História Wolf War - Capítulo 53


Escrita por: ~ e ~SummerStar

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Aventura, Drama, Ficção, Lobos, Poderes, Revelaçoes, Romance
Visualizações 42
Palavras 1.080
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Agora a coisa fica duas vezes mais interessante s2

Capítulo 53 - Armas


- Eu lhes chamei para comunicar um triste ocorrido sobre a última missão – A diretora diz, após todos chegarem no pátio – Houveram muitas mortes na missão em busca de arquivos do aniquilamento de nosso acampamento aliado.

Ouvi murmúrios e vi pessoas arregaladas.

- Nós estamos com muito pesar por essas pessoas, que se sacrificaram para nos ajudar. Encontramos apenas alguns corpos, e infelizmente não achamos todos dos que morreram. Faremos um velório digno para eles, e contamos com a presença de todos.

- M-Minha amiga voltou com vocês, n-né...? – Ouvi uma pessoa falando, desesperada – A Mia.

A diretora abaixou a cabeça, com uma expressão triste.

- Não! Não pode ser! Ela não pode ter morrido... Não...! – Disse a mesma pessoa, desabando em lágrimas.

Pai. Você terá uma morte dolorosa. Prepare-se.

*

- Certo, quero que me faça cair de dor! – Will disse, descalço no campo. A ventania fazia seus cabelos esvoaçarem.

- Eu não vou fazer isso!

- Imagine que eu sou o seu pai, então.

-...

- Desculpe, peguei pesad- AH! – Ele desabou no chão, ralando o queixo.

- Não brinque com essas coisas, idiota – Resmunguei.

- D-Desculpa... – Levantou-se sem jeito – Então, imagine que sou eu.

- Hã?

- Tente me machucar, na consciência de que está me machucando.

- Como eu vou fazer isso? E sem estar ferida, mesmo emocionalmente?

- Você não precisa estar ferida. A sua emoção não precisa ser de dor ou tristeza.

Pensei um pouco. Lembrei-me daquela luta, em que, mesmo confiante, consegui ferir muitos.

- Hm, o que eu supostamente deveria sentir agora para fazer essa habilidade funcionar?

- Qual a emoção mais forte que está sentindo agora?

- Hm... – Eu não estava sentindo emoções muito fortes naquele momento – Determinação? Desejo de vingança?

- Tente aumentar essas emoções, sei lá. Pense em coisas que a torne mais determinada para se vingar.

Lembrei daquela pessoa que chorou em público pela perda de sua amiga, há duas horas atrás.

- Idiota! – Exclamei sem intenção.

- Argh! Eu?!

- Não! Meu pai! Ugh, eu vou esmagar a cabeça dele

- Gostei dessa. Ai! Já deu, já deu. Vamos comprar uns pastéis e ir para as atividades da tarde.

- Ok.

*

- Olá, sou o novo professor de vocês – Um homem com cerca de 20 anos se apresentou diante de nós, no campo central, que levava para a floresta, onde realizaríamos as atividades – Sou Leonardo. Podem me chamar de Leo. Eu e Amélia dividiremos os turnos. Eu serei da tarde e da noite, ela será da manhã. Bem, vamos começar!

Ouvi uns cochichos entre as meninas, o elogiando. Realmente, ele era muito bonito. Mas Will era, com certeza, mais.

- Vamos até a floresta. Quero iniciar umas atividades diferentes.

Fiquei curiosa e entusiasmada. Atividades do acampamento eram que nem Educação Física, na escola. Eu adorava, porque não precisaria aturar as aulas chatas de História. No caso, História dos Lobos. As aulas duravam duas horas apenas, no período da noite. Elas consistiam basicamente em História e Estudo de Habilidades. Eu, ao contrário de muita gente, abandonei o colégio mais cedo por conta do acampamento. Eu tinha 15 anos. Amanda tinha 16 e Will, 17. Natalie eu ainda não descobrira.

- Primeiro, quero que se reúnam em grupos. Vocês logo logo começarão a usar uma arma, então quero que treinem agora – Arma?! Tipo pistola? Não conheço nada de armas, e me arrepia pensar em usá-las contra alguém. Mas é melhor do que combate corpo-a-corpo – As pessoas que tiverem habilidades de Terceira Geração, peguem as pistolas. Vocês não atirarão balas, atirarão habilidades. As habilidades de Terceira Geração tendem a ser apenas para atingir uma única pessoa, logo, uma pistola seria adequada – Maneiro! Atirar uma habilidade por uma pistola soa legal! Me pergunto que tipo de substância sairia da arma.

A maioria das pessoas que estavam na floresta foram lá pegar pistolas com o professor.

De repente, lembrei que minhas habilidades são de Primeira Geração. Eu seria a única a ir lá pegar qualquer arma que fosse.

- Professor – O chamei, aproximando-me dele, desesperada por dentro – Acho que estou um pouco doente, posso ir na enfermaria?

Repentinamente, seus olhos mudam de cor por dois segundos:

- Não, não está.

- O que você fez?

- Eu consigo descobrir o estado da saúde de uma pessoa.

- I-Incrível...

 - Por que mentiu?

- Não quero participar... – Fui sincera parcialmente.

-Esse treino é de extrema importância. A não ser que tenha um bom motivo para sair do treino, ficará aqui.

Deveria contar-lhe? Ah, de qualquer modo Leo descobriria, uma hora ou outra.

- Minhas habilidades, hã... São de Primeira Geração.

- Oi? Não é possível. Não há ninguém aqui com habilidades de Primeira Geração.

- É exatamente por isso que eu queria sair!

- Hm... É uma boa razão. Mas, mesmo assim, não posso permitir. Não haverá mais treinos depois desse, depois é férias.

- Férias? Ah, hm... Então, me dê uma arma que sirva para as minhas habilidades, eu falo que sou de Segunda Geração.

- Hm, suas habilidades são Ferimento Alheio, Tempo Passado, e Esquizofrenia.

- Esquizofrenia?! Eu não sabia dessa habilidade!

- Oops, Spoiler!

- E como sabe delas?

- Habilidade de detectar outras habilidades.

- Ah. Mas qual arma eu uso?!

- Não existe nenhuma arma para essas habilidades.

- Tem certeza? – Fiquei desapontada.

- Bem, existe uma lenda de que exista uma em algum lugar na Terra. Ela foi criada há dez milênios atrás, especialmente para a Primeira Geração. Usando ela, você consegue usar suas habilidades melhor do que ninguém, e elas se tornam cinco vezes mais poderosas. Mas é claramente mentira. Nenhuma arma é capaz de manejar habilidades, mesmo se fosse forjada por deuses.

- Uau... – Suspirei – E como ela seria, fisicamente?

- Dizem que é um cajado, com uma pérola poderosa que faz tudo acontecer. Mas ninguém nunca viu, são apenas boatos que as pessoas inventam.

- Onde ele estaria?

- Você está pensando em procurá-lo? – Leo riu – Ninguém sabe, já disse. A lenda também diz que apenas quem é escolhido consegue descobrir a localização.

- Que droga – Resmunguei.

- Se eu te desse um arco e flecha, você poderia usar Ferimento Alheio e Tempo Passado, mas a flecha se partiria antes de chegar no alvo, de tanto poder.

- Nossa. Acho que vou voltar para a cabana, então...

- Pode ser. E é melhor que ninguém descubra da existência dessas habilidades.

- Existência de quê? – Melanie aparece do nosso lado, com seu braço enfaixado.


Notas Finais


x333 Espero que tenham gostadoo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...