História Wonderwall às 17:00 - Capítulo 1


Escrita por: e atomicaudrey

Postado
Categorias ASTRO
Personagens Moonbin, Rocky
Tags Astroboys, Binhyuk, Moonrock, Robin, Rockbin
Visualizações 104
Palavras 1.105
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fluffy
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi bebês, eu sou a audy e essa é minha estreia na categoria e no projeto mais lindo e cheiroso do site. To felizona plus nervosa, mas vamo que vamo. Espero que vocês gostem!

Agradeço desde já a qualquer um que chegue a ler, favoritar ou comentar essa fic ♡

Capítulo 1 - Posso escutar música com você?


Não fazia muito tempo desde que Moon Bin se mudara com sua família de Cheongju para Seul por causa do trabalho do pai, uns três meses no máximo, mas esse pequeno tempo fora o suficiente para que ele percebesse que não havia nenhum outro lugar onde ele quisesse estar além daquela cidade.

Honestamente, no começo, não havia gostado muito da mudança. A cidade era muito maior e, apesar de ser suficientemente encantadora para lhe arrancar uns suspiros, ele ainda preferia a histórica e aconchegante Cheongju. Mas Moon Bin sempre fora um filho bom demais para reclamar desse tipo de coisa, então apenas disse a si mesmo que iria aprender a lidar com aquela nova vida.

Ainda assim, falar é sempre mais fácil que fazer. As crianças não brincavam em sua nova rua, nem se encontravam para jogar vídeo game nas sextas à tarde. Além disso, os grupinhos em sua escola já estavam formados e não era muito legal ser o garoto novo no meio do semestre. Ninguém o chamava para brincar e quando chamavam, era por mera educação. Não pareciam fazer questão da sua presença.

Um dia, como qualquer outro da sua vida em Seul, ele estava voltando de ônibus com sua cabeça encostada na janela e seus fones no ouvido. A única coisa diferente naquela terça-feira era que ele havia pego o ônibus das 17:00 ao invés do das 16:40.

Estava com uma cara de quem havia comido e não tinha gostado, mas ainda era melhor do que se estivesse chorando como um bebê – pelo menos, era o que dizia a si mesmo.

Apesar da cara feia que podia afastar qualquer ser humano, um garoto se sentou ao seu lado. Moon Bin se surpreendeu ao olhar quem era, pois já havia visto aquele menino antes.

Eles estudavam na mesma escola, mas o garoto era de um classe precedente a sua. Sabia que ele gostava de dançar porque às vezes o via dançando no jardim do colégio quando não havia ninguém por lá – ninguém além de Moon Bin, que havia desistido de socializar nos intervalos e agora ficava escondido por ali, vendo um desconhecido dançar de forma bonita e habilidosa.

Ali no ônibus haviam muitos lugares vagos para ele se sentar, mas o garoto se sentou com gosto bem ao lado de Moon Bin. Este, no entanto, não achou aquilo ruim – fazia tanto tempo desde que alguém havia feito questão de estar perto de si, que até ficou alegre com aquilo.

— Meu dia foi uma droga, posso escutar música com você? — o garoto perguntara, sem nem se virar para olhar Moon Bin. Este decidiu não demonstrar a surpresa ao ouvir aquelas palavras.

— Pode, se me disser seu nome.

— Me chamo MinHyuk, Park MinHyuk — o garoto disse, desta vez sorrindo na direção de Moon Bin. — E você?

— Moon Bin. E eu sou seu hyung, se quer saber.

— Ok, Moon Bin hyung... Já posso escutar música com você? — perguntou novamente, ainda sorrindo para o mais velho, o que o fazia sorrir automaticamente também. Era bom ter alguém simplesmente falando consigo.

Moon Bin apenas assentiu com a cabeça, tirando um dos fones de seus ouvidos e colocando no do mais novo. Wonderwall havia acabado de começar.

Murmuravam a música juntos, bem baixinho, e às vezes trocavam uns olhares tímidos, mas calorosos. Moon Bin segurava o riso toda vez que MinHyuk errava a letra, apenas porque achava aquilo muito bonitinho, mas se risse, MinHyuk poderia entendê-lo mal e Moon Bin não queria estragar o momento.

Estava gostando tanto daquilo que quando estava se aproximando da sua parada, seu rosto voltou a formar um muxoxo.

— A próxima parada é a minha — ele disse, meio triste.

— Ah, a minha já passou — MinHyuk respondeu em um dar de ombros, novamente sem nem olhar pro rosto de Moon Bin, mas esse podia ver que as bochechas do mais novo haviam ficado rosadas de repente.

— Você quer descer comigo? A gente pode... jogar vídeo game ou sei lá — disse, claramente sem jeito, o coração parecia que ia pular pra fora do peito de tanto nervosismo.

MinHyuk nem respondeu, apenas se levantou e puxou Moon Bin consigo para fora do ônibus, que havia acabado de chegar na parada do mais velho.

Moon Bin levou o mais novo para sua casa, mas MinHyuk dissera que não queria jogar vídeo game coisa nenhuma, queria que escutassem aquela música de novo. E quem era Moon Bin para dizer não àquilo?

Enquanto a música tocava, MinHyuk contava o motivo pelo qual estava triste mais cedo — uns garotos da sua sala haviam ido encher seu saco por terem lhe visto dançar no jardim. Disseram que era coisa de menininha e que, se vissem ele fazendo aquilo de novo, iriam lhe dar uma surra.

Moon Bin também contou como as coisas estavam sendo difíceis para ele ultimamente, desde que se mudara para Seul mais especificamente.

— E MinHyuk... — ele disse, olhando para o chão como se pudesse abrir um buraco no piso com os olhos. — Aqueles garotos são uns idiotas e você não deve parar de dançar por causa deles. Não vou deixar eles te machucarem, então você não precisa se preocupar com isso mais.

Moon Bin não viu, mas os olhinhos de MinHyuk se encheram de lágrimas naquela hora, apesar do sorriso largo que surgiu no seu rosto logo em seguida.

— Obrigado, Moon Bin hyung — ele dissera.

Desde aquele dia, virou rotina irem para casa juntinhos enquanto dividem um fone e escutam Wonderwall. Aqueles meninos não voltaram a perturbar MinHyuk porque Moon Bin sempre estava por perto e Moon Bin nunca mais voltou a se sentir solitário naquela cidade cheia de gente porque MinHyuk sempre estava consigo nela.

Se perguntavam, no entanto, como podiam escutar a mesma música todo dia sem que enjoassem dela.

Mas, lá no fundo, Moon Bin sabia a razão. Sabia que era por causa de MinHyuk.

Era porque escutava com ele. Porque a música o lembrava dele. Porque não havia nenhum outro lugar que ele desejasse estar que não fosse ao lado de MinHyuk. Porque gostava tanto dele e de todos os errinhos que ele cometia ao cantarolar Wonderwall, que podia escutá-la com ele pelo resto da vida.

E MinHyuk sabia de tudo isso também, mesmo que Moon Bin ainda fosse bundão demais para lhe dizer aquilo de uma vez por todas. MinHyuk sabia tão bem que, mesmo depois de ter aprendido a letra de Wonderwall direitinho, ele continuou cometendo os mesmos erros bobos, só porque aquilo fazia Moon Bin sorrir.

E o sorriso de Moon Bin... Bem, o sorriso de Moon Bin era bonito demais para que Minhyuk perdesse qualquer oportunidade de fazer seu hyung sorrir.


Notas Finais


É isso aí galere. Obrigada por chegar até aqui e bejo no coração.

Betagem por @oldalaska e capa por @amoxilina


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...