade de colocá-lo de quatro e fude-lo agressivamente, mas naquele momento, eu precisava mostrar para ele que meus sentimentos estavam presentes mais do que qualquer agressividade.
Desci até o cos da sua calça e abri os botões, lambi a parte onde a cueca estava e ele gemeu.
“- Hm, como eu senti falta disso”. Eu disse baixo.
“- Eu também “. Ele gemeu soltando um suspiro.
Eu abaixei a calça e a cueca e pude ver seu membro duro e levemente molhado.
“- Eren...” eu o chamei e percebi que ele me olhou, seu rosto corado.
“- Por favor Levi, me chupe”. Ele disse ficando mais vermelho.
Eu sorri para ele.
“- Logico, meu pirralho, farei tudo por você “.
Eu passei a língua desde ate a glande do membro e senti que Eren agarrou o lençol e soltou um gemido profundo, brinquei um pouco com sua glande e quando ouvi um suspiro de reclamação vindo do mesmo, coloquei em minha boca, sugando e fazendo movimentos de vai e vem, meu membro doía na calça, querendo ser tocado por ele, eu continuei os movimentos percebendo que os gemidos do mais jovem ficavam mais altos, naquele momento eu não me importava quem ouvisse ou se estávamos na escola, eu só queria senti-lo, eu precisava disso.
A perna que estava entre as minhas pernas subiu enquanto eu o chupava pressionando o meu membro me fazendo gemer no meio do movimento.
Olhei para ele de relance e percebi o sorriso em seus lábios por ter me tirado aquele som.
Eu abandonei o seu membro e subi para o beijar, eu queria guardar aquela cena em minha cabeça para sempre, aquele sorriso, naquele rosto vermelho e aquele olhar de luxúria.
Abocanhei aqueles lábios com vontade enquanto ele tentava tirar minhas calças com os pés,me separei do mesmo e me  levantei tirando toda a roupa.
Voltei a deita-lo e senti seu olhar confuso sobre mim.
Eu parei um pouco para me concentrar e levei os meus dedos até a sua boca.
“- Chupe”. Eu falei e ele obedeceu deixando o mais molhado possível.
E foi então que eu me afastei do seu colo e ele abriu as pernas, mas foi impedido antes de continuar, eu sentei em cima dele, enfiando um por vez os dedos que ele tinha chupado dentro de mim, eu pude sentir o mesmo prender o ar com aquela cena, eu sentia sendo rasgado pelos meus próprios dedos, mas hoje eu seria totalmente do Alfa a minha frente.
Quando senti que o incomodo tinha passado eu tirei os dedos e encarei o pirralho.
“- Tem certeza ?” Ele disse baixo, dava pra ver o quanto estava se controlando.
“- Posicione o seu membro, Eren” eu disse e levantei para senti-lo tocar em minha entrada.
Antes mesmo dele se preparar eu sentei com tudo, sentindo um ardor e fechando os olhos para evitar que lágrimas escorressem.
Ele prendeu a respiração mais uma vez, provavelmente com medo de se mexer e me causar mais dor.
“- Hoje... eu sou seu”. Eu disse quando começava a me mexer em seu colo, ele tombou a cabeça para trás mais uma vez enquanto um gemido grosso deixou seus lábios, agarrando meu quadril, senti a unha crescer e rasgar minha pele, percebi que o Alfa estava ali presente.
Seus olhos ficaram pretos ao olhar pra mim e o movimento do seu quadril aumentar acertando minha próstata, eu gemi alto e logo após mordi o lábio inferior, percebi ele sorrir novamente, mas agora mais maliciosamente, o plano de ser algo carinhoso foi pelas alturas na hora que ele ainda comigo cavalgando em seu colo se levantou e me apoiou na parede, fazendo movimentos mais rápidos e fortes, minhas unhas fincaram em suas costas enquanto eu gemia em seu ouvido, sua boca deixava uma trilha de chupoes  e
Mordidas cortando os seus próprios gemidos...
E estávamos nos lá novamente, dois animais saciando a vontade e a saudades que estavamos um do outro.
Eu estava quase atingindo o meu limite, uma das suas mãos me masturbava enquanto ele acertava incontáveis vezes aquele ponto...
Senti o orgasmo chegar quando minhas pernas foram perdendo a força e eu sentia meu corpo tremer, eu gemi e senti algo doer em meu pescoço em cima da marca que nos ligava, esperma espirrou entre nossos corpos e eu comprimi minha entrada, o fazendo chegar ao seu limite também, pude sentir o líquido quente escorrer entre minhas pernas enquanto ele ainda estava com a cabeça inclinada no meu pescoço e então eu o líquido vermelho escorreu pelo local manchando o meu corpo.
“- Eren...” eu o chamei e ele levantou o olhar, seus olhos tinham voltado ao verde, mas eu pude ver pequenos caninos ainda para fora enquanto o seu rosto estava coberto por aquela cor que combinou perfeitamente com o verde esmeralda.
“- Eu, estava com fome”. Ele disse baixo.
Eu levantei minhas mãos em seu rosto, acariciando sua pele manchada enquanto ele me levava de volta para a cama saindo de dentro de mim.
“- Vamos para o banho e depois conversaremos sobre tudo o que aconteceu enquanto eu estive apagado” eu disse e ele assentiu..
Ele se levantou para se afastar e ir pro banheiro, porém eu o puxei pelos braços.
E quando minha boca  chegou perto do seu ouvido eu sussurrei.
“- Tu es trop précieux pour moi, je vivrai toute mon éternité avec toi.“. 
( Você é muito precioso para mim, eu vou viver toda a minha eternidade com você.)
A rosto dele entrou em confusão e então eu dei um leve sorriso.
“- O que você disse ?” Ele sorriu e me viu pulando da cama e caminhando normalmente pro banheiro.
“- Descubra “. Eu disse e ele emburrou.
“- Me diga por favor e aproveita e me explica como você consegue andar normalmente depois disso ?”
“- Eren, eu sou um vampiro, me curo rápido “ meu tom de voz era de zoação com a cara do pirralho que vinda logo atrás de mim.
Se o meu passado me atormentava, Eren me fazia esquecer tudo de ruim que eu vivi antes e por esse sentimento de paz, eu faria tudo para te-lo pra mim.
***
Narrador.

“- Então você descobriu que seu sobrinho estava vivo ?” A voz do homem ecoou pela sala onde três pessoas estavam sentadas.
“- Não tinha como não descobrir Grisha, uma professora me ligou dizendo que somente eu podia salvá-lo, mas me pergunto, o porque escondeu isso de mim ? Tenho certeza que você sabia do fato de não ter matado o Ackerman”. Kenny disse enquanto tomava uma taça de vinho.
“- Simples, eu queria ver a sua reação e ver se podia confiar em você, achei que  tinha se arrependido de matar toda a sua família “a voz do homem era zombeteira.
“- Eu me arrependi por muito tempo, mas eu não quero nenhum Ackerman do lado dos vampiros vivo, eu sou o único descendente do Drácula e ninguém vai tomar esse meu lugar de direto quando as bruxas caírem, nós seremos os líderes “. A voz do lobo sobressaiu a risada do loiro que estava do lado.
“- Bem, então porque o salvou hoje mais cedo ? “ Grisha rodeava a borda do copo com o dedo.
“- Porque eu vou matá-lo com as minhas mãos, vou fazê-lo confiar em mim e executa-lo”. O lobo mais velho encarou Grisha que sorriu.
“- Como imaginei, temos um acordo, eu deixo Rivaille com você, se fize-lo sofrer e se causar dor ao Eren”. Grisha sorriu e tomou um gole da sua taça.
“- Ele já começou,  o vampiro não lembra do seu filho, pra ele Eren é apenas um lobo fedorento, acho que tem a ver com o contrato entre vocês dois  “. Kenny zoou com um tom de nojo.
“- Isso é bom, assim as coisas já começam do jeito que eu quero, sua filha está de acordo com isso ? “ o Lobo analisava o outro.
“- Você sabe que Mikasa sempre amou o Eren, não é difícil “. Kenny revirou os olhos.
“- O contrato já está ativo desde que o professor abriu os olhos, provavelmente Eren e Mikasa já estão sentindo os efeitos, se Eren for contra, sofrerá  “. O lobo loiro chamado Zeke disse ao lado.
“- Agora é só esperar os pequenos lobos para meu exército de híbridos “. Grisha sorriu abertamente.
“- Espero que não se esqueça do nosso combinado Grisha, assim que tiver filhotes o suficiente, eu matarei o Levi e  Eren acabará morrendo logo depois “ Kenny deixou a taça sobre a mesa se levantando.
“- Você terá seu trono Kenny será o rei da Romênia” ele levantou a taça mostrando ao lobo que caminhava para a porta e sorriu.


“-  O jogo está prestes a começar, Grisha, esteja pronto !” Ele saiu deixando o lobo de olhos verdes com um sorriso nos lábios.


 


Notas Finais


E ai o que acharam ?
Não deixem de comentar ❤️


Muito obrigada a todos que tem paciência com os meus sumiços, até o próximo capítulo 🎈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...