História Wolfpack - Sexo de lobos - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Collin Littlesea, Embry Call, Emily Young, Jacob Black, Jared Cameron, Kim, Leah Clearwater, Paul Lahote, Personagens Originais, Quil Ateara, Rachel Black, Sam Uley, Seth Clearwater
Tags Callwater, Crepusculo, Embrycall, Imprinting, Jacobblack, Leahclearwater, Lobos, Samuley, Sethclearwater, Wolfpack
Visualizações 231
Palavras 2.533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nem demorei! 😎

Capítulo 12 - Eu posso explicar!


Leah!
─ LEAH!─  Eu ouvi novamente o grito do Seth, e pulei de cima do Embry, ele ainda gemendo, com o orgasmo interrompido. E eu tive que largar ele quando ele estava quase no fim, de novo!
Olhei no relógio da parede: 4:15, caramba! Eu tinha que ir pra casa.
─  Embry.─  chamei sussurrando, mesmo sabendo que o Seth me escutaria. Ele se contorcendo de desejo que começou a se transformar em raiva, devido ao coito interrompido, ou melhor a foda interrompida. 
─  Puta que pariu! O que esse moleque tá fazendo aqui!?─  Embry se levantou puto. 
O pau durão pra frente e eu catei as minhas roupas, vestindo-me apressada. Seth batendo na porta.
─  Para moleque! Vai quebrar a porra da porta!─  Embry gritou com o Seth. Merda!
Eu tinha que sair dali. 
Vesti a calcinha e a calça, mas a blusa...O Embry destruiu a minha blusa. Então eu peguei a dele. Ajeitou como deu o membro duro dentro da cueca, que estava totalmente esticada. Vestiu a calça, não se importando comigo vestindo a camisa dele. Eu calcei os sapatos e ele abriu a porta, o Seth nem entrou.
─  Vamos embora!─ disse nervoso, as mãos tremendo, só então eu vi que ele não estava sozinho, Quill estava com ele também. Pronto! Agora só faltava o Jake saber e todo o meu bando  saberia que eu estou dando pro Embry.
Respirei fundo. 
O que é isso, Leah!? Que se foda! Eles não são seus donos. E você é a beta, mande eles se calarem! 
Aproximei-me da porta e o Embry estava esperando com cara de quem comeu e não gostou. Já deu, né? Até parece que nos atrapalharam na primeira. Só hoje nós fizemos mais sexo do que ele costumava fazer em uma semana ou mais com aquela “outra”.
Eu passei pela porta, a cara do Seth ao lado do meu carro era impagável. Até engraçada.
─  Você roubou o seu próprio carro?─ perguntou irritado, as mãos tremendo. 

Embry parou atrás de mim. Só o cheiro dele me acendia.
─ Cadê a sua blusa?─ Seth me perguntou, o Quill se mijando de rir.
─  Vão para o inferno, os dois. Não devo satisfações a nenhum dos dois. _ abri a porta do meu carro, Seth indignado parou na porta. Olhou acusadoramente pro Embry que riu.
─  Leah, não esquece da ronda, hoje a noite.─  Embry me avisou e o Seth em olhou.
─  Hoje não é você e o Jake?─  perguntou nervoso.
─  Não, hoje somos eu e ela.─ Embry respondeu e sorriu pra mim, safado! Queria me atazanar e ao Seth, o Quill rindo ainda.─  vamos Quill, eu te dou uma carona até em casa... ainda tenho que deixar esse carro no Jake e pegar a minha moto no Sam.─ disse rindo e eu sorri pra ele também. 
Ele era muito louco. E meu plano de manter isso escondido tinha ido por água abaixo, então que se fodesse o mundo.
Seth entrou no carro, no lado do carona, irritado. Mas o que ele iria fazer? Eu era maior de idade, vacinada, solteira. E era o beta dele. Ele tinha que me obedecer.

─  Você me fez perder a noite toda atrás do seu carro.─ ele me acusou, os olhos fervendo. ─  E tudo isso pra que? Para ficar aqui com o Embry? Logo com ele, Leah? Você sabe como ele é.─  Com certeza imaginando as piadinhas dos outros. Tão Seth!
─  Seth, olha só, eu não devo satisfações de nada pra você. E eu roubei o meu carro porque você deixou ele aberto no meio da pista. E outra, eu não te empresto mais.─ avisei e ele gemeu me olhando furioso.
─ Como é?
─  Não te empresto mais! A sua namoradinha e você que vão ficar se esfregando na floresta sem o meu carro.─  joguei na cara dele.
─  É o que você acha!
─  É o que vai acontecer!
─  Eu não tenho que te lembrar que a mim você não deve explicações, mas a mamãe sim. E ela vai gostar muito de saber que você está se enfiando não sei onde pra ficar... com o Embry, Leah! ─ ele se indignou. 
─  Você está me ameaçando?
─  Sim, e você vai me emprestar o carro de graça a partir de agora, sem nem reclamar ou então...─ sorriu maliciosamente. E eu bufei.─  Hoje a noite. Você vai estar “correndo” com o Embry, o carro fica comigo.─  não tive como negar. 
Safado. Eu não tinha pensado nisso. A minha mãe não ia entender esse meu novo relacionamento. Merda!

 Quill
 Eu fiquei em silêncio nos primeiros dois minutos de viagem, mas depois não deu.
─  Leah!?─  perguntei rindo pro Embry, ele riu também.
─  Estou surpreso também.─ pareceu visivelmente orgulhoso de si mesmo. Pilantra. Pegava todo mundo sem exceção e agora até a Leah se rendeu aos encantos.
─  Como conseguiu isso?Jogou o seu charme?
─  Nem perto disso. Ela praticamente me induziu a isso, eu nem sei como, só sei que aconteceu e agora foi.
Ele realmente estava feliz com isso. Quem não estaria? A Leah é muito bonita.  Não sei como não arrumava um namorado.
─  E você vai correr com ela?─  insinuei.
─  Com sorte ...─ ele não completou.
─  Como assim, “com sorte”? Não é óbvio?
─  Não,  Quill. Eu vou te contar uma coisa, mas você não pode repassar a informação... Ela não me quer. Ou melhor é ela quem me quer. Acho que eu não tenho muita opinião sobre isso. Ela vem e vai e eu nem sei quando eu posso ou não fazer alguma coisa. Só sei que eu tô ficando meio pirado...─ disse e cerrou os olhos. 
Ele não ia cantar a vitória, dizer que ela o adorou, nem que ele era demais, que pegava até a Leah!?
─  Beleza. Sem detalhes, sem empolgação da vitória... sem agradecer aos céus que ela não quer compromisso. Você está gostando dela?─ perguntei seriamente. Ele riu.
─  Eu com a Leah, isso é impossível.─ bufou rindo. 
─  Não foi isso que eu perguntei. Você gosta dela?
─  Cara, isso e meio improvável, a Leah é a Leah, ela é linda e gostosa, e me deixa maluco atrás dela. Mas... ela também é muito, muito quente... e eu fico doido pra estar com ela... eu gosto dela.─  assumiu.
Eu ri, esse era o Embry! A única garota que quer usar ele fisicamente e ele está apaixonado, bem feito.

Lince

Ah! Fala sério, que puta dor de cabeça é essa? Putz. Eu ainda estou com o vestido...
Levantei-me da cama e me olhei no espelho. Meu cabelo, oh! E eu tinha vagas, porém frutíferas, lembranças de ontem a noite. Que horas eram, hein?
Andei até a sala. No relógio dizia que eram cinco e vinte. Olhei do lado de fora e estava escurecendo. Legal!!! Perdi o sábado.
 Antes de decidir tomar banho, acendi um cigarro. Talvez a minha dor de cabeça passasse depois de fumar.
 Willian veio do quarto, estava vestindo um daqueles pijamas masculinos. Eu realmente não sei o que a minha irmã viu nele. Ele era totalmente feio. O Seth era tão gato e gostoso. 
Que doideira, o meu gostoso era um lobisomem. Quem ouve pensa até que eu ainda estou bêbada. Quem sabe eu esteja e sonhei aquilo tudo. Voltei pro meu quarto, ainda fumando e tirei o vestido. E a falta do meu sutiã me alertou para as memórias: Seth me pegando no colo , o pau duro e me dizendo que nós iríamos pra algum lugar. Infeliz quem roubou o carro da irmã dele e fez a gente quebrar o clima. 
Eu estou doida pra tirar o pudor do menino, ele é todo meiguinho e pirocudo. Lindo.
Tomei banho e me arrumei, tendo certeza absoluta que ele viria. Vesti um dos meus melhores conjuntos... aqueles especiais que já bem conheciam as más línguas... e que línguas. Mas estava curiosa sobre o Seth. Ele era quente, literalmente, imagina um pênis entrando em você com cinqüenta graus! Deve ser delicioso, aff! Sem contar que é grande o bichinho... meu Deus, eu vou ficar arrombada!
Não deu outra... ouvi o barulho do carro da Leah vindo de longe. Ele tinha passe livre pra esse carro? Não sei por que me deu uma taradice nesse carro... 

─  Oi, gostoso!─  cumprimentei quando ele desceu do carro e veio pra perto de mim. 
Eu não estava mais pra brincadeira agora, depois de ontem eu estava pelando e queria matar a minha seca. Puxei-o e o beijei. Ele veio feliz. Coitado. Todo apaixonado, e eu estava começando a achar que podia gostar dele também. Afinal ele era muito gente boa, lindo, gostoso e pirocudo.
─  Bom, vejo que não desistiu de mim...─  tentou sorridente.
─  Não ... e vejo que eu sonhei com a desculpa esfarrapada de terem roubado o carro da sua irmã.
─  Longa história.─ disse e fechou a cara, resolvi nem perguntar pra não estragar o ânimo dele.
Passei os braços no seu pescoço e ouvi a porra da porta se abrindo. A Luciana era uma escrota! O que ela queria. 
─  Lince, você vai voltar que horas?
─  Não sei, quem sabe bem tarde.─  eu olhei pra cara do Seth e ele estava sem graça, todo gostoso com aquela carinha de safado tímido, mas era só botar pressão que o menino virava homem. E eu estava doida pra assistir a isso por completo.
─  OK! ─ ela disse e entrou. Pra que veio perturbar? Eu voltei pra onde estava e o beijei novamente. A língua dele era tão quente! E os braços fortes dele me apertando me deixavam bem acesa. Eu ficava querendona master com ele, mais que com outra pessoa... 
o Seth tinha esse talento. Eu sabia que seria muito bom dar pra ele todo o meu amor. Mesmo ele sendo virgem. 
Nós entramos no carro da Leah e eu vi a minha jaqueta e o meu sutiã. Que estavam no banco de trás.
─  Passei na floresta e peguei.─ disse sorrindo. Eu olhei pra cara dele.
─  E estava com um cheiro bom?─ Debochei. Ele ficava me cheirando toda hora, eu adorava isso.
─  Muito.─ ficou sem graça. Eu ri dele. 
─ Para onde estamos indo?
─  Não sei.─ assumiu envergonhado e parou o carro.
─  Onde você quer me levar?
─  Onde você quer ir?─ ele tinha essa mania de mandar eu decidir. 
Eu queria ouvir ele falar. Gostava quando ele ficava me olhando desse jeito, mas eu queria ouvir também, amava ouvir todo o tipo de safadezas.
─  Seth, hoje você é quem escolhe, eu sou toda sua, pode pedir o que quiser.─ ele puxou o ar pela boca me olhando brevemente 
─  Ok! Então a gente vai lá pra casa. Leah vai correr com o Embry...─ Ele rosnou?─  e a minha mãe foi no Charlie.─ disse normalmente. 
Engraçado, ele com ciúmes da Leah e não da mãe.
─  Por que te incomoda a Leah e não a sua mãe?
─  O quê?─ ele me olhou confuso.
─  A sua mãe foi na casa do Charlie.. ele mora sozinho?─  fez uma cara de nojo.
─  A minha mãe foi fazer  comida pra ele.
─  Fazer comida? É outro nome pra dar uma galada?─  perguntei rindo e ele gemeu em desespero e nojo, as mãos tremeram, não de um jeito que era de medo ou vergonha, era de raiva.─  Seth, calma. 
Ele se acalmou. Eu o beijei novamente. Cara, ele ficava muito gatinho quando fazia essa cara de lobo mau. Tinha uma cara de marginal perigoso, que era tão contraditória com o jeito dele. Eu me pus no seu colo novamente e o beijei. Seth era tão gentil eu estava ficando apaixonada de verdade. Mas o negócio estava lá, animado.
─  Nós vamos pra sua casa ou não?
─  Vamos!
 Sentei comportada no banco do carona, deixando ele dirigir...


              Seth
Era hoje! Ela estava toda se querendo pra cima de mim e eu estava desconfiado de que tinha mais que sexo ai. E mesmo que fosse só sexo ainda, eu não estava me importando. 
Olhei pra cara dela sorrindo, imaginando ela gemendo pra mim e os seios lindos dela na minha boca.  Hoje ela estava sóbria e manteria assim. Mas eu resolvi perguntar aquela pergunta que não devia ser feita.
─  Lince, com quantos caras você já fez sexo?
─  Bom, com caras só dois.
─  Caras? Por que, existe outra opção?─  ri, ela deu de ombros.
─  Bom , eu tive uma namorada e umas amigas coloridas.─  freei urgente.
─  Você fez sexo com garotas?─ estava surpreso? Acho que não, era a Lince!
─  Um pouco.
MEU DEUS, POR QUE TU ÉS TÃO BOM COMIGO?! OBRIGADO, SENHOR!
─ Você gosta disso?─  eu estava me roendo por dentro em imaginar ela com mais uma garota.
 Eu não queria a garota, só ela. Mas mesmo assim era lindo imaginar.
─  Gosto, mas eu prefiro homens.  Com meninas a gente brinca, mas com os caras é que é bom!
─  OK!─ meu pau já estava muito duro dentro da calça.


                 Lince
Ele ficou todo se querendo quando eu falei que gostava de dar uns pegas numas garotas. Aposto como se imaginou num ménage... eu podia fazer isso, se caíssemos na rotina.
─  Por que está tão interessado, gostaria de um ménage?─  perguntei, ele suspirou e me olhou com tesão, eu podia ver em seus olhos...
─  Não acho que aproveitaria um ménage com se deve agora... 
Lembrei. Claro o negócio da impressão... ele não conseguiria mais ficar galudão com ninguém. Eu podia imaginar ele lá comigo e mais uma e ele só conseguindo meter comigo e a outra só olhando. Ou não, eu podia muito bem ajudar a coitadinha, desde que ela tivesse peitões. E quem sabe isso até não seria divertido?
─  Eu poderia aproveitar por você.─ garanti e ele suspirou novamente.
─  Lince, deixa pra me dizer isso quando eu não estiver dirigindo.─ pediu e eu sorri pra ele.
─  Por quê?
─  Você está me desconcentrando, com essas ideias.─ suspirou de novo. Eu podia ver o membro dele se eriçando dentro da calça. Tive uma idéia.

Seth
 Eu não entendi o que ela queria, até que ela meteu a mão no meu pau enquanto eu dirigia. E ficou beijando meu pescoço. Até que eu percebi, ela estava abaixando a cabeça. E eu senti a boca dela no meu membro durão. 
E, meu Deus, eu fui no céu. Ela lambeu a cabeça, depois ele todo. Abocanhou o fulano e eu tive que me concentrar em frear, quando nós chegamos na frente da minha casa. 
Eu estava gemendo pra ela como o virgem que era. e ela Ela era a melhor garota do mundo. Com certeza.

Lince
Ele estava gemendo tão gostoso que eu estava quase tirando a roupa e sentando em cima dele. 
─  Lince...─ ele chamava.
Segurou a minha cabeça me guiando do jeito que ele queria que eu fizesse. Gemia e se torcia e eu chupava mais forte. Ele estava aproveitando muito. E eu também. Eu tinha que assumir que amava pagar um boquete! 
Quando uma batida na janela me fez pular. Era o amigo dele. Quill! Affe! Na melhor parte!


Notas Finais


Nem demorei! Kkkk
Meninas, eu simplesmente amoooo a Lince! Ela vai aparecer mais vezes. Haha
No próximo tem a hot do Seth, prometo!
O que vocês estão achando do Embry apaixonadinho?
Um beijo pra essas lindas que comentaram: N., Bina, Miss, Sam e May, suas lindas deliciosas! Haha
Tô alcoolizada! Perdoem!
Um beijo e não me abandonem! Haha!
Aguy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...