História Wolves - Kaisoo - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, F(x), Hyorin, Jay Park, Seventeen, SHINee
Personagens Amber Liu, Baekhyun, Boo Seungkwan, Chanyeol, Chen, D.O, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Hyoryn, Jang Doyoon, Jay Park, Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jeon Wonwoo, Jinki Lee (Onew), Jisoo, Jonghyun Kim, Jung Hoseok (J-Hope), Junghan "Jeonghan", Kai, KiBum "Key" Kim, Kim Mingyu, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kris Wu, Krystal Jung, Lay, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Lisa, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Minho Choi, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Sehun, Seungcheol "S.Coups", Shin Dongjin, Soonyoung "Hoshi", Suho, Sulli Choi, Taemin Lee, Tao, Wen Junhui "JUN", Xiumin, Xu Ming Hao "THE8", Yao MingMing
Tags 2min, Caçadores, Ceifeiros, Chanbaek, Feiticeiros, Jenlisa, Jeongcheol, Jikook, Kaisoo, Krisber, Lobos, Mençãokyungsoo!kids, Namjin, Seho, Taegi, Taeyoonseok, Vampiros, Vhope, Vkook, Xiuhan, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 218
Palavras 1.378
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Fluffy, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Slash, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, pessoal! Como vão?
Demorei muito mais do que o necessário dessa vez, mas trouxe atualização dupla. O mínimo que eu poderia fazer. Peço perdão por não poder oferecer mais!

Sobre a fic, terão sim algumas quebras de tempo, mas eu preciso encaixar os personagens direitinho para não ficar confuso depois, entendem? Estou até pensando em fazê-la como "longfic".

Espero que gostem!
Desculpem os erros.
Boa Leitura ❤

Capítulo 3 - Capítulo 03


Kyungsoo mantinha os olhos fechados fortemente, enquanto sentia o vento bater contra o seu rosto e se agarrava ainda mais ao corpo do vampiro. Sentia-se como se estivesse voando e, apesar de ser uma agradável sensação, era terrivelmente enjoativo.

Jongin o apertava em seus braços, o escondendo entre os mesmos e tendo certeza de que nunca mais o tiraria dali. Faltavam poucos quilômetros para chegar em sua casa, mas ainda não estavam em seu território. E isso o deixava apreensivo.

Os outros dois vampiros vinham atrás de si, atentos a cada mínimo movimento ou som; observando a mata ao redor, enquanto procuravam por algo que os quisessem fazer mal. Estavam na floresta das feiticeiras e sabiam o quanto elas eram traiçoeiras.

Jongin estava há alguns passos na frente deles e tudo o que queria era chegar logo em casa. Não se perdoaria, caso acontecesse algo com o seu pequeno e torcia para que os males que rondavam aquela floresta, os deixassem passar novamente.


                             ∞


Observando o céu e as folhas secas caírem das árvores, um jovem caçador procurava por respostas que o fizessem entender o motivo de seu pai ter matado o seu único amigo.

Lembrava-se de tê-lo visto implorar por ajuda, mas nada fizera para salvá-lo. A culpa o consumia e a tristeza o inundava. Seungcheol se odiava por ser tão covarde.

Respirou profundamente, sentindo um cheiro familiar e sabendo que era o seu pai quem se aproximava. Revirou os olhos, não tendo paciência alguma para conversar no momento.

– Filho? Que bom que achei você. Nós temos que ir. – o jovem olhou de forma confusa para o mais velho, que tinha uma expressão amedrontada no rosto, junto da respiração ofegante e o tom desesperado.

– O que está acontecendo? – Seungcheol perguntou, se levantando e começando a correr junto com o pai.

– Aquela aberração que matei era filho de uma das feiticeiras do sul. E ela está vindo atrás de nós. – o mais novo arregalou os olhos, sentindo-se temeroso. Não sabia o que deveria fazer, caso houvesse combate. Seu treinamento ainda estava nos primeiros meses, mas ele sentia que não sabia de nada. 

– Ótimo. Esse é o preço a se pagar por ser quem é. – seu tom de voz era amargo e sua expressão debochada. O mais velho pensou em parar para repreendê-lo, mas não tinha tempo e sabia que o filho estava guardando rancor.

Em meio aos passos apressados, uma fumaça negra se formou em volta deles, fazendo-os parar de imediato e se colocarem em posição de ataque.

O som horrendo de uma risada maléfica se foi ouvido e a negridão tomou forma. Uma mulher elegante, vestida em trajes tão mortos quanto os seus olhos, estava em frente à ambos, os observando e esperando qualquer movimento brusco vindo dos mesmos.

Seungcheol engoliu em seco, nunca havia visto uma feiticeira de perto e apesar de estar com medo, estava extremamente fascinado pela figura da desconhecida. A mesma sorriu maldosa, achando interessante a reação que causara em um dos caçadores, justo aquele qual ouvira ter sido amigo de seu filho.

– Aonde pensam que estão indo?


                            ∞


Minho não parava quieto um minuto sequer. Estava preso na biblioteca novamente e lutava para não chorar. Sua casa era a mesma, só que agora estava sem vida. Sem o seu pequeno filho, tudo havia se tornado vazia e silencioso. Estava se afogando em suas dores.

– Minho? Vamos, saia daí! Temos que conversar.

A voz de Luhan se foi ouvida e o mesmo estava preocupado com a ausência do irmão. Era como se apenas o corpo dele estivesse presente, mas a mente em um outro universo. 

Minho não o respondeu, mas, ao invés disso, caminhou em direção à grande janela de vidro que havia ali e a pulou. Ao que os pés tocaram o chão, se pôs a correr em direção a floresta. E em momento algum, fizera menção de trazer a sua fera interior para fora.

Sem que tivesse um destino para seguir, Minho apenas deixou com que os seus passos o levassem para qualquer lugar que o fizesse conseguir acalmar o seu coração e o seu lobo.

****

Após percorrer alguns quilômetros, Minho finalmente parou ao se ver distante o suficiente de sua matilha. Respirou profundamente, antes de finalmente se permitir desabar.

Apoiou o corpo sobre uma árvore e se sentou debaixo da mesma. Usou os joelhos para esconder a sua face e as suas lágrimas que escorriam sem cessar. Parecia tão frágil naquele momento, tão indefeso e desatento, que nem percebeu a presença de um certo alguém que o observava de longe, escondido entre os arbustos, mas com uma vontade enorme de se aproximar.


                            ∞


– Eles estão chegando, senhor. Posso vê-los se aproximando. – na sala daquela enorme mansão, Mingyu se reunia com seus irmãos, a espera de seu filho.

Queriam causar uma boa primeira impressão ao lobo, pois ninguém ali queria arrumar problemas com o filho do líder. Jongin podia ser uma vampiro novo, mas a sua força e habilidade ultrapassaram a sabedoria dos vampiros mais velhos, que não tinham chance em um combate corpo a corpo.

– Ótimo. Mantenham os modos, senhores, sejam bonzinhos com o meu… Genro. – Mingyu debochou e os demais riram, sentindo a ironia em seu tom de voz.

Apenas Junmyeon que não se prestou àquele papel. Não estava disposto a fingir simpatia para com o sarnento, mas iria seguir as ordens de seu líder, afinal, caso as coisas dessem errado no futuro, teria alguém para culpar.


                           ∞


Jongin parou de correr e deixou com que os seus passos se tornassem lentos, assim que se viu em frente a sua casa. Suspirou aliviado, agradecendo aos céus por tê-los permitido chegar sã e salvos.

Kyungsoo sentiu a brisa mais serena e calma, mas ainda assim não se soltou do mais velho. Pelo contrário, apenas o abraçou forte e escondeu o rosto na curvatura de seu pescoço, assim que avistou alguns desconhecidos o olhando.

– Eu estou aqui… – Jongin o apertou em seus braços e sussurrou apenas para que ele escutasse. O menor balançou a cabeça em concordância, sentindo-se protegido.

Kyungsoo não sabia o motivo, mas a presença do vampiro o trazia paz e o fazia sentir como se nenhum mal pudesse alcançá-lo. Pensando um pouco mais, talvez fosse algo para se sentir temeroso, afinal, não havia pensado duas vezes antes de deixar a sua família, apenas para poder vim com Jongin.

– Jongin, o seu pai não gosta muito de mim e eu não quero vê-lo. – Minseok se pronunciou e recebeu de imediato a atenção de Kyungsoo, que queria agradecê-lo por tê-lo feito companhia. – Ei, pequeno, não precisa ficar com medo, ok? Faça eles terem medo de você. – se aproximou e fez um breve carinho em seu cabelo, qual o fez sorrir de forma adorável.

– Obrigado por ter ido me buscar, Minseok. Espero ver você novamente. – Kyungsoo o respondeu gentilmente e um tom carinhoso podia ser sentido através de sua voz.

– Ei! E eu aqui? Não ganho nem um sorrisinho? – Jimin se manifestou indignado, mostrando estar chateado por ter sido meramente ignorado.

– Você é muito fofo, Jimin! Agradeço por ter ido me buscar também e quero vê-lo muitíssimas vezes. – brincou o mais novo e Jongin se derretia a cada mínimo gesto que ele fazia.

– Ótimo, agora acabou o drama. Saiam logo daqui! – Jongin, praticamente, os expulsou ao que começou a se sentir deixado de lado.

Os mesmos gargalharam, na medida em que se afastaram, até que não pudessem mais serem vistos. Jongin balançou a cabeça em negação e pôde sentir o olhar do menor sobre si, o que o deixou terrivelmente acanhado.

– Você pode me colocar no chão agora? – Kyungsoo o perguntou e o outro arregalou os olhos, antes de atender o seu pedido. Ao ter os pés no chão, ajeitou as suas roupas e olhou encantado para a enorme mansão em sua frente, vendo que alguns o olhavam, mas conseguindo ignorá-los, apenas para que pudesse admirar o seu novo lar. – Nossa… A sua casa é linda, Jongin! – exclamou sorridente e o olhou com os seus olhos brilhantes.

Você é mais...” fora o que o mais velho queria ter o dito, mas, ao invés disso, apenas sorriu para ele e o ofereceu uma de suas mãos. Kyungsoo, timidamente, ergueu sua pequena mão e a encaixou na do mais velho, abaixando a cabeça rapidamente e sorrindo contido.

– Vamos conhecer a minha família. E, então, você me dirá se a minha casa continuará sendo linda.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! A criatividade faltou um pouco, mas estou feliz com ambos os resultados. ^-^
Até mais! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...