1. Spirit Fanfics >
  2. Worst Best Family >
  3. 20- Conversa

História Worst Best Family - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiii volteeeiiiiii

Trouxe um cap do Bruce e da Kate, porque quero muitooo mostrar uma amizade forte entre eles❤️❤️❤️
Espero que gostem❤️❤️❤️❤️

Capítulo 20 - 20- Conversa


Fanfic / Fanfiction Worst Best Family - Capítulo 20 - 20- Conversa

Bruce voltara outra madrugada para a casa, após uma missão da liga. O traje molhado gotejava dentro do bat-movel, espalhando pelo chão ao sair do carro.

Trocou o traje por uma roupa de inverno. Andando pela extensão da caverna até seu computador, pode notar vários papéis e arquivos jogados por cima da mesa, com desenhos de caligrafias diferentes e números.

Decidiu deixar a bagunça a onde estava e perguntar mais tarde para as crianças o que significavam.

A caverna estava úmida e gelida, diferente do dia anterior que apesar do frio estava ensolarado, hoje o inverno se fez ainda mais presente, trazendo consigo a chuva e o clima frio e ventoso.

Caminhou por dentro da mansão, sem pressa, até chegar a sala principal da ala leste. Ela era quente e escura, havia uma decoração rústica, normalmente usada no natal. Bruce acendeu a enorme lareira, se lembrando da infância, em que dias gelados os pais o deixavam ficar acordado até tarde observando as chamas alaranjadas.

Serviu-se uma dose generosa de Whisky, e se sentou a uma poltrona de frente a lareira, observando a dança que o fogo fazia, iluminando uma parte da grande sala.

—Estou aqui a pouco mais de um dia, e já te vi beber uma garrafa inteira de Whisky—A voz doce de Kate ecoou pela sala, a mulher pegou um copo acima da mesa de centro e se sentou ao lado de Bruce.

Ele levantou a garrafa e despejou líquido suficiente para metade do copo curto. Ambos ficaram ali, em silêncio por um tempo, contemplando as chamas.

—Eu não sou mentalista, nem psicóloga, mas te conheço o suficiente para saber que tem pensamentos ruins te enchendo a cabeça—Disse Kate, ela não tinha preocupação na voz, nem mesmo tristeza ou qualquer sentimento. Apenas seriedade.

—É dificil ter pensamentos bons, visto tudo o que tem acontecido—Disse Bruce, a voz grossa e rouca soava em tom de desespero.

—Talvez você esteja negligênciando as coisas boas—Respondeu tomando um gole da bebida.

—O que isso quer dizer?

—Você sabe o que quer dizer, senhor melhor deterive do mundo. Só não quer aceitar que estou certa—Kate colocou seu copo, agora vazio, em cima da mesa de vidro, e tomou das mãos de Bruce o copo dele, que nem sequer protestou.

—Você é como meu irmão mais velho, e eu te contaria todos os meus segredos se pedisse, sabe que pode confiar em mim Brucie—Ele levou o dedo indicador a boca, e deu um lomgo suspiro doloroso.

—Barbara se lembra perfeitamente de James Gordon, mas insistia em me chamar de pai. Todos eles...inclusive Jason, quando estava de bom humor—Bruce disse tentando evitar um sorriso de canto—E agora, não ouço a voz deles a dias... Eu não sei ser um bom pai Katie, não como o meu pai foi.

Um longo suspiro saiu da boca de Kate, Bruce não era fácil de lidar normalmente, já que nunca demonstra sentimentos fortes, mas quando as coisas chegam em um nível extremo, ou ele decide falar, ou usa do Batman para descontar suas frustrações. E se pudesse evitar a segunda opção, ela o faria.

—Thomas foi ótimo Bruce, mas não foi perfeito. Ele tinha tantos problemas quanto você, a diferença é que ele tentava transformá-los em coisas boas para te inspirar, e você tenta esconder não só os segredos, mas a si mesmo.

—Eu tenho responsabilidades demais Kate, e tempo de menos... Para as crianças, para Clark...—Disse ele, sem tirar os olhos do fogo por um segundo.

—Isso é por que você não prioriza a família Bruce... Você é o chefe, mas tem direito de tirar férias, Lucius consegue se virar. A liga não precisa de você a todo tempo, eles são adultos. E o Batman pode guardar a mascara por alguns dias...—Kate levou a mão ao ombro direito de Bruce, que pela primeira vez na noite a olhou nos olhos.

—Você não veio só por causa do casamento—Bruce disse sério, com o olhar penetrante em Kate, o azul tão morto quanto nos piores dias.

—Alfred me chamou, ele disse que as coisas estavam ruins... Mas olhando vocês de perto, percebo que estão piores do que eu imaginava—O olhar de Bruce mudou para curioso, tentando descifrar as palavras de Kate—Você notou, não notou?

Os olhos azuis voltaram a encarar o fogo, e Kate deu um suspiro.

—Bruce... Você não percebeu? Estão deprimidos...—A frase de Kate pareceu pesar toneladas para Bruce, que a olhou novamente assustado, sem brilho nos olhos, sem emoção, apenas vazio. Ele sabia, Kate está certa, mas Bruce se recusa a acreditar. E ela sabia disso, enquanto ele fingir não se importar, as crianças só vão piorar.

—No jantar Jason estaria rindo e provocando Dick e Damian, mas estava quieto, nem sequer comeu. Bárbara estaria falando sobre filmes de terror e brigando com Dick, mas tinha os olhos penetrados em Jason, analizando cada movimento, Dick fazia o mesmo...—Bruce queria que ela se calasse, mais do que tudo. Mas não tinha forças psicológicas para manda-lá calar a boca.

—Tim e Damian estariam brigando por qualquer motivo, mas Tim parecia nervoso, e digitava em seu celular sem parar. Damian estava fazendo carinho em Titus, com a cabeça apoiada na mesa, ele nem olhou para a comida. Clark ficou te observando, com um olhar preocupado. E no fim Bruce, apenas eu e você comemos no jantar—Kate levou as mãos ao rosto—Você nunca havia reparado? 

—Isso é culpa minha...sou um péssimo pai—A voz já não estava mais grossa, apenas rouca e com dificuldade em soltar as palavras.

—Não é sua culpa...ainda, se você não prestar atenção neles Bruce, as coisas vão piorar, são seus filhos... São incríveis Bruce, mas algo mudou, e não sei se eles confiam o suficiente em você para te contar o motivo—Kate tentou tomar cuidado com as últimas palavras, mas no final, Bruce tem que ouvi-la.

—Você tem que focar na familia primo, eles são tudo o que temos, e tudo o que somos... Você a cima de todos deveria saber.

—Eu estou tentando Katie! Mas não sei como! Fazer isso...—Bruce tirou uma caixinha aveludada preta do bolso da calça, era pequena na mão de Bruce. Kate levou as mãos a boca tentando esconder um sorriso, em vão.

—V-vai pedir Clark?—A resposta veio com um aceno positivo de cabeça.

—Eu não sei se é um bom momento...—Disse Bruce, que agora não parecia sério...apenas fragilizado.

—Acho melhor você resolver as coisas com as crianças antes Brucie...

Ele concordou com a cabeça, mas antes que pudesse guardar a caixinha de volta Kate a tomou, e a abriu, levando instantaneamente as mãos a boca.

Bruce tentou tomar a caixa de sua mão, mas foi em vão, já que ela esticou o Braço por trás da poltrona.

—Meu Deus isso é tão cafona Brucie! E fofo! Clark vai amar!—Disse ela, e Bruce finalmente tomou a caixinha de volta, a guardando no bolso.

—Cafona?—Disse ele debochado.

—Sim! Mas fofo, se Clark dar mole eu roubo—Disse ela.

Ambos começaram a rir sutilmente, mas algo na janela chamou atenção de Kate, que parou de rir imediatamente.

Bruce olhou para trás, o jardim lá fora, estava escuro, mas parecia normal, se não fosse por algumas pessoas sentadas na alta parede do Jardim.

—Vai lá Bruce—Disse ela.

Ele exitou por um momento, mas sem nem perceber, começou a andar em direção ao jardim, atravessou a mansão e pegou um casaco grosso.

O ambiente de fora era tão gelido que o ar de sua boca saia em uma fumaça esbranquiçada, o vento parecia cortar o rosto.

—Na moral Jason da esse cigarro aqui!—Disse Dick quase caindo do muro.

—Pega um pra você folgado!—Jason falou de volta.

—Acabou!—Disse Damian, com o último cigarro na boca.

—Você não pode fumar!—Barbara e Dick disseram ao mesmo tempo.

—Eu não conto, se vocês não contarem.

—Por que vocês inventaram de vir aqui? Ta frio!—Tim esfregou os braços mal humorado.

—Pode ir embora, ninguém vai sentir sua falta—Disse Damian.

—Vamos assistir o nascer do sol Tim, esqueceu?—Disse Bárbara dando um peteleco na testa no garoto ao seu lado.

—Bruce vai nos ma...—Dick disse, mas antes de terminar a frase, avistou justamente quem ele falava.

—Bruce!—Gritou ele, e os outros garotos arregalaram os olhos. Antes de Bárbara pensar em uma desculpa, Bruce correu até a parede pegando impulso, e saltou, se sentando junto a eles no muro.

Eles ficaram apenas olhando Bruce assustados, sem entender nada. Ele puxou o cigarro da mão de Damian.

—Não contem para o Alfred—Disse levando-o a boca.



Notas Finais


Terminei ❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️
Tabom, se nem a Babs colocou noção na cabeça do Bruce, Kate tinha que fazer né, kkkk espero que tenham gostado❤️❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...