1. Spirit Fanfics >
  2. Wonderland ;; Taekook >
  3. 01 ;; The beginning of the walk.

História Wonderland ;; Taekook - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - 01 ;; The beginning of the walk.


Fanfic / Fanfiction Wonderland ;; Taekook - Capítulo 2 - 01 ;; The beginning of the walk.

Já se fazia dois anos que a sua querida mãe se fora, mas a dor e a saudade continuavam presente em seu peito, não saberá se era por está tanto tempo sozinho naquele barco e sua mente só ter mais nada a pensar do que toda a sua vida ou a grande falta que sentia em está em terra firme a tanto tempo. Sentia falta de absolutamente tudo, mãe, pai, irmãos, amigos, tudo.

    Olha sua bússola com impaciência, nunca demorou tanto a chegar em um destino, principalmente navegando pelos mares do oceano atlântico, desde que tinha se formado em biologia e se dedicado a área marinha, o mar nunca se tornou tão próximo de si, porém aquele dia se encontrava tão diferente e incômodo que o deixou desconfiado. Ele iria atracar na República de Kiribati, um país soberano composto por 33 ilhas aue contém atóis e recifes espalhados por uma vasta área, missão era investigar uma nova espécie de peixe, que andava chamando atenção por sua coloração intensa é formato simétrico, com boatos que até brilhará ao escuro, talvez um ser abissal que evoluirá e estava subindo para a superfície pela primeira vez.

   De qualquer forma teria que ir em busca de tal espécie, analisa-la e catálogar como nova, seria um dos marcos de sua vida, um novo animal que seria documentado por si e sua equipe. O mar estava tranquilo porém as coordenadas persistiam confusas em sua bússola e sonar, como se o norte fosse o sul, o leste fosse o oeste e vice e versa, algo que o deixou preocupado e apreensivo já que até o rádio por satélite estava fora do ar. Jungkook desligou o motor, suspirando insatisfeito por tais acontecimentos, largando o leme da embarcação e indo para o andar de baixo da mesma, logo, jogando-se em sua cama improvisada. ─ O que deu em você hoje, Jeon? Até parece um marinheiro de primeira viagem, pare de ser tolo. ─  gruniu se enrolando em suas cobertas, começando a choramingar, tinha horas que aquela solidão pesava sobre si e ainda mais quando a pressão exercida era enorme.

   Lágrimas pesadas começavam a escorrer por suas bochechas, e sua respiração começava a se igualar a pressão; visivelmente nervoso se sentou a cama, puxando seu pequeno e surrado caderninho, lá guardava uma foto em família: Sua mãe, pai, seus dois irmãos em seu braços, como aquela fotográfica o deixou fraco e indefeso naquele momento, logo aquilo que estampava o que o fazia ser forte. Folheou o caderno, observando os recados de motivação que todos tinham escrito para si no dia da formatura, vendo desenhos que os mais novos tinham feito e coisas aleatórias que tinha escrito até uma folha cairá em seu colo.

   Era uma folha bem dobrada e muito antiga, estava aparecendo meio rasgada, decidindo a desdobrar com todo cuidado para não a danificar. Analisou cada dobra que era aberta e o que encontrou conseguiu o arrancar um grande sorriso mesmo se encontrando em um momento tão triste, dedilhou os pequenos garranchos que chamava de letra e riu. ─ País das maravilhas... a quanto tempo eu me desiludi sobre encontra o lugar perfeito... ─ um suspiro pesado foi solto, e o desenho foi jogado para longe. ─ Idiota como sempre em, até país eu tentava inventar!

   Zombou de si mesmo, rindo desacreditado, um riso meio choroso, como a mesma pitada de saudades porém agora do passado. Quase ia cair em prantos novamente, mas decidiu se agasalhar novamente nas cobertas e assim tirar um leve cochilo, sempre fazia assim quando se via emocionalmente instável e sendo sua opinião própria era algo bem útil e trazia resultados já que sempre se encontrava em casa em seus sonhos.

   O sonho era o mesmo de quando sempre sentia saudades do lar, estava no colo de sua mãe, assistindo televisão e sentindo seu irmão mais novo chutando seus pés enquanto o mais velho estavam comendo sorvete e biscoitos, mas acabou sendo interrompido completamente por um estrondoso barulho. No Kook levantou com rapidez do colo da mãe, assustado e com o balançar do barco frenético na vida real, seu sonho se esvaiu de imediato assim como a paciência do rapaz por ter batido a cabeça ao teto baixo do local em que dormia. ─ Cacete! Que merda está acontecendo?? ─ Sua delicadeza foi exposta com tão poucas palavras, mesmo com a mão ao rosto, impedido parte de sua visão, se levantou da cama para voltar ao nível superior de seu barco, sendo surpreendido por ventos fortes e gotículas de água o atingindo. Uma tempestade atingia o local do onde seu barco anteriormente flutuava com calma, raios e trovões cortavam o céu é tudo que Jeon conseguia pensar é que havia morrido e estava no inferno depois de tanto tempo infernizando Junghyun, seu irmãomais velho.

   Ligou o motor de forma desesperada, tentando controlar o leme com toda a força que tinha, a tempestade arrastava e balançava a embarcação com toda a violência que a mãe natureza tem a mostrar, apresentando o quanto imponente e incontrolável é, mesmo, com os avanços das máquinas humanas, porém a teimosia do jovem Jeon era bem maior, e não o deixava desistir em lutar contra aquele fenômeno natural. Seu braço já começava a pulsar com a intensa força que colocava para direcionar-se para um lugar mais tranquilo, o que lhe parecia impossível a cada vez que a corrente o arrastava para longe.

   Acabou por escorregar pela força em que o leme girou, sentindo sua mão doer de forma tremenda por receber parte do impacto. ─ Ótimo, de testa sangrando e mão possivelmente quebrada no meio de uma tempestade, que dia de merda. ─ Resmungou antes de voltar a se levantar e tentar assumir novamente o comando do barco, sua mão doía de forma que o fazia gemer pela dor causada pela pressão, precisa que colocava para conseguir se livrar daquela situação. Porém o destino estava claramente contra-si, o barco baterá com força em algo, e pelo seu pressentimento aquilo era um mal sinal então descerá novamente para o local que ficava sua cama se deparando com o local começando a se alagar por um buraco mediano que fora causado pelo impacto.

   Correu para coletar tudo que era preciso para si, seu caderno, o rádio a satélite, sua faca e já se retirava até ver o desenho e a foto de família ao chão, quase perto de ser encharcado pela água porém os recolheu com rápidez, jogando todos os utensílios dentro da mochila impermeabilizante e sair rapidamente do local. Estava nervoso, nunca tinha passado por tal situação mesmo depois de anos de trabalho, ele então se preparava para pular ao mar quando o mais impossível a si aconteceu, uma onda acaba por virar o barco pela imensidão de sua força o arremessando contra água fazendo com que quase fosse atingido pelo seu querido barco, seu corpo emergiu da água já desacordo, sendo ajudado a flutuar por conta da mochila a prova d'água que usará.

   Jeon JungKook entrará sem perceber em um mar infernal e logo foi pego pela maldição que rodeia o local, e agora estava a deriva e desacordo por tal lugar tão misterioso.

×××


Notas Finais


Espero que o Cap não tenha ficado confuso demais, escrevi na pressa e ansiedade de postar logo alguma coisa.

O próximo capítulo será narrado pela visão do Jungkook, espero não ficar confuso por este está sendo em terceira e o próximo seja em primeira.

Estou grate desde já!
XOXO, Sirius.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...