1. Spirit Fanfics >
  2. Wonderwall | Jikook >
  3. É só uma troca de olhares.

História Wonderwall | Jikook - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura! o/

Capítulo 2 - É só uma troca de olhares.


Fanfic / Fanfiction Wonderwall | Jikook - Capítulo 2 - É só uma troca de olhares.

- Eu te achei uma gracinha, se quer saber.


Jimin congelou ao escutar a voz grave e desconhecida lhe pegando desprevenido. O que eu faço agora? pensou. O garoto não fazia idéia de como reagir a uma cantada.


- Obri... Obrigada - Jimin gaguejou e se virou, dando de cara com um homem de traços ocidentais, que sorria curioso - Você trabalha aqui?


- Não precisa gaguejar. - respondeu rindo - Sim, eu trabalho aqui.


Era perceptível que Jimin estava encantado com a beleza estrangeira do outro. Os olhos do homem eram extremamente verdes, o mesmo tinha os cabelos curtos encaracolados, lisos, com traços faciais fortes e muito bem desenhados. Ele era extremamente alto e o uniforme de barman o deixava ainda ainda mais charmoso. Parece um ator de Hollywood ou um modelo, Jimin pensou. Mas o que um homem tão bonito estaria fazendo como barman? O loiro se sentiu curioso.


- Qual é seu nome? - o rapaz perguntou, mordendo os lábios.


- Jimin, - respondeu tímido - Park Jimin.


- Oh! Que adorável. - o estrangeiro havia adorado o jeitinho do garoto. - Sou Harry, Harry Styles. - deu um sorriso amigável para o menor, fazendo com que os dentes brancos e bem alinhados brilhassem como cristais.


Que sorriso.


- É um prazer conhecê-lo, Harry Styles.


- Fico lisonjeado em ouvir isso, meu querido. É um prazer ainda maior, para mim, poder conversar com alguém tão bonito quanto você. - Harry confessou e o garoto tapou as mãos na boca, impressionado e envergonhado ao mesmo tempo. - Não seja modesto. Eu não disse nada mais que a verdade.


- Você... Você é de onde? - o castanho perguntou, tentando mudar de assunto por conta do constrangimento.


- Reino Unido. - respondeu simplista - E sim, foi completamente inesperado para mim vir parar na Coréia do Sul. - revirou os olhos - Se não fosse por causa desse meu sonho insano de ser modelo, eu poderia estar vendendo bottons da rainha na Inglaterra agora mesmo, ou provavelmente ter feito uma audição para o The X factor. - bufou, entediado.


- The X Factor? - perguntou levemente confuso. Park não fazia ideia do que era aquilo. Seria uma comida típica? Uma doença? Um grupo de dança? A curiosidade aguçava seus sentidos.


- Você não sabe o que é o X factor? É o show de talentos mais famoso do mundo! - exclamou - Eu até tinha animado para fazer uma audição, sabe. Mas eu pensei bem, e vi que aquele programa não tinha nada haver comigo. E eu não daria certo lá, de qualquer forma. Seria só mais um, entre vários jovens britânicos repletos de sonhos.


Jimin riu com o modo de falar de Harry. Ele era muito simpático e agradável, no final das contas. O sotaque dele era forte e bem acentuado.


- Park Jimin?


O cacheado arqueou as sobrancelhas para o menor, como se estivesse perguntando se a pronunciação do nome estivesse certa, já que Harry fora muito repreendido por pronunciar nomes asiáticos de clientes da forma errada. Sempre dava em uma confusão enorme. Mas aí ele conseguia resolver tudo com o carisma e o charme dele, algo que sempre funcionava.


- Irei ser direto, você é encantador. Um asiático loiro naturalmente... Eu nunca vi isso na minha vida! É tão lindo. E não me pergunte como eu sei que seu cabelo é natural, pergunte aos meus sete anos como cabeleireiro. - o Park corou fortemente com o elogio e abaixou a cabeça - Olha só! Você fica todo coradinho quando elogiado! Queria te colocar em um pote e criar pelo resto da minha vida, garoto. Vocês asiáticos são todos retraídos. Acho uma graça.


Jimin se sentiu ainda mais constrangido com as palavras, mordendo os lábios e com as faces pegando fogo.


- É uma pena que Louis seja o dono do meu coração, se não você seria um grande concorrente da minha lista de cute asians boys for fuck.


- Cute for' o que? - Jimin perguntou, sem entender a última frase, visto que não entendia uma palavra de inglês.


- Nada não. - abanou as mãos, rindo e agradecendo mentalmente pelo garoto não entender sua língua nativa - Eu poderia ficar o resto da noite aqui conversando com você, Jimin, mas tenho que atender o resto dos meus clientes, afinal, estou sendo pago para isso, certo? Espero que a gente se esbarre por aí. 


- Eu também. Seul não é tão grande quanto o seu país, então vai ser fácil. - Jimin disse, sorrindo meigo. Park havia realmente gostado do britânico, por mais que ele o constrangesse na maior parte da conversa.


- Até mais. - Harry piscou para o castanho e logo depois foi atender os clientes que o esperavam no balcão.


Jimin nunca cogitou a ideia de ter uma conversa tão normal com um estrangeiro. Naquele curto período de tempo, ele havia achado Harry muito educado e simpático. O homem parecia ser uma ótima pessoa, já que a energia dele era ótima. Nisso, Jimin percebeu que Harry era totalmente o contrário da imagem ameaçadora, arrogante e agressiva que tinha em mente sobre ocidentais. Ele não era fedorento e nem fora grosso ou mal educado. Muito menos frio, que era o que a maioria das pessoas pensavam de Europeus. Styles até podia ter se empolgado demais em certos momentos, mas sendo de outro país e outra cultura, era completamente diferente do que Jimin imaginava, e principalmente, do que seus pais diziam.


- Querido? - o Pai de Jimin o chamou de longe, preocupado.


O garoto havia se levantado e aproximado rapidamente do homem, sentando ao seu lado na mesa que estava próxima ao bar.


- Quem era aquele sujeito que você conversava? - perguntou, irritado.


- Era só o barman, papai. Nada dem...


- Park Jimin! - cortou a fala do filho, furioso - O que conversamos sobre você se misturar com esse tipo de gente? Eu os observava de longe. Ele parece um animal.


- Papai, se acalme. - o garoto pediu, receoso - Harry somente fora simpático, estava fazendo o próprio trabalho.


- Não me interessa. Ele não deveria dirigir a palavra a você, que é um nobre. - Jack o apontou o dedo indicador - Esse estrangeiro é só mais um miserável pobre que vem como um parasita infestar nosso país.


- Não diga isso, pai! Você não sabe do que está falando! E se ele for uma boa pessoa?


- O que disse? - arqueou uma das sobrancelhas - Não banque o sábio, Park Jimin. Eu sou seu superior e você jamais deveria me responder de volta.


Jimin engoliu seco, afinal nunca podia responder o pai, muito menos ir contrário a suas opiniões e regras.


- Desculpe-me. - Jimin proferiu, cabisbaixo e arrependido. 


- Eu não quero ver você misturado com esses vermes novamente, Jimin. Já lhe deixei claro em muitas ocasiões que não deves me desobedecer. - o pai disse, frio como gelo. Jimin apenas mantinha a cabeça baixa, mordendo os lábios. - Olhe pra mim quando falo com você! - segurou o queixo do filho fortemente, o obrigando a olhar para si - Você é superior a essas pessoas, elas não são nada comparadas a você. Sua classe é digna e rica! Por que sempre tem que agir como um rato procurando por comida no esgoto? Es um péssimo exemplo para a nossa família. Você me enoja.


Os olhos do pequeno marejaram, as últimas palavras de Jack o atingiram fortemente. Era tão injusto! Ele somente havia trocado algumas palavras com o Barman, não havia motivo para seu pai fazer tanto drama. Mas Jimin já estava acostumado, era sempre assim. Algumas vezes pior.


- Estamos entendidos? - os olhos do pai transbordavam fúria.


- Sim, papai. - o queixo delicado e antes branco do garoto, se encontrava avermelhando pela forte pressão das mãos ásperas do pai.


- Que assim seja. - Jack beijou com desgosto a testa do filho - Você sabe que é para seu bem.


Jimin amava o pai apesar de tudo, mas não conseguia entender suas atitudes repentinas e controladoras.


- Eu preciso ir ao banheiro. - avisou o loiro, tentando fugir.


- Vá, não demore muito. - soltou o queixo do filho, se sentindo mal pela força que fez em tal, porém mantendo a postura de indiferença perante as reações do garoto.


Jimin saiu da mesa reverenciando o homem, correndo rapidamente até o banheiro luxuoso do salão qual se encontrava. Enquanto o filho andava em direção ao banheiro, Jack refletia suas ações. Será que pegava muito pesado? Afinal, em sua concepção, ele só estava fazendo o que achava certo. Não queria que Jimin sofresse. Seu garoto era frágil e não conhecia a vida, e o Pai apenas tentava o proteger. Jack bufou. Eu não tenho que me remoer, sei o que estou fazendo, pensou e voltou a sua conversa sobre investimentos com os empresários da mesa.


Já no banheiro, Jimin lavava seu rosto, magoado e sufocado com as atitudes do Pai.


- Eu estou cansado disso! - se olhou com raiva no espelho - A culpa não é minha se eu não consigo ter todo esse ódio e mágoa dentro de mim.


O garoto desabafava para si mesmo, pouco se importando se haviam pessoas nas cabines do banheiro escutando ou não. Jimin não tinha liberdade para nada, mal respirava sem ter as advertências dos Pais. O garoto nunca podia sair sozinho ou conversar com estranhos. E quando podia, eram pessoas escolhidas pelo pai, já que não tinha amigos. O loiro queria poder ao menos conversar com alguém, como uma pessoa normal. Sem medo ou preocupação. Apenas conversar. Falar sobre filmes, doramas, animes e até mesmo coisas banais como revistas de fofocas. A maneira mais possível do garoto ter alguma privacidade seria inventando outra identidade, ou mudando de planeta. A segunda opção com certeza era a melhor, na opinião de Jimin.


Afinal, até quando aquela prisão iria durar? Ele seria libertado ou teria que se libertar?




Jimin se encontrava solitário na mesa do balcão do bar, completamente perdido em seus pensamentos. Aquela era uma de suas grandes características, ser desligado demais. Com isso, ele estava completamente entediado e cansado daquela festa. O salão se esvaziava aos poucos, e as estrelas do lado de fora aumentavam conforme a noite se revelava. Porém, a atenção de Jimin que antes se concentrava em brincar com os dedos e bebericar seu drink sem álcool, se focou rapidamente no palco a sua frente, no qual era possível escutar aqueles típicos barulhos de teste de som. Jimin se sentiu curioso, pois gostava muito de música, e era quase óbvio que alguém estava prestes a se apresentar. 


Um rapaz se posicionou em frente ao pedal de microfone, pigarreando e fazendo um sinal de positivo com as mãos para o homem que provavelmente eram os técnicos de som.


- Boa noite senhoras e senhores, meu nome é Min Yoongi. - o acastanhado, que trajava uma roupa social preta, soou formal no microfone - Não que vocês riquinhos se importem com música suburbana, é claro, mas agora teremos uma participação especial da minha banda, Redlovers


O tal Yoongi terminou de falar ao microfone e se sentou na cadeira junto ao instrumento de teclas brancas e pretas, indiferente a falta de atenção do público a suas falas. As pessoas naquele salão realmente não davam a mínima para os músicos do palco, eles os viam apenas como um enfeite, parte da decoração.


Insensíveis, pensou Jimin.


Logo após isso, dois garotos entraram no palco também trajados com ternos escuros. Um deles tinha a pele parda e o cabelo cinza. Era muito atraente e bonito, mas quando Jimin avistou o outro, não soube entender o que sentiu.


O coração de Jimin se acelerou.


Jimin sentiu coisas estranhas no estômago. 


Jimin quase parou de respirar.


O rapaz que tinha causado essas sensações era extremamente alto, tinha a pele branca levemente bronzeada. O mesmo havia deixando Jimin boquiaberto com tamanha beleza, que era perceptível e inegável para qualquer individuo que o visse. E não era atoa. Park já havia visto caras bonitos, mas não daquele jeito. O cabelo preto do homem na sua frente, que era liso e ia até a nuca, de tamanho médio, se casava muito bem com a pele bronzeada, onde no pescoço, o pedacinho do que parecia ser uma tatuagem era perceptível. A estatura deveras alta o deixava ainda mais belo. O uniforme preto e branco de gola alta complementava ainda mais aquele ar de mistério. Aquele homem parecia um galã de dramas. O rosto dele era másculo, e o queixo maravilhoso, muito bem marcado. Alguns piercings na orelha o deixavam com um ar muito diferente. Diferente de tudo que Park que já tinha visto. Diferente de um jeito muito bom.


Jimin estava impressionado. Nunca havia sentido nada parecido antes. Talvez seria somente algo de sua cabeça ou apenas primeira impressão, mas aquele sentimento forte em seu peito ao ver a figura encorpada do moreno no palco, era algo completamente novo e desconhecido para si.


Isso é muito estranho, Jimin pensou, um pouco ofegante.


- Boa noite. - o tal moreno se pronunciou no microfone, com a voz grave e rouca. - Me chamo Jungkook e sou o vocalista principal do Redlovers.


Era incrível como sua áurea e voz exalavam confiança.


- Eu sou Namjoon. - o de cabelo cinza disse com um sorriso leve - Nós iremos apresentar um cover acústico da música Two Fingers, do Jake Bugg.


- Espero que gostem, tenham uma boa noite. - Yoongi finalizou e os rapazes se posicionaram em seus devidos lugares no palco, para darem início a apresentação. 


Jimin se empolgou, afinal não conhecia aquele artista e amava canções novas.


Os dois jovens olharam para Jungkook, esperando que o mesmo desse início a música no vocal. E assim foi feito, fazendo com que as notas suaves e harmônicas da voz do rapaz soassem lindamente por todo o ambiente daquele salão.


I drink to remember, I smoke to forget


Some things to be proud of, some stuff to regret


O timbre forte e bem afinado de Jungkook soou nas caixas de som de todo o salão, fazendo com que Jimin ficasse boquiaberto. A harmonia presente na voz do rapaz fez com que o loirinho se impressionasse e enchesse os pulmões, e logo depois, suspirasse com admiração. 


Been down some dark alleys in my own head


Something is changing, changing, changing


I go back to Clifton to see my old friends


The best people I could ever have met


Jimin se sentia cada vez mais cativado pela música e quem a cantava. Era como se uma corda invisível os envolvesse.


Skin up a fat one, hide from the Feds


Something is changing, changing, changing


E então, Yoongi deu a entrada com a bateria e Namjoon em sua guitarra, fazendo com uma harmonia grandiosa soasse por todo o salão.


So I kiss goodbye to every little ounce of pain


Light a cigarette and wish the world away


I got out, I got out, I'm alive and I'm here to stay


So I hold two fingers up to yesterday


Light a cigarette and smoke it all away


I got out, I got out, I'm alive and I'm here to stay


Down in the kitchen, drinking white lightning


Jungkook cantava de olhos fechados, totalmente envolvido com a música.


He's with my momma, yelling and fighting


It's not the first time praying for silence


Something is changing, changing, changing


So I kiss goodbye to every little ounce of pain


Light a cigarette and wish the world away


I got out, I got out, I'm alive and I'm here to stay


So I hold two fingers up to yesterday


Light a cigarette and smoke it all away


I got out, I got out, I'm alive and I'm here to stay


There's a story for every corner of this place


Running so hard you got out but your knees got grazed


I'm an old dog but I learned some new tricks yeah


So I kiss goodbye to every little ounce of pain


Light a cigarette and wish the world away


I got out I got out I'm alive and I'm here to stay


So I hold two fingers up to yesterday


Light a cigarette and smoke it all away


I got out I got out I'm alive and I'm here to stay


Hey, hey it's fine


Hey, hey it's fine


Hey, hey it's fine


I left it behind


Quando a música se encerrou, Jimin automaticamente se levantou e aplaudiu o trio de pé. Era inevitável aquela reação, fora como um reflexo. A música indie havia mexido com seu coração. O garoto havia deixado toda sua timidez de lado inconscientemente, atraindo a atenção de todos do salão e dos três rapazes. 


[deêm play na música Time after Time - Cyndi Lauper.]


Mas principalmente de Jungkook, que o olhou surpreso. E naquele momento, eles se encontraram. O loiro parou de bater palmas rapidamente ao encontrar os olhos com as orbes negras e intensas do moreno, abaixando a cabeça rapidamente e ficando completamente vermelho. Eles tinham se olhando por mero segundos, mas o coração de Jimin batia extremamente rápido e as mãos deste suavam como nunca. Jungkook riu levemente diante da reação natural de Jimin, achando-o fofo e interessante.


Até então, Jimin não havia percebido que a atenção de todo o lugar estava em si por ter se manifestado de uma maneira um tanto escandalosa e mal educada, na visão da maioria das pessoas ali presentes. O menor engoliu seco e se sentou, completamente envergonhado. A coisa que mais desejava naquele momento era se jogar em um buraco ou desaparecer. Nunca havia se sentido tão constrangido. E como Jimin ficou sem jeito, apenas abaixou a cabeça e brincou com os dedinhos, tentando se distrair de toda a vergonha que sentia. Céus, Jimin podia ser comparado a um pimentão ambulante naquele momento.


Mas o que ele não sabia, era que toda essa reação por parte de si parecia extremamente adorável aos olhos do cantor que tinha mexido com seu coração. O que era mais irresistível e amável para Jeon Jungkook, do que alguém morrendo de vergonha? Jungkook tinha uma quedinha secreta por pessoas coradas. 


E quando Jeon percebeu, estava encarando fixamente o garoto, que tinha feito, literalmente, uma cabine de proteção no barzinho, com a cabeça enfiada nos braços, tendo o cabelo loiro todo jogado nos braços. E isso fez com que seus amigos que já haviam saído do palco, há dois minutos, rissem até cansar em deboche. Jungkook engoliu seco e pigarreou, saindo do palco e os encontrando no backstage.


- E aí, Romeu? - Namjoon zombou de Jungkook - Pelo visto ficou caidinho por aquele projeto de Riquinho Rico.


- Tem algo de errado em olhar para alguém agora? - o moreno riu. 


- Olhar? - Yoongi riu, inconformado - Só faltou você pular em cima daquele garoto, Jungkook.


A verdade era que o rapaz tinha ficado atraído pelo garoto da plateia. Mas, para Jeon, aquilo não era nada demais. Não acreditava nessa coisa de ''amor a primeira vista''. O garotinho era é bonito e ponto, só isso. No entanto, Jungkook achou estranho o fato de um magnetismo forte o ter envolvido quando seu olhar se encontrou com o do loiro. Nunca havia sentido aquilo. 


- Vocês são muito exagerados. - Jeon revirou os olhos.


- Exagerada foi a olhada que você deu nele. - Yoongi arqueou as sobrancelhas. 


- Você ficou igual um velho babão parado no meio do palco, assim, ó - Namjoon imitou a face de Jeon de uma forma engraçada, com a boca aberta, o fazendo rir - Só faltou bater uma.


- Cala a boca, cara. Você é doente. - Jeon gargalhou.


- Namjoon, esse não é o lugar e nem a hora. - Yoongi o repreendeu.


- Ah não enche, Min. - o Kim revirou os olhos - Você é o mais tarado de todos nós aqui.


- Eu? - apontou o dedo para o próprio peito, numa expressão incrédula - Tem certeza que sou eu que fico vendo pornô ás quatro da manhã? 


- Eu estava vendo o show das Girls Generation, para a sua informação. - Namjoon mentiu, engolindo seco. 


- Ah, claro. - Yoongi zombou e o loiro arqueou a sobrancelha - Só se for o Show da putaria.


Jungkook riu. Teve que concordar com Yoongi, afinal os três moravam juntos e Jeon sabia muito bem que Namjoon não era lá o exemplo de pureza.


- Isso não vem ao caso, Min. Agora a questão é como o galã aí vai conseguir falar com o Riquinho Rico. Eu aposto que o Jeon consegue dar uns pegas nele facinho! - disse Namjoon.


- É mesmo. Com essa pose de bad boy do Jungkook, aquele garotinho deve ter ficado encantado... Imagina os dois juntos? Eu também aposto! Shippo muito. - Yoongi concordou.


- Caras, se acalmem. Não estou afim de apostas. E quem disse que eu quero algo com ele? Ele é um convidado da festa. Eu não dou atenção para essa gente, apenas faço o meu trabalho e ponto. - Jungkook disse, convicto.


- Não julgue um livro pela capa, Jeon. Ele até que é charmosinho, vai. Deixa de ser durão por um momento. Vamos nos divertir! - Namjoon tentou convencer Jungkook e o mesmo apenas revirou os olhos.


- Não é questão de ser charmoso, e sim, de realidade. Nós não somos amantes, somos dois completos estranhos. - Jungkook respondeu, realista. O mesmo estava ali a trabalho e era um empregado. Aquele garoto loiro provavelmente poderia ser apenas um filhinho de papai esnobe e arrogante, como a maioria de classe A. Ele com certeza iria fazer o maior escândalo se Jungkook apenas chegasse perto.


Não que Jeon tivesse medo ou timidez de chegar nele, muito pelo contrário. Ele era um homem formado, e de muita, muita atitude. Jungkook somente detestava esse tipo de gente; rica e chata. Eram todos iguais. Jeon não tinha paciência. Só queria evitar a fadiga mesmo.


Mas, estranhamente, Jeon tinha a sensação de que o pequeno da plateia era diferente. Algo cômico, visto que eles nunca tinham se falado na vida! Jungkook percebera isso no momento em que o garoto fora o único a se levantar para aplaudir a si e seus amigos. Aquilo não era comum em festas daquele nível. As pessoas estavam nem aí para os funcionários. Podia ser um ato simples e sem tanto significado, mas algo na intuição de Jeon dizia que ele estava terrivelmente errado.


- Foda-se a realidade. - Yoongi revirou os olhos - Você é o cara mais pegador do pedaço. Desde quando você não se interessa em iludir um menino rico? Jungkook, é você mesmo?


- Pensa bem, Jeon. Ele tem a maior carinha de inocente. Você pode tirar proveito e quem sabe até descolar uma graninha. - Namjoon o relembrou, como quem sabe de tudo.


- Tsc, até que você pode estar certo... É uma oportunidade do caralho. Faz tempo que eu não transo com um garoto desse perfil. - Jeon mordeu os lábios, pensativo. 


- Esse é o nosso Jungkook! - exclamou Yoongi, orgulhoso.


- E se essa merda não der certo? - Jungkook perguntou, trincando o maxilar marcado e ossudo.


- Você nem conversou com ele, cara! Até parece que nunca chegou em alguém na vida. - Namjoon revirou os olhos.


- É. - Yoongi concordou simplista - Você já é um homem, biscoitão. Por que essa insegurança toda?


- Eu não estou inseguro, apenas receoso. Não sou um retardado que sai por aí dando em cima de qualquer um. Vocês que vieram com essa idéia infantil de iludir o garoto. - proferiu, enquanto estralava os dedos - Pode até ser divertido brincar com ele, admito. Mas o que eu senti quando nos olhamos foi... diferente. Aquele garoto não parece ser como os outros.


- Ah, me poupe. O Namjoon acabou de dizer que vocês nem conversaram. E mesmo se ele for diferente, desde quando você liga? Você é a pessoa mais fria e egoísta que eu conheço. - riu levemente - Vou arrumar meus equipamentos. E eu não vou te esperar para dar carona. Não sou táxi. - parece até coisa daqueles filmes de amor dos anos 80, pensou Yoongi, revirando os olhos. O loiro não tinha paciência com essa enrolação toda. 


Jungkook pensando no sentimentos das pessoas? Sem nem mesmo conhecê-las? Ou aquilo era muito estranho ou muito idiota. Jeon Jungkook era o ser humano mais frio e apático da terra, na visão de Yoongi. Não que ele fosse mal ou coisas do tipo, sua personalidade só não era o exemplo de amável e sensível. Jungkook sempre fora muito sério e reservado. E muito, muito rebelde. Era o típico homem de poucas palavras, mas que escondia um mar de mistérios no olhar, e uma caixa de surpresas dentro de si próprio. Todos se encantavam pela casca grossa de Jeon, era sua marca registrada. Yoongi não conseguia se recordar da última vez que ele tinha sido carinhoso ou doce com alguém. 


E o mesmo mal imagina que aquilo estava prestes a mudar.


- Eu te ajudo. - disse Namjoon se aproximando de Yoongi que ia em direção ao palco.


Jungkook bufou. Eles não conseguiriam o entender mesmo, precisava focar em outra coisa. Seu objetivo naquele momento era conseguir falar com o loirinho bonito dos olhos castanhos. Jungkook o procurou o com os olhos pelo salão e o avistou no bar, olhando para um ponto qualquer, perdido nos pensamentos.


Me ofereceram um turno naquele bar até o final da festa. Sorte a minha. Jungkook pensou, feliz pela grande chance que tinha conseguido.


E naquele momento, Jeon estava prestes a tomar a pior atitude da sua vida, ou talvez, a melhor.


Notas Finais


quem será em? hmmmmm
bjos!

meu twitter; JEONTUB


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...