1. Spirit Fanfics >
  2. World of colors >
  3. Nossos pares.

História World of colors - Capítulo 2


Escrita por: pantera_one

Notas do Autor


Oie, vim pedir perdão por ter errado no 1° cap. Eu coloquei na fala de Black: "...olhos vermelhos?" Sendo que era: "...olhos verdes?", já que o par de Green é o Red.



Desculpe pelo erro. Boa leitura! :)

Capítulo 2 - Nossos pares.


Fanfic / Fanfiction World of colors - Capítulo 2 - Nossos pares.

× Black

Eu e Green estávamos no refeitório, aproveitando o nosso intervalo. Eu gosto do refeitório, pois aqui é bem grande e não tem apenas as mesas e cadeiras/bancos, e sim uma espaço à mais com alguns jogos de fliperama, jogos de mesa, e tem um espaço para os totós, sinuca, e um toca música. Enfim, o refeitório é bem agradável e relaxante. 

Estou junto á Green na área que tem os jogos de mesa.

- Me conte sobre a pessoa de olhos verdes. -sorrio malicioso para Green.

- Tá bom, safado. -ri- Bom, ele é um homem.

- Uhum...

- Ele estuda aqui.

- Oi? -me engasgo com o suco que eu estava tomando- Já conversou com ele? 

- É aí que está o problema. -coça a nunca tímido.

- An? Que problema em conversar?

- Ele é o Red, bro! 

- Espera... 

Após alguns segundos pensando sobre, foi quando entendi o problema melhor.

- Puta merda... O Red. 

- Sim. -diz Green com um bico.

- O cara nerd rabiscado com quem você brigou durante dois anos.

- Exato. -diz Green tristonho- E não se diz rabiscado, e sim, tatuado. -ele ri.

- Ok, ok. -sorrio- E como você nunca olhou os olhos dele, anta?

- Ele só 'vivia de óculos escuros, lembra? Ele tirava eles para nada!

- Ah, é mesmo...  

- Mas agora ele está usando óculos normais e de grau...

- Então foi assim que você descobriu. -sorrio malicioso.

- Pode parando com esse sorrisinho aí! Rolou a mesma coisa que aconteceu com você e o professor lá. Foi apenas conversa. -ele fica tristonho de repente- Só que não teve os beijinhos na bochecha.

-  E você queria? 

- Na verdade eu queria mais que isso né. -ele da uma risada divertida.

- É, eu sei. -ri.

Green sempre foi safado. Eu o conheço à mais de cinco anos, eu até considero um irmão. Sei que ele é tudo, menos santo. 

(...)

Eu e Green estávamos em um dos corredores da universidade, á caminho da sala de Química. Até que escutamos alguém nos chamando. Era a Yellow (Amarelo).

- Eae, seus gays. -ela abraça nós dois- Que palhaçada é essa de passar o intervalo sem mim e o resto da turma, merda? 

- Hoje está sendo uma bagunça, Yell. -digo manhoso. 

- Temos fofocas frescas! -Green bate palminhas todo animado e Yellow segue a animação do mesmo.

- Vamos logo pra sala de Química, o resto da turma está nos esperando. -ela puxa nós dois até lá.

(...)

Na sala de Química...

- Eles chegaram! 

Ouço Purple (Roxo) gritar ao ver a Yell nos puxando até o lugar que eles estavam. 

- Eles esqueceram de nós, mas para redimir o erro cometido eles iram contar fofoquinhas para a gente. -diz Yell sorrindo alegremente e indo se sentar no colo de Pup. 

Purple e Yellow (Pup e Yell) namoram há sete meses, as duas não se desgrudam nem se a ameaçarem. Mas, elas não são aqueles tipos de casais grudentos que dão até "nojo", elas são aqueles tipos que nos faz sentir o amor de longe, nos faz se sentir bem ao ver a felicidade de ambas, isso é muito fofo.

Aonde estávamos havia: Pup e Yell - As namoradas fofas; Orange (Laranja) e Blue (Azul) - Os namorados safados; Gray (Cinza) e Silver (Prata) - Os "irmãos incesto", só o apelido deles já diz muito sobre eles; E por último, Violet (Violeta) e Pink (Rosa) - As melhores amigas (como eu e Green) doidas.

Ah, uma coisa que apenas eu e Green sabemos sobre os Irmãos incesto, Silver (o mais velho) usa lentes. Ele usa lentes com uma cor bem rara, para que o irmão não veja que seus olhos são cinzas, doido? Sim. Mas ele nos contou isso há pouco tempo, eu sei que o fato deles serem irmãos é errado e etc, mas se a cor dos olhos é essa mesma, é porque vai dar certo de alguma forma. Só basta esperar...

Essa é a nossa turma.

- Manda logo a boa. -diz Yellow.

- Achamos os nossos pares. -eu e Green dizemos em uníssono. 

- O QUE? -Pink grita, fazendo a metade dos alunos que estavam na sala olhar para si. 

- Fala baixo, 'mulé! -Violet a belisca fraco- Foi mal ae pessoal. -diz para o resto da classe.

- Continua vai. -Gray diz todo animado. 

- Meu par é um homem, estuda aqui, vocês o conhecem bem, mas infelizmente não é da mesma turma que nós. -diz Green. 

- Qual o nome dele? -pergunta Purple.

Eu já estava me segurando para na gargalhar alto. Imagina a reação deles quando souberem que o par de Green é o Red? O cara que Green vivia brigando? Ai, ai...

- É-é...

- Você? Gaguejando? -Orange diz.

- Tem algo muito estranho nisso. -diz Blue.

- Conte logo, Green. -Silver se pronuncia, sério como sempre.

- M-meu par... -ele respira fundo- É o Red. 

E foi quando eles ficaram de boca aberta que eu comecei à rir que nem hiena. 

- Não faz sentido, cara! -exclama Gray.

- Eu estou tão confusa... -Pink pensa alto.

- Então essa era a bomba. -Yellow ri divertida.

- Ainda estou tentando entender isso, espera. -Blue diz pensativo.

- Mas... Como você nunca percebeu isso? Você nunca olhou os olhos dele? -pergunta Orange.

- Ele sempre usava óculos escuros. -responde Silver- Acho que agora ele usa óculos de grau, igual à mim, certo? -pergunta à Green.

- Sim e sim. 

- Vocês pelo menos tiveram uma conversa sobre? -pergunta Orange.

- Sim, mas não esclarecemos tudo direito.

- Vocês não se odeiam? -pergunta Purple.

- Nem eu sei direito, Pup... -Green coça a nunca nervoso.

- Nós iremos te ajudar com isso. -Purple diz.

O resto da turma concorda.

- Obrigado. -sorri.

- E você, Black? -Yellow pergunta maliciosa.

Até me engasguei na risada.

- Eu o que? 

- Você não contou quem é o seu par, queridinho. -diz Orange.

- Agora mesmo que vocês irão ficar de boca aberta, he he. -Green ri malicioso. 

- Fiquei ansiosa agora. -diz Pink. 

 - B-bom... 

- É melhor dizer rápido. -diz Silver enquanto olha o relógio em seu pulso- A aula começa em dez minutos.

- Vai logo, Black! -Pink exclama.

- E-ele é o professor d-de Matemática. 

Silêncio.

A surpresa estava estampada em suas faces. E como antes, eles estavam de boca aberta. 

- Agora você sempre tirará a maior nota da sala, hein. -Yellow diz rindo. 

Eu começo á rir, e os outros riem junto. 

- Confesso que estou surpreso agora. -Silver começa- O par de Green o odeia, e o par de Black é impedido de se relacionar com ele. 

- Mas não significa que ele não possa se relacionar escondido, né? -Gray pergunta.

- Nisso eu concordo. -diz Silver.

- Veja pelo lado bom, Black. -Purple começa- Ano que vem nós sairemos daqui, e você poderá ficar com o professor White sem a diretoria querer processá-lo por ter ficado com um aluno. 

Purple sempre perceber quando alguém está triste, ou quando precisa de ajuda. Vamos dizer que, ela é a "mãe" da turma, e Silver o "pai". Ambos ajudam à todos de uma maneira bem diferente. Eu gosto disso. 

- Bom... Ele pediu o meu número e disse que entraria em contato. 

- Aí! Ele está interessado! -Pink exclama- Ele quer algo com você, anjo. 

- Imos e convenhamos, os dois já são adultos. -Blue diz- Ambos já sabem o que fazer e as consequências de seus atos. 

- Resumindo a fala dele: se joga. -diz Orange. 

Eu ri com aquilo. 

Eles sempre estavam ao meu lado, eu os considerava uma família para mim. A minha mora muito longe, então eu sou muito agradecido de ter essa turma comigo. 

- A mesma coisa que eu disse para o Green eu vou dizer à você. -diz Purple- Nós iremos ajudá-lo com isso. -ela sorri.

- Obrigado, mesmo. -sorrio. 

- Bom dia, alunos! -o professor Navy Blue (Azul marinho) entra em sala com umas três pastas e sua bolsa enorme em seus braços- Vamos começar. 

A aula se inicia. 

(...) Quebra de tempo longa.

17:00h pm

× White

Eu estava saindo da sala dos professores, prestes á ir embora para casa, quando vejo ele. Aquele baixinho de cabelos pretos. 

Quando essa universidade me chamou para substituir o antigo professor, eu não sabia que encontraria o meu par aqui, e que ele seria um dos meus alunos. Quando cheguei em sala, alguns alunos tinham parado de fazer o que estavam fazendo para olhar para mim, enquanto ele continuou conversando com um rapaz de cabelos verdes. Eu chamei a atenção de ambos apenas para poder dar início à aula, mas eu não sabia que a cor de seus olhos era a cor que eu procurava à anos. A cor de minha personalidade, do meu tom de pele, e a cor dos olhos de minha alma gêmea.

- Olá, senhor Black. -me aproximo do mesmo e sussurro perto de si.

Percebi que ele se arrepiou um pouco, eu sempre tive uma vez grave... Eu até que gosto dela. É boa para dar aula, não precisa elevar a voz.

- Ah, o-olá. -ele sorri simpático.

- Está indo embora mesmo, ou irá passar em outro lugar? 

- Estou indo para casa. -diz tímido. 

Esse jeito dele é tão fofo. Estou me encantando. 

- Quer uma carona? Eu quero conversar sobre algo. 

- E-eu não quero te incomodar com isso. 

- Não vai, acredite. 

- Então eu aceito, obrigado. -sorri. 

Que sorriso...

- Vamos então. -sorri. 

Eu pedi para ele me seguir até o estacionamento, já que meu carro estava estacionado lá. Quando chegamos, eu abri a porta do carro para ele entrar, e ele fez o ato. Dei a volta do carro, pus as minhaa coisas no banco de trás, e fui para frente e sentei no lugar do motorista. 

Coloco o meu braço direito no banco do passageiro (onde Black estava) para poder olhar para trás melhor, para sair da vaga. Percebi que esse ato o deixou um pouco envergonhado, já que eu estava próximo. Eu sorri com aquilo.

- Onde você mora? -o pergunto.

- No condomínio Color Palette. 

- Minha mãe mora lá. -sorri- Eu moro á umas quatro quadras dali.

- Entendi. -Black diz sem desgrudar os olhos da janela.

Ele ainda está tímido... Vou tentar puxar um assunto melhor. 

- Hoje é o seu último ano na universidade? 

- Sim, ufa. -ele relaxa no banco e eu comecei á rir fraco- O que foi? -ele sorri.

- Deu para perceber a sua exaustão por causa dos estudos. A sua face já vem estampada a frase: Não aguento mais estudar. 

- Acertou em cheio. -ele ri- Mas, também vem a frase: Porém, preciso garantir o meu futuro. 

- Sim. -desvio o olhar da estrada quando paro no sinal vermelho, e o olho- Que bom que pensa assim, senhor Black.

- Aish, não me chame de senhor. -faz bico- Me sinto um idoso de oitenta anos. -ri- Me chame de Black. 

Eu ri.

- Ok, Black. 

Ficamos alguns segundos nos olhando, gravando cada detalhe do rosto do outro (nem todos, na verdade), até eu escutar um som de uma buzina. O sinal já tinha aberto, os carros atrás do meu estavam buzinando, enquanto eu estava perdido em pensamentos... Pensando nele, enquanto olhava pra ele.

(...)

- Chegamos. -digo após ter parado o carro em frente a casa de Black.

- Obrigado por me trazer em casa. -ele sorri e se vira para abrir a porta do carro.

Eu coloco minha mão esquerda em seu queixo, o fazendo virar o seu rosto para mim.

- De nada. -o beijo na bochecha perto á sua boca. 

Ele fica envergonhado na hora. Como eu o adoro ver assim. 

- A-até amanhã. -ele sorri e sai do carro.

- Até. -dou um "tchauzinho" com a mão e dou a partida no carro.

Amanhã eu verei o meu pequeno. Isso já é um motivo de alegria.


Continua...



Notas Finais


Oie, obrigado por ler. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...