História Wrong - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO, Seventeen
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Hansol "Vernon" Chwe, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Suga, V
Tags Chanyeol, Jimin Uke, Jungkook Seme, Kookmin, Sooyon, Vernon
Visualizações 173
Palavras 1.063
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Policial, Romance e Novela, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi. Eu voltei bem rápido.
Acho que vai ser mais ou menos assim com Wrong. Vou escrevendo e postando.
Assim eu não acúmulo att.

Acho que vocês perceberam que eu tinha apagado Wrong, não é? Então, eu apaguei todas minhas fanfics, e restaurei elas mais tarde. Ia ser definitivo, mas eu não acho legal começar, e não terminar.
Obrigada pelos comentários no capítulo anterior. ❤

Vocês já sabem, né?
Não usem drogas, bebidas, não se envolvam com pessoas do tipo.
PROERD é o programa, PROERD é a solução, lutando contra as drogas, ensinando a dizer não.

Boa leitura, e perdoa meus erros ortográficos ♡

Capítulo 3 - 03 - Gentle Boy


Jungkook encontrava-se sentado no sofá da sala com Sooyon em seu colo enquanto Jimin estava na cozinha acabando de preparar a cobertura do bolo. A pequena dormia agarrada ao paletó do Jeon, enquanto o mesmo procurava algo bom para assistir na TV. Optou por deixar em um canal onde as apresentadoras fofocavam sobre a vida de alguns famosos.

“Hoje a cantora Lisa, integrante do grupo BLACKPINK, foi vista em um possível encontro com o herdeiro do império Jeon. - A apresentadora disse, enquanto um vídeo rápido da garota o abraçando passava na tela. - Eles já são o casal favorito entre as fãs do grupo.”

─ Você tem uma namorada muito bonita, Jungkook-ah. - A voz do Park assustou-o, tirando sua atenção da TV. - E eu sabia que te conhecia de algum lugar. - sussurrou para si mesmo.

─ Ela não é minha namorada. - Disse irritado, travando o maxilar. - Lalisa é quase minha irmã, nos conhecemos desde que somos crianças.

─ Me desculpe, eu não sabia. – Murmurou envergonhado. - Aigo! Sooyon dormiu e está aí toda folgada amassando sua roupa. - Disse trocando de assunto, evitando encarar o outro.

─ Tudo bem, eu não me importo, Jimin-ah. - Murmurou com um sorriso pequeno nos lábios, afagando os fios da pequena. - Mas eu posso colocá-la na cama se quiser.

─ Eu não quero parecer folgado, Jungkook-ah. - Respondeu, coçando a nuca envergonhado. O Jeon já havia feito muito apenas por salvar Sooyon. - Eu vou levá-la até o quarto, pode ficar a vontade.

─ Ok. - Murmurou, afastando a pequena com cuidado, entregando-a para Jimin.

Enquanto o Park levava a filha até o quarto, Jungkook pegou o celular, gemendo insatisfeito por abrir o aplicativo de mensagens e ver mais de trinta notificações. Todas de Lalisa, Taehyung e Chanyeol. Respirou fundo, decidiu que não abriria nenhuma das conversas, e voltou a atenção para a televisão. Cansado daquele programa, navegou pelos canais até parar em um noticiário.

“Maior cartel de drogas da Colômbia vai se entregar à polícia. O Clã do Golfo, a organização de narcotráfico mais poderosa na Colômbia, está disposta a se submeter às autoridades após quase dois anos de intensa busca policial, anunciou o presidente Juan Manuel Santos nesta terça-feira. A quadrilha é comandada por um ex-paramilitar procurado pelos Estados Unidos.”

Jungkook arqueou a sobrancelha, intrigado com a decisão tomada. No passado, eles foram bons fornecedores para a família Jeon, mas com a troca dos “chefões”, cortaram qualquer tipo de negociação. O cartel começou na cobrar caro demais pela mercadoria, quebrariam rápido caso aceitassem as condições absurdas. De qualquer maneira, a noticia foi boa. Um concorrente a menos para atrapalhar seu trabalho.

“De um exército de 4.000 membros, a organização se reduziu a cerca de 1.800 depois dos golpes desferidos pelas autoridades, incluindo a morte na última quinta-feira de Roberto Vargas Gutiérrez, vulgo “Gavilán”.”

— Pronto! - Jimin disse com um sorrisinho nos lábios. - Ela dormiu. Acho que hoje ela não acorda mais. – Murmurou para si mesmo enquanto servia um pedaço de bolo para o Jeon. – Café, chá ou suco?

— Chá, por favor. – Respondeu, sorrindo pequeno antes de levar um pedaço de bolo até a boca. Jimin serviu o chá em uma xícara de porcelana, e logo serviu a si mesmo, pegando suco e um pedaço de bolo. – Esse bolo está muito bom, Jimin-ah!

— Obrigado. – Sorriu tímido. – Aprendi a cozinhar com meu avô.

— Suponho que saiba fazer varias coisas gostosas, Jimin. – As bochechas do Park enrubesceram com a frase do rapaz a sua frente, e Jungkook sorriu, adorando o modo como o mais velho ficou envergonhado. – Me conte um pouco sobre você.

— Certo. – Murmurou tentando se livrar da vergonha. – Tenho vinte e quatro anos, sou formado em enfermagem, mas não posso trabalhar na minha área. Soo ainda é muito pequena, e eu não tenho coragem de deixar meu bebê com estranho.

— Então caso eu te convidasse para sair, você negaria? – A pergunta pegou Jimin de surpresa, fazendo com que ele se engasgasse com o bolo.

— Co-como? – Perguntou, ainda tossindo. – Nós mal nos conhecemos, Jeon.

— E é para isso que servem os encontros, Jimin. – Sorriu, aproximando-se do Park. – Mas posso te dar informações básicas sobre mim, para que aceite o convite que farei. – Disse após chegar perto de Jimin. – Jeon Jungkook, vinte e dois anos, empresário, que conhece duas pessoas extremamente responsáveis que vão cuidar muito bem de Soo enquanto estamos fora. – Sentia seu interior queimar em expectativa. Por mais que quisesse agarrar o Park ali mesmo. – Aceita sair comigo, Jimin hyung?

— Eu... - Ofegou pela proximidade, se sentido tímido por ter um homem tão bonito como Jungkook flertando consigo.

Antes mesmo que Jimin pudesse responder, o celular de Jungkook começou a tocar. O mais novo entre os dois grunhiu, sabendo que não poderia continuar ali. Recusou a ligação, voltando-se para o Park.

— Eu preciso ir, Jimin. – Se levantou, puxando um cartãozinho com o próprio numero de dentro do bolso. Entregou-o para o mais velho. - Mas vou deixar que pense na minha proposta, Hyung.

Jimin apenas maneou a cabeça positivamente, levando Jungkook até a porta. E assim que ele saiu, encarou o numero no cartão, pensando se deveria ligar ou não.

— Eu espero que o motivo pelo qual me ligou seja importante, Jooheon. – Disse assim que atendeu a ligação. Já se passava das sete horas da noite quando saiu da casa de Jimin. – Eu estava fazendo algo importante.

— Todas as vezes em que te ligo, é algo importante, Jungkook. – Debochou, escutando o chefe grunhir em concordância. – Se lembra quando me pediu para ficar na cola do JongUp? Então, tenho uma péssima notícia.

— O que aquele filho da puta fez? – Perguntou conectando o celular ao bluetooth do carro.

— Ele está te roubando, chefe. Já faz dois meses que esse merda está desviando dinheiro e drogas. – Respondeu. Jungkook colocou o celular no viva-voz. – Poupei seu trabalho e já trouxe o desgraçado até o galpão. Trouxe Irene comigo, você sabe que ela é a melhor em conseguir respostas com o jeitinho violento que tem.

— Fez bem em levá-lo até aí, e em ter Irene junto. – Acelerou, atravessando o sinal amarelo. Um sorriso pequeno surgiu no canto dos lábios, e ele riu, apertando o volante com o ódio correndo nas veias. – Eu vou matar esse desgraçado, Jooheon.


Notas Finais


E aí? Eu acho o Jungkook bem direto. Queria ter a confiança dele sempre que eu fosse conversar com o @. :'D

Eu tirei as informações sobre o cartel de drogas deste sitezinho aqui:
https://veja.abril.com.br/mundo/maior-cartel-de-drogas-da-colombia-vai-se-entregar-a-policia/

Quem curte B.A.P tá ligado que o JongUp foi o traíra em SKYDIVE, então decidi fazer ele um lactovacilo aqui também ♡

Por favor comentem, e me digam o que acharam desse capítulo ♡
Compartilhem Wrong, e dêem fav. :)

Até o próximo capítulo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...