História Wolfpack - Sexo de lobos - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Collin Littlesea, Embry Call, Emily Young, Jacob Black, Jared Cameron, Kim, Leah Clearwater, Paul Lahote, Personagens Originais, Quil Ateara, Rachel Black, Sam Uley, Seth Clearwater
Tags Callwater, Crepusculo, Embrycall, Imprinting, Jacobblack, Leahclearwater, Lobos, Samuley, Sethclearwater, Wolfpack
Visualizações 112
Palavras 1.520
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei, sorry! ;x

Capítulo 11 - Flagra!


Jared

─  Vem, Kim!─ chamei depois que ela já estava vestida e eu a estava levando pra casa. Já eram duas e pouco da madrugada, eu só esperava que o pai dela estivesse dormindo.
Nós saímos de casa e eu espertamente estacionei na frente da casa ao lado, assim a minha mãe não ia ouvir quando eu fosse levar a Kim embora.
Queria que ela dormisse aqui comigo, mas claro que ela não poderia fazer isso. O pai dela era um pé no saco com essa historia dela me namorar, dizia que eu tinha cara de vagabundo e que parecia drogado. Ele que vá se fuder, porque enquanto ele tá dormindo, eu tô correndo pra deixar ele em segurança. Nunca ouve nenhum roubo em La Push depois que os protetores começaram a agir, e eu estava lá desde o início, o segundo lobo de La Push.
Eu com cara de bandido, vê se pode?
Ela entrou no carro e estava feliz da vida, mas não mais do que eu . Com certeza hoje não tinha ninguém mais feliz que eu... 
 Eu a levei em casa e foi difícil deixar que ela saísse do carro.
─  Jared, deixa eu entrar e vai pra casa.─ disse rindo e eu obedeci.
Entrou e eu esperei do lado de fora, para ver se ia dar alguma merda pela hora que ela estava chegando.
Estava louco pro pai dela ficar puto de uma vez e dar uma de “esperto” e querer me cobrar compromisso. Eu me comprometeria na hora! Ela não ia mais negar o meu pedido e ia casar comigo. Ia ver só... ficar me enrolando... eu não sei o que acontece com essas mulheres! Se eu fosse um Embry da vida, mas não...
Voltei pra casa e quando eu deitei na minha cama, o cheiro dela ia me fazer sonhar gostoso.

 Sam
─  Sam!─ estava me chamando do banheiro, mas não estava mais em condições de nada, muito chapada! 
Bebeu quase metade da garrafa que tinha separado pra nós dois e isso depois de já ter bebido na hora da festa.
Forcei-a a tomar banho pra dormir. Ela não queria parar. Mas estava doidona demais, nem ia ter graça.
─  Emily, meu amor, vem dormir.
─  Não!─ disse passando a mão em mim, meu Deus!
 
Enrolei-a na toalha.
─ Eu vou me lembrar disso amanha, Sam.─ ri, não ia mesmo.
─ Ok! O que você quer fazer?
─  Eu quero comer!
Essa é a ultima coisa que ela ia fazer agora.
─  Você não vai comer nada.
─  Vou sim, eu vou comer você.─ apontou pra mim rindo. 
Mesmo chapada a cara de safada me consumia. Beijei sua testa, descendo para a sua boca, abracei-a e ela dormiu. Eu sabia.

Paul
Agora eu estava começando a me preocupar com os meus pais ouvindo alguma coisa. Três e quarenta e cinco e a Rachel tá gemendo muito alto.
─ vai, Paul!─ ela estava quase gritando. 
Amanhã ia ser dose, mas eu obedeci, ela merecia ainda. Mesmo depois de todas essas vezes. E outra, o meu pau não queria descer de jeito nenhum, então toma. 
Continuei estocando e ela finalmente gozou a sexta vez... Sétima? Mais... eu não me lembro... parei de contar na quinta, com certeza. 
Beijou-me de forma indecente.
─  Ainda não acabou?─  perguntou quando percebeu que o meu pau ainda estava duro dentro dela. 
─  Não, eu já gozei umas três vezes direto e ele não desce nem um segundo. ─ Comecei a me preocupar.
─  Bom, isso é bom. ─  me olhou com uma cara de safada.
─  Você quer mais?─   perguntei também querendo. Ela riu.
─  Paul, eu estou com vergonha dos seus pais amanhã. Eu sei que eu sou meio escandalosa.─ cobriu o rosto com as mãos.
─ Meio? Você é totalmente, o que foi aquilo de me arranhar? Sorte sua que eu sou lobo, senão todo mundo ia ver que você é tarada.
Beijei as suas bochechas coradas. Ela tinha arranhado as minhas costas e tenho certeza que feriu. Perdeu a linha e pediu coisas absurdas e totalmente selvagens. 
Eu fiquei abismado, porém , se ela gostava eu faria com gosto. Mesmo quando ela pediu pra eu bater e xingar ela... Eu fiz e ela estava gozando mais e mais... que louca e eu a amo.
─  Como você vai fazer ?─ perguntou tirando-me de dentro dela. 
Fiquei olhando o meu pau durão, em perfeitos noventa graus. 
─  Sei lá, eu não posso sair na rua assim.
─  Poxa, eu achei que te aliviaria também.─ ela se lamentou.
─  Rachel, você foi excelente! Eu estava alucinado, não sei o por que disso.─ apontei pro meu membro rígido e pulsante. Ela riu.
─  Será que ele é de lua, seis meses deitado e seis meses em pé?─ debochou e eu mordi ela.
─  Ai. Assim eu gamo.─  disse rindo, mas a voz sexy estava lá.
─  Bom, nesse caso, vai mais uma?─ já virando ela de bruços e mordendo a sua bunda com força.
 Ela gritou de excitação e eu comecei tudo de novo.
Eu abri as pernas dela, olhando aquela visão maravilhosa, e ela estava ficando excitada novamente até que uma batida na porta cortou o clima.
Levantei da cama no susto.
 Rachel se cobriu com o lençol até a cabeça, cheia de vergonha. Abri a porta, mas só ate a metade, escondendo o meu corpo atrás dela.
─  Paul.─ o meu pai disse rindo, a minha mãe atrás com uma cara de boladona.─  por favor, termina isso amanhã porque nós queremos dormir.─ pediu e eu ri, mas prendi, porque a minha mãe me olhou furiosa.
─ Mãe, não me olha com essa cara não, é a Rachel.─ eu a lembrei que eu era um lobo e que tinha uma impressão e que a Rachel era a “minha Rachel”._ está bem, me desculpa o incômodo.
─  Diz pra essa garota que na casa dos outros a gente não grita certas coisas!─ minha mãe repreendeu, eu ouvi a Rachel gemer de vergonha sob o lençol. 
─  OK! Mãe, recado dado. Tchau.─  fechei a porta na cara deles e comecei a rir. A Rachel não. O meu pau desceu finalmente. Ela também não estava mais a fim.
─  Agora vai dormir feliz, pelo menos.
─  Até que enfim, né? ─ cantou pra mim, aquele coro de “aleluia..” safada me zoando.
─  “vai, Paul!” ─  debochei dela, que riu e me beijou. Eu sabia que agora estava bem, eu senti vibrar mas, não era a minha mão.
─  bom, como agora o senhor controla isso.─ ela olhou pro meu membro semi rígido.─  não precisa ter pressa e a sua mãe vai me comer viva amanhã.
─ Esse serei eu, baby.

Seth

Que ideia idiota de ir até Seattle, agora os caras que roubaram o carro da Leah já foram até o Alasca. 
Cinco para as quatro e eu estava morrendo de sono fazendo o caminho de Hoquiam, só pra conferir. Se não estivesse lá, eu voltaria pra casa e que a Leah me matasse, mas só depois que eu dormisse e comesse. 
─ Seth!─ Quill me chamou. Eu já estava de saco cheio de ouvir os pensamentos dele, que variavam entre “estou com fome” e “Claire gut, gut..”bah!
─ fala!
Ele me indicou a direção em que sentiu um cheiro conhecido. Até que enfim uma pista decente, era o cheiro da Leah! O carro dela, com certeza. 
Corremos, o cheiro ficando mais forte. Era isso! Sim, o carro dela estava aqui.
Eu corri o mais rápido que pude o Quill vindo bem atrás, ele não estava com tanta pressa quanto eu. Eu  queria porrar a cara do safado que me fez deixar de ir a qualquer lugar com a Lince, fazer algo pro bem maior, pra vir procurar o carro da Leah. 
Filho da puta, safado, ia morrer agora!
Eu corri e cheguei perto, era uma casa pequena no limite da cidade e o carro estava do lado de fora e tinha mais um carro.
Voltei a forma humana e coloquei a calça que eu trouxe comigo. O resto das minhas roupas ficaram na casa da Lince.
 O cheiro forte da Leah estava invadindo o meu nariz. E então eu cheguei perto do carro dela. E o carro ao lado era o do Jake?
O que o Jake fazia aqui? 
Eu cheirei mais forte e a Leah também estava aqui, com certeza. O cheiro ia além do carro dela. E tinha mais alguém conhecido. E não era o Jake... não! 
Não pode ser!
Ela não está fazendo isso! Não! Leah, não!
Quill parou do meu lado, na forma humana, vestindo somente um short também. O estômago dele roncando.
─  Ela está aqui?─ ele perguntou abismado.─  O que o carro do Jake está fazendo aqui?─ ele me olhou e fungou mais forte. Começou a rir imediatamente e eu ficando puto.
─  Leah!─ eu gritei e nenhuma resposta.
Quill rindo horrores de mim, só faltou cair no chão de tanto rir.
Andri até a porta, as mãos tremendo de raiva. Estava a ponto de explodir no lobo novamente.  Bati na porta.
─  LEAH!


Notas Finais


Gente! Capítulo de comédia, porque apesar das ~inúmeras~ cenas de sexo, ainda é uma comédia! Kkkk
Sethzinho lindo! Andri pensando. Acho que as meninas merecem POVs também. O que vocês acham?
Um beijo pra quem vem acompanhando, favoritando e comentando. Vocês são maravilhosos! Bina❤️ N❤️ Iasmin❤️ E May❤️
Aguy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...