História Wonderland - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland)
Visualizações 18
Palavras 723
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Magia, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa se tiver ficado curto...

Capítulo 3 - Primeiro Ato - Rainha de Copas - parte 2 -



A Chapeleira encarou a garota ao seu lado e colocou sua mão sobre a mão da mesma, logo sorriu levemente:


- fica de boa, eu não vou deixar vc assim tão fácil, você não é uma diversão passageira, até por que eu sempre vou estar com você 


Ela pôde jurar que viu as bochechas de Evelin tomarem uma tonalidade avermelhada e um leve sorriso surgir na boca dela, mas antes da chapeleira dizer algo, Evelin apenas disse:


-- apenas continue a história


A chapeleira deu um pequeno sorriso e então voltou a falar...


    

                     ----------------



Apesar da felicidade que a chapeleira mostrava á todos, em seu coração tinha uma pequena pontada de tristeza.


Quando que todos as pessoas e criaturas místicas dali começaram a de afastar dela?


Ela percebeu isso quando começou a notar que poucos seres vinham nos chás que ela fazia, o gato risonho não falava mais com ela e também... Aquela garota não ia mais até sua casa a visitar.

A única companhia que tinha lá era um guaxinim e um machado com um "360" cravado no cabo de madeira. O guaxinim tinha uma aparência bem peculiar, tinha pequenos chifres semelhantes aos de um veado, olhos azuis, e em vez de ter as cores cinza ou marrom, sua pelagem tinha um tom vermelho escuro e as listras em vez de negras eram de um tom arroxeado da mesma cor das uvas maduras. 

Muitas criaturas e pessoas se afastaram da chapeleira depois de um suposto surto dela durante o jantar chique da rainha de copas, nem mesmo ela acreditou que quase matou a rainha, mas conseguiu voltar a si antes que cometesse tal ato, e também... Não teve a cabeça cortada fora pelos servos da rainha, por sorte, a rainha a amava demais pra mata-la assim, não é?



          ----------13:00 PM--------



Se olhou no espelho mais uma vez, vendo como as roupas estavam, ah sim, realmente estava bonita, do tradicional verde e outros tipos de cores, opitou por uma camisa social púrpura, um colete vermelho, calças verde-claro, sapatos pretos, uma gravata vermelha e o cabelo estava amarrado do mesmo jeito de sempre com uma fita roxa...só faltava uma coisa, achar uma cartola que combinasse com a roupa:


- droga não tem nenhuma cartola que combine?  - diz num tom desesperado enquanto revirava o armário.


Logo ela sentiu algo atingir suas costas e ao se virar pra ver o que era, viu uma cartola que era roxa com uma faixa vermelha, por algum motivo ela amou a cartola e a pegou e colocou em sua cabeça. Olhou-se no espelho e sorriu.


Estava perfeita


Pegou a cesta que estava cheia de diversos tipos de guloseimas e algumas bebidas e saiu correndo da casa em alta velocidade e sorrindo, pretendia também perguntar algo á rainha, passou pelo cogumelo da lagarta, logo parou e encarou a mesma, sorrindo:


- Bom dia senhorita!! 


-- Bom dia chapeleira  - diz, estranhando as cores das roupas, pelo que a lagarta sabia, a chapeleira não era muito fã de roupas roxas.


- Belo dia para um piquenique não? 


-- S-sim... 



 Por algum motivo a lagarta sentia algo bem ruim por trás daquele sorriso da chapeleira, quer dizer...ela estava sempre sorrindo, era até normal, mas por quê aquele sorriso costumeiro estava causando arrepios agora? Justo agora?

A garota estranhou um pouco por estar sendo observada pela lagarta daquele jeito, era como  se a lagarta tivesse medo dela e desconfiasse que ela fosse fazer algo ruim:


- está tudo bem?


-- sim...não precisa se preocupar...você tem um piquenique pra ir não é? 


- OH!! É SIM!! OBRIGADO POR AVISAR!! 


Diz antes de sair correndo em disparada, sentindo olhares um pouco assustados e sérios sobre si de cada criatura que passasse por ela, ignorou até chegar no imenso jardim do castelo da Rainha de Copas, preparou tudo lá e esperou até que viu ela se aproximar, ela vestia as roupas normais de rainha, ao encara-la, a chapeleira sentiu algo estranho dentro de si, um frio na barriga e alho que não sabia o que era.




Enquanto isso, de longe, uma certa criatura de olhos azuis observava tudo...





                   ---------------------



Evelin encarava a chapeleira com um olhar indescritível:



-- O que você ia perguntar para ela??


- s-e-g-r-e-d-o 


-- ah não você vai falar AGORA 


- am... guarda essa foice 


-- não fique de segredinhos comigo!!


- calma!! HEY ABAIXA ESSA FOICE!! CALMA LÁ, MEU PESCOÇO NÃO!! SOCOOOORRO!! 




Notas Finais


Deixei o melhor pro outro capítulo KKKKKKK

Espero que tenham gostado (desculpa mais uma vez se tiver ficado curto demais)

🐺Lobo e especiarias para todos eeee titio Wolf ama vocês🍎❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...