História Wrong Paths - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Minyoongi
Visualizações 34
Palavras 4.545
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Finalmente né Min Yoongi.

Capítulo 15 - Eu Te Amo


Fanfic / Fanfiction Wrong Paths - Capítulo 15 - Eu Te Amo

17:00 PM

Eu tinha dito que ia fazer uma última semana incrível para (s/n), mas porque eu sabia que depois que ela saisse de meu apartamento ela iria direto para os braços de Jungkook e eu não teria mais chances, pois isso deles parecia estar ficando sério, levando em consideração a vez que ela disse que gostava dele. Eu ainda nem tinha a beijado, estar bêbada foi involuntário, e saber que Jeon não só a beijava como também passava suas mãos sobre o corpo dela me deixava com raiva, tudo que tinha a ver com ela e não era feito por mim me apoderava desse sentimento, raiva.


Nessa ultima semana levei (s/n) para todos os lugares que eu gostava, sem poupar gastos, queria que fosse tudo perfeito. Pois eu não tinha mais nenhuma carta na manga, agora era tudo ou nada. Mas mesmo assim, Jungkook continuava lá, dificultando minha vida. Mas apesar disso nossa semana estava sendo legal, levei ela a clubes desconhecidos, restaurantes, cinemas e até a levei a praças aleatórias para jogar conversa fora.
Qualquer coisa era uma oportunidade para mim. Eu já tinha falado com Namjoon e Jin, que queria ficar sozinho com ela no último dia, eles concordaram. Seria o dia em que diria a ela de meus sentimentos, isso me deixava um pouco nervoso. Mas era necessário. Eu me sentia em constante agonia quando ela não estava, era como se precisasse dela para respirar. E de fato precisava.


20:00 PM

Estavamos numa quinta feira, e (s/n) iria embora no sábado, e eu já estava sentindo a falta dela, mesmo ela estando presente. Eu, Namjoon, Jin e (s/n) estavamos assistindo um filme de terror, eu não gosto muito desse tipo de coisa. Mas Namjoon e Jin não negaram a ela, eles sabiam que fazer as vontades dela incluía em meu plano. Mas eu nem estava prestando atenção no filme, eu estava cuidando ela, olhando como era bonita de todas as formas, com os grandes cabelos bagunçados e até mesmo focada com os olhinhos arregalados era fofa. Isso era oficial, eu Min Yoongi, o cara que não prestava estava amando, amando de verdade. -suspirei-
(S/n) Yoongi-ssi, pode pegar mais refrigerante pra mim?
Ela falou sem desviar os olhos da tv, ela realmente gostava desse tipo de filme.
Eu: Claro!
Fui e fiz o que ela pediu, quando voltei pude reparar nas feições deles. (S/n) parecia encantada com o filme, Namjoon parecia nervoso e Jin estava com feição de assustado e ao mesmo tempo de curioso. -ri-
Entreguei o copo a ela e me sentei em meu lugar.


Sexta feira 22:00

Ela já havia voltado do apê de Jimin e Jungkook a uma meia hora, e estava se arrumando. Eles três tinham um trabalho pra apresentar na segunda. Como eu aluguei ela a tarde toda ela saiu daqui era umas sete horas da noite, e voltou só agora. O que me fez pausar meu plano de dizer sobre meus sentimentos. Mas o que importava era que ela estava aqui, e eu estava sentado a esperando para levá-la ao rio han, o lugar era incrivelmente lindo de dia, e ao anoitecer ficava maravilhoso, com luzes e coisas do tipo. Tinha certeza que ela iria adorar, pois não tinham levado ela até lá, ainda.


Ela apareceu no corredor e ficou me olhando
(S/n): Vai ser estranho -falou baixinho-
Eu sabia que ela estava se referindo de quando fosse embora.
Eu: Não pense nisso, quero te levar a um lugar, acho que vai gostar -sorri-
Eu não queria pensar nisso, e não queria que ela pensasse isso.
(S/n): então vamos -sorriu-
Me levantei e a segui até a porta, descemos as escadas e fomos pra garagem pegar meu carro, ela entrou no mesmo e ficou em silêncio, o silêncio por sí é bom, mas quando você quer falar com a pessoa ele parece fazer os ouvidos sangrar pode até deixar surdo, porque ele maltrata e é terrível.
Eu liguei o rádio para o clima não ficar tão pesado.
Ela começou a cantarolar as músicas que tocavam. Quando chegamos ela ficou me olhando.
(S/n): Yoongi... É lindo -sorriu boba-
Eu: Que bom que gostou. Vamos?
Ela assentiu e nem esperou que eu abrisse a porta do carro e já foi saindo, ficou parada me esperando. Eu segurei sua mão e entrelacei nossos dedos. Começamos a caminhar por ali, ela estava sorrindo, e eu amava esse sorriso. Ver ela feliz desse jeito me deixava feliz. Ela estava empolgada, eu poderia a beijar aqui e agora. Mas não podia, -suspirei-
Paramos para comer churros de um tiozinho que estava vendendo ali por perto e nos sentamos em um banco afastado, mas que desse a visão bonita do lugar em que estávamos.
(S/n): Yoongi, não precisava ter feito isso.
Eu: Mas eu queria, você vai amanhã. Queria que fosse legal hoje -sorri-
Ela me abraçou forte, eu fiquei imobilizado com sua atitude, realmente não esperava.
(S/n): Obrigada, você é o melhor amigo do mundo Min Yoongi.
Certo, era isso. Seguiremos, ela realmente me via como "amigo" isso me doía, saber que podia ter dito antes o que eu sentia e não disse, teria que sofrer calado por uma pessoa que eu queria ao meu lado mas que estava ao lado de meu amigo. Isso doía tanto. Mas ainda assim ela estava aqui, e eu queria aproveitar o momento com ela.
Eu: Você tem mesmo que ir?
(S/n): Sabe que sim, vamos nos ver sempre. Não trate isso como um adeus.
Eu: Mas isso é um adeus. Você sabe!
(S/n): Não diga isso, eu só estou voltando pra casa de Lauren.
Eu: Tudo bem! Vêm. -estendi minha mão-
Nós conversamos e caminhamos mais algumas vezes pelo local até que decidi levá-la de volta. Ela deveria estar cansada, pois estava estudando e logo em seguida eu a trouxe para cá.
Eu: É quase meia noite, acho melhor nós ir agora.
Ela sorriu pra mim, e concordou.
Namjoon e Jin não estariam em casa, mas de que adiantaria? Eu não iria falar de meus sentimentos a ela, porque eu era só o seu amigo, nada mais que isso
Chegamos no apartamento e eu joguei a chaves do carro na mesinha de centro. De fato eu estava triste, e talvez irritado com toda a situação.
Nós fomos direto pro quarto, eu estava sentado na cama, esperando ela se trocar, mas ela não tirou a roupa.

 Ela caminhou em minha direção e se sentou também, ficou olhando em meus olhos, como se soubesse de tudo que eu já havia feito. Ela colocou sua mão direita em meu rosto e se aproximou de mim, selando nossos lábios. Eu não esperava por isso, mas não neguei, demorei tanto tempo para sentir isso que podia sentir borboletas em meu estômago.
Ela recuou e ficou me olhando, então se aproximou de novo e me beijou, dessa vez era um beijo e não um selinho. Ela pediu passagem com a língua e eu claro, cedi rapidamente. Ela veio para frente e eu a puxei para o meu colo. Não acreditei que isso estava mesmo acontecendo. Nós estavamos nos beijando, em minha cama, eu estava sentindo seus labios, os quais eu vinha fantasiando no último mês. Ela ficou com as pernas em volta de meu tronco e tirou minha blusa, eu realmente estava surpreso, não esperava isso dela. E eu não podia fazer isso com ela, não agora, se estou pirando? Sim, eu realmente queria, mas não podia.
Eu: Eu.. eu acho melhor não (s/n).
(S/n): Por favor, Yoongi.
Ela estava com um som de súplica, então me puxou novamente ficando por cima de mim e me beijou, me fazenda arfar, levei minhas mãos até suas nádegas onde as apertei forte e fiz com que ela arfasse e sorri entre o beijo. Retirei seu vestido com sua ajuda, o jogando em algum lugar, inverti as posições ficando no controle. Deitei ela na cama e tirei minha calça, me coloquei entre suas pernas, e voltei a beijá-la, desci meus beijos pelo se pescoço até chegar em seus seios. Isso estava mesmo acontecendo?
Beijei eles por cima do tecido do sutiã e como o fecho era na frente não tive problemas, o joguei longe e chupei seus seios já rígidos, ela arfava baixinho, mas isso era o suficiente para me deixar duro. Contornei seu mamilo e o mordisquei, o que fez com que ela soltasse leves gemidos, isso era música para meus ouvidos. Voltei a sua boca e a beijei fervorosamente, era um beijo com desejo de ambas as partes isso estava me deixando louco, eu estava sentido meu pau latejando, ele queria tanto quanto o meu ser queria, me levantei rapidamente e peguei uma embalagem de preservativo no criado mudo. Enquanto a beijava ela desceu suas pequenas mãos para a barra de minha box, a deslizando pelas minhas pernas, eu terminei de tirar a mesma, e coloquei a camisinha em meu pau, ela ficou olhando atentamente, ficou de joelho na cama ficando a minha altura e me beijou, eu a deitei lentamente na cama ficando por cima novamente e rocei minha intimidade na sua, ela deu leves arfadas eu desci minha mão direita até sua intimidade, queria ter certeza de que ela estava molhada o suficiente para não a machucar. E ela estava, estava pronta. Eu encarei seus olhos
Eu: Se doer, me peça que eu paro -sorri-
Ela assentiu. Eu nunca tinha dito isso a alguém, porque o que importava para mim era apenas foder. Mas com ela parecia tudo diferente. Então eu me posicionei em sua entrada.
Fui colocando de leve, podia ver sua expressão facial de desconforto, talvez por sentir isso pela primeira vez. Quando me empurrei de uma vez para dentro de sí vi os olhos dela lacrimejar, mas não podia parar o que começamos. Então fiquei parado por uns segundos para que ela se acostumasse com a dor, ela balançou a cabeça positivamente e eu entendi, então comecei a fazer leves movimentos de vai e vem para que não a machucasse. Ela ainda estava com os olhos lacrimejados, mas tinha algo a mais, era desejo, ela arranhou minhas costas fortemente, mas eu não me importei com a ardência disso, isso só me causava mais excitação, quando vi que tinha sinal verde para ir rápido foi isso que fiz, acelerei meus movimentos, ela estava gemendo meu nome eu esperei tanto tempo para ouvir isso, que só me motivava a ir mais fundo, ela mordia meus ombros e arranhava forte minhas costas. Estava com a respiração descompassada, não diferente de mim. Virei ela para cima de mim, de forma que ela ficasse no controle. Ela me olhou confusa
Eu: Serei seu guia -sorri-
-Ela assentiu- coloquei minhas mãos em sua cintura a coordenando e ela iniciou outro beijo, quente e com luxúria. Eu só queria fazer ela sentir prazer, e a forma em que ele gemia meu nome só me dava certeza disso.
Eu senti aquele famoso puxão na barriga, avisando que meu orgasmo estava perto, segurei seu quadril o apertando fortemente, e puxei ela para mim, de forma que eu ganhasse mais velocidade para dar minhas estocadas. Não demorou muito e gozamos.
Eu estava feliz, me sentia realizado. Me levantei se livrando daquela camisinha já usada. Voltei para a cama e deitei ao seu lado, fiquei ouvindo o som de sua respiração ofegante enquanto tentava normalizar a minha.
A abracei e ela se arrastou para mais perto de mim, deitando sobre meu peito.
Ficamos em silêncio ouvindo um a respiração do outro. Eu estava feliz por agora, mesmo sabendo que ao meio dia ela iria embora, ou talvez nem fosse. Ela parecia estar dormindo, sua respiração já estava normal e ela parecia tranquila e serena.
Fechei meus olhos, e esperei o sono vir
Eu: Eu te amo (s/n) -sussurrei-

Passei a mão pela cama e (s/n) não estava, mas que diabos. Abri meus olhos e os corri por todos os cantos do quarto, mesmo escuro eu sabia que estava sozinho. Me levantei da cama vesti minha box e uma blusa
Eu: (s/n)? -a chamei-
Nada, sai do quarto e fui até o banheiro, estava vazio. Fui até a sala.
Eu: (s/n) ta aqui?
Não, não está, fui até a cozinha e que droga. Onde essa garota se meteu? Fui até a porta do apê e abri, olhei as escadas e o corredor vazio. Ela se foi? Sera mesmo? Soquei a parede machucando minha mão e comecei a chorar, mas era de ódio, de dor emocional, corri pro meu quarto chorando e joguei tudo o que vi pela frente no chão, como ela poderia ter me deixado sozinho depois de ter se entregado a mim? Como? Derrubei meu criado mudo e comecei a socá-lo e a chutá-lo. Eu estava tomado por raiva e dor, só conseguia chorar e gritar o nome de (s/n) porque ela tinha feito isso comigo? Fui até minha cama e puxei os lençóis e cobertas de cima da mesma o jogando tudo no chão e pisoteando, segui até meu guarda roupas onde puxei todas as roupas jogando pelos cantos, isso doía eu queria fazer com que isso parasse, eu não queria sentir dor por um amor que nem  existia da parte dela. Minha visão já estava turva por conta do choro e minha cabeça doía eu sentia que podia desmaiar. Vi um vulto na porta n sabia distinguir quem era até ouvir a voz do indivíduo
Jin: Meu deus Yoongi o que ta acontecendo?
Eu: M-me deixe hyung, não quero ninguém aqui
Jin: Yoongi?
Eu: SAÍA, SAÍA DAQUI EU NÃO QUERO VER NINGUÉM!!
Estava prestes a partir para cima de Jin quando Namjoon me agarrou me dando um abraço de urso o que fez com que nós caissemos no chão.
Nam: Ei, ta tudo bem!
Eu: Faz parar, por favor! Eu não quero sentir isso, eu não quero!
Eu não conseguia parar de chorar, por mim eu ficaria chorando em posição fetal
Jin: Acha que ele vai ficar bem?
Nam: Ele tem que ficar!
Eu: Por favor, tirem a minha dor, eu não quero sentir isso -solucei-
Eu não estava me reconhecendo, isso tudo por causa de uma garota. Mas ela não era qualquer garota era a garota.
Nam: Ta tudo bem Yoongi, se acalma.
Eu: Namjoon eu não sou assim!!
Jin: Eu vou pegar uma água pra ele.
Nam: Sim, faça isso!
Eu: Porque dói tanto?
Nam: É assim mesmo, vem levanta.
Namjoon me ajudou a levantar do chão e puxou meu colchão de volta pro lugar, eu me sentei na cama e fiquei enxugando minhas lagrimas até jin vir
Jin: Tome!
Bebi a água em um único gole, eu precisava respirar, mas não conseguia. Ela tinha se tornado meu ar, mas estava me sufocando e isso iria me matar. Talvez isso soasse dramático de mais, mas era assim que eu me sentia. Tudo desmoronando.
Eu: Ela... Ela não esta em lugar nenhum!
Encarei o chão
Nam: Ela pediu ao Jin que a levasse para a casa de Lauren.
Eu: O que? Quando?
Jin: Era quase cinco da manhã quando eu e Namjoon chegamos. Ela estava com as coisas arrumadas então eu a levei.
Eu: Não podia ter feito isso sem falar comigo!
Nam: Lauren disse que a prima nunca foi boa em dizer adeus.
Eu: Eu sussurrei que a amava, e agora eu a perdi.
Senti meus olhos lacrimejar novamente e um bolo se formou em minha garganta. Mas eu segurei
Jin: Você pode ligar para ela mais tarde, ocupe sua mente Yoongi!
Nam: Pode começar arrumando essa bagunça.
Eu assenti, mas Namjoon e Jin me ajudaram a arrumar o quarto. Quando eles sairam eu tranquei a porta, e me deitei na cama, era só eu e ela. No silêncio do quarto vazio com minha alma solitária e um amor não correspondido. 

Porque ela se entregou a mim se pretendia me deixar? -suspirei pesado-
Fui até a janela e a abri, Namjoon tinha razão. Eu deveria ocupar minha mente, então separei uma roupa e fui pro banheiro, eu parecia estar queimando em constante agonia, esse sentimento de dor não saia, e se eu fechava os olhos ela me vinha na mente, e se eu ficava de olhos abertos o rosto dela se formava em qualquer que fosse o lugar. Liguei o chuveiro no gelado, deixando a agua levar minha mágoa, e lagrimas junto consigo. Depois de já tomar um banho e lavar o resto de dignidade que me sobrava fui para a sala.

Já estava a muito tempo mofando no sofá. E já tinha perdido as contas de quantas vezes disquei seu número e apaguei.
Jin apareceu e se sentou ao meu lado
Jin: Você não vai comer? Está a horas aqui
Eu: Não sinto fome -suspirei-
Jin: Pare com isso, você devia ligar a ela. Já tem mais de dez horas que ela saiu daqui.
Eu: Eu não sei, e se ela não atender?
Ouvimos um barulho na porta e por um momento eu achei que fosse ela, mas era só Namjoon entrando de uma forma estabanada -ri-
Nam: Se não ligar não vai saber. Deus cansei -jogou as mãos pro ar-
Jin: Eu disse pra ficar em casa, mas você é teimoso.
Eu: Estava aonde?
Nam: Correndo, precisava pensar. Esse seu caso afeta a minha pessoa -riu-
Eu: Ah
Nam: Sério, liga logo! -ordenou-
Eu: Está bem!
Peguei meu celular rolei os contatos até chegar ao dela, coloquei para chamar. Minhas mãos começaram a soar e meu coração acelerou, minha respiração ficou pesada eu parecia estar travando. E no terceiro toque ela atendeu.
Pelo menos atendeu


-ligação on-
-Sim?
Eu: Você está bem?
- Sim, você quer alguma coisa?


Ela queria soar com desdém, mas estava evidente em sua voz que estava nervosa.


Eu: Queria. Queria saber porque saiu daqui sem me falar.
- Eu só queria vir pra casa.
Eu: Você se arrependeu?
- Não, eu só não tinha mais nada para fazer ai.
Eu: Ta bom, podemos sair amanhã?
- Vou sair com Jungkook.
Eu: Certo, diz que somos amigos mas nem juntos podemos sair?
- Está bem Min Yoongi, vamos sair. Depois das nove. Boa noite!
Eu: Boa noite!
-ligação off-


Jin e Namjoon me encaravam, pareciam curiosos
Jin: Então?
Eu: Então que ela ainda esta com Jungkook -sorri fraco-
Nam: Sinto muito Yoongi.
Jin: Vocês acham que já rolou alguma coisa entre eles?
Eu: Não, ela era virgem.
Nam: Será?
Eu: Sim, e ela.. Ela se entregou a mim noite passada.
Eles arregalaram os olhos, pareciam pasmos.
Nam: Você queria isso, não queria?
Eu: Sim, mas não do jeito que eu te disse aquela vez. Se fosse assim eu não estaria assim agora.
Jin: Cara, eu não entendi mais nada!
Se eu que estava dentro disso não entendia, imagina quem estava fora.
Nam: De qualquer jeito, só espere.
-assenti-


Domingo 21:36 PM

Eu estava esperando ela em uma praça que era perto da casa de Lauren. Avistei ela e me levantei, ela parecia estranha, e o encontro com Jeon durou mais tempo que o normal.
Eu: Você demorou -sorri-
(S/n): Eu estava ocupada.
Ela queria soar fria, porque estava agindo assim? Eu não a obriguei a transar comigo.
Eu: Vocês transaram?
Ela me encarou incrédula.
(S/n): Não é da sua conta Yoongi.
Eu: Como não é da minha conta?
(S/n): Olha Yoongi, eu não te devo satisfação do que eu faço ou deixo de fazer com o Jungkook. -falou ríspida-
Eu: Certo, esta me dizendo que vocês transaram?
(S/n): Por deus Yoongi assim você me ofende. Acha que só porque não sou mais virgem eu iria sair transando por ai?
Eu: Eu não quis ofende-lá, desculpe. É só que você demorou e eu não sei.
(S/n): Inacreditável!
Eu: Vocês transaram? -insisti-
(S/n): Não Yoongi, não transamos.
Ela suspirou pesado, de certa forma eu me senti aliviado.
(S/n): Eu estou cheia Yoongi, acho melhor você ir embora e eu vou voltar pra casa.
Ela se virou de costas e saiu andando. Seria agora ou nunca, eu corri até ela e segurei seu pulso.
Eu: (s/n) me escuta por favor.
Antes que ela pudesse dizer qualquer coisa eu prossegui
Eu: Eu não sei o que fazer, eu preciso de você. Eu.. Eu te amo, e acredite o que eu sinto por você eu nunca senti por ninguém antes. Sem você por perto eu não me sinto bem, você me deixa confuso de mais e as vezes eu não te entendo, mas só quero estar ao seu lado. E por favor olhe em meus olhos e diga que não sente nada. Se não sentir eu te deixarei em paz para ficar Jeon. Mas por favor me de uma resposta, eu não posso mais esperar, isso está me enlouquecendo

Eu podia sentir meus olhos lacrimejar, por falar tudo de uma vez o que estava entalado.
Ela pareceu pensativa
(S/n): Eu.. Eu.. Não sei Yoongi. É confuso.
Vai ver ela não sentia nada, larguei seu pulso e me aproximei de seu rosto.
Eu: Tudo bem. Eu já estou indo -suspirei-
Sai andando e pude ouvir ela chamando meu nome algumas vezes. Mas eu não voltaria.


Corri para casa, Namjoon e Jin estavam sentados. Assim que entrei podia ver que eles queriam saber sobre (s/n). E também já sabiam que a resposta não era positiva.
Eu: Eu a perdi. To indo pro meu quarto.
Jin: Sinto muito Yoongi.
Nam: Você é forte, vai passar.

Eu apenas ignorei-os e fui para meu quarto. Me deitei na cama e respirei pesado. Eu estava sentindo tudo doer. E nesse momento prometi a mim mesmo que não amaria de novo. Mas ainda assim eu a queria.
Eu: Por favor volte pra mim!
Falei chorando baixinho, mesmo sabendo que ela não voltaria e nem ouviria.
Peguei meus fones e coloquei músicas melancólicas para desgraçar tudo de uma vez.


P.O.V (s/n) Park

Segunda 00:00 AM

Estava deitada na minha cama, e não parava de pensar nas palavras de Yoongi. Ele havia dito que me amava, e de certa forma eu sentia o mesmo. Talvez fosse só medo de dizer isso em voz alta, mas sim eu sentia o mesmo. Mas não podia largar Jungkook dessa forma. Eu estava confusa de mais, não sabia o que fazer, eu fechava os olhos e me vinha a imagem de Yoongi com os cabelos escuros caídos sobre os olhos dizendo que me amava. Isso era uma tortura. -suspirei-
Eu: Eu preciso resolver isso!
Eu já podia sentir meus olhos deixando lágrimas quentes escaparem. Isso era outra coisa incontrolável. Como eu pude deixar as coisas chegarem a esse ponto? Meu deus o que eu estou fazendo de minha vida. Eu queria Yoongi comigo.
Eu: Eu te amo Min Yoongi!
Falei chorando baixinho, o que que será que ele estaria fazendo agora?


Peguei meu celular decidida que ligaria para Jungkook e o diria sobre meus sentimentos. Isso não era justo com ele, que se mostrou ser uma pessoa incrível em pouco tempo, e ele gostava de mim. Iria ser difícil porque de algum jeito eu também gostava do mesmo, mas amava Min Yoongi. E eu não podia ser egoísta de prender ele a mim sendo que amava outro.
Disquei o número de Jungkook e esperei que ele atendesse.
No segundo toque ele atendeu, rápido.


-ligação on-
Eu: Oi, eu sei que por celular é estranho. Mas eu preciso falar uma coisa.
- Você ta chorando?
Eu: Não, ta tudo bem!
- Sim, você esta chorando. Estou ouvindo.
Eu: Me desculpe Jungkook, eu não posso levar isso a diante. Eu amo Min Yoongi, me perdoe por favor, eu não queria ter deixado as coisas irem longe de mais.


A esse ponto eu já estava soluçando e atropelando as palavras. Pude ouvir a respiração de Jungkook pesar, mas ele não desligou. Suspirou algumas vezes até que pude ouvir sua voz novamente.


- Eu, não sei o que dizer. Na verdade eu já esperava isso, só não sabia quando aconteceria. Eu te entendo. Não se preocupa. E sim eu estou chateado por gostar de ti, mas eu supero -riu-
Eu: Jeon é sério. Me desculpe, por favor.


Eu estava chorando descontroladamente.


- Ei, não fique assim. Eu to bem, e quero que fique bem. Não vou te forçar a ficar comigo, eu te desculpo. Boa noite (s/n).
-ligação off-


Ele desligou o celular sem deixar eu falar mais nada, -ótimo- ele estava puto só não quis demonstrar devido eu estar chorando.
Joguei meu celular no chão e abracei meu travesseiro chorando mais, porque essas coisas tinham que acontecer comigo? Fiquei de olhos fechados deixando a dor tomar conta de mim, eu precisava dele. Porque eu o deixei ir sem dizer que também o amava? Eu sou muito trouxa meu deus, não é possível.


Já tinham duas semanas que eu não via Yoongi, mas soube pelos meninos que ele não ia mais a faculdade e que nem saia do quarto. Ele não atendia nenhuma de minhas ligações e se quer respondia minhas mensagens. Por outro lado eu e Jungkook já estavamos de bem, e Yasmim viria para cá no próximo mês. Jungkook e ela estavam de conversinha, diferente de eu e Yoongi ele estava seguindo a vida, e isso me deixava feliz por ele. E também por Yasmim, certeza se isso fosse para frente seria um relacionamento bem estruturado de ambas as partes. Ou talvez eles só quisessem ficar, não sei.

No apartamento de Jungkook já não se via mais aquele entra e sai de pessoas aleatórias. Isso era bom, o que não era bom é que Lauren e taehyung vinham brigando muito por causa dos pais dele, que queriam mandar ele para os estados unidos para fazer faculdade. E nós não estávamos nem no final do ano e eles já estavam assim, seria horrível se chegasse o final do ano e as brigas piorassem. Não era bom nem pensar. Mas voltando a mim, eu só queria ver Yoongi e dizer o quanto eu sentia a falta dele, mesmo ele talvez me odiando. Mas de uma coisa eu tinha certeza, ele estava mal, segundo os meninos nunca tinham visto ele assim. Ele não falava nem com Jin e Namjoon que dividiam o apartamento, eu estava preocupada. Mas eu também tinha que cuidar de minha vida.


Lauren e eu estávamos jogadas sobre o sofá, assistindo uma coisa que nem eu e nem ela estávamos prestando atenção.
Lau: Você ainda ta pensando nele?
-suspirei pesado-
Já podia sentir meus olhos lacrimejando
Eu: Não consigo tirar ele da cabeça. E você e tae? Estão melhores?
Ela pestanejou por breves segundos
Lau: Não, eu não sei. Não falo com ele desde ontem. Como ele pode deixar os pais dele se meterem na vida dele?
Eu: Bom, são os pais dele. Você deveria entender o lado dele também. Ser orgulhosa só vai estragar as coisas.
Lau: Não estou sendo orgulhosa, eu só quero que ele fique comigo. Não vamos nos ver se ele for, e nosso namoro não ia durar.
Eu entendia ela, ela só queria ficar com ele e de certa forma ela tinha razão. O namoro acabaria  e eles iriam seguir rumos diferentes.
Era exatamente isso que estava acontecendo comigo e com Suga. Pegamos "caminhos errados"
Eu: Eu entendo -sorri- vamos pedir pizza, to morrendo de fome.
Ela assentiu e se levantou indo para a cozinha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...