1. Spirit Fanfics >
  2. Wonderland >
  3. Chapter Two. Freedom

História Wonderland - Capítulo 2


Escrita por: e SailorStarly


Notas do Autor


Olá! eu não esqueci de vocês! hehehe

A demora foi porque eu tava fazendo uma nova capa de capítulo! bom, vocês gostaram?? eu adorei essa!

Novamente o capítulo foi editado, espero que gostem da forma que eu reescrevi também!

Capítulo 2 - Chapter Two. Freedom


Fanfic / Fanfiction Wonderland - Capítulo 2 - Chapter Two. Freedom

" — Não posso voltar para ontem porque lá eu era outra pessoa"

Enfiei uma folha de papel no meio da página, fechando o livro. Soltei um suspiro meio alto, mergulhado em tédio.

Faz dias que eu estou com uma enorme vontade de sair de casa, a cada segundo que passava meu pai me escondia cada vez mais, com o medo de me perder também. Eu odiava me sentir assim! mesmo que seja pela minha vida em risco, eu só queria sentir a liberdade mais uma vez! eu gostaria de sair andando sem ter medo de levar uma bala no meio do meu peito.

Olhei para a porta do quarto quando ela se abriu, sorrindo de leve ao ver meu pai com uma barra de chocolate na mão. Era a minha favorita, ele quase nunca comprava.

— Oh, meu gatinho...eu juro que isso vai acabar, ok? - Me entregou o doce e eu o olhei com um bico — amanhã eu vou te levar na rua, é uma promessa.

— Você tá doido? - Botei o chocolate na cama, cruzando os braços na altura do peito para logo olhar meu pai.

— Claro que não Baekhyun, mas se você não sair você vai enlouquecer! - Pegou meu livro e guardou onde eu sempre colocava ele.— vou tentar te levar naquela cafeteria, que tal?

Fiquei pensativo por um tempo, meio inseguro, mas acabei por concordar.

Meu pai sorriu e beijou a minha testa, abandonando o cômodo logo em seguida.

Eu sempre fui o "orgulho" de meu pai, nunca fiz nada de errado. Não falo palavrões, sempre estava tirando boas notas na escola, sempre fui muito educado, mas...eu não sei se esse orgulho irá durar tanto tempo. Mas eu não quero que ele acabe.

Já faz uns dias que eu mudei o meu olhar para o filho do vizinho, eu não consigo mais enxergar ele como um simples...vizinho. A maior questão que está rodando na minha cabeça é: Como eu vou contar isso para o meu pai?

Ele é religioso, sempre tentando seguir os caminhos de Jesus Cristo, desde pequeno ele me ensinou que o certo seria o homem e a mulher se apaixonarem, como Adão e Eva se apaixonaram, mas eu acho isso tão... injusto...

Eu não acho certo ensinar para uma criança algo errado. Não é certo falar que apenas homens e mulheres devem se amar, não é? eu... Não quero ir para o inferno que nem todos dizem, esse lugar me dá medo.

Eu só queria saber o que é viver em liberdade, sem nenhum problema que eu possa me preocupar.

✧ *¨*•.。.•*¨* ✧

Saímos um pouco antes de escurecer. A moça da cafeteria nos recepcionou com um grande sorriso no rosto, confesso, eu estava bastante animado.

Eu pedi apenas um cupcake de morango com um copo de achocolatado, já meu pai, um café simples.

Ficamos pouco menos de 20 minutos na cafeteria, já que meu pai queria que eu tomasse um pouco de sol. O lugar que escolhemos ir foi um parque perto da floresta, eu adorava ir lá com a minha mãe.

Me sentei em um dos bancos dali, sorrindo de animação. Está ventando, mas também está com um sol... deveramente bom.

Automaticamente fechei os olhos, o vento batendo em meu rosto estava extremamente gostoso, eu realmente estava precisando disso, papai estava certo.

Mas... vir para o parque foi a pior ideia que nós já tivemos em toda a nossa vida.

Hoje estava um dia de frio, mesmo com o sol, então todos estão andando por aí com suas tocas e casacos, eu não estou muito diferente.

Eu até estou estranhando por não tem nenhum policial, soldado ou qualquer outra pessoa perto desse cargo andando na rua, devem estar ocupados demais fodendo a vida das pessoas.

— pai... Vale a pena o senhor arriscar a sua vida assim por causa de mim? - me virei para ele e mordi o lábio, ultimamente eu tenho tido essa pergunta, ele parece tão preocupado comigo, isso 24 horas por dia.

— Óbvio, Baekhyun! que pergunta idiota é essa? você é meu filho, eu devo te proteger como se fosse a jóia mais preciosa desse mundo

Sorri fraco e olhei para baixo, refletindo, eu deveria ir para outro país, mas eu não sei falar nenhuma língua asiática, eu iria passar sufoco.

Meu pai quer me prender em casa, o que é o mais aconselhável para alguém nessa situação, mas eu fico insistindo pra sair, e eu estou correndo um perigo imenso por causa disso.

— papa... Eu preciso te contar algo - Me virei para o mais velho, mordendo o lábio de levinho — Eu não quero que se decepcione comigo nem nada do tipo.

— Aí meu deus, fala logo Baekhyun! - Murmurou impaciente e eu senti meus olhos arderem, com vontade de chorar. Eu não quero falar sobre isso, não quero que meu pai me ache um monstro.

 — E..eu... o senhor vai brigar comigo? - O silêncio pairou entre nós dois, o olhar preocupado dele me enchia de ansiedade, e o silêncio não ajudava em muita coisa. — pai...

— Não baekhyun, eu não vou brigar contigo. Fala logo o que é.

— Olha... Eu tô gostando de uma pessoa... Não gostando, mas, como eu posso dizer... me sentindo extremamente atraído por ela...ele... - Ele arregalou os olhos e eu me encolhi.

— E..Ele?! Baekhyun! 

Meu pai provavelmente iria continuar falando, se não fosse um barulho de galhos quebrando na nossa frente. 

Subi o olhar, meus olhos encharcados de lágrimas e entre abri a boca, me levantando.

Era um dos fardados daquele dia..

Ajeitou a arma no lugar e se aproximou de mim, o que fez eu prontamente dar passos para trás, meus joelhos dobraram por esbarrar em algo e eu caí sentado no banco de novo.

Quando ele se aproximou de novo, meu pai o impediu, o que começou uma discussão entre os dois homens. 

Eu estava aterrorizado, e então eu comecei a chorar. As lágrimas desesperadas desciam pelo meu rosto, e quando aquele cara empurrou meu pai e foi pra cima de mim de novo, eu não tive dúvidas do que fazer. Eu levantei e corri.

Os gritos dos dois homens atrás de mim me soavam ameaçadores, mesmo um deles só querendo me proteger.

Entrei em várias ruas desconhecidas, até que quando eu me senti sem saída, entrei em uma floresta.

Minha vista estava sem foco, eu não conseguia energar nada além das grandes árvores atrás de mim, um barulho estrondoso ecoou pela floresta, e todas as aves do local fugiram. 

Um tiro. 

Eu senti quando eu caí, mas depois disso, eu não senti dor como eu esperava, eu senti que continuava caindo, como se fosse um buraco sem fim. 

Eu estou morto? que porra está acontecendo?!


Notas Finais


Gostaram? hihihi.

Mais uma novidade para os antigos leitores (das fanfics de 2017). Eu irei voltar com our moon! Não sei se vou postar no wattpad também, mas caso eu poste eu aviso aqui! eu estou sinceramente bem animada para voltar a reescrever minha primeira fanfic de got7, ela já tem capa, sinopse, tudo!

bom, é isso! nos vemos da qui a dois dias :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...