História X-men (Interativa) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias X-Men
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Drama, Ficção, Ficção Cientifica, Heróis, Horror, Interativa, Luta, Mistério, Mutante, Mutantes, Originais, Policial, Saga, Sci-fi, Suspense, Terror, Universo Alternativo, X-men
Visualizações 144
Palavras 4.534
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então, a primeira personagem de dez foi aceita. Isso quer dizer que agora só faltam nove vagas para personagens principais (:

Capítulo 3 - (Oliver) "Culpada"


Fanfic / Fanfiction X-men (Interativa) - Capítulo 3 - (Oliver) "Culpada"

Às vezes, as pessoas explodem sem motivo.

Primeiro dia de volta a aula depois do incêndio. Tudo estava irreconhecível, parecia outro colégio construído em cima do antigo.  O céu estava claro e poucas nuvens restavam, se alguém dissesse que iria chover Oliver não acreditaria. Mesmo se alguém sequer comentasse sobre isso, Oliver dificilmente poderia ouvir. Ela estava em algum mundo próprio dentro da sua cabeça até que algo a despertou de seu transe auto-infligido.

_Vamos, depressa! – Gritou Brittany acenando com a mão do outro lado. 

Oliver e seu pai Fredd se aproximaram das gêmeas Brittany e Tiffany. As melhores amigas de Oliver. Brittany usava um curto vestido de cor pêssego junto com seu par favorito de sapatos com saltos bem altos e uma bolsa branca ao redor dos ombros. Já Tiffany usava uma blusa branca com jeans azuis e um par de botas coturno de cor preta. Ignorando a diferença do guarda-roupa de ambas. Apenas outra coisa as distingue. Tiffany havia pintado seu cabelo louro de castanho no ultimo verão para não ser mais confundida pelas maluquices que Brittany poderia voltar a aprontar. Não era sempre que ocorria, mais às vezes poderia voltar a acontecer.

A mãe das gêmeas segurava logo ali a sua frente uma câmera fotográfica. Para Ângela, era de extrema importância que tudo no dia de suas únicas filhas fosse perfeitamente registrado como se fosse o primeiro. E por extrema segurança, até mesmo suas primeiras fotos juntas antes mesmo de entrarem deveriam ter por pelo menos uns três ângulos diferentes.

_Oliver, oh isso é maravilhoso. – Disse Ângela entusiasmada mantendo os olhos fixos na câmera. – Venha aqui com as meninas para eu poder tirar as fotos.

Fredd mantinha seus olhos paralisados na câmera. Ele usava uma calça verde escura e uma blusa amarela com listras pretas como alguém que deve ter se arrumado por pelo menos cinco minutos antes de sair de casa. Muito diferente de Ângela, a elegante mulher segurando uma pequena maquina fotográfica á sua frente, além de um belo blazer azul claro com uma longa saia da mesma cor que caia sobre seus joelhos, ela usava um belo par de sapatos formais pretos e um pequeno colar no pescoço. Os dois pareciam pertencer à universos completamente diferentes.

_É melhor você sorrir. – Disse Fredd após levemente empurrar Oliver para frente da câmera até ao lado direito das gêmeas. 

Ângela não ficou nada satisfeita ao ver Oliver olhar para as pessoas andando na rua ao invés de olhar para a câmera. Oliver também não mantinha uma expressão amigável no rosto, ela parecia estar incomodada com algo, como se alguém ou alguma coisa pudesse sair da rua á qualquer momento e acabar puxando-a daquele lugar. As gêmeas esbaldavam um grandioso sorriso de orelha a orelha. Todos os dentes de Brittany estavam amostra, e as maças do rosto de Tiffany estavam altas e volumosas. Havia vida em seus rostos.

_ “Diga ‘xis’!” – Gritou Ângela entusiasmada.

O fleche da câmera fez com que Oliver apertasse os olhos e os esfregasse com as pontas dos dedos. Oliver, quase não mudou sua expressão antes da foto por apenas dois motivos. Um, por que ela não ficava a vontade na frente das câmeras, e, dois, por que ela não teve tempo. Foi tudo tão rápido que Oliver apenas levantou os cantos da boca, apresentando um leve e nervoso sorriso.

_Esse flash é muito forte! – Reclamou Tiffany que quase instantaneamente levou suas mãos ao rosto quando percebeu que os olhos de Oliver ficaram irritados.

 _Será que eu regulei direito? – Ângela se perguntava repedidas vezes enquanto mexia nas configurações da câmera só se preocupando com o porquê a tentativa de tirar aquela foto havia falhado.

_O que? – Perguntou Brittany enquanto olhava para as duas esfregando os olhos ao seu lado. – Eu não achei assim tão forte. 

Quase que imediatamente Tiffany a cutucou na barriga com seu cotovelo, fazendo um sinal com as mãos para ela começar a esfregar os olhos também. Sem entender muito bem, Brittany abaixou sua cabeça enquanto esfregava seus olhos com uma mão e a sua barriga com a outra fazendo com que as bochechas de Fredd ficassem vermelhas com sua fracassada tentava de segurar o riso.

_Pronto. Acho que agora já deve estar tudo certo. – Disse Ângela com seu braço esquerdo levantado, tentando chamar a atenção das três adolescentes rindo logo há sua frente. – Mais uma tentativa!

Imediatamente Brittany fechou seus olhos, sorriu e posou com a mão na barriga para a câmera. Já Tiffany fez uma expressão mais graciosa do que fizera na primeira vez, e olhando para Oliver, ela piscou um olho. A mesma observou as duas pelo canto dos olhos e então também os fechou sorrindo logo depois.

_ “Ok, digam ‘xis’!” – Gritou Ângela se animando ainda mais quando viu o sorriso de Oliver.

Uma bela foto. Oliver estava radiante. O seu sorriso exagerado fez seus olhos parecerem mais puxados que o normal e suas covinhas aparecerem de relance. Tiffany Parecia estar se divertindo muito e Brittany estava linda com traços mais delicados em seu rosto como sempre.

Ângela apertava as bochechas de suas filhas com o rosto repleto de felicidade, o que as deixavam um pouco desconfortáveis e com certo constrangimento ao saber que os outros alunos estavam vendo. Oliver abraçou seu pai antes de fazer o famoso aperto de mão dos Steiner para dizer adeus. Assim Ângela entrou em seu carro prateado e Fredd entrou na sua viatura policial. Os dois sumiram de vista em poucos segundos.

_Droga, a gente já deveria estar no auditório. – Disse Brittany olhando no relógio do seu celular com capa de pedras brilhantes. 

As três tinham de ir para o auditório, onde iriam escutar um discurso do diretor. O lugar estava enorme, possivelmente umas duas vezes maior do que era anteriormente. Oliver se sentou em umas das ultimas fileiras no fundo onde não havia ninguém, Tiffany estava do seu lado esquerdo e Brittany do direito. Mesmo estando há certa distancia das outras pessoas, Oliver estava se sentindo ansiosa. Ela não parava de olhar para os lados enquanto mordia o lábio inferior.

_Ah, gente? – Perguntou Oliver com certa preocupação. – Pra que vocês acham que é isso tudo? do que vocês acham que o diretor vai falar?

_Com certeza tem haver com aquele incêndio do outro mês – Disse Brittany o mais baixo que podia enquanto tentava usar seu celular sem ser vista.

O nervosismo de Oliver já era evidente agora que pequenas gotas de suor começaram a escorrer por sua testa. Tiffany começara a ficar preocupada quando viu as primeiras gotas de suor. Ela imediatamente pegou um creme de dentro de sua mochila e sem perguntar, já o espremeu nas mãos de Oliver. A garota confusa e agora com as mãos cheias de creme já havia entendido o recado e apenas esfregou suas mãos, uma na outra.

_Mais quem será que foi tacar fogo na escola justo no dia da foto. – Dizia Brittany enquanto olhava para seu celular. – Com certeza eles vão pegar quem foi, uma coisa dessas não passa despercebida.

Os olhos de Oliver dobraram de tamanho, eles se abriram o máximo que a estrutura poderia deixar e apenas não saltaram para fora, pois estavam presos na cabeça. A garota apenas podia esfregar suas mãos com mais força e mais rápido.

_Eu nem sei como ainda não sabem quem foi que fez isso, porque... 

Tiffany chutou Brittany com o calcanhar por debaixo da cadeira fazendo a mesma a olhar imediatamente. Sua boca estava aberta e sua sobrancelha estava arqueada pela surpresa e antes de ela perguntar o porquê ele havia feito isso, Tiffany continuou.

_Fica quieta Brittany. – Disse sua irmã apontando para o diretor entrando no palco do auditório. – Acho que vai começar.

Brittany guardou seu celular na bolsa, arrumou sua postura e ficou parada olhando para frente como se nunca estivesse mudado sua atenção para nenhum outro lugar.

O diretor começou a falar. Ele falava sobre assuntos variados, sobre algumas mudanças nas salas de aula e também sobre os armários que foram substituídos. Oliver ficou esperando ele falar sobre o incêndio, sobre como alguma câmera de segurança a filmou nos corredores quando seus livros começarão a pegar fogo sozinhos e como ela os jogou no quadro de avisos porque se assustou, fazendo o incêndio se espalhar mais rápido. Mais isso não aconteceu, o diretor Willians nem tocou no assunto do incêndio e nem de como ele começou. Ele apenas falava das consequências que o incêndio causou. Oliver já estava preparada para quando os policiais entrassem e a tirasse dali, mais isso não aconteceu e isso foi o que mais a assustou.

Mais tarde no refeitório. Oliver estava desconfiada de que algo não estava certo e alguma coisa estava acontecendo. Algo ainda mais estranho é de que ela estava se sentindo aliviada, pois não descobriram que ela foi a culpada de tudo isso. Oliver não se sentia mal pelo pensamento de que se safou sem ser pega, pois sabia de que, em uma situação dessas, é isso que se deve esperar.

_...você não acha Ollie? – Perguntou Brittany.

Oliver voltou a si, saindo de sua zona de pensamentos profundos e olhando para Brittany sentada ao seu lado que parecia estar falando há um bom tempo enquanto não parava de encarar a garota ruiva na mesa da frente.

_Desculpa. – Disse Oliver levando seus dedos á cabeça. – Eu meio que não prestei atenção.

_Matilde. – Continuou Brittany franzindo os olhos. – Ela fez algo no cabelo, eu não sei o que é, mais ficou... – Brittany suspirou. – Ficou ótimo. Acho que agente devia ir falar com ela.

Oliver ficou surpresa e nem fez questão de esconder isso. Brittany não mantem uma boa relação com Matilde desde quando ela chegou ao colégio. No começo, Matilde queria ser amigável e em pouco tempo as duas não saiam de perto uma da outra. Isso durou até Brittany descobrir que Matilde estava mantendo certos contatos íntimos com Leonard, seu ex-namorado. Oliver não sabe de todos os detalhes, mais sabe que isso não acabou muito bem.

_Tem mesmo certeza disso Brittany? – Perguntou Oliver. – Leonard tá lá com ela e também tem aquelas...

_Oliver, nós já crêssemos. – Brittany a interrompeu enquanto se levantava. – E isso também já aconteceu faz tempo. 

_Faz apenas três meses. – Respondeu Oliver enquanto andava ao lado de Brittany rumo à mesa de Matilde.

_Sério? – Continuou Brittany. – Bom, agente pode ter uma conversa madura sobre qualquer coisa apesar de tudo isso que aconteceu.

Enquanto andavam para cada vez mais perto do demônio de cabelo vermelho como Tiffany a chamava. Oliver começou a se sentir quente. A cada passo que dava, o mais perto que chegava da mesa de Matilde era como se seu sangue fervesse e corresse mais rápido dentro de suas veias. Algo que aos poucos a deixou enjoada.

De repente, Brittany parou de andar. Ficando apenas há uns dois metros de distancia da mesa de Matilde. Ela se virou para Oliver e começou a sussurrar.

_Agora, Ollie. Repare que após esta conversa nós evitaremos aqueles olhares constrangedores nos corredores e claro, a melhor coisa. Eu não irei parecer um lobisomem amanhã, ao invés disso eu terei o cabelo melhor do que o da Gigi Hadid.

_Ah, então tudo bem. – Respondeu Oliver dando de ombros.

_Ollie, isso pra mim é um grande passo. – Continuou Brittany. – Tipo aquele cara com o capacete na lua.

Franzindo a testa, Oliver continuou andando atrás de Brittany que levava em seu olhar a confiança de que tudo iria dar certo e chacoalhava seus dedos de leve em seus cabelos apenas imaginando como eles ficariam lindos amanhã. 

Quando Matilde viu Brittany andando em sua direção, quase que imediatamente pegou o braço esquerdo de Leonard e o pôs em volta dos seus ombros, se aninhando nele o máximo que pode. Parecia uma garota desesperada por atenção e quando Brittany percebeu, começou a sorrir. “Isso vai ser fácil” pensou consigo mesma.

_Oi Matilde. – Disse Brittany.

_Ah, oi. – Matilde arqueou a sobrancelha e olhou para o lado. – Oi pra você também Oliver.

_Oi... – Oliver acenou timidamente desviando seu olhar para o chão logo depois.

Uma das coisas da qual Matilde adorava fazer era deixar algumas pessoas bem desconfortáveis em sua presença. Por isso sempre usava roupas curtas que deixavam seus seios parcialmente a mostra. E dessa vez não era diferente. Ela usava um cropped preto de borda transparente com duas rosas vermelhas bordadas, e uma calça branca muito apertada. Oliver sabia que, em qualquer movimento em falso que Matilde poderia fazer tudo poderia ficar a mostra. E isto a deixava muito desconfortável.

_Brittany, Oliver. – Disse Leonard acenando com a cabeça com um largo sorriso debochado em seu rosto.

Brittany soltou um leve sorriso forcado erguendo um dos lados de sua boca enquanto contraia suas sobrancelhas. Ela sabia o que Leonard e Matilde estavam fazendo, e iria tentar ignorar o máximo possível. Pois quando ela quer conseguir algo, ela consegue.

_Nossa, mais o que é isso? – Pergunta Brittany um pouco enojada enquanto apontava com o dedo indicador para um copo transparente com um liquido grosso vermelho escuro em cima da mesa.

_É suco de beterraba. – Responde Matilde com o nariz em pé. – Eu tenho que manter as minhas vitaminas.

Brittany primeiro a achou arrogante, mas logo depois. O pensamento de que se ela também não deveria estar tomando aquilo invadiu sua mente, há deixando um pouco irritada e, mudando de assunto, ela perguntou.

_Você viu o vestido lindo que eu estou usando hoje? – Continuou depois de dar um giro. – Se você quiser um igual, eu posso lhe mostrar onde eu comprei, ai você pode me levar no salão que deixou seu cabelo assim.

Matilde riu com um rápido suspiro e depois cruzou seus braços fazendo com que sua blusa descesse para baixo e seus seios subissem para cima. Ela havia cruzado as pernas e estava adorando a atenção que recebia dos outros alunos que passavam ao seu lado. Suspirando com um sorriso nada amigável, ela disse.

_Essa coisa de vadia falsa puritana não é pra mim.

Neste exato momento, Brittany fora picada por aquele olhar que Matilde havia lançado em sua direção. Como se ela fosse uma coisinha desprezível.

_É melhor irmos embora. – Oliver Sussurrou para Brittany enquanto a puxava levemente pelo braço. Mas ela não se moveu.

_O que foi “Oliver”? – Perguntou Leonard tirando sarro de seu nome. – Parece que o garotinho ficou assustado de repente?

Oliver estava ficando cada vez mais tonta com o calor e já não dava a mínima para as brincadeiras que sempre faziam com seu nome. Ela ficava ouvindo as pessoas há sua volta falando e rindo alto. Seu suave lamento começou logo quando perdeu o equilíbrio. Alguém que não tirava os olhos dos dotes de Matilde havia tropeçado atrás dela, a fazendo cair em cima da mesa derrubando o copo de suco de beterraba por toda a mesa.

Oliver levantou-se da mesa o mais rápido que pode vendo Matilde em pé a sua frente com uma mancha enorme vermelha que começava em sua virilha e terminava há cima de seus joelhos.

_Ah! Matilde... – Leonard a soltou e se afastou rapidamente. – Parece... Parece que você...

_É suco seu idiota. – Gritou Matilde empurrando Oliver com raiva fazendo-a cair no chão.

Oliver estava fervendo, sua pele estava ardendo e ficando avermelhada. Brittany rapidamente se abaixou para tentar ajudar ela se levantar, mas antes de sequer toca-la recuou de imediato. Matilde havia pegado o hambúrguer pela metade de Leonard e jogado em sua direção. Seu vestido estava manchado com pedaços de queijo e condimentos. Isso a irritou.

_Sério? – Brittany levantou-se levando suas mãos à cintura. – Isso é o melhor que pode fazer? Me jogar um hambúrguer?

Matilde pegou sua bandeja e jogou tudo o que havia dentro na direção de Brittany, que ficou toda suja e molhada, seu cabelo e seu rosto estava horrível.

_Ok, agora você tá parecendo uma criança de doze anos. – Disse Brittany se segurando e cerrando os olhos.

_Sua Puta. – Matilde deu um soco tão forte no rosto de Brittany que a fez cair no chão.

_Pelo menos eu não fico com qualquer um pra ter que passar de ano. – Brittany limpou o molho que escorria pela sua testa e continuou. – O Leonard ai não foi suficiente? Você teve que “brincar” com o Senhor Shepard e o Erick? Deve mesmo ter andado com a boca cheia não é mesmo?

_Quem te disse isso? – Matilde pulou para cima de Brittany e começou a soca-la no rosto. – QUEM TE DISSE??

Oliver não sabe ao certo como começou, mais em pouco tempo aquilo se tornou um campo de guerra do qual ela não gostaria de ficar. Pessoas jogando comida para todos os lados enquanto ela tentava “fugir” da situação. Ela até perdeu as contas de quantas vezes fora atingida enquanto corria para a saída do refeitório.

Correu pelos corredores e bateu a porta do banheiro feminino se aproximando do grande espelho logo à frente dos lavatórios cromados. Havia pedaços de bolo de chocolate em sua blusa violeta misturados com gelatina e refrigerante de laranja. Seu cabelo castanho estava molhado, com pedaços de folhas de alface nas pontas e rímel preto escorria de seus olhos. Oliver não gostava nada do que via em sua frente, e a fumaça que subia de seus cabelos apenas completava seu olhar de fúria e raiva.

_Oliver? – Chamou Tiffany em tom de dúvida do outro lado da porta.

Abrindo a torneira e levando sua cabeça para a pia, Oliver imediatamente começou a jogar agua em seu rosto o mais rápido possível. Ela esfregava seus olhos com as pontas dos dedos o mais forte que conseguia. Uma inútil tentativa de fazer com que sua maquiagem fosse removida, deixando apenas duas grandes manchas escuras envolta de seus olhos.

_Agente pode entrar querida? – Perguntou Brittany após bater de leve na porta. – É que tem muita gente andando aqui fora e...

_Pode entrar. – Disse Oliver após fechar a torneira e andar em direção ás toalhas de papel.

A porta rapidamente abriu e Tiffany entrou correndo em sua direção enquanto Brittany pulou pra frente do espelho, podendo assim finalmente ver os pedaços de spaghetti e molho escorrendo de seus cabelos loiros enquanto a mesma mexia a cabeça para um lado e depois para o outro em negação, o que fez as outras duas logo atrás começarem a rir.

_Então, era mesmo spaghetti. – Disse Brittany enquanto abria a torneira enojada.

_Eu disse. – Riu Tiffany mexendo nas pulseiras de seu pulso esquerdo.

_Droga, mais é melhor rir pra não chorar. – Disse Brittany enquanto tirava alguns fios de spaghetti da cabeça.

Oliver já começará a se sentir melhor apenas com a presença das duas ali. Isso há faz lembrar que a promessa de melhores amigas para sempre seguida de um colar prateado com um pingente em forma de coração não foi totalmente em vão.

Depois de tirar os restos de molho do cabelo, Brittany logo os prende em um rabo de cavalo já reparando nos dois enormes círculos bem escuros de sombra em volta dos olhos de Oliver.

_Não querida. – Disse Brittany enquanto procurava algo em sua bolsa. – Você precisa de um bom removedor, vem aqui que eu te ajudo.

Após se aproximar do espelho novamente, Oliver vê Brittany pondo um frasco transparente com um liquido azul e um pacote verde claro cheio de lenços em cima da pia. A mesma vira uma pequena quantidade do liquido azul em um lenço e começa a passar nas suas pálpebras.

_Matilde não deveria ter feito isso. – Disse Tiffany se aproximando das duas. – Ela não precisava ter levado as coisas com o Leonard assim tão sérias.

_Sim, ela já tá bem grandinha pra começar uma coisa dessas. – Oliver continua falando enquanto Brittany usa o removedor em seu rosto. – Sério? Uma guerra de comida? Ainda bem que a Brittany estava lá pra me ajudar porque se não eu não sei o que eu faria.

_Ah, não tem uma que eu não aguento. Agente tá aqui pra isso né amiga. – Sorriu Brittany olhando para Tiffany logo depois. – Você devia ter visto aquilo mana, todo mundo contra todo mundo. E eu sei que a culpa meio que também foi minha. Mais só digo que se os meus reflexos não fossem assim tão bons, eu e Oliver teríamos sido massacradas.

_A culpa não foi sua mana, mais se eu estivesse no seu lugar eu teria ido chamar alguém ao invés de relutar. – Disse Tiffany enquanto tirava as folhas de alface do cabelo de Oliver. – Assim agente sentiria o gostinho de ver Matilde sendo expulsa na frente de todo mundo.

_Ainda não acredito que ninguém conseguiu ver que foi ela que começou tudo aquilo. – Reclamou Brittany enquanto jogava o lenço de removedor de maquiagem no lixo. – Pronto Oliver.

Brittany deu dois tapinhas no ombro direito de Oliver que abriu os olhos e aproximou sua cabeça para ainda mais perto do espelho.

_Minha sorte foi eu estar bem perto do Markus. – Continuou Brittany enquanto ajudava Tiffany a tirar os pedaços de alfasse do cabelo de Oliver. – Ai eu pude jogar várias daquelas pedras que ele chama de biscoitos.

_Nem me fala. – Continuou Oliver enquanto olhava para sua blusa. – Eu recebi um pedaço de bolo de chocolate no meu peito que parecia concreto de tão duro que tava.

Nem precisou de muito tempo e as três já estavam rindo juntas.

 

                                                                                ~~

 

“Oliver... Apareça, apareça, onde quer que você esteja...”

Oliver se levantou de supetão no sofá. Seu coração batia tão rápido e tão alto que ela levou um segundo para ouvir o desenho animado na televisão e o DJ do rádio papeando na cozinha. Seus olhos percorreram rapidamente a sala, notando a fina faixa de luz que brilhava entre as venezianas fechadas e o parapeito da janela, o recipiente plástico com salada murcha sobre a mesinha de centro e o relógio em forma de triangulo na prateleira logo acima do aquário: 4:20.

Pegando o controle remoto no chão, Oliver desligou a TV e deixou seu corpo cair para trás. Agora ela via sua mãe Michele toda vez que fechava os olhos. E, ao contrário de que se lembrava, no sonho ela não se parecia com a Michele que ela gostaria de se lembrar. Ela estava muito magra, muito frágil.

Sua pele estava cinzenta e não caramelo como de costume, além de manchada de amarelo e roxo.

Os cabelos escuros caíam-lhe nas costas em forma de grossos cordões e um branco brilhava em seus olhos negros. Quando Oliver a ouviu gritar, uma fisgada dolorida cortou seu crânio.

Seu pai ainda estava no trabalho quando Oliver havia chegado do colégio ontem e com certeza ele ainda não tinha chegado em casa. Ter um pai policial as vezes tem seus altos e baixos.

Como quando às vezes algum garoto a está incomodando, basta apenas dizer “Você sábia? Meu pai é policial” que eles somem feito magica. Mais as vezes, quando ela está sozinha a noite apenas querendo ter certeza que que pode estar mais segura. Estas palavras nunca funcionam.

Oliver pega o telefone e disca o numero do celular de seu pai quando uma batida forte soou na cozinha. Sem querer se alarmar, apenas pensava. Era só o amortecedor ruim de um carro que estava passando... Ou apenas a TV dos Williams que às vezes ligava no volume máximo sem explicação...

Ou o Sr. White de volta de Vermont fazendo alguma coisa no terraço... Assim... Tão tarde...

_Chega de dormir. – Disse Oliver quando ouviu o barulho novamente percebendo que alguém estava batendo na porta da cozinha. Sem saber ao certo quem a estaria visitando assim tão cedo, Oliver terminou de discar para seu pai antes de ver quem era.

_Oi, pai. – Ela disse em voz alta quando ele atendeu.

_Oliver?

_Sim, sou eu. – Oliver andava pela cozinha, observando a tesoura no jarro de cerâmica amarelo ao lado da geladeira, o pequeno extintor de incêndio vermelho perto do fogão, a caixa de madeira com facas no balcão. – Eu decidi acordar antes do sol hoje e estou me sentindo ótima. Estou usando aquelas suas facas Ginsu super afiadas para fatiar o queijo para a omelete que estou preparando.

_Que facas Ginsu? E por que você está gritando? Está tudo bem?

_O que? Você, meu pai “POLICIAL” já está quase aqui? Entrando na esquina da Lower East Side?

Oliver parou a alguns centímetros da porta e a julgar pelo perfil que podia ser visto através da fina cortina na janela da porta da cozinha, quem bateu definitivamente era homem.

_Oliver, se estiver tentando me dizer alguma coisa...

_Um minuto, pai. – Oliver sussurrou, segurando a maçaneta da porta. – Steve?

Quando Oliver abriu a porta, viu que seu suposto ladrão estava no corredor usando um par de óculos de grau quadrados e vestindo calças jeans surradas junto com uma blusa de lã marrom.

_Ei, desculpe. Eu sei que é cedo... E você e seu pai sempre usam a porta dos fundos. – Ele disse. – Eu já tinha tentado a porta da frente, mas você não respondeu.

_Ah!

_E eu estava prestes a arrombar a porta, ou entrar pelas escadas de incêndio caso não conseguisse... Porque você não estava respondendo. E porque as luzes ficaram acesas a noite toda e porque eu não consegui ouvir nenhum barulho aqui mais alto que o barulho aí de dentro. Eu pensei que tivesse acontecido alguma coisa.

_Ah. – Disse Oliver novamente, se sentindo ridícula. – Desculpe. Eu estava assistindo TV e caí no sono.

_Você dormiu? Que bom!

Oliver levantou de imediato o telefone de volta para seu ouvido.

_Pai, desculpe... Sim, eu finalmente dormi. – Oliver se virou com a esperança de que Steve não notasse o sinal vermelho que ia de sua testa até o fim de seu pescoço. – Mas o Steve deu uma passada aqui. Posso ligar para você mais tarde?

_Tudo bem? – Steve perguntou quando Oliver desligou o telefone e se virou.

_Sim, obrigada. – Oliver abriu mais a porta. – Quer entrar?

_Na verdade... — Ele olhou para trás, em direção à porta entreaberta do seu apartamento. – Eu vim aqui só pra ver se tá tudo bem... É meio tarde e sua TV tava muito alta.

_Tudo bem. – Disse Oliver.

_Até mais tarde. – Disse Steve acenando com a mão.

Oliver sorriu enquanto fechava a porta entrando logo depois no banheiro para tomar um banho rápido.

“Minha linda princesa, o que aconteceu...”

Oliver havia terminando de se vestir e já estava secando o cabelo quando ouvi a voz de sua mãe. O espelho sobre a pia estava embaçado por causa do vapor do chuveiro, mas um forte brilho logo atrás refletiu nele como um fósforo aceso, lançando faíscas prateadas e não douradas.

O apartamento era antigo, tinha uns 75 anos. Não havia nada que brilhasse nele, principalmente no banheiro. Os azulejos nas paredes e o chão eram verde-musgo e, os armários eram de madeira escura com puxadores pretos. Qualquer coisa que normalmente fosse brilhante em um banheiro normal e moderno, como torneiras e luminárias, ali era bronze fosco.

Ela limpou o espelho com a mão, o encarou e suspirou.

_Você está perdendo o controle. – Disse Oliver para seu reflexo. — Falta uma única alucinação para atestar insanidade.

Oliver sabia que não estava ficando maluca e que as faíscas não eram produzidas por sua imaginação. Mais depois de tudo que aconteceu, isso era algo do qual ela ficaria feliz em ignorar.


Notas Finais


Esse capítulo foi apenas apresentando Oliver, a primeira personagem principal.
Espero que tenham gostado ✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...