História Wolf's Soul - Frerard. - Capítulo 45


Escrita por: ~

Postado
Categorias Frank Iero, Gerard Way, My Chemical Romance
Personagens Frank Iero, Gerard Way, Mikey Way, Ray Toro
Tags Frank Iero, Frerard, Gerard Way, Lobos, Mikey Way, My Chemical Romance, Ray Toro, Raykey, Romance
Visualizações 64
Palavras 1.174
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OE
COMENTÁRIOS ESTÃO SENDO RESPONDIDOS, OBRIGADA PELAS MENSAGENS DE APOIOO, VOCES SAO A MINHA LIFEEEEE S2S2S2
Vamos conversar...
Se a tia tá q nem doida procurando um tio pra vcs??? NÃÃÃO, IMAGINAA!!!
AI AI... eu achei unzinho aí... mas eu n tenho coragem de falar com ele :p um dia eu falo, calma

gente, meu novo professor de geografia, de costas, me lembra o Frank.
JESUS, EU VEJO FRANK EM TUDO, ALGUÉM ME AJUDA.

E SOBRE ESSE CAAP, TÁ POLEEEMICO, chega de guerras, né? OU NÃO.
ops
Bezos
Boa leitura!

Capítulo 45 - Welcome to family


O quê!?

Levantei a cabeça e na calçada, tinha uma caixa. Gerard estava louco!?

Corri até lá ouvindo um barulho, mas não era de um bebê... antes de chegar, a caixa caiu e abriu, de dentro dela, saiu uma pequena bola de pelos, preto e branco. Fiquei imóvel com o queixo caído.

Era um filhote de cachorro!

Um pequeno Border Collie. Me ajoelhei, ele parecia assustado, dei dois tapinhas nas minhas coxas e ele veio correndo, saltou em cima de mim e me derrubou no gramado, me encheu de lambidas e pequenos arranhões, enquanto eu apenas ria e tentava controlar o pequeno. Consegui pega-lo no colo, coloquei seu rostinho bem perto do meu, virei-me para casa e vi Gerard encostado na porta de casa, um pequeno sorriso bobo brincando em seus lábios. Ele começou a andar na minha direção e o filhote estava ficando agitado no meu colo, o coloquei no chão e ele correu até meu noivo, que o pegou no colo e se aproximou de mim.

—Está aí a razão do porque eu ficar preso no escritório o dia todo. — Ele disse me entregando o filhote, o segurei e passei a acariciar sua cabecinha. —Fiquei pesquisando uma raça de cachorro, eu estava em dúvida e fui até um canil da cidade, mas só de bater o olho nessa coisinha, eu sabia que você iria adorar, então eu o adotei. Eu não, nós. Parabéns! Agora você é papai de mais um cachorro, amor! — Tive de rir, ele estava certo.

—Gerard, eu nem sei o que dizer. Obrigado, amor. — Selei nossos lábios e ouvi um barulho estranho, olhei para o filhote e eles nos encarava. —Ai que ciumento. — Coloquei-o na altura do meu nariz e falei com uma voz bem aguda, ele apenas me lambeu. —Qual o nome dele?

—Eu o chamo de peludo rabugento, mas escolha um melhor que esse. — Acariciou a cabecinha do animal.

—Como pode chamar uma coisa tão fofa dessas de peludo rabugento? — Franzi o cenho.

—Ele cagou a casa toda enquanto você estava fora, come dois potes de ração em cada refeição e quer atenção o tempo todo. Ele é pior que você, amor. — Riu baixinho.

—Por acaso eu ‘cago pela casa, Gerard? — Lancei um olhar mortal.

—Não, mas come dois pratos de comida em cada refeição, e quase morre por atenção. Vocês dois se combinam! — Deixou um beijo na minha testa. Virei os olhos.

—Ele vai se chamar... — Eu iria dizer um nome, até olhar se súbito para o céu, e foi aí que o melhor nome surgiu. —Bob. — Meu fiel amigo, que nunca me abandonou quando eu precisei. Seria agora, o meu filho peludo.

—Gostei, melhor que peludo rabugento. — Sorri para meu noivo. —Vamos entrar, já está ficando escuro. — Ele pegou a caixa e passamos a andar para dentro de casa, Gerard me guiava, já que eu dava total atenção para o meu novo filho.

Ao entrarmos em casa, deixei Bob no chão, o cãozinho passou a correr e tropeçar nos próprios pés, tão meigo.

—Ele gostou de você, bom, mais do que de mim. — Meu noivo disse ao meu lado.

—É só você ser carinhoso com ele, Border Collie é uma raça inteligente e esperta. — Me puxou para trocarmos um beijo carinhoso. Senti Gerard morder com força o meu lábio e andar para trás.

—Aí! — Ele exclamou.

—Gerard, você me mordeu!

—O Bob me mordeu! — Olhei para o chão e o vi brincar com o cadarço do meu tênis. —Esses dentes parecem agulhas! Viu? Ele gosta mais de você.

—Não seja exagerado, Gerard. Ele é um filhote, e seu filho. — O peguei no colo.

—Você é bem ciumento, hein? Aí! — Gerard colocou o dedo perto da boca de Bob, que aproveitou para morde-lo.

—Pare de provoca-lo, Gerard, vai deixa-lo estressado, e isso não é bom para um filhote. — Saí do hall, indo para a cozinha, com Bob no colo.

—Ótimo, meu noivo me trocou pelo cachorro! — Ouvi Gerard resmungar do hall. Coloquei Bob no chão e lavei minhas mãos, para fazer o jantar.

-x-

À noite, Gerard e eu estávamos conversando na cama, enquanto trocávamos carícias.

—Frank... — Murmurei um “Hmm?” —Nós deveríamos de começar a ver as coisas do casamento, não acha?

—Sim, mas não agora, Gee. — Como estava por cima dele, passei a descer os selos e mordidas pelo seu corpo, retirei sua camiseta e comecei a investir no seu peitoral.

—Frankie... — Arfou.

—Que foi? — Continuei descendo.

—Ai meu Deus. — Dei uma leve risada pelo seu comentário.

Assim que cheguei no cós da sua calça, a abaixei bem devagar, junto da peça íntima. Sem hesitar, abocanhei o membro do meu noivo de uma vez, fazendo-o gemer alto.

—Frankie, você tem uma boca dos céus! — Disse num suspiro enquanto eu começava a fazer uma leve sucção, sabendo que Gerard não aguentaria por muito tempo, parei com o que estava fazendo e me sentei na cama. Retirei minha camiseta e olhei com cara de inocente para meu noivo. —Só de te olhar desse jeito, está me fazendo ficar mais duro ainda.

—Como assim, Daddy? — Passei a descer minha mão pelo meu corpo.

—Tire a calça e sente aqui, eu te mostro. — Fiz o que ele pediu, ficando nu. Engatinhei até ele e me sentei bem devagar em cima do seu membro. —Agora, é só subir e descer. Bem devagar. — Atendi ao seu pedido. Cavalgando em seu membro, bem devagar. —Agora, mais rápido. — Comecei a arfar e gemer baixinho enquanto atendia aos seus pedidos.

A cama se mexia conforme os movimentos, o suor escorria pelos corpos, o ar ficava pesado e quente, senti que estava chegando, deitei minha cabeça para trás enquanto continuava com os movimentos.

—Daddy, e-eu... Ah! — Me libertei no tórax do meu noivo. Ele chegou no mesmo momento que eu. Saí de cima dele e me joguei ao seu lado.

—Gostei de Daddy. Vamos pro banho. — Ele disse e eu sorri, entramos no banheiro e passamos a nos banhar.

-x-

Assim que estávamos prontos para deitar, um trovão. Uma tempestade estava vindo. Com o estalo, saltei no colo de Gerard e choraminguei.

—Hey, calma, eu ‘tô aqui, shh. — Desci e ouvi um choro junto de arranhões na porta. Andei até ela e a abri, Bob se deitou nos meus pés, com medo dos relâmpagos. —Acho que você não é o único aqui com medo, amor. — Concordei e o peguei no colo.

—Você está com medo, meu amorzinho? — Outro relâmpago, dois choros, meu e do meu filho.

—Vem deitar, Frank. — Andei até a cama com Bob e me deitei, coloquei-o em meus pés, por cima do edredom. Enquanto me abraçava com Gerard, para poder dormir. E, assim que fechei os olhos. Senti algo bem peludo e macio no meu queixo. Abri meus olhos e vi que era Bob. —Bob, vai lá em baixo. — Gerard o colocou delicadamente para baixo, mas ele voltou e se esparramou em mim. —Bob, eu também quero o Frank, dá licença. — Isso só fez com que o cãozinho quase deitasse na minha cara.

—Deixa ele aqui, Gee. — Falei abraçando Bob e Gerard.


Notas Finais


CAP
FOFÍNEO DE CATIORÍNEO
GOSTARAM?
DIGAM OLÁ, novamente, AO BOB!
Sei q a morte foi dura e paah, mas olha ai que BUNITINHU
meu Deus, oq eu to fazendo da minha vida?
Enfim, agradeço comentários and...
SENHOR IERO, VOLTE QUERIDO, A ESCOLA PODE ESPERAR, NOSSO AMOR NÃO!
Tá, parei, chega, sosseeeeeega tiaaaaa
Sobre as pessoinhas q vem falar cmg por wpp/fb
AMO VCS
E AH, GHOST TMB TÁ? SEI Q TÁ CHEIO DE FANTASMINHAS POR AQUI, E EU AMO FANTASMAS, BEIJOS, AMO TODO MUNDO <3
até quartaaasz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...