1. Spirit Fanfics >
  2. Worst side >
  3. Capítulo Único

História Worst side - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


donghyuck senta de perna aberta porque ele tem um pau grande esses sao os fatos

Capítulo 1 - Capítulo Único


Donghyuck mal espera o carro parar na entrada do prédio de seu dormitório para abrir a porta bruscamente e sair do automóvel à movimentos apressados, a mochila balançando nas costas. “Não subam agora” ele rosna para os outros dreamies em alto e bom tom antes de sair correndo até o elevador no fim do hall de entrada; se eles reclamam ou se questionam Donghyuck não escuta e não se preocupa também, a mente dele focada apenas e somente em chegar no dormitório. Ele entra no elevador e praticamente soca o botão com o número do andar e quando as portas se fecham a primeira coisa que ele faz é puxar o celular do bolso e desbloquear a tela, abrir a maldita foto de novo. Um bufo irritado e frustrado escapa dele então e ele puxa a camisa para baixo com força. Taeyong é um merdinha filho da puta e Donghyuck vai quebrá-lo ao meio hoje.

Felizmente não é necessário muito tempo para alcançar o andar certo e logo Donghyuck está parado na entrada da sala de estar de seu dormitório a poucos metros de um muito sedutor e tentador Lee Taeyong. Donghyuck range os dentes assim que seu olhar se conecta ao de Taeyong e ele larga a mochila no chão, o sangue começando a borbulhar nas veias. “Você não consegue mesmo se comportar e pensar em outra coisa que não seja o meu pau?” Donghyuck diz entredentes, os olhos viajando pelo corpo de Taeyong vestido com nada além de um par de meias pretas longas e uma camisa branca curta demais para a sanidade já frágil de Donghyuck. “Esse é o seu jeito de me agradecer pela foto?” Taeyong provoca com um riso sacana antes de se inclinar mais contra o canto do sofá, a camisa dele subindo pelas coxas mais ainda e revelando renda preta fina.

Com o joguinho descarado o temperamento de Donghyuck que já estava por um fio 一 desde que viu a maldita foto de Taeyong com a bunda nua empinadinha e as coxas brilhantes num molhado familiar 一 se perde de vez e ele atravessa a sala até Taeyong. “Você já não tem problemas o bastante comigo?” Donghyuck enfia um dos joelhos entre as coxas de Taeyong e apoia as mãos ao lado da cabeça dele, se inclina de forma que possa deixar Taeyong totalmente preso debaixo dele. Taeyong apenas sorri aquele sorrisinho sapeca dele e abre mais as pernas, agarra a jaqueta preta que Donghyuck veste e o puxa para baixo, para mais perto. “Você fica sexy com raiva sabia, oppa?” Taeyong ronrona todo dengosinho, lambendo o lábio inferior de forma indecente enquanto pisca lentamente os belos olhos escuros, e algo dentro de Donghyuck simplesmente explode.

A impaciência, a frustração e a excitação acumuladas tomam conta de Donghyuck como veneno e antes que ele pense demais ele está puxando Taeyong pela nuca para um beijo imundo e obsceno. Ele é brusco e agressivo enquanto beija Taeyong, força Taeyong a se submeter e se deixar ser beijado, empurra a língua na boca dele e arranca os barulhinhos mais indefesos que ele pode gemer. Quando Donghyuck está satisfeito e se afasta um pouco, Taeyong está ofegando sob ele com as bochechas bem vermelhas e os olhos bem fechados, os lábios brilhantes de saliva atraindo a atenção mais que tudo. “Eu devia te comer bem aqui e agora por causa disso” Donghyuck segreda enquanto agarra a camisa de Taeyong e puxa até que ela suba o suficiente para expor a calcinha que ele usa e parte da barriga “é o que você merece por brincar comigo desse jeito”.

Taeyong ri todo arrogante à seguir, a prepotência emanando dele em ondas que irritam e excitam Donghyuck, e Donghyuck sente as mãos dele deslizarem pelo seu tronco até a barra de sua calça. Há dedos segurando seu cinto então, brincando com a fivela de uma forma que testa a restrição restante de Donghyuck mais do que ele precisa agora. “Eu tava contando com isso na verdade~” Taeyong cantarola baixinho e então Donghyuck sente um puxão no cinto que usa. Ele olha para baixo, para longe do sorrisinho desafiador de Taeyong, e pega os dedos de Taeyong desfazendo seu cinto. Com a maxilar travado e um aperto de ferro no braço do sofá, Donghyuck se pergunta até onde Taeyong vai com essa provocação óbvia dele. “Brinquei sozinho pensando nisso até...” Taeyong completa como se fosse nada “Ainda to molhadinho bem do jeito que você gosta à propósito”.

Puta merda, Taeyong.

A restrição que mantinha Donghyuck no lugar arrebenta com um grunhido irritado dele e ele simplesmente perde a cabeça. Antes que Taeyong possa pensar em falar mais alguma coisa Donghyuck está forçando as pernas dele mais abertas e se sentando sobre os joelhos no espaço livre, descendo ambas as mãos para agarrar o topo das coxas dele e o puxando para que esteja sentadinho em seu colo. “Seu putinho do caralho” Donghyuck rosna enquanto enfia os dedos sob a calcinha de Taeyong pela parte de trás, puxa para que alcance o cuzinho apertado que gosta tanto de foder “Não consegue ficar nem mesmo cinco minutos sem ter algo dentro do rabo… Foi na minha cama de novo?” apenas mencionar isso faz a imagem surgir na mente de Donghyuck, o que por sua vez faz o pau dele pulsar dentro da calça “Enquanto eu trabalhava lá fora?”.

“Você tava tão gostoso naquela live, oppa...” Taeyong envolve Donghyuck pelo pescoço e o puxa para perto até Donghyuck sentir cada palavra direto na orelha dele, o que o faz parar e o deixa arrepiado dos pés a cabeça “Não conseguia olhar pra ninguém além de você o tempo todo e a única coisa em que eu conseguia pensar era em sentar em você até eu não aguentar mais… Eu não pude resistir, ok?” com isso a respiração de Donghyuck engata e ele se vê fincando as unhas nas bochechas da bunda de Taeyong que segura. É demais, a informação é demais e está atiçando o ego dele como pouca coisa faz. Ele pode imaginar a cena tão bem, pode ver claramente Taeyong nu e de quatro no meio de sua cama socando dois dedinhos finos dentro do próprio rabinho guloso enquanto assiste a live dele e tenta não gemer alto demais o nome dele.

Donghyuck enfia a mão dentro da calça aberta então e dá um jeito de pôr o caralho para fora das roupas. Ele está duro demais e excitado pra caralho e ele vai morrer se não meter em Taeyong agora. “Você não aguenta um único dia sem foder, hein?” Donghyuck soa cruelmente possesso até mesmo aos próprios ouvidos e ele se assusta um pouco lá no fundo por como Taeyong consegue fazer o pior dele vir à tona como se estivesse sempre sob sua pele pronto para dar as caras “Você vai me pagar por tudo isso, entendeu?” é uma ameaça séria e Donghyuck sabe que foi entendido quando Taeyong geme na curva do pescoço dele e enfia os dedos em seus cabelos, puxa as mechas com força o bastante para machucar e fazê-lo arrepiar “É melhor pra você que você esteja mesmo molhadinho pra mim porque eu não vou ter pena de você hoje, Taeyong”.

E é com essa promessa final que Donghyuck dá um puxão brusco na calcinha de Taeyong e arrebenta as delicadas tiras de elástico que mantém a peça no lugar. Ele ouve um choro de Taeyong com isso mas ele ignora e apenas puxa a peça para o lado até que tenha livre acesso ao que quer. Após empurrar a lingerie arruinada no bolso, Donghyuck desliza a ponta de um dedo sobre o buraquinho de Taeyong para garantir que Taeyong está lubrificado direito. Taeyong geme com o toque, a boca dele soprando ar quente na curva do pescoço de Donghyuck. “Tão molhado quanto uma garotinha” Donghyuck declara antes de levantar Taeyong um pouco para que possa encaixar o pau na entradinha dele. Ele não pode ver na posição em que estão, mas ele não precisa disso de verdade e com um par de movimentos fluídos do quadril ele está dentro de Taeyong de novo.

Donghyuck geme com o aperto celestial e molhado com o qual Taeyong o recebe assim que está bem acomodado dentro dele, a respiração falhando e o coração batendo alto nos ouvidos, o tesão deixando-o bêbado. Ele pode ouvir Taeyong choramingando baixinho rente a orelha dele também, pode sentir o aperto em seus cabelos e o esfregão molhado do pau de Taeyong contra seu tronco ainda vestido. E é tudo tão bom, tão delicioso, que Donghyuck mal tem força nele mesmo para esperar Taeyong se acostumar com todo seu tamanho. “Hyuck-oppa, você disse que não ia ter pena de mim” Taeyong geme corajosamente nem um minuto depois, os lábios roçando o pescoço de Donghyuck enquanto as mãos deslizam pelo peitoral dele. Donghyuck grunhe excitado então e derruba Taeyong contra o canto do sofá, prende-o lá com o peso do corpo.

Ele ajusta os joelhos no estofado então e se apoia com uma mão no braço do móvel e logo ele está beijando Taeyong enquanto fode ele contra o sofá como se não houvesse mais amanhã. Donghyuck não se segura nenhum pouco, fode com toda a raiva e o tesão que Taeyong provocou, mete tão rápido e profundo quanto pode gerenciar, faz o sofá ranger alto o bastante para praticamente cobrir todo o barulho de seu quadril batendo na pele nua de Taeyong sem parar. Ele mergulha em Taeyong de cabeça de verdade, esquece que estão na sala de estar onde todos os outros podem ver se entrarem, faz valer a pena cada grama de frustração que acumulou ao longo de toda viagem até em casa. “Geme o meu nome e geme alto pra todo mundo ouvir” diz Donghyuck assim que se cansa de beijar Taeyong e passa a apenas mordiscar o lábio inferior dele.

Taeyong obedece imediatamente ao pedido e Donghyuck se vê obrigado a apertar a coxa dele com força e afastar um pouco mais para que possa ir mais fundo. Donghyuck ama foder com Taeyong, ama estar dentro dele e dar prazer a ele, porém são os gemidos manhosinhos dele que o levam a loucura de verdade. “Vou gozar, baby” ofega Donghyuck após alguns bons gemidos altos de Donghyuck e oppa ao pé do ouvido, o orgasmo enfim alcançando ele e fazendo-o tremer da ponta dos pés doloridos ao último fio de cabelo molhado de suor grudado em sua testa. Taeyong soluça um dentro, oppa, dentro com isso e então Donghyuck sente as mãos dele deslizando sob todas as roupas pesadas que ainda veste, alcançando suas costas molhadas de suor e pressionando as unhas ali, arranhando do jeitinho mais gostoso e provocante o possível.

O orgasmo atinge Donghyuck poucos segundos depois e ele é um onda avassaladora de prazer tão forte que Donghyuck tem que enfiar o rosto na curva do pescoço de Taeyong para tentar abafar o gemido esganiçado que ele solta. Ele tem o mínimo cuidado de se pressionar perto de Taeyong o máximo possível para que nenhuma gota de porra escape de dentro dele e quando ele volta a si mesmo a primeira coisa que faz é deslizar uma mãos sob Taeyong para esfregar os dedos ao redor do cuzinho dele e sentir se algo escapou de dentro ou não. “Eu me sinto cheio, oppa” Taeyong ronrona como um gatinho dengoso assim que Donghyuck força um dedo dentro dele, as coxas apertando o quadril de Donghyuck de um jeito perigosamente convidativo demais “Mas eu ainda não gozei… Eu quero gozar também, por favor”.

Rindo para si mesmo pela falta de vergonha na cara de Taeyong, Donghyuck agarra as coxas dele e dá um impulso para que se levante com ele no colo. “Você acha mesmo que tá em posição de querer alguma coisa de mim?” Donghyuck estala a língua em desaprovação e tenta atravessar a sala sem que caiam no chão. Após alguns passos as pernas dele começar a vacilar, ainda fracas do orgasmo recente, então assim que alcança o corredor que leva aos quartos Donghyuck apoia Taeyong na parede ao lado e o prende lá com o corpo. Estando frente a frente com Taeyong de novo ele pode ver o beicinho e os olhos de filhotinho que Taeyong carrega no rostinho suado e corado. “Você pode chorar e pedir o quanto quiser, eu disse que não vou ter pena de você” sibila Donghyuck antes de empurrar o quadril para cima e afundar mais dentro dele.

Taeyong joga a cabeça para trás e geme alto o bastante para ecoar, a imagem sedutora que ele protagoniza fazendo Donghyuck vacilar. Ele respira fundo antes que perca a cabeça e liberta uma das coxas de Taeyong para que possa tirar a camisa suada que ele ainda veste. Com um pouco de malabarismo Donghyuck finalmente tem Taeyong vestido somente com as meias bonitinhas dele e ele pode enfim provar com a boca toda a pele quentinha dele. “Mas não se preocupa, baby, eu ainda não terminei com você...” completa Donghyuck enquanto se inclina e desliza a língua ao redor dos mamilos de Taeyong, belisca como se não soubesse o quão fraco isso faz Taeyong ficar “Você vai ter a noite toda pra gozar só do meu pau te comendo” Taeyong soluça com isso, as mãos dele começando a empurrar a jaqueta preta pesada que Donghyuck usa.

Quando a jaqueta grossa cai no chão com um barulho surdo e Taeyong começa a puxar o moletom preto que Donghyuck usa por baixo, Donghyuck tem o súbito pensamento de que estão quase no corredor da entrada e que os outros dreamies podem entrar a qualquer momento. “Aqui não” ele murmura enquanto afasta a boca da pele de Taeyong e tenta prender uma das mãos dele contra a parede. Taeyong não fica feliz com isso porém antes que Donghyuck possa fazer algo a respeito ele é pego num beijo agressivo e molhado que o deixa trêmulo. É o suficiente para fazer Donghyuck esquecer a súbita onda de responsabilidade e logo ele mesmo está tirando o moletom e a camiseta. “Putinho mimado...” ele cola o tronco nu ao de Taeyong, encara os olhos dele escuros de tesão bem de perto “Eu vou te arrombar todinho bem aqui, ouviu?”.

Taeyong assente todo dócil e manso como resposta, abre um sorrisinho à seguir e estende uma mão até o peitoral de Donghyuck, traça desenhos pela pele suada com dedos preguiçosos. É tudo tão despretensioso e comportado e bonzinho que se Donghyuck não conhecesse a peça ele aceitaria isso facilmente. Felizmente Donghyuck conhece Taeyong bem demais para ser enganado tão abertamente. Taeyong é bom em fingir mas ele não pode esconder o brilho sapeca aceso nos olhos dele, esse que promete a Donghyuck uma onda de provocações e problemas e sexo sem amarras. Donghyuck ri ácido então, a frustração voltando a borbulhar dentro de suas veias como se nunca tivesse parado. Um único pensamento ronda a cabeça de Donghyuck agora: Taeyong é um merdinha filho da puta e ele precisa quebrá-lo ao meio hoje.


Notas Finais


a live do hyuck: https://www.vlive.tv/video/173087
a lingerie do yongie: https://twitter.com/girls18k/status/1184237684665077761?s=09
alias
eu: alimente sua ficwriter local e me de biscoito
voces: ta mas e o ten


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...