1. Spirit Fanfics >
  2. Wolves of the Sea >
  3. O titã de cem tentáculos.

História Wolves of the Sea - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Hey yo, marujos! ~~ essa é a primeira fic que eu escrevo após um LONGO tempo, então peço perdão por possíveis erros ou qualquer coisa do tipo, espero que vocês gostem!

Capítulo 1 - O titã de cem tentáculos.


"Quando você olha muito tempo para um abismo, o abismo olha para você de volta."

—  Friedrich Nietzsche.

Yeonjun herdou muitas coisas vindas do pai após a morte do mesmo, entre elas poderia citar: ouro, um navio de duzentas toneladas, o seu fiel amigo papagaio Jack e até mesmo a espada que utilizava nas mais perigosas guerras contra monstros ou nas caças aos tesouros. Todos muito importantes em sua vida, claro. Contudo, nada se comparava com as frases marcantes que sempre saíam da boca do homem mais velho, enriquecendo-o além de bens materiais — e vivos como o papagaio. O senhor Choi lembrava sempre ao filho que eram apenas como uma pequena gota no oceano, o pequeno apenas concordava enquanto escutava as frases, apesar de nunca conseguir compreender nada, como poderiam ser uma gota? Não eram seres humanos? Não fazia sentido. Agora, com vinte e dois anos de idade, conseguia entender o que seu capitão queria dizer. O oceano além de imenso, era o lar de criaturas muito maiores em comparação ao Queen Anne’s Revenge, seu navio, o mais temido dos sete mares. 

 — Capitão! Estamos perdidos, você precisa fazer alguma coisa! — gritou Soobin em meio aos barulhos causados pelos canhões e o som monstruoso da lula gigante que os atacava.

O animal devia ser do tamanho de uma ilha e tinha cerca de cem tentáculos monstruosos, alguns batendo no chão do navio, fazendo com que os marujos entrassem em desespero, mas não paravam em momento algum de disparar os canhões em direção ao monstro. O problema, é que encontravam-se cercados por oito de seus tentáculos, estes conseguiram cercar todos os lados de seu amado Queen Anne’s. 

Havia crescido no oceano, assim como seu melhor amigo, Soobin. Ambos escutaram muitas histórias sobre o Kraken e como ele habitava as mais profundas águas do Mar da Noruega, o que separa a Islândia das terras escandinavas, mesmo assim migrava por todo o Atlântico Norte. Essas criaturas sempre atacam navios piratas, muitos foram afundados e jamais encontrados. Yeonjun sempre temeu tal espécie de lula, mas não esperava tal encontro, afinal, o animal deveria ficar no oceano Atlântico do norte, certo? Errado! Estavam na porra do Ártico e sendo atacados por essa aberração da natureza. Localizar-se no meio do oceano não ajudava nem um pouco, o Kraken é uma besta que emerge das profundezas do oceano e, como tal, é lógico encontrá-lo em pleno alto-mar. Ele dorme por incontáveis eras, apenas aguardando por algum sinal ou chamado. Mortais terrestres que navegam em mar aberto esquecem as razões pelas quais seus ancestrais temiam o oceano e infelizmente, sua tripulação foi idiota o suficiente para esquecer a existência de criaturas tão perigosas.

“Pensa, pensa, pensa rápido. Você já enfrentou outros monstros, consegue fazer isso novamente!” repetia para si mesmo em sua cabeça à medida que observava atentamente toda a situação. 

— Marujos! — gritou o mais alto possível. — Vamos soltar todos os quarenta canhões ao mesmo tempo, não percam o foco! É preciso focar na cabeça dos “braços” dele. 

Pode ver alguns dos tripulantes concordarem e saiu correndo em direção aos seus aposentos. Por alguns segundos, até se divertiu ao imaginar as feições indignadas nos rostos de seus amigos ao ver o capitão “fugindo”. Yeonjun pegou seu cutelo e voltou para enfrentar o monstro, agora mais abatido do que antes. No momento em que um dos tentáculos acertou o meio do navio, Choi pulou em sua direção e o cortou com seu cutelo. Lembrava-se do pai dizendo que Pode não parecer óbvio no início, mas o ponto fraco do Kraken é, na verdade, a cabeça de cada um dos tentáculos. Se conseguir acertar com sucesso na cabeça de um tentáculo, causará muito mais dano do que atacando o corpo ou qualquer canto dos tentáculos. 

Quando achou que não tinha como a situação piorar, notou o céu ficar escuro como nunca antes. Não demorou muito até que as gotas d'água do céu começassem a cair descontroladamente, o mar espumante estava muito perigoso. Todos no navio se seguravam firmemente em algo, torcendo para não cair ou ser levado pelo titã. O monstro que enfrentavam era capaz de alterar o clima de acordo com suas emoções. Os moradores da vila diziam que quando a chuva surgia após uma seca ou quando o Sol resolvia brilhar, era o titã contente em não ver ninguém estragando seu lar ou roubando os seus tesouros. Esse era um dos motivos pelo qual Yeonjun e sua tripulação eram tão julgados quando voltavam para casa, todos odiavam piratas.

Felizmente, agora o monstro apresentava-se altamente ferido, não demoraria muito até fosse derrotado por completo. Enquanto se preparava para atirar no último tentáculo em seu campo de visão, ouviu um grito de pânico e notou um de seus companheiros nas "garras" do animal. Taehyung era balançado de um lado para o outro no ar, e o pior, não estava com qualquer tipo de arma em mãos. Tudo bem, o capitão Choi sabia que entrar em pânico seria a pior coisa para se fazer em momentos como aqueles. Portanto, respirou fundo, se concentrou o suficiente para o amigo não ser atingido pela bala e finalmente atirou. Tudo ocorreu muito rápido, a lula gigante produziu um som dolorido e soltou Taehyung no oceano, voltando para o fundo do oceano logo em seguida. 

Os homens dentro do navio gritaram o nome de Kim em uníssono, foram desesperados para a borda da embarcação, inclusivamente os que encontravam-se feridos. A preocupação com o amigo era maior que qualquer dor que pudessem sentir. Os olhos arregalados, os dedos inquietos e os batimentos acelerados dos corações entregavam isto. 

A água do mar possuía um tom escuro, isso impedia-os de enxergar com clareza. 

— Capitão... perdemos mais um? — questionou uma voz chorosa, pertencente a Hyunjun, um dos mais novos da equipe. 

O silêncio se fez presente com a frase. 

Então, eles puderam ver o rosto do homem na superfície. 

— Capitão! — Taehyung gritou, nadando em direção ao barco. 

— Taehyung!

Yeonjun e alguns homens foram correndo ajudar socorrer o mais velho. Puxaram-o para dentro e prontamente enrolaram-lhe em uma toalha, que sinceramente, nem sabia como havia surgido ali, mas era aliviante. Kim necessitava se aquecer e colocar curativos em seus machucados — assim como metade da equipe dos doze homens.

--xx--xx--xx--

O Sol brilhava novamente no céu, fazia uma hora desde o acontecimento e a tripulação estava ocupada. Alguns homens focavam em seus curativos, outros em consertar os estragos feitos no tão amado navio. Haviam se conduzido para um lugar mais distante, ninguém desejava permanecer no meio do oceano e enfrentar outro titã enfurecido. 

O capitão Choi buscava por mais suplementos em seus aposentos quando a porta se abriu, mostrando a figura de um Soobin furioso. Yeonjun não teve tempo de sorrir para o amigo, a expressão no rosto alheio era apenas preocupante. O mais velho levantou uma de suas sobrancelhas. 

— Você precisa vir ver isso. O dia de hoje acabou de piorar. 

Yeonjun o acompanhou até o restante dos marinheiros, se perguntava o que diabos podia ser ainda pior que um titã?! Porém, logo entendeu. Outro navio estava por perto, aquele pertencia a outros marinheiros e o capitão Choi Beomgyu, seu maior inimigo.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Os vejo no próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...